18 de março de 2015

Uma carta de saudade.

Capa
Tenente Sheila Morello (Imagem; Rudy Trindade)
Sheila Morello*
Um ano, 52 semanas, 365 dias...
Há exatamente um ano, eu não uso mais farda. Não faço mais o habitual coque, nem pinto as unhas de branquinho.
Há um ano, não entro mais em forma embaixo de sol. Nem preciso ser superior ao tempo quando começa a chover.
Para minha felicidade, há um ano não faço TAF (Teste de Aptidão Física). Corro só quando tenho vontade. Mas, para minha tristeza, também não faço TAT (Teste de Aptidão ao Tiro) e sinto muita falta dele.
Há um ano, paquero de longe o PDC (Palácio Duque de Caxias, no RJ) quando passo em frente a ele. Isso acontece todos os dias, de segunda a sexta, de manhã e à noite.
Há um ano, não ando mais em viatura, mas continuo usando (e muito) jargões de miliquês.
Há um ano, não participo de operações, nem de ações cívicas sociais, nem de solenidades militares.
Há um ano, não ouço o som do bumbo... Aquele que nos diz que devemos colocar o pé direito no chão, enquanto desfilamos.
Há um ano, não presto continência, nem sou chamada de "senhora". Era tão estranho ser chamada de senhora aos 24 anos...
Eu era uma menina quando ingressei nas fileiras do Exército Brasileiro. Não sabia nada da vida castrense. Não sabia nem que iria usar farda. De cara, odiei. Depois, me apaixonei. E a paixão virou amor, daqueles que nunca morrem.
Durante o último ano, só tive coragem de voltar ao PDC uma vez. E derramei lágrimas sem fim com cada amigo que encontrava nos corredores.
Talvez seja complicado para um civil entender. Mas ser militar é muito mais que ter um emprego. É ter uma família, uma segunda casa, lições de vida e amizades duradouras. É compartilhar valores, perrengues, missões, tradições. É multiplicar companheirismo, cumplicidade, camaradagem. É entender o significado literal de "servir". É superar limitações e se orgulhar muito disso. Só entende quem passa por isso. Aliás, só entende mesmo quem "vivencia" isso.
Há um ano, eu me preparava para um dos dias mais emblemáticos da minha vida: o dia de deixar a caserna. Por mais que, desde 2006, eu soubesse que este dia chegaria e até tenha tentado me preparar para ele, confesso que não estava preparada. Doeu como se estivesse me despedindo de um grande amor. E estava.
Ainda atendo o telefone no ímpeto de dizer "Assessoria de Imprensa do Comando Militar do Leste". Ainda penso nas histórias do fim de semana que vou contar para as minhas companheiras. Ainda lembro e celebro as datas festivas do calendário do Exército. Ainda conto as experiências vividas, como se tivessem acontecido na semana passada. Ainda lembro da formatura mensal e revivo na memória, com lágrimas nos olhos, a última vez que entrei em forma no Dia da Bandeira de 2013. Por mais incrível que possa parecer (milicos entenderão), minha família também lembra e revive muitas coisas comigo.
Ah! Como sinto saudades... Saudade daquela camaradagem. Saudade das missões. Saudade de me arrepiar em forma, ao som da Canção do Expedicionário. Saudade da minha farda. Saudade de ser a Tenente Sheila. Não pela patente, pois quem me conhece, sabe que nunca me vali dela, mas pelo orgulho de ser uma Oficial do Exército Brasileiro. Continuo sendo uma Oficial do nosso glorioso EcoBravo, mas agora componho a reserva atenta e forte. Saudades...
O tempo passou tão rápido e eu agradeço a Deus TODOS OS DIAS pela manifestação da graça superabundante Dele em minha vida. Pelos novos desafios que Ele me tem dado, pelos novos aprendizados, pelas oportunidades e conquistas diárias. Sou muito feliz pela oportunidade ímpar que estou vivendo hoje. Tenho muito orgulho de fazer parte de um projeto tão expressivo para o nosso país. Peço a Deus que me abençoe e me capacite para que eu possa somar e dar sempre o melhor de mim no meu trabalho.
Contudo, saudade é algo que não controlamos. Às vezes, nem ao menos sabemos explicá-la direito. Mas, na minha opinião, saudade é a confirmação de que algo que vivenciamos valeu a pena. Integrar o Exército valeu muito a pena. Foi muito mais que uma experiência de emprego, foi uma escola de vida, da qual - hoje - trago comigo os melhores ensinamentos.
Ao Exército Brasileiro, minha continência, meu reconhecimento, meu eterno respeito, admiração e amor.
Brasil acima de tudo! (R. A.)
*Oficial R/2 do Exército

35 comentários:

Anônimo disse...

Bela mensagem. Nobre Sheila, vc não esteve no Exército, vc faz parte dele. Com certeza ainda veste a camiseta. Seja feliz.

Lauro Costa disse...

Só quem usou a segunda pele entende o que ela sente. Brasil acima de tudo abaixo de Deus!

Marcos Pinto Franca disse...

Show de bola , já tinha lido no facebook ... Excelente texto ... Bom para os resmungões lerem ...

Anônimo disse...

Belo texto! Ninguém, por mais conhecedor que seja dos assuntos militares, se nunca passou por um quartel e vestiu uma farda, se não teve teve a convivência dentro de uma unidade militar, faltará sempre alguma coisa no seu currículo. Ten Sheila, a senhora passou pouco tempo nas Forças Armadas, imaginem quem fica por lá 30 anos. Parabéns, boa sorte!

Anônimo disse...

Sempre digo: Não adianta ver as noticias da caserna e não repassar. O que adianta guardar pra si, sabendo que convivemos com uma maioria de alienados, desinteressaods, egoistas, sem pensamento coletivo, os quais só sabem reclamar e utilizar a NET prá fotinhas e besteirol.

Divulgue os fatos, bizús e noticias da caserna.

Anônimo disse...

Boa noite a todos, lendo essas belíssimas palavras da Sheila, comecei a refletir que com meus 28 anos de serviço e que em breve estarei me despedindo da caserna e como será sem ir para o quartel de uma hora para outra, realmente é nossa segunda pele, não é só por dinheiro e sim pelo senso de dever cumprido o prazer de dar o pronto da missão, em fim somos diferente, é uma profissão sem igual, parabéns a companheira e digo quem tem espírito militar, com certeza se sairá muito bem no meio civil, pois na sociedade está carente de pessoas com dignidade, um grande abraço a todos.

Leonardo Camanho disse...

O Exército não é o mesmo para todos. A questão da OM onde serve influencia muito. Ela passou os 8 anos no CML, por isso idealizou o Exército que conheceu. Se passasse por outra Unidades veria que a realidade é outra.

Anônimo disse...

EB última reserva moral deste país!

Anônimo disse...

Última reserva moral? Deve viver no "fantástico mundo verde oliva" mesmo.

Anônimo disse...

Belas palavras.
Seja feliz Tenete onde quer que esteja trabalhando...

Anônimo disse...

Meu amigo, sirvo no PDC, e posso dizer que servir no CML ou na RM é uma P... de Saci!!!! Ali só salva o DECEx e o CTA.

Anônimo disse...

Há um mês não sei o que é poder ir embora no horário de término de expediente previsto no horário do corpo. Vai saber o por quê? (Bem, todos sabemos).
Estou com saudades de sair no horário.

Anônimo disse...

Você é muito Linda!!!! Parabéns pela beleza.

Anônimo disse...

Que esse orgulho fosse de todos e que a remuneração tivesse parte deste orgulho! De que qualquer maneira ela merece respeito e aplausos!

Anônimo disse...

Respeito a emocionante declaração de apreço, dita pela graciosa oficial, ao nosso EB. Infelizmente não viveu a instituição em sua profundidade, ou seja, em outros exércitos, tais como, o de selva, o do pqdt, o dos comandos, o de caatinga, o de Brasília, entre outros. Só assim saberíamos que essa pureza, revelada nas suas palavras, seriam mais verdadeiras, se tivesse vivido em alguns deste exércitos mencionados. Brasil acima de tudo!! Não esqueçamos, abaixo de Deus!!

Corneteiro Lopes disse...

Da mão amiga é mole sentir saudade, quero ver dizer o mesmo do braço forte.

Anônimo disse...

Relembrando o que foi dito em campanha eleitoral. O governo que tem como lema Pátria Educadora e usurpa a própria língua portuguesa, não merece confiança. A palavra presidenta não existe no nosso vocabulário!!. Nada contra as nossas mulheres, verdadeiras heroínas nesta nossa grande Nação.

Anônimo disse...

Belas Palavras. Parabens e sucesso na nova atividade.

Anônimo disse...

PDC ruim? Quer fazer uma "permuta" pelo 4BIL (Osasco-SP)? Tem amigo do 6BIL em Caçapava que também é voluntário para "permutar".

Anônimo disse...

E sobre a promoção dos QE a subtenente, ninguem fala mais nada?

Marinho disse...

Parabéns a Ten Sheila, ela faz questão de responder a todos os posts no seu Face.

P.S.: ela tem mais vocação que muito militar de carreira.

Anônimo disse...

Sobre promoção, sugiro ao militar acima, pesquisar nos sites do EB, DGP, DAProm, da Câmara. da Presidência, etc ... se mexa. No 0800 é mole.

Anônimo disse...

Cada um tem seu ponto de vista ... a chuva não cai igual para todos !!!

Anônimo disse...

O EB dela com certeza não o das praças!!! Coloca ela num Batalhão de fuzileiros ae, que esse texto vira de terror... Ela viveu outro Exército. O meu Exército ainda continua jangau por aqui!

Anônimo disse...

Trocaria agora sem pestanejar. Mas estou indo para a reserva depois de 32 anos de servico. Detalhe: servi no 20 GAC L perto ai de vc por 9 anos e adorei!!!!! Nao se iluda com QG. A escala pode ser mais leve e ter outras vantagens, mas tem diversos e mais amplos tipos de aborrecimentos. Curta sua juventude e seu tempo de corpo de tropa, pelo menos para mim e o periodo do qual lembro com mais alegria. Aeromovel! Brasil!

Anônimo disse...

Seja quem for, diga o que disser, quem já pertenceu ou pertence de "coração" as FFAA, sabe que tem sim algum tipo de "vírus" do bem ao querer pertencer, realizar os trabalhos, aguentar o tranco e defender o país em qualquer situação, mesmo sendo esquecidos. Esqueçamos os políticos por um momento, pois muitos não conseguem entender o que move essa nação dos que se prontificam a esse "sacrifício" pela vontade de querer que as coisas sejam melhores para todos.Isso nos coloca acima de qualquer interesse,emoção,momento ou "patrão". Estamos prontos! Chamem e iremos todos, da ativa e da reserva e até os "velhinhos" que gostam de frequentar o blog.

Anônimo disse...

Infelizmente o exercito não é igual para todos mesmo. Mulher tem tratamento diferenciado dentro da força, principalmente se for bonita. Belas palavras para quem serve e não cumpre as mesmas atividades dos homens e ganha igual a todos...

Leonardo Camanho disse...

20GAC L (Regimento Bandeirantes), 6ºBIL (Regimento Ipiranga), 4ºBIL (Regimento Raposo Tavares). Com certeza o EB não é o mesmo para todos, e principalmente para as mulheres. Quanto a questão de OM, digo por experiência própria, pois servi no 4ºBIL e não é esse "monstro" que imaginam. Muitos conhecidos que saíram de lá e estão pelos Batalhões no RJ estão "sofrendo". Antes de deixar a Força, fiquei mais de 6 meses no PDC (a disposição), e foi muito tranquilo, muito mesmo. Quanto as reclamações e elogios, sempre vão existir. Quem não gosta deve aceitar quem gosta e vice-versa. Sigo o pensamento de Voltaire: "Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."

Marco Santiago disse...

Cara Ten. Sheila. Este velho QAO Reformado sentiu-se homenageado com suas palavras,se pudesse iria te dar um abraço. Como o nosso país precisa de jovens como você. Receba minha continência.
Marco Santiago - Cap QAO Ref.

Anônimo disse...

Linda! Maravilhosa! Pena que a foto foi montada. Deveria ser colorida para mostrar a sua real beleza.

Anônimo disse...

Quem achar que as Forças Armadas são iguais para todos é só verificar as indicações para viagens e comissões no exterior.

Anônimo disse...

Parabéns Ten Sheila por suas sinceras palavras e que Deus te abençoe.

Anônimo disse...

P/ o pessoal que parece nunca ter visto uma mulher de farda bonita, segue link onde a ex militar aparece.

https://www.youtube.com/watch?v=5-G43B8oNCk

Anônimo disse...

Qta besteira. O QE quer sair ST ???? Tá de sacanagem, né? Promove a cel logo. Cara de pau. O EB nunca vai pra frente.

Anônimo disse...

As palavras da Ten Res N/Rem Sheila são sinceras e retratam a realidade que ela viveu. Não podemos comparar o PDC com outras unidades, assim como, não podemos comparar uma tropa de infantaria com artilharia, com, int, etc...cada uma tem a sua importância e cumpre sua missão...Conheci a Sheila quando eu era subão, servindo na Bda Pqdt. junto com seu noivo Ten Res N/ Rem Andre Luiz...digo que nunca conheci um casal tão igual, seja na fé na instituição, dedicação, comprometimento e amor à caserna, seja na vontade de progredir...aproveito a oportunidade para desejar ao casal amigo, muitas felicidades. Aguardo o convite do casamento...!!!

1º Ten QAo Pqd Atila

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics