22 de março de 2015

O Aquafusca!

Outra do meu amigo Carlos Lemes Camargo. Essa é dos tempos em que ele era cabo motorista, no 9º Regimento de Cavalaria Blindado, em São Gabriel (RS).


5 comentários:

Anônimo disse...

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-03-21/militares-ficam-presos-por-mais-de-30-horas-apos-carregador-de-fuzil-sumir.html

1/03/2015 23:39:14 - Atualizada às 22/03/2015 12:31:16
Militares estão presos em quartel desde sexta após sumiço de carregador de fuzil
Os mais de 100 militares são do Batalhão Escola de Comunicações (Bescom) do Exército, na Vila Militar
Felipe Freire

Rio - Mais de 100 militares do Batalhão Escola de Comunicações (Bescom) do Exército, na Vila Militar, em Deodoro, estão presos após o desaparecimento de um carregador de fuzil 7.62. O fato ocorreu por volta das 11h da última sexta-feira, quando um dos soldados comunicou o sumiço do equipamento, que estava com 20 projéteis, durante a contagem oficial. A Força Armada instaurou um inquérito militar para apurar o fato.

Logo após o sumiço, que, segundo parentes dos soldados, teria ocorrido durante patrulhamento de rua, um oficial da unidade cancelou o toque de ordem para liberar os militares. Foi iniciado então uma medida de segurança orgânica, com diligências e buscas pelo carregador, que estava inicialmente no colete do soldado. Armários e carros foram revistados.

Diante do fato, a assessoria de imprensa do Comando Militar do Leste (CML) informou que foi aberto um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o desaparecimento do equipamento. Em contato telefônico com O DIA, a assessoria de imprensa do CML informou que os militares não estão presos, mas sim aquartelados. Segundo a legislação Militar, mesmo sem uma acusação formal, os militares podem ser mantidos no quartel por até 72 horas, o que foi decidido pelo comando em relação aos alunos.

Até as 11h deste domingo, os militares ainda não haviam sido liberados.

Anônimo disse...

O fusca, como não poderia deixar de ser, faz parte das aventuras de muitos.Nos anos 70, um conhecido, que tinha um, também usava para conquistar as gatinhas. "Somzão" caprichado,pneus tala larga, escape modificado para o ronco ficar mais poderoso. Sempre que podia, escapulia das vistas da patroa. Certo final de semana, dizendo que ia trabalhar, pegou uma gatinha e foram para uma praia de oceano no Pará, distante uns 200km.A cidade, Salinas, famosa pelas belas praias, tem uma que os motoristas podem estacionar na areia bem próximos da água. Chegou por lá quase noite e não perdeu tempo em "contemplar" a paisagem.Ele só esqueceu que essa "contemplação" só é possível com a maré baixa. Quando percebeu, as ondas já estavam cobrindo o capô e o supercarro atolado na areia até a metade das rodas.Foi uma situação terrível. Teve que pedir socorro aos moradores, com caminhão, trator, jegue e o que mais aparecesse, antes que as ondas levassem o seu precioso e ainda precisava voltar antes que a patroa soubesse de tudo. Se fosse hoje, com essas redes sociais, ele estaria perdido.

Anônimo disse...

Todo lugar tem a sua figurinha rara...kkk...

Anônimo disse...

Um amigo carioca foi servir em Belém, e após conhecer uma nativa, foi namorar numa praia do litoral do Pará sob as estrelas. O que ele não sabia? Que o Pará tem uma preamar sinistra. O carro deve estar sendo procurado até hj pela equipe do saudoso Jacques Cousteau.

Anônimo disse...

Mensagem para reflexão para os de espírito "mineiro": O barato, as vezes, sai caro....
Ass: um mineiro autêntico:-)

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics