6 de março de 2015

Deputado que culpou militares por déficit da previdência agora compara farda a roupa de palhaço.

O Deputado Silvio Costa (PSC-PE), definitivamente, tem ojeriza a milicos. Em 2011, quando ainda estava no PTB, o deputado fez um veemente discurso durante a discussão do PL 1992/07. Ele entendia que a aposentadoria dos militares deveria ser regida pelo fundo de previdência complementar dos servidores federais. “Hoje, a previdência dos servidores da União tem um deficit de R$ 51 bilhões – 40% desse valor são dos militares”, afirmou.
“Vamos dar um basta no corporativismo. Se aprovarmos esse projeto como está [sem incluir os militares], as contas da Previdência só ficarão equilibradas daqui há 20 anos”, complementou o parlamentar.
Silvio Costa não demonstrou a mesma preocupação com as contas públicas em outro episódio. No Radar on-line (Veja),  Lauro Jardim informou que o deputado destinou  R$300 mil em 2011 em emendas parlamentares para três eventos em cidades de Pernambuco, marcados para dezembro daquele ano. Quando os fiscais do Ministério do Turismo foram checar a festança descobriram que não havia nem uma bandinha de música para disfarçar e a liberação da verba foi suspensa.
Afeito à polêmicas, o deputado já protagonizou diversos barracos na Câmara dos Deputados. Em 2011, colegas evitaram uma troca de sopapos ente ele e Paulo Rubem Santiago (PDT-PE), durante um depoimento de Carlos Lupi, presidente do PDT. Alguns episódios protagonizados por Sílvio Costa podem ser conferidos aqui.

Leia também:
DEPUTADO CULPA MILITARES POR DÉFICIT NA PREVIDÊNCIA E QUER "DAR UM BASTA NO CORPORATIVISMO"
O deputado Sílvio Costa e uma notícia 'nada a ver'.
Na última quarta-feira, o político pernambucano resolveu comprar briga com o Deputado Capitão Augusto (PR-SP), que desde que assumiu o mandato comparece às sessões trajando o uniforme de passeio da PM de São Paulo. 
Ao apartear  intervenção do Deputado Jair Bolsonaro, Costa declarou que, "se o militar tem o direito de estar fardado aqui [...] Tiririca também têm o direito de vir de palhaço aqui!" E propôs fazer 'uma cordinha' (vaquinha) para comprar um terno para o PM.
O regimento interno da Câmara permite o uso da farda, que é equivalente ao traje de passeio completo.
Confira o bate-boca no plenário:

20 comentários:

Anônimo disse...

Quando as pessoas se deixam comprar por bolsas, material de construção,asfalto na rua e distribuição de cestas básica e brinquedos,só vão conseguir eleger políticos da qualidade desse aí.Nós até poderíamos chamá-lo de imbecil, mas não, ele é muito esperto e usa as mesmas artimanhas de décadas para tirar o foco das verdadeiras intenções e atos que pretende praticar.Garanto que ele deve ser a favor da aposentadoria dos parlamentares da mesma forma que os trabalhadores federais, ou não? O congresso nacional está lotado de gente assim.

Anônimo disse...

Isso e uma besta quadrada nao o que forças armadas.

daniel disse...

Quem tem a consciência pesada quando vê uma pessoa fardada fica com tremedeira nas pernas. O problema não é a farda mas quem a veste pois a honestidade é luz e a desonestidade é escuridão.

Anônimo disse...

Se formos usar a "lógica" deste elemento, então ele teria que estar trajando uniforme de presidiário.

Anônimo disse...

Ele é um verdadeiro palhaço, sem caráter!

Deputados assim "não fedem nem cheiram" que são os mais incompetentes da Câmara.

Anônimo disse...

O Cao Augusto, é um militar que tem orgulho da farda e da classe que representa.

Não é um fingidor não.

Parabéns ! As FFAA sabe que pode contar com V.Exa.

Vida que segue ...

Anônimo disse...

Bom dia Sr Cap PMSP AUGUSTO,

És um lutador e tenho acompanhado a sua trajetória, bem como a determinação em criar o Partido Militar Brasileiro, uma árdua tarefa e digo, que V.Sa não és um fingidor.

Parabéns por ter sido eleito em 2014 pelo PR, com 46.905 votos, pois és merecedor.

=> Em 2006, não conseguistes ser eleito para Dep Fed embora tivesse tido 41.133 votos, o que não foi pouca coisa.

=> Em 2010, teve 49.216 votos para Dep Fed, também não eleito.

Esperamos, finalmente, que tenhamos uma bancada que defenda os nossos direitos, pois os gays, os ruralistas, os evangélicos possuem, extra partidos. Apenas os desunidos militares das FFAA não tem.

* O Dep Bolsonaro, que está lá a mais de 20 anos, e nunca se interessou em se unir aos militares eleitos da PM pelos diversos Estados na Câmara. Apenas pensa em si e em seus familiares. Só fala do passado e dos gays.

Aproveito para parabenizar o trabalho do S.O FAB JOSE LUIZ MOURA BRASIL, Secretário Geral do PMB (mourabrasil@superig.com.br ) pela sua dedicação e prol do PMB.

Boa sorte e sejam muito felizes.

Anônimo disse...

ESTE DEPUTADO ESTA AGINDO DE ACORDO COM O CIRCO CONGRESSO. ELES TEEM CERTEZA Q SÃO DEUSES, ACIMA DE TUDO E TODOS, MAS SÃO NA VERDADE NOSSOS EMPREGADOS EM CARGO/FUNÇÃO POR TEMPO DETERMINADO.
A DECLARAÇÃO Q FEZ, FOI POR CAUSA DA IMPUNIDADE PARLAMENTAR, Q CONSIDERO UM ABSURDO SER USADA PARA OFENDER/COMETER ILICITOS, E SAIR IMPUNE.
MAS TUDO MUDA, LEMBREM DA HISTORIA BRASILEIRA Q A CADA 30 ANOS TODO REGIME CAI.

Anônimo disse...

Montedo. Dá uma olhada no discurso da senadora Marta Uplicy na Folha de SP no dia de hoje. Abc. TC Realista.
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/martasuplicy/2015/03/1598912-a-vaca-vai-pro-brejo.shtml
06 março 2015
A vaca vai pro brejo? – por Marta Suplicy (*)
Senadora, e com uma visão muito crítica da situação política brasileira, sinto-me no dever de exercer neste espaço a audácia e transparência que caracterizaram minha vida.
Em política existem duas coisas que levam a vaca para o atoleiro: a negação da realidade e trabalhar com a estratégia errada.
O governo recém-empossado conseguiu unir as duas condições. A primeira, a negação das responsabilidades quando a realidade se evidencia. A segunda, consequência da mentira, desemboca na estratégia equivocada. Estas condições traduzem o que está acontecendo com o governo e o PT.
O começo foi bem antes da campanha eleitoral deslanchar. Percebiam-se os desacertos da política econômica. Lula bradava por correções. Do Palácio, ouvidos moucos. Era visto como um movimento de fortalecimento para a candidatura do ex-presidente já em 2014. E Lula se afasta. Ou é afastado. A história um dia explicará as razões. O ex-presidente só retorna quando a eleição passa a correr risco.
Afunda-se o país e a reeleição navega num mar de inverdades, propaganda enganosa cobrindo uma realidade econômica tenebrosa, desconhecida pela maioria da população.
Posse. Espera-se uma transparência que, enquanto constrangedora e vergonhosa, poderia pavimentar o caminho da necessária credibilidade.
Ao contrário, em vez de um discurso de autocrítica, a nação é brindada com mais um discurso de campanha. Parece brincadeira. Mas não é. E tem início a estratégia que corrobora a tese de que quando se pensa errado não importa o esforço, porque o resultado dá com os "burros n'água".
Os brasileiros passam a ter conhecimento dos desmandos na condução da Petrobras. O noticiário televisivo é seguido pelo povo como uma novela, sem ser possível a digestão de tanta roubalheira. Sistêmica! Por anos. A estratégia de culpar FHC (não tenho ideia se começou no seu governo) não faz sentido, pois o tamanho do rombo atual faz com que tudo pareça manobra diversionista. Recupera-se o discurso de que as elites se organizam propagando mentiras porque querem privatizar a Petrobras. Valha-me! O povo, e aí refiro-me a todas as classes sociais, está ficando muito irritado com o desrespeito à sua inteligência. Daqui a pouco o lamentável episódio ocorrido com Guido Mantega poderá se alastrar. Que triste.
(*) Marta Suplicy, Senadora do PT-SP, e ex-prefeita de São Paulo. Foi ministra dos governos Luiz Inácio Lula da Silva (Turismo) e Dilma Rousseff (Cultura).

Garivaldino Ferraz - Brasília disse...

Bem, pelas diversas palhaçadas que esse sujeito já protagonizou na Câmara, ele deve entender muito de palhaçadas. Mas não sabe de nada a respeito de militares. Seu pitaco mal dado a respeito da Pensão Militar é prova disso.

Anônimo disse...

O pior é que o deputado PM está dando margem a isso. Ir fardado para o plenário com que finalidade? Ele tem sim é que lutar por melhorias para sua categoria, tem que trabalhar como parlamentar e não como policial. Sem dúvida esse Silvio Costa é um fanfarrão, um falastrão, um bobalhão, mas bem que o deputado PM poderia se impor pelo trabalho e pela capacidade, e não querer chamar atenção usando farda. Se fosse para usar farda, que permanecesse na sua atividade original. Eu penso assim.

Anônimo disse...

Pô, o pessoal se ofendeu, mas convenhamos... O dia a dia dos quartéis do EB hoje parece o de um circo, mas diferentemente do Capitão, as Praças é que são os palhaços. Já no meu CFS um dos Sargentos instrutores alertava: "Aluno, isso aqui é um circo sem lona!". Não acreditei, mas hoje sei exatamente que hora começam e terminam o espetáculo na caserna. E tô aí até hoje, fazendo palhaçadas nas formaturas e outros embustes diários.

Anônimo disse...

Na sociedade, o cidadão que está ciente da atual política do nosso País, políticos que usam ternos com gravatas vermelhas,´não tem boa fama e é até motivo de chacota...

Anônimo disse...

Perfeitas as palavras do "Anônimo 6 de março de 2015 14:32".

E reforço.

1. Esse deputado Silvio Costa não tem MORAL para criticar ninguém. É só pesquisar sobre a sua "trajetória" política; e

2. Esse deputado "PM" já começou com o pé esquerdo. Não é estar fardado no Congresso que ele vai nos representar. Vai apenas servir para ataques como esses. As suas propostas, projetos em defesa da clase militar não dependem de mostrar-se fardado. Desculpem-me, mas é pura encenação.

Aliás, já está ocorrendo uma aproximação do representante dos milicos com o sobrinho e garoto de recados do Edir Macedo, o Crivella. E ainda leva de lambuja um general oportunista. Pronto. Já era Partido Militar do Brasil, nobre, patriótico, diferente de tudo que está aí!!

Brasil, mostra a sua cara!

3º Sgt QE R/1 PERIVALDO disse...

Esse cara aí que se diz ser deputado e que tem jeito de mongolóide, tem cara que não pega ninguém.

Anônimo disse...

Complementando o comentário de anônimo de 6 de março de 2015 11:21, pior que fedem, devido ao mau cheiro exalado pelos "ratos" que vivem no submundo da corrupção.

Anônimo disse...

Pra que serve Senador se já existe o deputado federal para representar os eleitores? Por que estamos copiando um modelo político existente desde os tempos romanos?

Anônimo disse...

Algum mm militar deve ter aprontado uma boa com ele! Sabe-se lá o quê!

Anônimo disse...

Estranho, pois quando um militar das FA é eleito deputado (ou outra coisa) ele é transferido para a reserva remunerada (se contar mais de 5 anos)com vencimentos proporcionais.Se tiver menos de 5 anos e se candidatar a cargo eletivo resulta em demissão ou licenciamento ex ofício. Sendo assim em ambos os casos não poderá mais usar uniforme. Será que na PM é diferente??

Anônimo disse...

Pensando friamente, ele está com a razão! Estamos fardados, feito palhaços, nas mãos do governo Federal.Estão nos fazendo de palhaços. Não concordo com a opinião da previdência, pois sei que ele quer que os militares contribuam bem mais para que os parlamentares, como ele, se aposentem com salário integral depois de "trabalharem", no máximo, doze anos(três legislatura). Muito esperto!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics