19 de novembro de 2016

Leitor do blog denuncia 'humilhação' no atendimento médico aos militares do Exército no RJ

Atualização 13h40

"Será que nossos chefes não se apercebem que isso é uma verdadeira humilhação que fazem com seus subordinados?"
Resultado de imagem para hospital de guarnição do rio de janeiro

Recebi na área de comentários:
"... tenho quer denunciar a falta de respeito de nossos chefes com a saúde dos militares. Fui hoje no Hospital de Guarnição do Rio de Janeiro marcar uma radiografia panorâmica e a máquina está quebrada. No mesmo hospital existe um Médico Oftalmologista e não está instalada a aparelhagem par que o mesmo possa atender seus pacientes e para marcar Ultrassonografia temos que madrugar as sextas-feira. 
No HCE é uma verdadeira batalha conseguir vaga para Oftalmologia.Cheguei no referido hospital às 05:00 e as 07:30 não havia mais número. Nesse mesmo hospital só tem vaga para Ultrassonografia em março. Na Praia Vermelha o Oftalmologista está de férias. 
Vale lembrar aos nossos chefes que descontamos uma alta quantia em favor do FUSEx e ainda pagamos 20% em todos os procedimentos. Infelizmente a grande maioria dos que dependem do Serviço de Saúde do Exército vive única e exclusivamente de seus aviltados salários e não conseguem ter acesso a uma renda extra com polpudas diárias para que possa ser assistido em uma clínica particular. Será que nossos chefes não se apercebem que isso é uma verdadeira humilhação que fazem com seus subordinados?"
Imagens: DSau

Brasil afora
19 de novembro de 2016 22:17
"Estou servindo em um local que o Hospital que apoia os militares e familiares é o de Bagé. Viajamos para Bagé e ao chegarmos no referido hospital nunca tem especialidade. Não tem nada mesmo, só clinico Geral e médicos jovens sem experiência (serviço militar obrigatório). Comentários na cidade é que vai fechar e passar a ser um Posto Médico, esperamos que isto ocorra mesmo e resolva o problema já que os médicos serão conveniados na cidade. Paguei uma consulta de oftalmologia particular R$ 250,00. Foi a maneira do meu filho de 11 anos poder mudar o grau do óculos e terminar o ano letivo."

19 de novembro de 2016 22:57
"Em Rio Grande RS, estamos sem convênio nenhum há mais de um ano. Estamos jogados a própria sorte ou cada um que se vire com as custas de suas despesas médicas particulares. Como não há hospital militar na guarnição, sempre houve contrato com médicos e clínicas da região para atender a família militar, ocorre que os convênios deixaram de existir e a unidade militar simplesmente cruzou os braços para a situação. Deveria pelo menos haver a opção de poder sair do FuSEx, pois não existe em lugar nenhum um plano de saúde o qual se desconte mensalmente e ainda se cubra 20% das eventuais despesas e não se tenha atendimento nenhum e nem perspectiva de solução. Parece que estamos todos pedindo um favor. Alguém é remunerado para resolver essas pendências."

Resultado de imagem para Hospital da Aeronáutica de Canoas
O problema não é apenas no Exército:

19 de novembro de 2016 13:39
"No Hospital da Aeronáutica de Canoas, o Raio X está quebrado a tempo tempo que nem lembro quando aconteceu. Os militares são encaminhados ao Hospital do EB em Porto Alegre, ou então tu faz particular. Novo RX está encaixotado no corredor do hospital e até agora não foi instalado."



Quando o sistema funciona
19 de novembro de 2016 20:40 
"Por que, então uns atendem bem e outros não? Apesar dos fechamentos de unidades da FAB, no hospital de Belém, que é grande, as coisas melhoraram muito. h a datas fixas para abertura de agendas no balcão de atendimento, com distribuição de senhas muito cedo, como também por telefone. Todos com bastante vagas. A maioria dos médicos, acho, são temporários, havendo ainda uns antigões na ativa e alguns contratados. além de reformas para melhorar o ambiente ainda ha o grupo do hospital no "zap-zap" que informa quando há vagas e agendas disponíveis. Se o hospital não dispõe de certos aparelhos, ou estão quebrados, para exames específicos, pega-se encaminhamento para clínicas conveniadas. Consegui consulta com especialistas que, no passado, tinha que rezar por uma consulta. Quando precisei ser atendido no Pronto Atendimento, pois teria que esperar a abertura de agendas, fui muito bem atendido e medicado, inclusive com exames realizados na hora. Gostaria que fosse assim para o resto do Brasil, pois a maioria dos militares pouco usam os serviços e quando vão ficando mais "antigos" aparecem as necessidades junto com as da família. Torço que continue assim e sirva de exemplo."

19 de novembro de 2016 17:09
"Em Porto Alegre, as unidades militares de saúde estão de parabéns. Tanto o hospital militar quanto a policlínica estão muito bem aparelhados, a policlínica está sendo restaurada e as instalações estão ficando de primeira." 

23 comentários:

Anônimo disse...

No Hospital da Aeronáutica de Canoas, o Raio X está quebrado a tempo tempo que nem lembro quando aconteceu. Os militares são encaminhados ao Hospital do EB em Porto Alegre, ou então tu faz particular. Novo RX está encaixotado no corredor do hospital e até agora não foi instalado

Anônimo disse...

Aí não é problema do FUSEx mas sim de má administração dos Hospitais, e diga-se de passagem esse HCE é famoso pelo mau atendimento, o caos na saúde pública é geral e o FUSEx por incrível que pareça tem uma ampla gama de atendimento. É só ver os planos de saúde que prometem mundos e fundos e comparar o valor e o absurdo que cobram. Sei milico tem essa mania de achar que o jardim do vizinho sempre tem a grama mais verde.

Anônimo disse...

Falta gestão! Dinheiro tem! FALTA GESTÃO! Conheço Comandante que desenvolveu excelente gestão! E hoje o Fusex é considerado o melhor plano na cidade.

Anônimo disse...

Quanto as Forças Armadas gastam para manter esses "hospitais"?
Quantos militares e pensionistas somos no Brasil?

Juntando o que é gasto anualmente com os hospitais militares mais uma contribuição nossa, daria para contratar um plano de saúde muito bom; plano nacional; sem contar que o governo federal ajuda os servidores civis, mensalmente no contracheque, com um auxilio para a saúde dos dependentes. O problema é que os generais não querem reivindicar nada, para não se queimarem.

Beatriz Faleiro disse...

Prezado Sr Montedo.
Somos do Hospital Geral do Rio de Janeiro e leitores atentos do seu blog.
Gostaria que, se possível, o companheiro, tb leitor do blog, que não conseguiu o atendimento médico, nos procurasse pessoalmente na Direção do HGERJ, na próxima segunda-feira pela manhã para resolvermos sua demanda.
Aguardamos o contato e estamos à disposição, deste leitor e de qualquer outro usuário no tel: (21) 2457-4501.
Com Soc / HGERJ

Com Soc HGERJ disse...

Prezado Sr Montedo.
Somos do Hospital Geral do Rio de Janeiro e leitores atentos do seu blog.
Gostaria que, se possível, o companheiro, tb leitor do blog, que não conseguiu o atendimento médico, nos procurasse pessoalmente na Direção do HGERJ, na próxima segunda-feira pela manhã para resolvermos sua demanda.
Aguardamos o contato e estamos à disposição, deste leitor e de qualquer outro usuário no tel: (21) 2457-4501.
Com Soc / HGERJ

Leonardo Nunes disse...

O Hospital Naval Marcílio Dias não tá diferente!!!! E somos obrigados a pagar o fusma agora QQ procedimento vc é descontado na folha virou um plano de cooparticipação

Anônimo disse...

Este é o preço que se paga pelo atendimento que tem ....

2 ten WFO -

Anônimo disse...

Em Porto Alegre, as unidades militares de saúde estão de parabéns. Tanto o hospital militar quanto a policlínica estão muito bem aparelhados, a policlínica está sendo restaurada e as instalações estão ficando de primeira.

Anônimo disse...

A degradação salarial dos militares- vergonhosa, humilhante e vexatória - permitida e consentida pelos antigos e pelos atuais comandantes das Forças Armadas certamente é a principal causa dessa vergonha repugnante no qual tem-se transformado o Serviço de Saúde para os próprios militares e seus dependentes. Logo,logo tenderá deixar de ser administrado pelas forças.Aí, amigos, será o fim. Um médico, enfermeiro, dentista, farmacêutico, veterinário, e as praças pertencentes ao serviço de saúde recebem vencimentos que beiram ao ridículo.Uma vergonha! e não adianta nenhum comandante vir com esse papo furado de que o Brasil está em crise econômica.Mentira!!! O Brasil chegou a crescer mais de 7% ao ano.Todas as carreiras de Estado foram valorizadas. Hoje existem Brasil afora vinte Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares que recebem vencimentos muito acima dos nossos. A verdade é que nenhum General recebe, mensalmente, apenas os vencimentos a que faz jus-Muitas diárias, muitas.Apesar de serem ridículas as que recebem ,comparando-as com as pagas à Gloriosa Força Nacional.Daí, se queimarem para defender vencimentos de coronel sem Estado-Maior, para não falar do resto,nem pensar.E quanto ao resto? É RESTO!!!

Jonecy Leite disse...

O hospital da guarnição de João Pessoa tambem se encontra quebrado o aparelho do gabinete de oftalmologia. Forças Armadas sem Comanantes.

Anônimo disse...

O que um médico decente ganha em um dia de plantão em um hospital, ganha em um mês no EB. Ninguém é louco em ficar submetido a um comandante de arma, fazendo sindicância, escalas de serviço, trabalhando em tempo integral e sendo vetado a comparecer a congressos médicos e cursos de atualização.

Anônimo disse...

Por que, então uns atendem bem e outros não? Apesar dos fechamentos de unidades da FAB, no hospital de Belém, que é grande, as coisas melhoraram muito. h a datas fixas para abertura de agendas no balcão de atendimento, com distribuição de senhas muito cedo, como também por telefone. Todos com bastante vagas. A maioria dos médicos, acho, são temporários, havendo ainda uns antigões na ativa e alguns contratados. além de reformas para melhorar o ambiente ainda ha o grupo do hospital no "zap-zap" que informa quando há vagas e agendas disponíveis. Se o hospital não dispõe de certos aparelhos, ou estão quebrados, para exames específicos, pega-se encaminhamento para clínicas conveniadas. Consegui consulta com especialistas que, no passado, tinha que rezar por uma consulta. Quando precisei ser atendido no Pronto Atendimento, pois teria que esperar a abertura de agendas, fui muito bem atendido e medicado, inclusive com exames realizados na hora. Gostaria que fosse assim para o resto do Brasil, pois a maioria dos militares pouco usam os serviços e quando vão ficando mais "antigos" aparecem as necessidades junto com as da família. Torço que continue assim e sirva de exemplo.

Anônimo disse...

É culpa do FUSEX sim, pois se é descontado do bolso do militar, não interessa como, mas o serviço deve ser bem prestado. Se existe má gestão em determinado hospital, está tendo pior gestão na D Sau. Aqui em Brasília tudo funciona, embora seja normal ver os generais passando a frente de todos pra ser atendido. O EB é uma instituição moralmente falida, a essência é maravilhosa, mas na prática, conseguem distorcer tudo conforme conveniência.
O Cmdo precisa reformular a força ou explodir tudo de vez.

Anônimo disse...

Os Hospitais da Força Aérea tb estão um caos. ....Será que podemos pedir exclusão desse sistema hospitalar falido? ....Pelo menos não contribuiriamos para o privilégio de uma pequena leva de Oficiais,que por sinal,são muito bem atendidos. QUE digaM nossos Generai.

Anônimo disse...

Estou servindo em um local que o Hospital que apoia os militares e familiares é o de Bagé. Viajamos para Bagé e ao chegarmos no referido hospital nunca tem especialidade. Não tem nada mesmo, só clinico Geral e médicos jovens sem experiência (serviço militar obrigatório). Comentários na cidade é que vai fechar e passar a ser um Posto Médico, esperamos que isto ocorra mesmo e resolva o problema já que os médicos serão conveniados na cidade. Paguei uma consulta de oftalmologia particular R$ 250,00. Foi a maneira do meu filho de 11 anos poder mudar o grau do óculos e terminar o ano letivo.

Anônimo disse...

Em Rio Grande RS, estamos sem convênio nenhum há mais de um ano. Estamos jogados a própria sorte ou cada um que se vire com as custas de suas despesas médicas particulares. Como não há hospital militar na guarnição, sempre houve contrato com médicos e clínicas da região para atender a família militar, ocorre que os convênios deixaram de existir e a unidade militar simplesmente cruzou os braços para a situação. Deveria pelo menos haver a opção de poder sair do FuSEx, pois não existe em lugar nenhum um plano de saúde o qual se desconte mensalmente e ainda se cubra 20% das eventuais despesas e não se tenha atendimento nenhum e nem perspectiva de solução. Parece que estamos todos pedindo um favor. Alguém é remunerado para resolver essas pendências.

1 sgt inf disse...

o atendimento eh uma negaçao mesmo. Nos outros planos de saude, faz quem quer, no exercito, somos obrigados. entao, esse papinho de q estamos reclamando de barriga cheia, eh pura conversa fiada, sem fundamento.

Anônimo disse...

O choro é livre !O fusex ainda faz milagre . Não sei como o fusex ainda não quebrou . Tem militares que abusam ! Pegam guias sem limites . Os que não usam pagam pelos abusados .

Anônimo disse...

Concordo. Fala-se em má gestão, o q concordo, mas o q dizer da população atendida? O q dizer do QE q, uma vez estabilizado, apresenta, pasmem, cerca de 15 dependentes. Sim, 15!!! É pai, mãe, esposa, filhos, sogra, sogro, cachorro etc. Ainda bem q o EB cortou essa mamata em 93. E os Tmpr? Basta colocar a estrelinha ou divisa que chovem procedimentos (cirurgias de olhos, dentárias, partos etc.). Meu caro, estou em BSB e, acreditem, o volume de gente nessa situação é altíssimo.
Nós, que pagamos o preço (dedicação a passar em concurso, submetemo-nos a um CF exigente e suado), somos os mais prejudicados, honestamente.
Para mim, como solução inicial, o EB deveria excluir os Tmpr do sistema. Não cobre o Fusex e os isole do sistema, simples assim. Vcs perceberiam a enormidade de economia gerada smente a partir desta manobra. E não me venham com esse papo de q, assim agindo, vai desanimar os Tmpr. Balela! Na última seleção, aqui na RM, houve excesso absurdo de candidatos. Razão simples, não há empregos sobrando e a remuneração está maior do q o aplicado no mercado, queiram ou não, gostem ou não. E estou falando de Brasília.
É isso, gostem ou não!

Anônimo disse...

O q falta e vergonha na cara

Anônimo disse...

a guarnicao do rio de janeiro ta inchada com as olimpiadas e ainda contrataram mais temporarios para apoio aos jogos (sem tanta necessidade).

realmente se enxugar a guarnição, desativando quarteis, transferindo o excedente, dispensando temporários, seja lá como for, talvez melhore muito.
a crise está em todo o pais e precisamos enxugar tb

sobraria mais verba até pra ser uma guarnição mais operacional com melhores investimentos em recursos materiais e humanos.

Anônimo disse...

Hospital de Bagé já era para ter sido fechado. Hospital fantasma não tem nada, nada mesmo. O que fazem é encaminhara para Porto Alegre-RS, 800 km para conseguir consultar. Temos esperança que com posto medico melhore os convênios. Cumpre-me elogiar o corpo de Dentistas excelentes profissionais, mas as demais especialidades não existem. Esperamos o fechamento em 2018 como prometem.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics