8 de novembro de 2016

Capitã da aeronáutica faz sucesso como youtuber de culinária

Oficial do DCTA em São José dos Campos abriu canal para ensinar receitas.
Na página do Facebook, Caroline Carriolo tem mais de dois mil seguidores.
Poliana Casemiro
Do G1 Vale do Paraíba e Região
Quem a vê pelas lentes do celular em seus vários vídeos sobre confeitaria, não imagina que fora da web ela bate continência e usa farda. A capitã da aeronáutica, Caroline Carriolo, 32 anos, de São José dos Campos tem feito sucesso fora da corporação como youtuber. Em seu canal, recém-estreado, ela mostra receitas e dicas de doces para situações que vão de um jantar a dois a uma reunião de amigos.
Caroline está na aeronáutica há 12 anos e saiu do Rio de Janeiro para servir no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), onde trabalha atualmente com serviços administrativos. Em seus vídeos no canal "A cozinha falante de Carol" ela conta como reproduzir pratos de programas de TV, como fazer sua própria geleia ou ainda ensina a fazer receitas que são sucesso garantido, como o muffin de biscoitos.
Quem vê o cenário e aventais coloridos, os enfeites de cabelo, não imagina que fora das telas da internet ela faz parte do universo militar. Ao contar às pessoas sobre sua outra função, muitas desacreditam, conta.
“Quem me vê no vídeo, extrovertida, suja de farinha, não imagina que fora dali eu uso uma farda. A imagem da corporação, pelas regras, acaba criando a ideia de alguém sério e não é assim. É possível ser militar e youtuber”, conta Caroline.
O canal está no ar há dois meses, e tem cerca de 200 inscritos. Os vídeos têm em média 400 visualizações e a interação se expande na página do Facebook e perfil do instagram. Nos vídeos, os doces ganham espaço maior. Carol conta que eles são sua paixão por serem capazes de ativar memórias de momentos bons e da infância. “Doces lembram a casa da avó, filhos. Eles alegram a qualquer um, são capazes de colocar brilho nos olhos e de arrancar sorrisos fáceis”, conta.
Bem como a aeronáutica, na qual ela ingressou aos 19 anos, a culinária é um sonho de menina. Cresceu com a avó assistindo a programas de culinária, aprendendo as receitas de família e garante que queria isso para a vida. Conta que nesta época não havia a ideia profissionalizante de culinária que se tem hoje e a área era apenas associada às donas de casa, por isso não teve incentivo.
“Minha família queria que eu tivesse uma carreira sólida, estudasse, me especializasse. Era um olhar antigo para a culinária que é profissão, mas eu entendi e fiz tudo isso. Mesmo assim, não abandonei essa paixão, que continuei a estudar, cozinhar para os amigos, família e agora decidi compartilhar isso”, diz.
Carol trabalha a maior parte do tempo no DCTA, tem uma filha de um ano e meio, mas diz que se desdobra para fazer os vídeos, que encara como válvula de escape. Sua única assistente é a mãe, que vem do Rio de Janeiro para ajudar a gravar as receitas. E ela passa a semana, entre um intervalo e outro, interagindo com os mais de 2 mil seguidores - contabilizando todas as redes sociais em que ela atua - para produzir o conteúdo.
“A internet tem esse poder de realizar sonhos, como o meu. Eu queria a TV desde pequena, mas uma rede social me abriu essa oportunidade de estar nas telas também. A ideia com o canal era ir além de assistir a execução de uma receita, mas ensinar e aprender com quem assite. Eles têm me colocado desafios que me motivam a melhorar o que eu sei da culinária e isso expandiu os horizontes de onde eu achava que poderia chegar”, afirma.
G1/montedo.com

28 comentários:

Anônimo disse...

Gente que faz a diferença para melhor. Parabéns !!!!!

Anônimo disse...

Montedo, o termo correto é "a capitão" e não se bate continência e sim, "presta continência"....

montedo.com disse...

"Anônimo Anônimo disse...
Montedo, o termo correto é "a capitão" e não se bate continência e sim, "presta continência"....
8 de novembro de 2016 09:54"

A redação é da jornalista do G1.
Data-vênia, em linguagem civil, ambas as expressões podem ser utilizadas, nos dois casos.

Anônimo disse...

A Dilma sancionou uma lei que permite profissoes usarem tanto generos masculinos e femininos, portanto Capitã existe, assim como torneira mecanica kkkk!, ela pode usar o termo sem sofrer punicao.

Anônimo disse...

FAB ==> Autoridades usavam as aeronaves, enquanto órgãos deixavam de ser transportados

http://oglobo.globo.com/brasil/reportagem-do-globo-sobre-uso-da-fab-em-transplantes-de-orgaos-premiada-20428500

Anônimo disse...

Senhores, senhores e senhores !!!!

O Montedo apenas publica as reportagenes conforme está no original. Veja a fonte no final da matéria. Que coisa heim !!!

Álias, já enviarou algum link com matéria de interesse militar que Vc tenha visto em algum outro Blog ou site, jornais, etc ... ?

Não basta ver, ler e guardar pra si. Compartilhe sempre com os demais. Bah trocentas vezes.

Anônimo disse...

Para quem teve "presidenta" ter capitã, tententa, sargenta, caba, soldada não há problema nenhum ksksksk

2º SGT Armt/ 2003 disse...

Parabéns à capitão. Empenhou-se Algo que gosta e que trará benefícios para ela ou outrem.

muito legal.

Anônimo disse...

Calma pessoal! vem mais 5%

Anônimo disse...

Aos companheiros 8 de novembro de 2016 09:54 e 8 de novembro de 2016 09:54

Substantivos biformes são substantivos que apresentam duas formas diferentes, uma para o gênero masculino e outra para o gênero feminino.

A principal regra de formação do feminino é a troca da vogal final –o para a vogal final –a.

Exemplos:

o amigo – a amiga
o estranho – a estranha
o deputado – a deputada

Existem, contudo, outras regras para a formação do feminino:

- Com substantivos masculinos terminados em –or, o feminino é formado através da junção do artigo a.

Exemplos:

o embaixador – a embaixadora
o professor – a professora
o doutor – a doutora

- Com substantivos masculinos terminados em –ês, o feminino é formado através da junção do artigo a, sendo retirado o acento circunflexo.

Exemplos:

o freguês – a freguesa
o inglês – a inglesa
o camponês – a camponesa

- Com substantivos masculinos terminados em –ão, o feminino é formado através da troca da terminação –ão por –oa, –ã ou –ona.

Exemplos de –ão para –oa:

o pavão – a pavoa
o melão – a meloa
o patrão – a patroa
o capitão - a capitoa

Exemplos de –ão para –ã:

o cidadão – a cidadã
o campeão – a campeã
o anão – a anã
o capitão - a capitã

O feminino de capitão admite as duas formas capitã ou capitoa.

Fonte

PS: Leciono português no CMS

Anônimo disse...

Se fosse praça já estava punida á muito tempo ! E Seria perseguida também !

Anônimo disse...

VCs poderiam usar esse conhecimento e começar a estudar pra algum concurso decente e meter o pé dessa porra de Eb.

Anônimo disse...

Parabens!!! Sucesso!

Anônimo disse...

Se fosse praça, iriam inventar uma nova escala na OM de origem dela, para preencher o tempo ocioso utilizado para fazer vídeos. Afinal oficial sabe que existe serviço porque é obrigatório na AMÃE, caso contrário não o saberia, pois são cinco míseros anos participando de parada diária, e após isso só sup de dia em casa....alguns nem a pistola pegam, nem ronda fazem... maravilha esse EB tipo "A"....aos praças "leões de alojamento", "subversivos", "chorões", peçam pra sair...ou 35 anos tirando sv..cmt da gda, Sgt de dia, Adj, fiscal de dia e Of de dia.. que falta faz uma guerra, e que inveja da PM (onde um Sd recém formado ganha mais que um ST do EB) com seus oficiais que realmente são líderes.

Anônimo disse...

Já estamos papirando e caindo fora...fica a vc fazer muito IpM e sindicância, por conta de temporários fazendo m...pq o EB prefere investir em temporáros, tanto oficiais como praças, e não nas sua praças de carreira. O ultimo a sair apague a luz.

Anônimo disse...

Esse blog do Montedo é mesmo o blog. A gente aprende sem nem esperar. Pois, ao abrir a área de comentários, ao invés de lermos textos sobre o post, somos surpreendidos por uma aula!!

Isso é que é cultura.


P.S.: oxalá que o professor tenha tido apenas a intenção de ensinar e não de aparecer!

Anônimo disse...

Esse é o véio Cavalariano que eu conheço kkkkkkkk.
Mata a cobra e mostra a bichinha morta kkkkkk

Anônimo disse...

Muito bom, parabéns ao capitão. É capitão. Foi a "presidenta" que burlou a gramática.
Deixem a moça fazer o que gosta. É uma atividade saudável, sempre tem quem critique.

Anônimo disse...

Capitã? Que legal. Então a partir de agora teremos Soldada, Caba, Sargenta, Subtenenta, Tenenta, Capitã, Majora, Tenenta-Coronela, Coronela e Generala. Quiça Marechala. Muito interessanta.

Anônimo disse...

Enquanto isso....

Policiais militares e civis do estado do RJ foram para a assembleia legislativa daquele estado, para pressionar contra a aprovação de um projeto do governador de aumentar os descontos para a aposentadoria deles em 30℅. Não foram "vaquinhas de presépio", não aceitaram uma perda dessa , por culpa de uma raça de políticos que esbanjam o dinheiro público, onde a corrupção e os interesses escusos dominam o jogo, e politicos, apaniguados e o judiciário cheios de privilégios e depois querem jogar a quebradeira pra cima do povo....
É ...fico imaginando se os militares das FFAA iriam aceitar bovinamente mais perdas como na MP a do Mal, a malfadada MP 2215??? Vamos ver se policiais militares e civis do RJ que tiveram coragem e agiram vão ter sucesso ou não...

Anônimo disse...

Beleza! Vou criar um blog e contar como esta sendo minha experiencia no UBER...

Anônimo disse...

Se fosse no EB, nossos generais iriam cheios de pompa e espontâneamente oferecer 45℅ de lambuja, pois já estariam passando para a reserva e teriam por este "excelente" serviço prestado, alguma boquinha em algum gabinete quando passassem para a reserva com todos os direitos adquiridos, sem serem afetados por aquilo que consentiram (vide MP 2215). Ainda bem que não há guerra aqui. Se houvesse, esses "líderes" não iriam comandar nada.

Anônimo disse...

Ao amigo 8 de novembro de 2016 20:48, ser irônico tudo bem mas ser ignorante, ai fica difícil vai estudar pô!!!

Anônimo disse...

Mas quanta inteligência! Estude língua portuguesa para não escrever besteira, como comparar erroneamente o feminino de capitão=capitã com presidente=presidenta. No regulamento (que não é a gramática) não prevê, ou melhor, negligencia a norma culta.

Anônimo disse...

mi mi mi
buá buá buá
não consigo fazer nada, só sei criticar

Anônimo disse...

Por que não te calas "Capitã" !!!!

att.

Praça anti-oficial

Anônimo disse...

ao anônimo de 8 de novembro de 2016 18:33. se te serve de consolo, sou de carreira e só tirei sv de oficial de dia durante três anos. kkkkkkk

Anônimo disse...

Caramba cara e so um hobby da mulher... cada comentário mais sem pé nem cabeça ...
Parabéns a ela por fazer algo que preste com seu tempo disponivel.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics