31 de janeiro de 2017

Brasil envia aeronaves e militares ao Chile para ajudar no combate aos incêndios

Governo local decretou estado de emergência e pediu ajuda internacional em razão dos incêndios florestais que, segundo Defesa, já deixaram 11 pessoas mortas e destruíram 374 mil hectares.
Por G1, Brasília
O Ministério da Defesa informou nesta segunda-feira (30) que o governo brasileiro enviou neste fim de semana ao Chile aeronaves modelo C-130 Hércules e 28 militares para ajudar o país a combater os incêndios florestais registrados desde as últimas semanas, considerados os piores da história do Chile.
Na última quinta (26), a presidente chilena, Michelle Bachelet, já havia decretado estado de emergência e pedido ajuda a outros países.
Ao todo, segundo a Defesa, 11 pessoas morreram em razão dos 110 incêndios e 374 mil hectares foram destruídos pelo fogo.
Após Bachelet pedir ajuda internacional, o presidente Michel Temer informou, em mensagem publicada no Twitter, ter determinado às autoridades brasileiras que ajudassem o país a combater os incêndios.
Segundo o Ministério da Defesa, uma das aeronaves enviadas ao Chile utiliza um sistema chamado Maffs. Esse sistema é composto por cinco tanques de água. Dois tubos projetam-se pela porta traseira do avião e, a uma altitude média de cerca de 46 metros de altura despejam água sobre as áreas previamente determinadas.
A outra aeronave, informou o governo brasileiro, transportou os materiais necessários, entre os quais compressor, piscinas para abastecer a aeronave com água e equipamentos de manutenção.
Incêndio atinge região do Chile (Foto: Esteban Félix/AP) Incêndio atinge região do Chile (Foto: 

Imóveis destruídos
Segundo a agência EFE, pelo menos mil imóveis foram arrasados pelo fogo entre a noite de quarta (25) e a madrugada desta quinta (26) na cidade de Santa Olga, na regiã de Maule, uma das mais atingidas pelos incêndios florestais.
Ainda de acordo com a agência internacional, relatórios iniciais das autoridades locais indicam que entre 6 mil e 7 mil pessoas perderam as casas onde moravam.
* Colaborou Luciana Amaral, G1, Brasília
G1/montedo.com

5 comentários:

Anônimo disse...

http://extra.globo.com/noticias/brasil/militar-de-29-anos-leva-mulher-para-missao-em-unidade-na-selva-amazonica-20839794.html

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/rntv-2edicao/videos/v/permanencia-das-forcas-armadas-no-rn-e-prorrogada-por-cinco-dias/5614706/

Anônimo disse...

http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/base-area-da-capital-passa-por-mudancas-para-otimizar-procedimentos-da-fab

SO FAB RR disse...

Só para complementar a informação: São cinco tanques interligados através de tubulações e pressurizados, com uma capacidade total de 12 mil litros de água. (Na verdade o MAFFS não foi criado para combater diretamente o incêndio e sim para cobrir áreas próximas aos focos com um produto retardante (que evita o alastramento do incêndio). Porém, por ser um produto caro, além de ter tido problemas com a sua liberação para uso no Brasil(IBAMA), usamos a água para o combate direto dos focos.O lançamento de água pode ser feito em um, dois ou três incrementos, conforme o planejamento da missão. Temos o MAFFS 1 , que faz o lançamento pela porta carga do C-130(rampa). O equipamento é bastante eficiente e muitas vezes não é utilizado aqui no Brasil por meras questões "políticas". Fui operador de tal equipamento e já participei de missões reais em Brasília e no Equador!

Anônimo disse...

Me respondam uma coisa: Os militares entram na mesma regra de aposentadoria dos civis sem nenhum aumento substancial de salário que compense? Não poderia esperar a inclusão das Forças auxiliares primeiro?? Todos, para mim, são todos e não pode ter exceção de categoria nenhuma. Os parlamentares também vão nessa? Esse "todos" é só para os militares das Forças Armadas? O presidente diz que é um governo de coragem. Então quero ver isso mexendo com os PM's.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics