1 de outubro de 2016

Assassino de cabo do Exército é condenado a 13 anos no Paraná

Acusado pela morte de cabo do exército na saída de balada é condenado a 13 anos de prisão
Luiz Henrique de Oliveira e Flávia Barros
Curitiba (PR) - O acusado pela morte do cabo do Exército Giovanni Porcides, de 22 anos, foi condenado a 13 anos de prisão em Juri Popular que aconteceu nesta quinta-feira (29) em Curitiba. Alexandre Henrique de Souza, de 20 anos, atirou contra Porcides na saída de um bar não bairro Alto da XV, em Curitiba, em julho de 2015.
O advogado da família do cabo, Khalil Aquim, contou à Banda B que o julgamento durou mais de doze horas. “O acusado acabou condenado por homicídio qualificado por um motivo fútil. O crime aconteceu na saída do aniversário da namorada, quando o Giovanni foi abordado no trânsito. Ele parou pedir desculpas, mas o rapaz do carro de trás chegou dando voadora e depois ainda atirou contra ele”, lembrou o advogado.

Leia também
Cabo do Exército é morto após briga em saída de bar


Para a acusação, a pena poderia ser maior, mas, ainda assim, a sensação foi de justiça. “A família não buscou indenização, queria apenas que a lei fosse cumprida. O julgamento foi em respeito a memória do Giovanni, em busca da verdade e da justiça, que foi o que aconteceu”, descreveu Aquim.
Após o crime, Alexandre chegou a fugir com a namorada para Telêmaco Borba, no interior do estado, onde acabou detido. Além dele e da namorada, outros dois envolvidos no crime também foram detidos. Eles ainda não foram julgados e responderão a processo pela participação no homicídio.
Banda B/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

A Lei tem que mudar, tem que ser prisão perpétua no mínimo, a vida do jovem foi ceifada, não tem motivos Nenhum matar alguém que não seja por legítima defesa, imagine seu filho ou você tendo uma vida inteira pela frente e retirada por um delinquente que vai passar no máximo uns três anos preso, isso por motivo das Leis penais serem brandas e feitas por bandidos e para bandidos, o assassino vai estar solto até antes desse tempo e dependendo nunca vai ficar efetivamente preso por haver tantos recursos e advogados inescrupulosos e não me venha falar em ética. Temos que ter consciência nas votações para que com pressão acabe essa impunidade que ocorre em todo país. Matou tem que pagar caro, tirar a vida de outro ser humano é inadmissível, mas no Brasil tornou-se comum. Isso tem que parar.

Anônimo disse...

Aonde vamos parar? 13 anos de prisão por homicídio qualificado? A justiça do Brasil está mandando o seguinte recado para todos os assassinos: pode continuar a matar que estamos do seu lado sr assassino.
A família da vítima tem que deixar a compaixão de lado e pedir indenização sim. Tirar até o último centavo desse m..... só assim se terá feito parcialmente justiça.
Brasil, país da impunidade e da corrupção!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics