26 de dezembro de 2016

Ampliando a discussão sobre as mudanças na carreira dos graduados

Recebi na área de comentários da postagem
Reforma da Previdência: Exército trabalha com projeção de carreira de 38 anos e ascensão dos sargentos até o posto de Major
Caro Amigo Montedo
Sei que devido a uma grande quantidade de boatos a tropa fica completamente perdida, sem realmente saber em que e no que acreditar. Pois bem, quem dera eu estivesse em Brasília trabalhando neste projeto de reformulação de nossa carreira, porém, aqui em uma das pontas da linha da cadeia hierárquica, estamos tendo, já numa grande mudança cultural, a oportunidade de contribuir com esta proposta de mudança.
Como Adjunto de Comando recebi a missão, e esta não por canal extraoficial, mas sim pelo canal de Comando, de avaliar, estudar e colher sugestões junto aos Praças, para contribuir com a reorganização de nosso próprio Plano de Carreira. Esta missão, pelo menos em meu ponto de vista, está sendo uma das primeiras em que estamos tendo a oportunidade de opinar sobre e a respeito do que é ou não o ideal para nós Praças. Apesar de ainda ser apenas uma consulta e de não saber se nossas observações serão ou não levadas em conta, essa atitude nos mostra muito bem a preocupação que o Exército está tendo em ouvir os interessados diretos, e também, uma grande evolução na cultura Institucional.
Então, tentando esclarecer algumas dúvidas que li nos comentários de seu post, tentarei clarificar um pouco e trazer informações que a tropa ainda não tem (lembrando não estou trabalhando diretamente no projeto).
A respeito do tempo de serviço de 35 anos – não podemos ser inocentes e pensar que estaremos à parte da reforma da previdência. A pressão que a mídia está fazendo sobre o governo vem sendo muito forte e provavelmente pagaremos nosso tributo com o aumento de nosso tempo de serviço na ativa. Aproveito ainda para lembrar que não nos aposentamos, mas sim, passamos para a situação de “reserva” e continuamos a mercê da Instituição até a reforma, além de continuamos pagando pensão até o momento em que passamos dessa para melhor (morte). Deverá é claro, haver um processo de transição para quem já está no final de carreira, mas essa informação eu não possuo.
A informação que tenho a respeito do novo plano de carreira, é que este modelo que foi sugerido é apenas o início dos estudos, não tendo ainda uma data específica para ser colocado em vigor, porém temos o prazo de meados de janeiro de 2017 para remeter nossas observações para o escalão superior. Me arisco a adicionar aqui o meu ponto de vista: se há a grande probabilidade de reforma da “previdência” dos militares para fevereiro de 2017, provavelmente esta será a grande oportunidade para mudar também nossa legislação e reestruturar toda a carreira militar para se adequar as mudanças no tempo de serviço (esta é a lógica do meu raciocínio).
Claro que a alteração do interstício do primeiro sargento é um tanto quanto desmotivadora, porém analisando de maneira mais critica, esta graduação será onde muitas mudanças irão ocorrer. Começando pelas nomeações para TG, missões e cursos no exterior, concurso para o CHQAO e possibilidade de concurso para o QEO (este no meu ponto de vista, a “cereja do bolo” nesta nova proposta de carreira). Durante a graduação de primeiro sargento tudo isso será resolvido e o militar terá a oportunidade de escolher por qual caminho irá (aqui para nós: é claro que o ideal seria reduzir todos os interstícios, mas ficar oito anos como primeiro sargento é muito melhor do que oito como terceiro sargento). Lembrando ainda, que os interstícios apresentados nos slides são o “limite” de cada graduação e não o interstício mínimo (isto está escrito no documento), ou seja, os primeiros promovidos deverão sair com pelo menos um ano antes. Não esquecendo é claro, que todas as decisões tomadas nesta fase da carreira terão repercussão para o resto dela (se o militar não passar no CHQAO ou no concurso QEO, terminará seu tempo de serviço como subtenente).
Para terminar, em relação ao Quadro Especial de Oficiais – QEO. Como escrevi anteriormente, é a “cereja do bolo” da carreira. Neste novo plano, aqueles que já são graduados, bacharéis, mestres e doutores, terão a oportunidade de prosseguir na carreira em “Y” pulando uma graduação e mudando de carreira. Convém apenas ressaltar que, a previsão é de trinta vagas por ano e que deverão ser abertos concursos para as áreas de “necessidade” da Instituição, isto significa que nem todas as carreiras serão contempladas.
Como Adjunto de Comando, espero poder estar contribuindo com a diminuição de dúvidas da tropa espalhada pelo território Brasileiro, assim como faço dentro do meu aquartelamento contando com o apoio de meu Comandante. Como já escrevi no seu Blog anteriormente, aproveito para lhe agradecer o espaço e a contribuição que o senhor tem prestado para todos nós militares.
Adjunto de Comando de Brigada

45 comentários:

Anônimo disse...

Não se enganem senhores. Só para resumir: Algum STen ou 1º Sgt me aponte alguma mudança na Instituição que houve até hoje para melhorar a carreira de TODOS os praças?

Anonimo disse...

Pois bem meu amigo. Fica difícil explicar isso para quem já passou 8 anos como terceiro, 8 anos com segundo, e no momento em que imagina uma promoção um pouco mais rápida a STen toma mais essa, outra vez prejudicado por sucessivas alterações nos interticios dos sargentos. Vide as turmas de 96, 97, 98, 99... Dentre outras. Use esse canal de comando então é sugira uma regra de transição para evitar que mais uma vez esses companheiros sejam prejudicados.

Anônimo disse...

Minha sugestão: Sugiro que os Comandos Militares em conjunto com as lideranças
do Alto Comando das FFAA, ACERTE com o Presidente da República (Comandante Supremo das Forças Armadas), um reajuste JUSTO e DIGNO para a classe em caráter de URGÊNCIA, fins ao menos amenizar o quadro VERGONHO e HUMILHANTE da remuneração dos Guardiões da nação. Que não fique apenas na promessa do Ministro da Defesa, conforme foi anunciado recentemente, pois sabemos que só os santos vivem de promessas.

JULIO FIRMO DE AZEVEDO NETO disse...

Concordo em parte, pois ficar oito anos como primeiro sargento do que oito como terceiro sargento é melhor somente para o terceiros atuais. Não será bom para quem já ficou oito anos naquela graduação!!

Anônimo disse...

Amigo temos que ser otimistas ppoisna FAB com 8 anos de svç os aeronavegantes ja podem ter acesso ao oficialato e os que sao de serviço so depois fe 1sgt com Cas podem fazer o concurso. No minimo tem algo errado é no Exercito e tem que ter concurso interno !!Temos que pensar que vai mudar pata melhor oois caso contrario essa carreira sera so de temporario e de classe E ! Pois nenhum filho de oficial e praça quer ser mais militar !!!

Anônimo disse...

Realmente essa turma de 96 é a turma da morte pois só é prejudicada ...nao consegue ser promivida ni tempo certo...em pensar que os interticios da FAB sao fixos de 7 em 7 anos até sub e com aceddo ao oficialato para os que sai e os que nao sai aeronavegantes. O Collor em 94 fechou os concurdos e um jovem nao tem esse bizu de saber que um militar da Fab com 8 anos de svc sendo wsgt sem cas e com nivel superior ja pode fazer concurso interno para oficial.

Anônimo disse...

Montedoooo !!! Tem como vc postar o interticio das tres Forcas e conparar o temoo e acesso ao oficislato, pois um amigo da Fab na postagem anterior disse que acesso a oficial para aeronavegantes e com 8 anos de FAB. Seria bom comparae as tres forcas em seus interticios e o acesdo ao oficialato.

Anônimo disse...

Nos slides apresentados, no campo formação, consta como ano base 2016. O interstício será mudado para as turmas formadas apenas após o ano base?
Para quem já ficou 8 anos como 3º Sgt e também ficar 8 anos 1º Sgt é muita sacanagem.

Sgt Cid disse...



Caro ADJUNTO, identifique-se ! Infelizmente em uma grandeeeee "reestruturação" alguém irá AUMENTAR/GANHAR algo e alguém irá DIMINUIR/PERDER algo ... Veremos a força dos novos ventos, ou não ...

Anônimo disse...

Eu passei 9 anos como 3S e agora querem enfiar goela abaixo mais 2 anos como 1S? Se antes já não acreditava no sistema, agora acredito em os ainda... Não vejo a hora de ir pra reserva, Como oficial ou não...

Anônimo disse...

O Comando sempre botou pra arrombar nas praças.

Anônimo disse...

Caros Montedo e Sr Adj de Cmdo;

Em fev/2017 completo 28 anos de serviço, sou 2 Ten QAO, em jun/2017 serei promovido a 1 Ten QAO, em fev/2018 completo 29 anos de serviço. Somando uma LE não gozada, segundo a atual legislação, pedirei reserva pois tenho projetos pessoais e não estou interessado em ser promovido a Cap e muito menos Maj. Minha dúvida e de tantos outros companheiros na mesma situação:
- Caso ocorram as mudanças previstas, teremos que cumprir 35 anos de serviço ou haverá uma transição?

Um forte abraço a todos e feliz 2017!

Anônimo disse...

Papagaio tambem repete repete repete, propaganda oficial q se repete repete repete, sempre é para a "melhoria, melhoria, melhoria",
só falta saber p/ quem é a melhoria, pois nunca chega ao seu destino.
Acredito em saci, mula sem cabeça, papai noel, que coelho bota ovo, MAS NÃO ACREDITO EM NADA QUE TENHA O CARIMBO POLITICO.
Este bla bla bla bla e para tentar abafar o desanimo, iludir os "pobres pracinhas" que se acham injustiçados. Vamos usar o blog pq os praçinhas o usam para desabafar.
O resto vcs completam.

Anônimo disse...

(Caro amigo Montedo) = Bravo, bravo, bravo! Apenas um detalhe muito importante: Alguém poderia me dizer se dentre todas essas mudanças que podem vir à acontecer, tão logo, estejamos incluídos na "Reforma da Previdência" e que diz respeito aos Sargentos do Quadro Especial (SGT QE). Se há algum projeto ou proposta de mudança em relação à carreira destes militares ? E o que podemos esperar ????

Anônimo disse...

Prezado Montedo. Sou TC Inf EB, sem ECEME e filho de Praça, QAO.
Creio que essas mudanças na carreira como o QEO e a extinção do QCO não serão boas para as Praças.
Sugiro o que se segue. E se puderes publicar, quem sabe EME não observa o nosso post?
Para as Praças:
- manter do jeito que está, com a opção de quem possuir o CHQAO (inscrição da turma inteira de formação) poder ser promovido até o posto de Cap;
- permitir o ingresso das Praças no QCO Praças até certo limite de idade ou de Graduação;
Para Oficiais e Praças:
- indenizar (de forma mais atrativa - R$ - do que a legislação vigente e com menos burocracia), por intermédio de adicional de habilitação, as Praças com cursos de Graduação/Pós/Mestrado/Doutorado e os Oficiais com Curso de Pós/Mestrado/Doutorado (ambos em áreas de interesse no EB).
- Permitir a promoção de Oficiais AMAN com Doutorado ao Posto de Gen, principalmente para os possuidores de qualificações civis de interesse do EB (aqui a "briga será grande").
O que faltaria:
- reajustar portarias;
- regular o acesso das Praças ao QCO; e
- definir os Cursos civis em que o EB tenha interesse.
Montedo.
Não fiz ECEME, mas continuei estudos pessoais. Nesses estudos pessoais aprendi que devemos buscar soluções simples para os problemas complexos. As sugestões postadas me parecem simples. E a moral da história é a seguinte, principalmente para as Praças: a Carreira em Y pode parecer atrativo, mas melhor é garantir algo para todos até o posto de Cap, do que alguns apenas serem Maj (e uma grande quantidade ficar como Subten).
Se na sua avaliação o post puder ser publicado, agradeço. Um bom dia.

Anônimo disse...

Lendo o texto do Adjunto de Comando de Brigada, pensei logo, deverá ter um período de transição para as turmas de 96, 97 e 98 que estão prestes a sair S Ten. Os 2° Sgt terão um tempo mais apropriado para estudar e se preparar para o QEA. Senhor. Adj Cmdo de Bda sugiro colocar no relatório esta observação. O anonimo das 7:47 h foi perfeito nas palavras. Pelo que está escrito no texto do Adj Cmdo da Bda estas transformações virão junto com as mudanças do tempo de serviço em leis específicas para cada caso. Então, pedimos atenção para que não ocorra injustiça com as turmas de 96 e 97. E cuidado para não promoverem novamente uma parcela da turma de 96 e dois anos depois começar a promover os demais, como aconteceu na promoçao de 3 sgt para 2 sgt após a mudança( aumento) do interticio.

Anônimo disse...

Pra alguns poucos "indicados" que possuem apadrinhamento dentro do EB terão 8 anos como primeiro sargento para fazer viagens e missões no exterior, ser nomeado para tg, e transferência para onde querem sempre.... mas para alguns se darem bem, muitos têm que se ferrar... quem não tem padrinho vai ficar 8 anos como 1sgt mais 10 como sub... pode ser o 01 do tal CA mas se a tal "comissão" não quiser não será promovido...tudo isso é tráfico de influência... pura corrupção... militares trocando favores para se beneficiarem ilicitamente... ainda tem gente pedindo intervenção militar...

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o comentário exposto acima! No mínimo deveriam serem criadas regras de adequação. Pois as turmas que atualmente são 1º Sgt, 2º Sgt levaram em média 8 anos de 3º Sgt. Caso essa adequação não ocorra seria uma grande injustiça com essas turmas, tendo em vista que as turmas que hoje são subtenentes levaram em média apenas 6 anos na graduação de 1º Sgt. "Sem contar que alguns anos atrás a partir da turma de 1996 eles aumentaram o interstício de 6 para 8 anos prejudicando diretamente essas turmas". Se essa medida ocorrer sem transição ocorrerá um lapso muito grande na graduação de Subtenente, pois as turmas que hoje se encontram nessa graduação seriam promovidas ao QAO ou passariam para a Reserva. E as turmas a partir de 1996 ficariam estacionadas na graduação de 1º Sgt.Isso acarretaria a falta de profissionais para ocuparem funções como encarregados de materiais e outras que normalmente são destinadas a Subtenente. E alguns anos após esse lapso ocorreria nos QAO. Portanto sugiro ao nobre companheiro que debata essas pautas com os seus superiores e acrescente-as aos seus estudos.

Anônimo disse...

MONTEFO Amoliando a discusao...vamos comparar os interticio da FAB na carreira de praça ao longo de anos e o acesso ao oficialato. Tem como colocar um quadro comparativo do EB e FAB ?

Anônimo disse...

Mais uma vez o Exército corta na própria carne, enquanto na PRF, PF, CGU, para citar exemplos recentes, onde para ingresso era exigido somente o 2º Grau, de uma hora para outra exigiram Superior, todos os integrantes foram assim alinhados, a remuneração acompanhou e ninguém reclamou ou saiu prejudicado. Mas nas FFAA isso não ocorre, é cada um defendendo o seu, ainda que de maneira desorganizada, sem representatividade, porque é notório que nossos Comandantes não nos representam, há um corporativismo velado. Podem até dizer que os praças estão sendo ouvidos, mas na mesa de decisão (RACE) só se sentam os 4 Estrelas. Uma sugestão, querem ser no mínimo justos, diminuam interstício, criem esse QEO para praças com mais de 25 anos, pq isso estimularia inclusive praças com menos anos de serviço e andam pensando em sair da farda, por conta inclusive dos salários.

Anônimo disse...

Se a memória não falhar, já vi esse tipo de estudo na FAB e o resultado foi mais demora nas promoções. O suboficial na FAB não vai direto para oficial. Tem que fazer concurso, com curso superior ou o conhecido TERERE.Quem, pelo caminho, quiser "pular" para oficialato, só através de concurso. Pra que deixar o cara até 38 anos se o investimento principal será com os temporários? Serão um bando de idosos comandando jovens? A única certeza é que, vão levar mais uma fatia dos salários dos militares.

Anônimo disse...

Caro colega, acho que voce como Adj Cmdo deveria, ou melhor tem o dever de sugerir algumas mudanças sim no nosso plano de carreira como por exemplo:

Promoção: 8 anos como 3ª Sgt; 7 Anos como 2ª Sgt; 6 anos como 1º Sgt e 5 anos como STen; 2 anos como 2º Ten; 2 anos como 1º Ten; 3anos como Cap, completando seus 35 anos de serviço e Maj (reserva remunerada)

É claro, tudo isso sem uma turma ultrapassar a outra, somente dentro da turma de formação, deveria ser feito uma correção geral nas promoções. Este período sugerido é o máximo claro dividido a turma de formação em 3 partes.

Bem como deveria também sugerir para que o Soldado Recruta não recebesse menos de um salário mínimo e o Atirador de TG meio salário minimo. Não podemos confundir serviço militar obrigatório com ESCRAVIDÃO, como é feito com os Atiradores de TG. Pense nisso, pense nos demais invés de olhar o próprio bolso.

Anônimo disse...

Os Senhores Adjunto de Comando não tem culpa. Nem tudo eles não sabem ou muitas coisas não falam para eles. São Praças igual aos demais e que tem boa intenção de ajudar. Na minha opinião e experiência de 28 anos de serviço acho que Praça tem que ir até Subtenente porém com um salário excelente e com vantagens. Porque falo isto: Todos sabem que a carreira de Praças é a mais desunida que existe, pelo fato da competição. Com a criação do CHQAO isto foi mais uma vez comprovado. Tinha colega estudando de madrugada, escondendo os trabalhos, detalhe um Curso que não vale grau nem classificação. Os Oficiais são unidos e isto é pelo espirito de corpo e amizade, visto que ficam 5 anos juntos estudando (PREP e AMAN). Quem é Praça sabe do que estou falando, ainda mais com este negócio de conceito lateral. Tem Praça "torrando" Praça, brigam por uma indicação de Medalha. Clima ruim mesmo. Imaginem com a criação do Major QE (Major Juruna) como já estão chamando. A "crise" que existe nas Praças vai para para o circulo dos QAO, pois 20% poderão ser Major QE. Atualmente entre os QAO não existe isto, sendo que todos são promovidos na antiguidade. O EME tem fazer com que o Praça chegue no máximo a Subtenente. Quem quiser ser Oficial faz o QCO ou Escola de Saúde. Com certeza a classe das Praças será mais unida. Na última promoção um colega foi promovido a QAO e mandou um Soldado esvaziar o armário dele no alojamento das Praças, não entrou mais onde ficou 26 anos. Esqueceu a origem e os companheiros. No alojamento dos Oficiais o espaço era pequeno e ele o mais moderno então colocaram o armário dele no banheiro. Ainda fez SELF para fotografar ele e a placa de identificação "alojamento de oficiais" e postou nas Redes Sociais com a legenda "CASA NOVA". Com certeza esta ação da criação de Major Juruna vai terminar com a carreira das praças.

Anônimo disse...

QSG sair General...ahahahaah
Aqui ó que tu é TC
Tu é um brincante mesmo

João Luiz disse...

Quero saber o seguinte: aumentando o tempo para a reserva, quando passar vou continuar pagando a previdência como está acontecendo hoje, ou esse desconto cessará??? sim, porque não faz sentido algum aumentar o tempo de serviço e continuar contribuindo para a previdência na reserva, isso só aumentara as despesas já que militar na reserva não recebe mais diárias, representações, férias, ajuda de custo, etc...e o da ativa, estendendo o tempo continuará a receber e a economia vai para o saco...

Anônimo disse...

Só estudos e mais estudos...no fim das contas vamos mais uma vez ser os únicos a pagar a conta da previdência
já que os queridos do alto comando não querem perder regalias e se queimar com a imprensa. PF, as PMs dos Estados e demais categorias já estao se organizando pra rechaçar qualquer mudança. Já passei 8 com 3s e 8 como 2. Algumas turmas vão pagar o pato de novo,pode esperar.

Anônimo disse...

Ao vencedor tudo, ao militar normal barro. Prejudicar uma carreira toda em troca de 30 vagas para os " melhores" . E tem quem acha bom, imaginando que conseguirá uma vaga. O prejuízo é certo, o lucro é uma possibilidade remota.

Gustavo Freitas disse...

Tchê, é claro que tiveram mudanças, o militar que diz q não houve faz parte daqueles q ficam os 30 anos só reclamando e somam muito pouco.

Anônimo disse...

Parabéns ao Adj Cmdo. Fica o alerta os Cap QAO na ativa que não esperem. Isto vai demorar muito. Tem muito Cap qao na ativa com esperança de ser major e trancando as promoções como aconteceu em dezembro. Esta na hora de ir cuidar os netinhos e descansar, já cumpriram suas missões.

Anônimo disse...

O que vejo é que passei 8 anos como 3° Sgt, 2 a mais que os novos 3° Sgt, e vou passar 8 anos como 1° Sgt, 2 a mais que os 1° Sgt atuais passam.
Além de poder passar 10 anos como ST.
Prejudicado, no mínimo 3 vezes.
E sobre o QEO, por que só o 1° Sgt ou ST podem fazer?
Por que não os 3° ou 2° Sgt?
Sinceramente, esta mudança está sendo muito desmotivante.
Como já disseram, é melhor que a maioria seja promovida a Cap QAO do que uma minoria a Maj QEO, enquanto os demais praças "morrem" subtenentes.
E quanto à avaliação lateral - pelo amor de Deus! - querem acabar pôr fim em qualquer laço de amizade que exista entre os praças.
É isso.

Anonimo disse...

Sou 1Sgt e não tenho vontade nenhuma de ser oficial, para mim valorização é dinheiro no bolso. O ideal é que a carreira do praça terminasse como praça, com a devida compensação financeira é claro. O certo seria criarem novas graduações com salários compatíveis aos primeiros postos do oficialato. Estive na escuela de subofiales do Chile e me parece que o modelo deles é mais correto: escola em dois anos, se não me falha a memória a primeira graduação é a de cabo, depois cabo-segundo, cabo-primeiro, sargento-segundo, sargento-primeiro, suboficial-ajudante e suboficial-maior. Sete degraus como é a de oficiais oriundos das aman.

Anônimo disse...

Parabéns ao Sr TC Inf que fez uma postagem. O Sr sabe que existe diferença. Inclusive na carreira de quem é de AMAN. Quem tem ECEME é diferenciado do "manga lisa" ou "mangão" como chamam. É igual o qao não é bem visto pelos garotos de AMAN. A prova que qao não assume Comando de nada. Em subunidade o Cmt entra de férias e assume um Ten Temporário e os qao ficam fora de forma mesmo sendo mais antigos, segundo as desculpas que qao não é OFICIAL e SIM AUXILIAR DE OFICIAL e auxiliar não assume Comando. Na minha OM chegou um qao operacional para caramba, o cara fera mesmo, todos cursos operacionais. No primeiro TAF fez 3.200, ganho dos recrutas. Cara nota 10, centrado, atitudes firmes. Formado em Direito e Contabilidade. Ele chegou na OM e colocaram ele em um arquivo que tinha documento desde 1922. Ele naquele arquivo escuro, um cheiro de mofo e ele com dois recrutas e usando aquelas mascaras de dentista para não pegar fungos. O cara cumpriu as missões e pediu reserva, saiu desiludido. Ele mestre em Direito, mas optaram em deixar um temporário na Jurídica do que colocar um experiente qao. Galera esta comprovado praça é mão de obra. Este negócio de Major Juruna vai ser mais uma frustração, não serão aceito aceito no circulo dos Oficiais Superiores

Alessandro disse...

Sr Adjunto de Comando, com relação ao superinterstício para o 1º Sargento, segue uma sugestão para o caso de realmente vir a se concretizar. Que NÃO se aplique aqueles que já são primeiros sargentos. Só para citar um exemplo, minha turma (96) já está em quadro de acesso para promoções de 1º Jun 17. E foi justamente esta turma que sofreu com as últimas mudanças de aumento do interstício de 3º Sgt para 2º Sgt. Isso tem que ser levado em consideração, sob o risco de se cometer injustiça uma segunda vez com a mesma turma. Parte sendo promovida com o interstício antigo, e parte sendo promovida com o interstício novo. Portanto, fica a sugestão. Que só se aplique o novo interstício para aqueles que ainda não atingiram a graduação de 1º Sgt. Espero que o amigo possa levar essa sugestão aos seus superiores na formulação deste estudo em andamento.

MARCOS VINICIUS disse...

Boa tarde, só para lembrar mais uma vez a vergonha dos nossos salários, tenho amigos aqui em Brasília que não acreditam que recebemos só isso.

"""""""ISSO FOI EM 2014 E JÁ ESTÁ MAIOR""""""""""""""""""""""""

Governo do DF reajusta a PMDF soldado receberá R$ 7.190,98
Posted about 3 anos ago | 26 comments
Governo reajusta benefícios para militaresFoto: Divulgação

Decretos serão publicados na edição do Diário Oficial do DF desta quarta-feira (19)





BRASÍLIA (18/2/14) – O governador Agnelo Queiroz assinou, na noite de hoje, dois decretos que estabelecem os novos valores para os auxílios alimentação e moradia dos policiais e bombeiros militares do Distrito Federal, da ativa e aposentados. Os decretos serão publicados no Diário Oficial do DF desta quarta-feira (19).



Para o auxílio-alimentação, o valor previsto é de R$ 850 a partir de 1° de maio deste ano.



Já para o auxílio-moradia, o pagamento será feito em três etapas, sempre no mês de setembro. A primeira será paga ainda neste ano, e as outras duas em 2015 e 2016, conforme a tabela abaixo.



Com os reajustes concedidos, ao final de 2016, um coronel, com dependente, terá remuneração total de R$ 21.721,13 ( aumento de 20,24%), um subtenente, R$ 12.104,90 (20,48%), enquanto um soldado receberá R$ 7.190,98 (21,66%). Os valores não incluem os anuênios.

Anônimo disse...

CFN:

SD 4 anos

Cb: 5,5 anos

3SG: 6 anos

2SG: 5 anos

1SG: 5 anos

Podendo fazer o curso de oficial AFN ao término do 3 ano como 3SG tendo curso superior de interesse da MB ou aos 17 anos de serviço sendo SG aperfeiçoado.


Para a armada é o mesmo plano, contudo com um ano a menos em cada graduação.

Anônimo disse...

Ao anônimo 26 de dezembro de 2016 10:35 que disse a pérola "Pra alguns poucos "indicados" que possuem apadrinhamento dentro do EB terão 8 anos como primeiro sargento para fazer viagens e missões no exterior, ser nomeado para tg, e transferência para onde querem sempre.... mas para alguns se darem bem, muitos têm que se ferrar... quem não tem padrinho vai ficar 8 anos como 1sgt mais 10 como sub... pode ser o 01 do tal CA mas se a tal "comissão" não quiser não será promovido...tudo isso é tráfico de influência... pura corrupção... militares trocando favores para se beneficiarem ilicitamente... ainda tem gente pedindo intervenção militar..." Quando da mudança para a nova avaliação SGD, na qual não temos possibilidade de recursos em instância superior, liguei para a DAPROM e perguntei diretamente...' Se meu avaliador literalmente não for com a minha cara, a quem posso recorrer, a resposta..." Partimos do pressuposto que todos os avaliadores são IMPARCIAIS, por isso não há necessidade de recursos." Pelo menos na visão de Brasília/DAPROM, todos são isentos e imparciais em suas avaliações, não existindo portanto os apadrinhados...Me engana que eu gosto. Por isso que coloco como anônimo. Evitar represálias.

Anônimo disse...

espalha o nome e a foto das redes que a gente quer saber quem é :-)

Anônimo disse...

Claro que houve...em 2001 houve uma mudança maravilhosa para todos os militares..foi inexplicável de tão maravilhosa...

Anônimo disse...

Caro Adjunto de Comando de Brigada!
Sou 1º Sgt da Tu/98 e tenho a lhe dizer apenas uma coisa:
Não sei se o Sr é 1º Sgt ou S Ten, nem de que turma o Sr é, mas eu posso lhe dizer com propriedade, passei 8A como 3º e mais 8A como 2º, então agora que já posso sonhar com a minha saída definitiva da escala de serviço e com um pequeno aumento real de salário, o Sr vem dizer que passar 8A como 1º está de boa, ou o Sr está de sacanagem, ou o Sr e mais alguém deve estar pensando em implementar esta proposta para as Tu que podem se beneficiar do interstício de 6A para 3º. Algum companheiro acima já colocou a real, todas estas "vantagens" de ficar como 1º, são apenas para os almofadinhas de plantão, quem é "sujão"(aquele que trabalha na atividade fim da sua formação) não tem acesso a estas "vantagens que o Sr citou.
Att
1º Sgt Tu/98

anonimo disse...

30 vagas por ano para turmas de 2000 sargentos?


Kkkkkkk Isso que é valorização.

Anônimo disse...

Quando é que vao aprender que a valorização de fato passa por melhores salários, melhores condições de trabalho? Toda vez que esses caras resolvem fazer alguma mudança " pra melhor" alguma turma toma uma carcada.Sempre querem arrumar as bobagens que fizeram penalizando outros que não tem nada a ver.Toda hora mudando a regra do jogo... Façam o favor de respeitar a tropa.

Anônimo disse...

As constantes mudanças são um sinal claro de que somos falidos é péssima mente administrados. Em meus vinte anos de EB, nunca vi a Instituição estável e sem precisar de mudanças.Me ferrei, fui enganado, agora, já com 40 anos não há o que fazer. Se eu pudesse hoje ir para a reserva recebendo proporcional, nem pensaria, iria embora. Hoje, 80% de nosso efetivo vive infeliz.Nuncá há uma mudança para nós beneficiar. Essa de aumentar para 8 anos o intertício de primeiro Sgt, é o fim.

Anônimo disse...

Anônimo das 08:09,vc é um ser brincante.sem comentários,pois vc tá muito por fora....fraco
Militar da FAB.

Anônimo disse...

jamais irão fazer algo para melhorar a situação dos praças, jamais. não se enganem. em 1997 cheguei na tropa e um Cap que hoje é Coronel em BSB, Colog, disse que Sgt era mão de obra especializada, pensem na mentalidade desse camarada, que foi indiciado em IPM e hoje é Cel full......

Anônimo disse...

Atenção cade o plano de carreiras para o Sgt QE, nos não somos lixos para sermos descartados, queremos a promoção para 1°sgt e chegando a ST como os da aeronáutica. Se somos todos iguais temos que ter os mesmos direitos.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics