18 de novembro de 2016

MS: índios protestam em Campo Grande contra saída de coordenador da Funai, substituído por coronel do Exército

Índios interditaram rua da Funai em protesto contra saída de coordenador
Luana Rodrigues, Fernanda Yafusso e Cristiane Reis
Campo Grande (MS) - Com faixas, cartazes, arco, flecha e até monitores de computadores, cerca de 20 indígenas bloquerama a Rua Maracaju, próximo a Pedro Celestino, em frente a sede da Funai (Fundação Nacional do Índio), no Centro de Campo Grande. Em Aquidauana, o quilômetro 527, da BR-262, foi interditado por cerca de 300 indígenas, conforme a PRF (Polícia Rodoviária Federal)
Os manifestantes protestavam contra a exoneração do coordenador regional da Funai, Evair Borges e a nomeação do coronel reformado do Exército, Renato Vida Sant'Anna para o cargo. Desde a última quinta-feira (10), índios ocupam o prédio a sede do prédio, na Capital, como forma de protesto.
Conforme a líder terena, Hekere Terenoe, os índios querem um posicionamento do Governo Federal, quanto ao fato de terem feito a exoneração sem consulta às lideranças indígenas. “Estamos sendo desrespeitados”, considera a índia.
Além dos cartazes e gritos de protesto, os indígenas usavam acessórios e pintura no rosto e corpo que indicam guerra. Eles também encenaram uma dança, que faz alusão à conflitos. “Estão tentando enfraquecer o povo indígena e não vamos permitir”, disse Valcélio Terena.

[...]

Exoneração
A exoneração de Evair Borges foi divulgada na página 37 da edição do dia 10 de novembro do DOU (Diário Oficial da União), que também apresentou a nomeação do militar, Renato Vida Sant'Anna, como coordenador da entidade.
Sant'Anna é coronel reformado do Exército, e passou 36 dos seus 70 anos servindo à corporação. Ainda não há data marcada para a posse do novo coordenador.
Campo Grande News/edição: montedo.com

15 comentários:

Anônimo disse...

Eh muita hipocrisia...! O problema do brasileiro é achar que só existem direitos.

Anônimo disse...

Querem um general de Presidente e não querem um coronel na regional da FUNAI !!!!

Anônimo disse...

Cada um no seu quadrado.Militar não é para trabalhar com índio.Entre os indígenas também ha muitos "zumbis" pré-fabricados pelo PT. A FUNAI já colocou índio, sertanista, civil, etc e não deu certo. Colocar coronel ou general só vai fazer as Forças Armadas se envolverem em assuntos que não lhes pertence.Chegou a hora de colocar em prática a reação aos baderneiros que o ministro da Defesa declarou quando se referiu a invasão a Câmara dos deputados. Porque só lá haveria essa reação e pelo Brasil a fora, onde estão invadindo tudo, não ha reação?

Anônimo disse...

Hino à Bandeira Nacional

https://www.youtube.com/watch?v=RzFtkbqqwxU

Anônimo disse...

E ainda querem monitores de computador novos?

Anônimo disse...

Sem querer fugir do assunto mas tenho quer denunciar a falta de respeito de nossos chefes com a saúde dos militares. Fui hoje no Hospital de Guarnição do Rio de Janeiro marcar uma radiografia panorâmica e a máquina está quebrada. No mesmo hospital existe um Médico Oftalmologista e não está instalada a aparelhagem par que o mesmo possa atender seus pacientes e para marcar Ultrassonografia temos que madrugar as sextas-feira. No HCE é uma verdadeira batalha conseguir vaga para Oftalmologia.Cheguei no referido hospital às 05:00 e as 07:30 não havia mais número. Nesse mesmo hospital só tem vaga para Ultrassonografia em março. Na Praia Vermelha o Oftalmologista está de férias. Vale lembrar aos nossos chefes que descontamos uma alta quantia em favor do FUSEX e ainda pagamos 20% em todos os procedimentos. Infelizmente a grande maioria dos que dependem do Serviço de Saúde do Exército vive única e exclusivamente de seus aviltados salários e não conseguem ter acesso a uma renda extra com polpudas diárias para que possa ser assistido em uma clínica particular. Será que nossos chefes não se apercebem que isso é uma verdadeira humilhação que fazem com seus subordinados?

Anônimo disse...

Índios? Morro de rir, mas não acho graça kkkkkk
Engana que eu gosto.

Anônimo disse...

Esse indíos são emancipados, podem responder na justiça. Pois, sabem fazer protesto. Protesto é uma manifestação prevista nos costumes legal do home branco.

Anônimo disse...

Dá um engradado de cachaça que acaba o protesto!

Anônimo disse...

http://extra.globo.com/noticias/economia/embraer-recebe-certificacao-militar-provisoria-para-modelo-kc-390-20488010.html

Anônimo disse...

Vai encarar !!!!!

http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/bom-dia-cidade/videos/v/policia-militar-de-sao-paulo-abre-concurso-para-2293-vagas/5457235/

SGT MELO disse...

O que são indígenas para nós? Eles precisam estar nus e com arcos e flechas? Que tipo de militares somos nós que não reconhecemos a necessidade de parte de nosso povo? Fala-se muito em valores invertidos, tenho que concordar as vezes com isso, principalmente quando vejo se tornar CHACOTA a necessidade desses BRASILEIROS antes mesmo se averiguar absolutamente nada!!! Somos militares pra defender oq? A carreira? A medalha de corpo de FOCA?

Anônimo disse...



LERAM ISSO???? Será verdade?????????????


http://vindodospampas.blogspot.com.br/2016/11/o-fuzil-ak-47-de-lula.html

Anônimo disse...

Se eu entrar na aldeia deles armado de espingarda, com pintura camuflada, impedindo eles de saírem da aldeia, eles vão mandar flechas. Por que eles acham que tem direitos de impedir as pessoas(brancas) de trabalharem e irem onde querem? Falta de autoridade dos órgãos responsáveis e descaso em situações anteriores.Querem protestar, vão la para o Congresso em Brasília.

Anônimo disse...

Não conheço o oficial nomeado. Não sei se serviu em localidade com aldeias indígenas, nem a relação do mesmo com esse povo. Porém, o que constato nos meus anos de "caminhada" por estes rincões, em termos de instituições no Brasil, o Exército é mais próximo, entende mais acerca das necessidades e presta muito mais assistência que a própria FUNAI. Por consequência, militares podem dominar com propriedade o assunto.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics