20 de março de 2015

'Severinos' em alto nível: Forças Armadas serão 'babás' do programa Mais cubanos... ops! Mais Médicos.

A determinação de Dilma Rousseff vem na esteira da revelação, pela Band, do que todos já sabiam: o Mais Médicos nada mais é do que uma parceria do governo do PT com a ditadura cubana e admite a presença de 'assessores' do governo castrista para vigiar os médicos cubanos.

Forças Armadas vão prestar apoio logístico em ações do Programa Mais Médicos
Mais Médicos
Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Valéria Aguiar
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, autorizou o emprego das Forças Armadas em apoio logístico ao Programa Mais Médicos do governo federal. A decisão foi publicada hoje (19) no Diário Oficial da União e atende a uma determinação da presidenta Dilma Rousseff.
O texto estabelece que comandantes da Marinha e do Exército acionem os meios logísticos necessários para a recepção, a hospedagem, o transporte urbano e a distribuição dos médicos intercambistas e supervisores nos municípios.
Um oficial deverá ser designado para promover a ligação com os órgãos governamentais. Os comandantes deverão informar ao Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas as necessidades financeiras exigidas para o apoio ao programa.
De acordo com a publicação, o comandante da Aeronáutica deverá acionar meios logísticos (pessoal e material) necessários para o transporte aéreo de médicos intercambistas e supervisores.
O Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas deverá promover a ligação e a coordenação com as demais autoridades envolvidas no programa e acompanhar a execução das ações de apoio, mantendo o ministro informado sobre as principais tarefas executadas.
O Programa Mais Médicos faz parte de um pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde e prevê a convocação de profissionais para atuar na atenção básica de municípios com maior vulnerabilidade social.
Agência Brasil/montedo.com

11 comentários:

Anônimo disse...

Por que severinos? Cumprimos ordens. Deveríamos nos rebelar?

Anônimo disse...

Parece até que tô vendo general dizer: - Missão dada é missão cumprida. Vai pôr um terceireba de motorista de médico...

Eduardo disse...

É por isto que sai a tempo. Não suportaria tamanha injustiça, humilhação a que vejo passar o pessoal da ativa. Ainda falta um Cmt daquilo roxão. Tô fora. Eduardo Art

VELHO disse...

RESPEITO É VIA DE MÃO DUPLA. OS CHEFES ESQUECERAM ISSO.

Anônimo disse...

Recepção? Hospedagem? Transporte urbano? Carregador de malas? O "programa" não prevê hospedagem? Pronto,não falta mais nada.Para fechar com chave de ouro, vão desfilar e saldar Fidel? Quem fez isso? PT... que pariu! E agora, onde está o orgulho, a independência? Todos balançando a cabeça, sorridentes!Onde está os homens da lei para barrarem isso?

Anônimo disse...

Esta ação é mais uma parte do "plano", colocar militares junto com Cubanos "cabeça feita" pela ditadura Castrista comunista, deve ser para "lavar" a mente de alguns militares e estes passam para outros e outros até estar todos dominados. Meu pai sempre disse - não confie em ninguém, nem mesmo nas suas mãos, caso elas não estejam à vista.

Anônimo disse...

Quanto Leão. Até o que saiu, aguentou por muito tempo quietinho. Agora virou justiceiro.

Anônimo disse...

Não vou me surpreender se o Vagner der ordem de reforço "logístico" para os movimentos sociais a pedido de Dilma (MST, MTST...)

Marco Balbi disse...

Leiam com atenção a portaria! Ela "amplia" algo que já existia. Não concordo nem com uma situação, nem com a outra. O certo seria contratar o apoio a qualquer empresa civil mediante licitação para as tarefas que destinaram às Forças Armadas.

Anônimo disse...

Estava preocupado no Rio de janeiro com a greve dos garis, porque o prefeito podia pedir ajuda.

Anônimo disse...

Quero ver até onde os chefões vão consentir que seus subordinados virem guias turísticos, roupeiros,maleiros e mulas desse pessoa de Cuba. Não adianta esbravejar se estão sendo desmoralizados aos poucos. Onde está a coragem de chegar no ouvido do ministro e dizer um não? A tropa cumpre com a hierarquia, obediência mas não é otária.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics