21 de dezembro de 2016

Em protesto contra homofobia, aluno gay comparece vestido de mulher em formatura do ITA

Aluno recebe diploma do ITA de salto alto e vestido em ato contra homofobia
Protesto contra homofobia no ITA
PAULO SALDAÑA
DE SÃO PAULO
Um estudante do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), instituição de ensino superior ligada às Forças Armadas, participou da sua colação de grau vestido de mulher, em protesto contra perseguição que ele teria recebido por ser homossexual.
Segundo ele, diversas punições fizeram com que ele se desligasse da Aeronáutica no meio do curso para não ser expulso da faculdade. A Aeronáutica nega que tenha havido perseguição.
A cerimônia de colação de grau dos formandos do ITA foi no último sábado, dia 17. Talles Oliveira Faria, 24, que se formou em engenharia da computação, recebeu o diploma com um vestido rosa, salto alto e maquiagem. A roupa ainda trazia mensagens críticas ao ITA.
"A manifestação não foi só relacionada à homofobia, mas também à violência psicológica que ocorre aqui dentro", disse Faria, que é homossexual e ativista contra a homofobia.
A decisão de comparecer vestido de mulher à colação foi motivada por uma série de processos que recebeu após outra manifestação, em maio do ano passado, quando ele se vestiu de drag queen para marcar o Dia Mundial do Combate à Homofobia (17 de maio). Além de estudar no instituto, Faria seguia também como militar.
O ato ocorreu na hora do intervalo e reuniu outros colegas, com cartazes contra o preconceito. Além de ser processado por agredir "o decoro da classe, protagonizando cenas vulgares" por conta do episódio, Faria recebeu mais seis processos de punição na sequência, alguns relacionadas a postagens em sua conta pessoal do Facebook.
Ele foi punido por "agredir símbolos religiosos" por ter colocado na rede social críticas ao catolicismo na relação com a homossexualidade. Foi acusado ainda de ter publicado imagem "agressiva à bandeira do Brasil".
A publicação trazia uma bandeira do Brasil com corações no lugar das estrelas e a frase "põe a cara no sol, mona", no lugar do lema "ordem e progresso". Outra punição ocorreu por causa de ato em apoio à ex-presidente Dilma Rousseff (PT), no ano passado, no intervalo das aulas.
Nos recursos encaminhado aos oficiais superiores, Faria anexou imagens de manifestações de outros estudantes, em apoio ao então candidato à presidência Aécio Neves (PSDB), e publicações de caráter político nas redes sociais feitas por integrantes da Aeronáutica. Segundo o jovem, só ele foi punido.
Faria afirma que sua orientação sexual e militância provocaram uma "perseguição" sistemática, efetivada por meio dos processos –os chamados FATD (Formulários de Apuração de Transgressão Disciplinar). Pela quantidade, o estudante teve que se desligar da carreira militar, pela qual recebia o salário de R$ 6.000, para não ser expulso também da faculdade.
"Tive que deixar de ser militar porque só me deram essa alternativa. Ou pedia o desligamento da Aeronáutica, ou iam me expulsar do ITA e da FAB [Força Aérea Brasileira]", diz.
O estudante afirma que chegou a pensar em entrar na Justiça contra a FAB sobre o episódio. O receio de ser desligado do ITA fez com que ele prosseguisse com as aulas até a formatura. "Sei da homofobia silenciosa, mas efetiva, no ITA e nas Forças Armadas", diz ele, que não descarta uma ação judicial por conta do episódio. "Espero que as pessoas possam me ver e se sentir mais seguras nesse ambiente".
O ITA é uma das instituições de ensino superior mais renomadas e concorridas do país. Está ligada ao Comaer (Comando da Aeronáutica). A unidade fica no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, na cidade paulista de São José dos Campos.

CONDUTA
Segundo a Aeronáutica, o ex-estudante não foi perseguido. "A Aeronáutica julga que disponibilizou opções para que pudesse prosseguir e concluir seus objetivos acadêmicos dentro de uma das mais renomadas instituições de ensino do país", afirma a instituição em nota. "Ele não foi punido disciplinarmente por este motivo [manifestação em que se vestiu de drag queen], pois solicitou licenciamento do serviço militar durante a apuração dos fatos".
Ainda na nota, a instituição afirma que todos os militares e funcionários civis do Comando da Aeronáutica estão sujeitos "às mesmas obrigações e fazem jus a todos os benefícios previstos em legislação, sem qualquer tipo de discriminação raça, credo, orientação sexual ou demais aspectos de foro pessoal". A Aeronáutica afirma que "as transgressões cometidas pelo então aluno" são passíveis de punição e se aplicariam a qualquer militar".
"Mais importante ainda é salientar que a abertura dos processos de apuração de transgressão disciplinar nada tem a ver com a sua orientação sexual, mas sim com a conduta e atitudes". A Aeronáutica ressalta que, entre as transgressões, estão a não utilização correta do uniforme no dia da manifestação no ano passado –uma vez que Faria era militar.
Sobre o fato de outras publicações em redes sociais ou manifestações não terem tido o mesmo tratamento que Faria recebeu, a Aeronáutica defendeu que "neste caso específico, outras publicações de outros militares que tenham se posicionado politicamente não foram informadas." Cópias desses fatos, envolvendo outros alunos e oficiais, entretanto, foram encaminhadas na defesa de Faria, conforme documentos obtidos pela Folha.
A reportagem havia também encaminhado questionamentos à reitoria do ITA, por meio da assessoria de imprensa, mas a Aeronáutica informou que responde pelo instituto.
FOLHA DE SÃO PAULO/montedo.com

Confira outras imagens e o registro em vídeo do momento da entrega do diploma

53 comentários:

Anônimo disse...

Como diz o Datenão: " É o fim do mundo."

E as autoridades militares ( só servem pra perseguir praças ) lá presentes, que providencias tomarão ?

O problema dos gays, é que eles não se contentam entre 4 paredes, querem infernizar, incomodar, dar vexame, nos empurrar a sua opção goela abaixo. Porque não são discretos como são a maioria das mulheres ? Sempre querem escandalizar.

Tem que ter penalidade, o ITA é coisa séria e exige comportamento exemplar.

Anônimo disse...

O cara era totalmente indisciplinado, cheio das punições. Deu o golpe, saindo da força para não ser punido. Recebeu um benefício de continuar estudando para não prejudicar sua vida pessoal. E agora, como agradecimento, diz estar pensando em entrar na justiça contra a força...

Lamentável.

Marinho disse...

Sabia da regra do jogo. Pagou pra ver. Foi punido e agora quer posar de vítima. Bem típico de um militante "gayzista"

Anônimo disse...

Um fingidor. Bah !

Anônimo disse...

Não se trata de homofobia, se trata de disciplina. Para ser homossexual tem que soltar as frangas? Tem que usar roupa de mulher, rebolar e fazer escândalo? Perseguir homossexuais é uma coisa, não permitir atitudes incompatíveis com a caserna é outra.

Anônimo disse...

Vai punindo até por na rua esse sujeito indisciplinado e cara de pau.

Anônimo disse...

A "homofobia" foi, literalmente, não autorizar o uso de maquiagem, uniforme feminino, entre outras coisas óbvias.

Anônimo disse...

Ah se fosse praça!!!

Anônimo disse...

E isso aí! Perfeita colocação!

Anônimo disse...

Atitude desnecessária, vexatória e vergonhosa! Expôs uma instituição tão bem vista e admirada, sonho de muitos brasileiros e brasileiras ao ridículo. O fato deste rapaz ser ou não homossexual não está em questão, mas sim o desrespeito e a afronta à disciplina desta nobre instituição militar. Imaginem a cena patética deste engenheiro(a)na condição de militar e comandante de um desfile militar: O locutor avisando: -Defile Militar! A tropa desfilará em continência ao excelentíssimo Senhor Coronel Engenheiro Fulano de Tal,ao som do dobrado "It`s rainning Men"! (ao fundo, rolando um lançamento de PQD´s do C-130).

Anônimo disse...

A SE A MODA PEGA kkkkkk

Anônimo disse...

Que vestidinho horroroso!

Anônimo disse...

Os pais dele não quiseram ir a formatura. Dá para imaginar que tipo de pessoa ele é.

Anônimo disse...

Meu DEUS!!! Show de horror, não gostaria de estar presente nesse ato solene. DEUS me livre!! Estamos em queda livre rumo ao abismo da imoralidade.
S Ten Art Tu 95

Anônimo disse...

Idiotinha mimado querendo aparecer.

Sobre isso, gostei do comentário de Bene Barbosa:

"Esse é o rapaz que "causou" na formatura do ITA. Não se trata de ser gay, travesti ou seja lá o que for. Trata-se de respeito a uma ocasião, a um evento, a uma convenção. Ele iria no enterro da mãe vestido assim? Duvido muito. Não se trata de liberdade, se trata de respeito e seriedade. Esse é o retrato do mundo: um bando de revolucionários Toddynho, com as contas pagas pelo papai e pela mamãe que se acham no direito de destruir tudo que o fez chegar aqui. É o homem massa, brilhantemente descrito por Ortega y Gasset."

Anônimo disse...

O problema é mais sério do que parece. Não é só uma questão de proporcionar uma cena lamentável marcando essa turma como sendo aquela que um gay protestou por achar que o mundo gira em torno dele e nada mais importa, estragando um grande momento esperado por alunos e familiares, me refiro ao comportamento completamente imprevisível. As FFAA correm grande perigo pelo comportamento imprevisível que um militar com essa opcão sexual pode vir a ter face a algo que ele julga errado. O politicamente certo é o mal de nossa sociedade.

Anônimo disse...

Faltou inteligência para licenciá-lo na primeira oportunidade. É sempre assim, vai deixando para depois o que é preciso para já.

Anônimo disse...

Montedo edital do QEO ja esta pronto ?
Quadro especial de Oficiais para 1 sgt e sten !!!

Anônimo disse...

Ainda q tenha sido formado no ITA, com todo o cabedal de conhecimento e capacidade demonstrada, nenhuma empresa contratará um engenheiro que, contrariado por suas convicções, demonstra um comportamento afrontoso, marginal e desordeiro. Basta colocar no Google e a empresa saberá de quem se trata - e hoje elas fazem isso corriqueiramente nas contratações.
Será q ele se vestiria assim para ir a um funeral??? Regras e condutas são particulares às instituições e cerimônias, simples assim.
Vivemos tempos difíceis...
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

Pelo visto caro Montedo, as "Outoridades" militares se se preocupam com o furico de praça. Mas com toda certeza, este jovem forjado no seio de umas das melhores escolas de engenharia do Brasil, sabe que a área de lazer, não tem nada a haver com a área de esgoto.

Anônimo disse...

Que lindo!!!


O que dizer quando o boi não quiser mais cruzar com as vacas, somente com outros bois?
E quando a galinha procurar apenas outras galinhas?

O homem, mergulhado numa vã filosofia criada e disseminada, principalmente, pela Fundação Ford, esquece que existem limites na natureza. E somente Deus (Jeová, Alá, Oxalá... não importa o nome que use) pode moldá-la.

Anônimo disse...

Ele, como muitos iguais, falam de preconceito e são até mais preconceituosos. Se rebelam porque religiões e instituições tem suas regras condenando o seu comportamento ou modo escolhido de vida e querem impor na marra as suas vontades. Na verdade quer notícia, manchete, entrevistas e ficar famoso. Conheço uma duzia de gays dentro e fora das fileiras das Forças Armadas que convivem com respeito e dentro das normas, como qualquer militar e cidadão.

Anônimo disse...

Este é o cara. ITA só entra os melhores. Melhores mesmo. Também é o cara, aposto que muito machão não teria esta coragem.

Anônimo disse...

Esse cabra ai é só o floco de gelo na ponta de um iceberg. Coloca o ouvido no chão e escuta, cara pálida. Esse é o futuro!


Conde de monte cristo

Anônimo disse...

Não sei do motivo de tanta preocupação com o vestido do rapaz.

Se ele fosse obrigado a seguir as regras do evento não era para estar lá sem uma decisão judicial, se ele estava no evento com seus vestido era porque podia, não fez nada de errado.

Com vestido ou sem vestido ele continua sendo a mesma pessoa que deve ser primeiramente valorizada.

Tem muitos ladrões que usam terno, gravata, falam bonito, seguem todo o protocolo e etiquetas sociais e não valem nada.

Deixem o rapaz em paz seguir o seu caminho tranquilo.


EXPLORANDO O DIREITO PENAL disse...

Esse é um caso que cabe uma bela indenização, por parte dessa pessoa, para com a turma de formandos. Pois, por mais homossexual que ele seja não precisa fazer disso uma fonte de "exibicionismo". Se quer mudar de sexo, se vista como tal, coloque um vestido compatível com a solenidade. O que ele fez fere, totalmente, a razoabilidade e proporcionalidade, fazendo dessa formatura um evento "sui generis" uma verdadeira película à moda "gaiola das loucas".
Turma de formandos, se mobilizem e entrem com uma bela ação de danos morais contra esse formando. Não vão faltar advogados para encabeçar uma causa como essa.

Anderson disse...

Nem quero ver onde vamos chegar com esse maldito: politicamente correto!

Anônimo disse...

A pressão hoje é, como todo mundo sabe, para que se coloquem de todo o jeito as mulheres... Amanhã a pressão será outra, e será aceita do mesmo jeito.Alguém duvida?

Anônimo disse...

Quero vê ele vestido assim na sua primeira entrevista de emprego!?

Anônimo disse...

Infelizmente, tais militantes querem respeito, mas não se dão o mesmo. Não respeitam regras e instituições. Até na igreja tem campanha para casar. É o fim do mundo. Como bem frisou o colega, eles acham que o mundo gira em torno deles e que todos devem se adaptar as "regras" da minoria. Em um determinado Cmdo Mil A existe um que está no mesmo caminho, bradando a todos os lados que já é estabilizado, militando em partidos que apoiam tais vexames. Espero que estejam de olho, para não sermos surpreendidos com atitude parecida.

Anônimo disse...

Acorda pessoal ! Vamos discutir e preocupar com nossos vencimentos .A PM de MG não aceitou a sacanagem do governo . As Forças Armadas vão aceitar mais uma vez ? Não percam o foco .

Anônimo disse...

Veja bem, realmente o jovem errou e terminou por denegrir a própria imagem, mas será que não está na hora das FA abrirem as portas para o público LGBT? Evolução pessoal...

Maj QCO Leonardo

Marcelo Carvalho disse...

Os gays merecem o meu respeito. Os ATIVISTAS gays merecem o meu repúdio. Só aconteceu porque o ITA tem um reitor PAISANO que tolera essas palhaçadas.

Anônimo disse...

Esta certo o rapaz se foi perseguido tem que processar mesmo a FAB, vivemos dias de militares casados com pessoas do mesmo sexo e inclusive que casaram ou fizeram mudança de sexo e utilizam farda do sexo mudado, porque ele não pode ser homosexual...
Processa que voce ganha garoto. Queria estar lá para ver a cara destes brigadeiros e coroneis que se acham o tal...

Anônimo disse...

Alguma coisa vai melhorar?
Só vai piorar e muiiiiito...
Pessimista? De modo algum, só analiso os dados expostos e escancarados diariamente e chego a conclusão de que, NÃO HÁ SOLUÇÃO NO RADAR.
Selva!!!

selva disse...

Oremos por esse indivíduo

Anônimo disse...

Este jovem com certeza vai ganhar uma indenização da FAB e sem falar na Profissão que ele formou a mais top que existe. Vai ganhar muita grana. Estamos em 2016 e as Forças Armadas tem que aceitarem.

Anônimo disse...

Eu não acredito que isso aconteça só com o oficial ?!?! kkkkkkkk

Anônimo disse...

Vc me admira, isso está bem claro, agora, não use minha assinatura irresponsavelmente, porque, no mínimo, posso acionar advogado contra você por falsidade ideológica. Emitir opinião como se fosse a minha é crime, se não sabe. Seja homem e assuma suas decisões.
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

Maj QCO Leonardo, sem falso moralismo, nem demagogia, tampouco preconceito, mas se com o segmento feminino já acontecem casos escabrosos que não vêm a publico, e atentam contra a disciplina e hierarquia (como a 3° Sgt que casa com o Maj e passa a desrespeitar oficiais e praças mais antigos que ela e mais modernos que o marido, ou casos de assédio, práticas sexuais em locais proibidos pelo regulamento...etc), imagino se abrirem as portas de vez esse público LGBT...Não vai ser salutar para a força, principalmente se aceitarem de vez os chamados ativistas homossexuais, porque esse pessoal não segue regras, acha que têm superpoderes e quer impor seu modo de vida a todos, sem o mínimo bom senso, como o rapaz dá matéria que era indiciplinado, e demostrava comportamento incompatível com o decoro militar.

Anônimo disse...

Para terminar, estude se deseja passar por alguém estudado. Jamais use "denegrir" em qq redação. Não podemos associar nada de ruim com "negrir", tornar negro. Tampouco "depreciativo", pois esse termo só cabe na contabilidade - somente ativos se depreciam. Use "diminuir", "manchar".
Outra coisa, antes do infinitivo, jamais use a contração da preposição com o artigo. Separe-os. Escreva: "... não está na hora DE AS FFAA abrirem... ".
Enfim, seja competente, pelo menos se decidir por incorrer em crime de falsidade ideológica.
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

Li alguns comentários e até o momento não vi os "danos morais" que um homem de vestido pode causar, ele estava na solenidade, respeitou a todos, se tivererem que mover ação seriam contra as autoridades presentes que não fizeram nada para impedir o ato dele.


Quanto uma ação judicial para quem usa o nome de "Maj QCO Leonardo" é hilário, ninguém sabe quem é este cidadão e quem ele representa, além de si mesmo.

Usar títulos nos comentários para parecer importante é cômico.


Anônimo disse...

Meu Deus! Quanta bobagem escreve esse "Maj QCO Leonardo"...

Anônimo disse...

Já tem gente do movimento infiltrado no blog, defendendo, acusando, sentindo-se atacado, mesmo manifestando se como anonimo.

Dom Pedro de Orleans e Braganca

Anônimo disse...

Se o seu nome realmente for "Maj QCO Leonardo" vc até pode processar alguém por falsidade ideológica, caso não seja esse seu verdadeiro nome, e sim uma alcunha, vc estará incorrendo em falsa comunicação de crime, além de estar cometendo tb, falsidade ideológica, escondendo seu nome verdadeiro para destilar seu ódio contra aqueles que discordam de suas opiniões, é claro, contra as praças tb. Estude um pouco, "doutor dá sabedoria" Maj QCO Leonardo...kkkkk

Anônimo disse...

excelente. este é o cara. este jovem pode ser médico, ou seja o que ele escolher, quem sai do ITA são os melhores do mundo. vai "chover" emprego para ele. Conheço o filho de um cabo clarim que estudou em cm foi para o ITA e hoje esta nos eua, milionário

Anônimo disse...

Achar que o termo denegrir tem sentido racista é pensamento de gay políticamente correto.

Anônimo disse...

Tem gente vem ao mundo para fazer algo de bom e outros para avacalhar. Pois bem, no vestido e no rosto da menina (?) está estampado : " Excelência em avacalhação.

derli brites sandim disse...

Ainda bem que não é do corpo de fuzileiros navais.

Anônimo disse...

Façam as suas bizarrices entre 4 paredes. Não somos obrigados a aceitar goela abaixo.

Em qualquer empresa tem que ter disciplina e na vida, tem hora pra tudo. Ali não era ligar pra soltar a franga, ser mulher, pois a mulher é bela e formosa. Se coloquem nos seus lugares.

Anônimo disse...

Seria o poeta um fingidor !

Anônimo disse...

Deus criou Adão e Eva ou Adão e Ivo ?

Anônimo disse...

Envio o comentario de um amigo. Vejam ...

A FAB tá sem moral.
Deixaram esse sujeito constranger as FFAA. Detalhe: onde está o RDA e o Código Penal Militar que não foram empregados? A HONRA E O PUDONOR MILITAR QUANDO SAO ATINGIDOS É CAPITULADO COMO CRIME.
SÓ TENHO UMA CONCLUSÃO : COVARDIA!!!!!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics