8 de março de 2015

Programas ajudam a prevenir estresse nos quartéis.

As três forças afirmam que não há dados estatísticos referentes à doença, conhecida pela medicina como Síndrome de Burnout

HENRIQUE MORAES
Rio - Casos recentes de militares dos quartéis do Estado do Rio que sofrem de distúrbio psíquico de caráter depressivo e precedido de esgotamento físico e mental intenso, fez a coluna buscar informações sobre o tema. As três forças afirmam que não há dados estatísticos referentes à doença, conhecida pela medicina como Síndrome de Burnout. Porém, relataram como procedem para prevenir novos casos.
A Marinha conta com a Unidade Integrada de Saúde Mental a qual presta atendimento psiquiátrico 24 horas a todo militar que apresentar qualquer tipo de necessidade em relação a sua saúde mental.
A FAB informou que faz exames anuais, em militares e civis, que incluem o acompanhamento psicológico do efetivo. Revela ainda que cada unidade aérea da FAB mantém um médico especializado em medicina aeroespacial. Profissional que tem a função exclusiva de monitorar os indicadores de saúde dos militares que participam de atividades aéreas.
Já o Exército Brasileiro afirmou que faz, periodicamente, exames médicos para militares e servidores civis bem como proporciona apoio social e psicológico. (R. A.)
Força Militar (O Dia)/montedo.com

19 comentários:

Anônimo disse...

Acho que não é só a Dilma que anda mentindo:
"Já o Exército Brasileiro afirmou que faz, periodicamente, exames médicos para militares e servidores civis bem como proporciona apoio social e psicológico."

Anônimo disse...

Quando lembro que até os anos 2001 praça era dispensado do pernoite para dormir em casa ou não havia o contraditório e ampla defesa, ou mais distante, o almirante negro (joão cândido) foi castigado em nove ocasiões na Marinha brasileira, preso entre dois a quatro dias em celas solitárias "a pão e água", tendo lutado contra as chicotadas na marinha, que pouco tempo depois do término da revolta, o governo, cuja promessa era dar anistia, promulgou um decreto que quebrou a anistia, expulsando-o da marinha, posso dizer que já houve dias piores.

Anônimo disse...

Estou a 24 anos na no Exército e ninguém nunca me ofereceu ajuda psicológica e sim missão atrás de missão e QSF.... Gostaria de saber realmente se existe FAMÍLIA MILITAR, Braço forte e mão amiga, com toda certeza desse mundo, nunca vi um povo tão desunido como os militares que por sua vez só olham pra si e novamente pensam que os outros QSF...

Anônimo disse...

A crise de estresse é mensal quando abrimos os nossos contracheques.

Anônimo disse...

Mentira deslava do Exército !!!
Não existe merda nenhuma de exame anual no Exército. Muito mal o exame pré-teste de aptidão física (TAF) que se resume ao enfermeiro ou médico medir a pressão arterial e perguntar ao militar: "Vc tem algum problema de saúde?"
Depois o militar diz que político é quem é mentiroso!!!

Anônimo disse...

Num hospital militar de uma guarnição especial que conheço, o Diretor é o primeiro a escrotizar seus militares. Indivíduo desequilibrado e sem tato algum! Vive para infernizar a vida dos outros! Taí a ajuda que eles dão!

Anônimo disse...

O chefe ou outro qualquer militar que vive "atazanando" os seus militares, é sinal da falta do que fazer ou só para parecer macho.Só para despistar. Sei que na Aeronáutica, há dois TAF anuais e dependendo da especialidade há exames de saúde anuais ou de dois em dois anos.Para o pessoal controlador de vôo e outras tripulações havia ainda exame com psiquiatra. Os exames constam de: sangue completo, pressão,dentista, oftalmologista, clinico geral,otorrino, cardiologista, esteira ergométrica, audimetria, raio-X e qualquer outro extra solicitado pelo médico. Na verdade os militares atuais estão, na grande maioria,depressivos, estressados,endividados etc. O remédio todos sabem qual é: um salário digno com todo os direitos perdidos. Pelo andar da carruagem, os psiquiatras e psicólogos vão ter muito trabalho pela frente.

Anônimo disse...

Há muitos anos o Exército deixou de se preocupar com a sua tropa. Se alguém ficar para trás, que fique. Se alguém adoecer ou morrer, sempre vai ter alguém que faça o serviço dele, mesmo que se sobrecarregue, o regime é de escravidão mesmo. Praça é peça de reposição. Como o exército vai se preocupar se o militar tem problema depressivo, se nem mesmo levam em conta que o militar tem cérebro?

Anônimo disse...

NUNCA!
EM NOVE ANOS DE SERVIÇO SÓ TEM MISSÃO ATRÁS DE MISSÃO, ESCALA DE SERVIÇO SEMPRE MUITO APERTADA E COM EXPEDIENTES ALONGADOS DEPOIS DO SERVIÇO ( O MILITAR DO EXÉRCITO TIRA UM SERVIÇO DE 24 HORAS E AINDA TEM QUE CUMPRIR EXPEDIENTE NORMAL DAS 8:00 ÀS 17:00, E QUANDO ESTE TERMINA ÀS 17:00), GANHA POUCO E NA MAIORIA DAS VEZES, OFICIAIS E PRAÇAS SÃO TRATADOS COMO SE ESTIVESSEM ABAIXO DE TODA A DIGNIDADE HUMANA!
AS FORÇAS AINDA VÊM COM CONVERSA FIADA! HUNF, NÃO ESTÃO NEM AÍ PRA NINGUÉM, SÓ PRA IMAGEM PÚBLICA EXTERNA QUE QUEREM PRESERVAR, DE QUE O MILITAR É UM CIDADÃO FELIZ E A IMAGEM PÚBLICA INTERNA?!
PARA QUE SAIBAM, SE UM MILITAR ESTÁ ESTRESSADO, FODA-SE ELE, POIS SE BAIXAR POR ESTE MOTIVO JÁ É TAXADO DE VAGABUNDO ATÉ PELOS PRÓPRIOS COMPANHEIROS QUE DETÊM UMA CULTURA ORGANIZACIONAL ANTAGÔNICA, MECÂNICA E EGOÍSTA!

DESCULPEM-ME SE OFENDI ALGUÉM, ENTRETANTO...

ME POUPEM DESSA PALHAÇADA!

Anônimo disse...

Quando o chefão é muito "brabo", aterroriza a tropa, fique certo, ele está aprontando muito para ficar mais rico do que a lei lhe permite.É só esperar uma auditoria, o MP e o homem da capa preta. Ficam mansinhos, mansinhos!Respeito se conquista, não se impõe.

Anônimo disse...

Realmente, a doença maior de estresse é quando chega o contracheque. Você pega o dito cujo e pensa: abro ou não abro? Será que veio mais descontos ou já acabaram os do mês passado? Quando acabam os empréstimos?. Aí cria-se a coragem e TCHAM!! Decepção, de novo! Aí, sai o grito: PT... que pariu!

Anônimo disse...

No Exército?
Não existe tal coisa e nem chega perto de parecer que exista.

Anônimo disse...

Se existisse apoio psiquiátrico de verdade, não haveriam esses chefões doidões dando ordens para um bando de homens armados.

Anônimo disse...

"(...) e resume ao enfermeiro ou médico medir a pressão arterial e perguntar ao militar: 'Vc tem algum problema de saúde?'".

Um colega Anônimo escreveu isso ao informar como é o exame Pré-TAF em sua Unidade. Pois na minha nem pressão arterial se mede! O médico apenas pergunta se você tem algum problema de saúde e para responder nem precisa ir a enfermaria!!

Verdadeira mentira dita apenas para engabelar o público civil!!

Anônimo disse...

Nas FFAA em geral mal se tem medico militar imagina se teria pisquiatra...
Psiquiatra nos hospitais militares na maioria das vezes são civis...
Falta medicos, enfermeiros, farmaceuticos, fisioterapeutas, dentistas, psicologos nas FFAA.
Nunca vi tal exame...
Falta valorização dos profissionais de saude nas FFAA, que são menos presados pelos tais combatentes que se acham melhores e que fazem piadinhas chamando de mafia de branco.

Anônimo disse...

Exemplo de qualidade: Nos rincões do norte, eu, com uma baita inflamação na garganta, no consultório da médica(ten)(não era cubana). Ela constata que a garganta está com pontos de pus(claro, né) e recomenda que eu passe... pomada(?)de afta com o dedo lá dentro!Me deu vontade passar o dedo na... garganta na mesma hora só para vomitar nela.Saí de lá e peguei bizu com colega que era médico. Foi melhor.
Outra: no exame anual obrigatório com psiquiatra: Ele sempre perguntava:-Por que você está aqui? Eu - Por que me mandaram!
Ele- Por que você quis ser controlador de vôo? Eu- Sou doido mesmo e, pior, sou militar!
Ele já conhecia a turma, ria e dispensava. Era um psiquiatra meio louco!

Anônimo disse...

"...Exército Brasileiro afirmou que faz, periodicamente, exames médicos para militares e servidores civis bem como proporciona apoio social e psicológico.."
Se faz, eu em 31 Anos de Sv NUNCA ví, não ouvi falar e nem fiz. Só conheço mesmo o Pré-TOF, pressão e perguntas idiotas.

Que Exército é esse ? Ah tá, o Exército Americano.

Anônimo disse...

Na realidade a única forma de se conseguir alguma coisa realmente de valor é estudando o EB já deu o que tinha que dá, não existe mão amiga nenhuma todo mundo só se preocupa com a própria vida e muitos militares não podem falar mal de político, atualmente sirvo em Goias no interior o custo de vida é de uma capital 70% dos militares da vila militar tem casas particulares ocupam PNR alugam suas casas a preços altissimos e quem chega de fora fica na fila de espera por de 3 a quatro anos

Anônimo disse...

MENTIRA, MENTIRA E MENTIRA é por essas e outras que não podemos falar mal dos políticos desse país. Estou há 28 anos no EB e o que eu ouço é só isso ai. mentiras. Nunca, jamais houve algo parecido com um acompanhamento a militares com problemas psicológicos mesmo pq esses são tratados pela instituição como vagabundos e enroladores, sofrem assédio moral etc. Realmente vivemos em um país de mentirosos.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics