13 de março de 2015

Constrangimento: após episódio em que soldados tiveram que se despir para revista, Batalhão cria normas internas a mando do Ministério Público.

Denúncia anônima motiva requisição do MPF/PE que leva Exército a criar norma para revista íntima
Denúncia relatou que soldados e cabos sofreram constrangimentos ao serem revistados sem roupa durante diligência para identificar autor de furto de munição
A partir de requisição do Ministério Público Federal em Pernambuco (MPF/PE), o 4º Batalhão de Comunicações do Exército no Recife editou norma interna sobre procedimento para revista íntima. A atuação do MPF foi motivada por denúncia anônima que informou sobre constrangimentos sofridos por soldados e cabos, revistados sem roupa durante diligências para identificação do autor de furto de munições. A autora da requisição é a procuradora da República Mona Lisa Duarte Ismail.
A instrução nº 26 de Normas Gerais de Ação, publicada no Boletim Interno 240/2014, uniformiza os processos relacionados à segurança orgânica e determina que é vedada qualquer forma de desnudamento e tratamento degradante durante as revistas. O caso ocorreu em novembro de 2013.
O Comando do 4º Batalhão alegou que as medidas haviam sido tomadas para impedir que a munição furtada, de alto poder destrutivo, chegasse a organizações criminosas. Após as apurações, o MPF requisitou que fosse criada norma interna na organização militar para garantir que os procedimentos de revista sejam realizados sem violação à honra e à dignidade dos revistados.
O furto das munições foi apurado por inquérito policial militar, instaurado por determinação do 4º Batalhão de Comunicações do Exército. Inquérito Civil Nº: 1.26.000.000211/2014-94
Justiça em Foco/montedo.com

15 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei com uma duvida que talvez alguém que serviu ou sirva no batalhão ou na área possa esclarecer. Acharam a tal munição de alto poder destrutivo? Era uma granada antipessoal anticarro, ou uma 7,62.

Anônimo disse...

Não interessa qual era a munição! Ali é quartel não igreja!! Dê uma olhadinha para o mundo e veja o que é uma guerra. Bando de chorões.

Anônimo disse...

Este espirito não condiz com a gloriosa OM de Comunicações do Nordeste. Viva o 4º B Com Ex!!!

Anônimo disse...

Sou 2 sargento do EB.
Pq só revistar assim o Cb/Sd?
Garanto a vcs, se o comandante ordenasse que ele mesmo seria o primeiro a passar pela revista, passando pelo Estado Maior, depois pelas seções e depois pelas companhias não daria tanto pano para manga....
O problema é sempre a marginalização dos praças..

Anônimo disse...

É tão fácil assim desviar munição do quartel? Se eles não conseguem controlar isso lá dentro, imaginem querer fazer nas fronteiras. Se eles pedirem, acho que os marginais são capazes até de fornecer munições.E se não acharam nada com os militares? Conseguiram constatar a veracidade do sumiço? E haja processo! Seria assim que eles agiriam nos morros do Rio? Todo mundo peladão?

Anônimo disse...

O Respeito a integridade e o respeito ao ser humano é sempre necessario. Porem sou contra estes direitos humanos ou (desumanos e dosmanos) de querer se meter, vangloriar e botar desculpa em tudo em que se faz.
Afinal das contas é algo belico, não dá para deixar por isso mesmo...
Se não fazer revista ai se achar como?
Daqui a pouco a policia não vai poder mais nem fazer abordagem policial nas ruas. Os agentes penitenciarios não poderao revistar para entrar no presidio.
Onde vamos parar...
Acho quetudo tem o seu peso e sua medida.

Anônimo disse...

Ao comentário realizado em 13 de março de 2015 23:46

"Não interessa qual era a munição! Ali é quartel não igreja!! Dê uma olhadinha para o mundo e veja o que é uma guerra. Bando de chorões."

CALMA VALENTE...

Anônimo disse...

deveria ser obrigatório o local de banho ser tipo box com porta, pois as pessoas ficam expostas (nuas) as outros ferindo o princípio inviolável da intimidade alheia.

tem gente que não gosta de tomar banho nessas circunstâncias, por questões religiosas, pinto pequeno, etc...

Anônimo disse...

Para acabar com os desvios de munição, alimentos e outras miudezas, no final do expediente, formatura geral com todos pelados, em forma, inclusive o cmt passando em revista.Piada, claro!
Ridículo o que fizeram. O cara estuda tanto que acho que frita o cérebro.

Anônimo disse...

Só faltou inspecionar os orifícios da galera!!!

Anônimo disse...

por que ninguém revista sargento e oficias? "aah são de carreira não a necessidade para isso, na formação que tiveram já foram testados". Sempre assim, na minha cidade já vi sargento e oficias envolvidos em sequestro, assalto, juntamente com cabos e soldados. Respeito muito as OM, mas o certo é que tem muito baixaria la dentro de fato.

Anônimo disse...

Despir soldados para encontrar munição escondida? Céus!!!! Nunca ouviram falar em "detector de metais"? Hoje em dia compra-se em qualquer camelô, boteco ou mesmo pelo Mercado Livre.

Qualquer boate de 5ª tem um leão-de-chácara à porta portando um desses. Era só ter pedido emprestado.

Exército Brasileiro... (ptui)

Anônimo disse...

Existem aplicativos detectores de metais para smartfone...sem contar o baixo custo desses equipamentos. Acho que essa revista íntima serviu para alimentar alguma intenção secreta de alguém...kkkk

Leonardo Camanho disse...

Bem feito. Acha que dentro do quartel quem faz a "Lei" é ele. Só assim que aprende.

Anônimo disse...

Realmente, essa turma que está no comando de OMs agora tem que ir logo pra reserva. O mundo mudou amigos, o exército não ia ser diferente. Recebemos hoje um soldado muito diferente do que tinhamos 20 anos atrás.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics