27 de março de 2015

Beira mar: cobiçado por construtoras, terreno do Exército vai virar praça em Florianópolis.

Terreno do Exército na Beira-Mar Norte será transformado em praça
Cobiçado: terreno fica numa das áreas mais valorizadas da capital de SC
(Foto: Petra Mafalda, Divulgação)
Cobiçado por construtoras e sem utilidade desde 1976, o terreno de 1. 619 metros quadrados localizado na esquina das avenidas Mauro Ramos e Beira-mar Norte, ao lado do Beira-mar Shopping, numa das regiões mais valorizadas de Florianópolis, será uma praça.
A cessão do terreno para a Prefeitura de Florianópolis construir uma praça foi confirmada pelo General de Exército, Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, ao deputado federal Esperidião Amin na manhã nesta quinta-feira (26). De acordo com Amin, que telefonou de Brasília para dar a notícia ao prefeito Cesar Souza Junior, a confirmação é resultado de um trabalho de quase 40 anos.
“Há 39 anos, desde 31 de março de 1976, lutamos para que este terreno pudesse se transformar em uma praça. Agora, passaremos as tratativas legais, mas já é de Florianópolis”, comemora o deputado.
“A praça que queremos para o terreno irá fazer referências ao Forte São Luiz da Praia de Fora e será mais um ponto de cultura e lazer da cidade.”, afirmou o prefeito Cesar Souza Junior, que também se empenhou pessoalmente nas tratativas com o Exército.

Estudo mostrava que área não pertencia ao Exército
Levantamento realizado a pedido do deputado federal Esperidião Amin revelou que a área, onde antigamente estava instalado o Forte São Luiz da Praia de Fora, não pertence ao Exército, como se constata atualmente.
O estudo mostrou que o decreto que autorizou o registro do imóvel em nome da União, assinado pelo presidente Ernesto Geisel em 1976, foi revogado pelo presidente Fernando Collor de Mello, ou seja, não teria qualquer validade legal.

Prefeitura encaminhou pedido há um ano
Em agosto de 2013, o então secretário de Obras e atual deputado estadual João Amin fez um pedido ao general Fernando Sardenberg, comandante da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada. Na data, o general, se prontificou a estabelecer uma ponte com o Comando da 5ª Divisão de Exército, com base em Curitiba, para tornar a cessão uma realidade.
Em janeiro de 2014, a Prefeitura de Florianópolis encaminhou um ofício à Superintendência do Patrimônio da União (SPU) no Estado requisitando a cessão de uso do terreno. O objetivo era declarar a área de utilidade pública para instalar ali uma praça de lazer.

História
O terreno atualmente cercado e fechado ao público, foi o Forte São Luiz da Praia de Fora, demolido no início do século 19. Até a década de 1970, uma feira livre funcionava na área. Em 1976, o então prefeito Esperidião Amin foi informado pelo Comando do Exército de que o terreno seria utilizado para a construção de um prédio de 12 andares, com 30 a 36 apartamentos, para os oficiais do Exército.

Forte São Luís
Erguido a partir de 1771, o Forte de São Luis da Praia de Fora ficava no terreno. Complemento da defesa do Forte de Santana, no Estreito, e do Forte de São Francisco Xavier, tinha a função de defender a Vila de Nossa Senhora do Desterro.
CLIC RBS/montedo.com

7 comentários:

Anônimo disse...

Ah........vai virar praça sim......
Aguardem cenas dos próximos capítulos.....

Anônimo disse...

Um pouco da historia desse terreno!
A Prefeitura de Florianópolis, decretou que nesse terreno não
poderia qualquer tipo de construção ( somente praça).
Verdadeiro motivo qualquer construção ficaria na frente do
Shoping Beira Mar. Até ai tudo bem. Só que do lado desse terreno foi autorizado pela Prefeitura a
Construção do Hotel Majestic,
com mais de 10 andares. Ministério Público e Policia Federal abre o olho.

Anônimo disse...

Esperamos que seja verdade. Uma praça bem cuidada e com segurança para as famílias.Será? Nos rincões do norte, área verde, preservada e sob responsabilidade militar, transformou-se em terreno vendido para shopping, mesmo com os órgãos de proteção ambiental protestando e MPE e depois se calaram. Não se sabe o motivo!(?).

Anônimo disse...

Até poderia ter dado a idéia de fazer PNR, mas com certeza seria apenas para oficiais, mas seria bom se tivesse sido feito PNR misto, para oficiais e sargentos, ou HT.

Amigo R.A - Natal disse...

O Gen Villas Bôas poderia também lembra ao nobre deputado, já que o mesmo esta careca de saber, que temos uma MP a 15 anos mofando no congresso..

Anônimo disse...

Mais uma praca pra maconheiros e perigo pra sossiedade

Anônimo disse...

Aquele Amim... Nada mais que jogo de politicagem para valorizar mais a região. É impossível construir qualquer coisa nesse terreno. Os donos do shopping não permitem.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics