24 de março de 2015

Soldado do Exército é preso em flagrante traficando cocaína em Rondônia.

Soldado do 6º Batalhão de Infantaria e Selva é preso com droga no Porto Oficial de Guajará-Mirim.
João Carlos Mata do Nascimento, 20 anos, soldado do 6º BIS de Guajará-Mirim
João Carlos Mata do Nascimento, 20 anos, soldado do 6º BIS de Guajará-Mirim
Droga apreendida na posse de João Carlos Mata do Nascimento, soldado do 6º Bis.
Droga apreendida com o militar
Guajará-Mirim (RO) - Na tarde deste domingo por volta das 17 h, uma guarnição da Policia Militar que estava de serviço de fiscalização no Porto Oficial de Guajará-Mirim com o objetivo de coibir o contrabando, tráfico de drogas e outros ilícitos, momento que abordou o elemento João Carlos Mata do Nascimento, 20 anos que reside no bairro Tamandaré, e foi encontrado em sua posse um tablete aparentando ser substância entorpecente, que após pesada e periciada tratando-se de 01 quilo e 02 gramas e 03 décimos.
João Carlos Mata do Nascimento, que é militar do Exército Brasileiro e servindo no 6º Batalhão de Infantaria e Selva de Guajará-Mirim colaborou com a abordagem vindo a confirmar o tipo da substância, bem como a posse do entorpecente, o mesmo declarou trata-se de cocaína oxidada, sendo o fato de imediato comunicado ao Oficial de dia do 6º BIS de Guajará-Mirim que acompanhou todos os procedimentos.
De imediato foi dada voz de prisão ao conduzido, bem como lido os seus direitos constitucionais e conscientizando-o do crime de tráfico internacional de entorpecente, sendo conduzido até a Delegacia de Polícia Civil de Guajará-Mirim para registro de ocorrência policial. Por se tratar de crime federal foi encaminhado a Delegacia de Polícia Federal do Município onde foi lavrado o flagrante e encaminhado ao Presidio Masculino local ficando a disposição da justiça.
Portal Guajará, via A Pérola do Mamoré/montedo.com

3 comentários:

Anônimo disse...

É preciso fazer uma triagem melhor na seleção. Ultimamente tem incorporado muitos marginais. Isso reflete na opinião pública em desfavor a Instituição.

Anônimo disse...

Queria ter visto a cara do Capitão de Corveta preso no Rio por pedofilia. Abafaram o caso...

Anônimo disse...

O problema não é triagem, é a má índole,as más companhias, essa vida consumista extrema atual e a grande facilidade da região onde ele mora.A fronteira de lá é muito extensa separada por rios, fáceis de atravessar em pequenas canoas, com muitas vilas pequenas pelo caminho e muitas estradinhas vicinais.Apesar das fiscalizações, das denuncias, ainda passa muita coisa. Quem sabe se ele não foi a "mula dedurada" da vez? Ele é preso enquanto outro passa com uma quantidade bem maior.Artimanha de traficante não tem limites.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics