9 de dezembro de 2016

Militares podem ter mais tempo de contribuição na previdência

Publicação original: 8/12 (21:48)
As negociações do governo com as Forças Armadas continuam, mas essa é a proposta mais adiantada até agora, informou a fonte, que participou das negociações
Por Lisandra Paraguassu, da Reuters
Brasília – O governo prepara uma reforma Previdenciária separada para os militares, que devem continuar sem idade mínima para aposentadoria, mas poderão ter o tempo de contribuição mínimo aumentado de 30 para 35 anos, com um tempo de transição de 13 anos, disse à Reuters uma fonte governista.
As negociações do governo com as Forças Armadas continuam, mas essa é a proposta mais adiantada até agora, informou a fonte, que participou das negociações. O texto, quando fechado, será enviado por projeto de lei.
“A reforma para as Forças Armadas pode ser infra constitucional, não precisa ser uma emenda constitucional”, explicou o líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR).
A intenção inicial do governo era incluir os militares no regime geral. A reação das Forças Armadas, no entanto, levou o governo a aceitar a necessidade de um regime diferenciado.
“Há algumas funções que um militar não tem capacidade de fazer com mais de 60 anos”, justificaou uma fonte palaciana à Reuters há alguns meses, quando confirmou que os militares ficariam de fora da reforma inicial.
Na reforma proposta e apresentada pelo presidente Michel Temer a líderes do Congresso e sindicalistas nesta segunda-feira, trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público terão 65 anos como idade mínima para aposentadoria.
Também ficaram de fora da reforma os policiais militares e os bombeiros. Nesse caso, de acordo com Jucá, porque são forças estaduais, e os Estados devem fazer as suas próprias reformas.
Das forças de segurança, ficaram no pacote do regime geral os Policiais Federais e os Policiais Rodoviários Federais. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) retira a previsão de aposentadoria especial para quem tem risco de vida.
Os policiais, no entanto, querem que sua reforma seja tratada do mesmo modo que os militares. Um grupo esteve no Palácio do Planalto, enquanto o texto era apresentado, para conversar com parlamentares e pedir que sua reforma seja encaminhada junto com a das Forças Armadas.
EXAME/montedo.com

37 comentários:

Anônimo disse...

Aumentar o tempo de contribuição? Só se for Post mortem...

Anônimo disse...

Contribuição de 30 para 35? Alguém informou o tal ministro que os militares contribuem por toda a vida? Que matemática é essa?
Alguém com estrela por favor esclareça.

Anônimo disse...

Sabidamente, os militares pertencem a uma categoria que não foi feita para viver na riqueza, na ostentação, mas em contrapartida, também NÃO JURARAM a passar privações, como atualmente se encontram. Já estamos de saco cheio de levar chumbo. O que nós queremos é um pagamento justo e digno para todos. É sabido, que apenas 15% da classe militar pertencem a uma casta privilegiada, os demais estão literalmente na M. Chamam de CRISE os rombos dos cofres público da nação, cometidos pelos políticos ladravazes, cínicos, mentirosos e revanchistas; e o que é pior, tudo isso também com os sacrifícios financeiros impostos a classe militar. Veja a famigerada MP 2215 (LRM), que usurpou direitos dos militares e seus pensionistas, que está enterrada nos porões do Congresso há mais de 15 anos. Veja também, as correções mesquinhas de salários, como se fosse um cala-boca, sempre dados em parcelas de vários anos, sem contemplar a classe com uma correção justa. Tudo isso com a omissão dos Comandantes das FFAA. Ainda querem mais? Que vão para o quinto dos infernos!

Anônimo disse...

O governo Temer está om os dias contatos...cada dia que ele fica é mais munição que o Lula ganha para ser eleito presidente em 2018...
Qual será o posicionamento daquele deputado que se diz defensor dos militares???
Ou será que ele está esperando o cardápio do jantar na véspera da votação!!!
Tempos difíceis....

Anônimo disse...

Estou com medo de falar que sou militar..daqui a pouco a gente vai apanhar na rua...
Humilhados pelo governo, pelos chefes e agora pela população...

Anônimo disse...

Já que os policiais federais querem que a reforma deles sejam iguais a das forças armadas. Então o pagamento das forças armadas deveriam ser iguais a dele. O Ministro da Defesa e os nossos Comandantes não falam a real situação das forças armadas para o país, além de querer aumentar o tempo de serviço, deveriam aumentar o nosso salário família e divulgar isso para o país, que um militar com mais de trinta anos de serviço e por ter três dependentes ganham 0,48 centavos. Isso mesmo 0,48 centavos. Não dá nem pra comprar um doce de 1 real. Se querem reformar a previdência e colocar os militares como os "algozes" da previdência. Então comece a rever a situação dos salários baixos das forças armadas.

Anônimo disse...

Quando o "barco" é bom, todo mundo quer embarcar! Não vivem dizendo para os militares "pararem de chorar" e prestar concurso pra polícia federal ou rodoviária federal se quiserem bons salários? Pois é! Também queremos os nossos salários equiparados com estas duas instituições! Não fazem nem ideia do que estão preparando para nós, mas só querem , como na famosa "Lei de Gérson", levar vantagem em tudo , certo?

Anônimo disse...

Será que é muito difícil fazer um estudo de transição? eles vão inventar que quem tem 13 anos fica "só" 34 anos de serviço, quem tem 26 anos de serviço fica 33 e quem tem 12 anos e 11 meses ou menos fica 35 anos... ficam dez anos "estudando" pra chegar a essa conclusão... até eu que sou um reles 2º sgt (como dizia um ex comandante) do EB, uma praça, saberia fazer uma transição proporcional ao tempo de serviço, como é que esse pessoal não consegue? será que está faltando orientação do mais moderno? será que quem está fazendo esse estudo já tem tempo pra ir pra reserva, mas não quer largar o osso, e por isso tá mais preocupado em puxar o saco do governo do fazer justiça com a carreira alheia? será???

Léo disse...

Seja qual for a proposta de reforma e das novas regras para a passagem dos militares das Forças Armadas da ativa para a reserva certamente seremos ,mais uma vez, muito prejudicados.Basta lembrar que, ao retirarem a promoção de uma graduação ou posto acima ,quando da ida para a reserva, os maiores prejudicados foram as Praças.E por que digo isso? Simples.O desejo natural da maioria dos sargentos era chegar ao posto de Capitão, com todos os direitos que os comandantes das Forças Armadas de então nos tiraram e,principalmente, com os vencimentos do posto de major.Mas o que ocorria com esse mesmo Capitão na reserva? Receberia os vencimentos de major, anuênio, adicional de permanência,etc,etc e etc.Resultado? Ganhava muito mais que um Major de carreira da ativa.Isso melindrava demais o oficialato.Aí veio a oportunidade de acabar com aquela situação que para os oficiais era uma afronta: A covarde Medida Provisória do Mal.Retiraram o posto acima,mas tiveram o cuidado, muito bem pensado, de dar uma diferença nos vencimentos do capitão para o major em praticamente R$ 2.000,00( dois mil reais). Consequentemente, entre a diferença dos vencimentos dos Oficiais da AMAN e as praças foi criado um fosso, uma distância enorme, que , a cada reestruturação ,irá só aumentar.Reparem que a diferença entre os vencimentos dos Oficiais Superiores não chega a R$ 250,00.Mas essa diferença é perfeitamente compensada com as movimentações a cada três, quatro anos,no máximo. Estão comentando que as gratificações de Habilitação poderão ser somadas.Todas,a partir de 2018.Pergunto aos amigos: Quais as praças que possuem mais de três cursos de especialização e/ou extensão? Entenderam? Mais uma vez os maiores beneficiados serão os oficiais.E o resto? É resto!!! Vencimentos 'VEXATÓRIOS,HUMILHANTES E VERGONHOSOS' !!!

Anônimo disse...

A FARSA: O DÉFICIT NO REGIME DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS. Esse déficit NÃO EXISTE porque não existe regime de previdência social dos militares das Forças Armadas. Como disse o Ministro da Defesa, na Câmara dos Deputados, em 2003, na Comissão Especial da Reforma da Previdência: Portanto, não há regime previdenciário dos militares e, logicamente, não há o que referir a equilíbrio atuarial do regime previdenciário dos militares federais, porque ele não existe e por essa razão, quase ontológica, porque não existe, não pode ser predicado e, conseqüentemente, não pode ser contributivo, nem de repartição. A REMUNERAÇÃO DOS MILITARES NA INATIVIDADE, OS REFORMADOS E OS DA RESERVA, É TOTAL E INTEGRALMENTE CUSTEADA PELO TESOURO NACIONAL. Como agora falar-se em déficit da previdência dos militares? Quais as motivações desse debate? A insipiência? A tentativa de ludibrio? Os militares, recentemente, já tiveram pesadas perdas na sua estrutura remuneratória. Foram usurpados em muitos direitos compensatórios às limitações sociais e pessoais impostas pelas características da vida militar. Nada mais podem ceder. Mas algumas perguntas se põem à absurdidade dos rumores propagados. Quais os reais interesses, secretos ou públicos, em alterar o sistema de proteção social dos militares. A contenção da despesa em cima de uma categoria que já experimenta um brutal achatamento salarial, segundo o próprio entendimento da Câmara dos Deputados? Reequilibrar as contas públicas à custa do exaurido soldado brasileiro, de modo a sustentar um novo ciclo do lamaçal em que estamos envolvidos? Saiba mais:http://www.ternuma.com.br/index.php/art/3052-o-deficit-no-regime-de-previdencia-social-dos-militares-das-forcas-armadas-synesio-scofano-fernandes-07-07-2016

Landorei disse...

O "tempo de contribuição mínimo" não existe,estou na FAB há quarenta e sete (47)anos e nunca deixei de contribuir para a Pensão Militar!!! Nós não temos regime previdenciário! Parem de falar besteiras e mentiras para influenciar a opinião pública! Fui para a reserva, não me aposentei,como alardeia a imprensa maldosa e pessoas invejosas que não conseguiram ou conseguem ser aprovadas em um concurso militar! Governos mal intencionados usurparam nossa Pensão Militar e incorporaram-na ao Tesouro Nacional e lá, puseram a mão ladra para funcionar, como estão fazendo com os demais fundos de pensão.Tirem a mão da nossa Pensão Militar superavitária e vão se catar.

Anônimo disse...

Por favor, tirem minha dúvida. Essa contribuição é a pensão descontada em contracheque? Caso seja, então deverá ser cancelada, correto?
Eu contribuo também para minha filha, de acordo com a MP do mal.Sendo assim, tenho duas contribuições. Obrigado.

Anônimo disse...

Pela noticia desta matéria, o centros de pagamentos das forças armadas deverão criar um novo código de pagamento de pensão militar: " post mortem". Em vez da apresentação anual para prova de vida, as SIP comparecerão em loco no local do sepulcro. Será criado um contra cheque com crédito no mesmo valor do desconto, somente para satisfazer o ego dos tecnocratas e recalcados de plantão.

Anônimo disse...

Na verdade o q importa é q ao continuar na ativa nós ajudaremos a reduzir ingresso de mais militares pois existe um limite de efetivo, assim eles economizam com novoa salários.
Ass Monitor AMAN

Anônimo disse...

Bora ficar 10 anos com ST jogando cal em latrina, e pagando cachorro quente em formaturas de entrega de boina. Porque não fui para a gloriosa PM do meu estado quando tinha 20 e poucos anos....que arrependimento.

Anônimo disse...

Sugestão ao EB em especial promova todos os militares que estiverem no QA já que esse governo maquiavélico quer nos ferrar, então essa seria uma forma justa de dar um reajuste aos pobres militares, já que seguramente a contribuição será reajustada, então EB promova todos, seja pelo menos uma vez na sua história a favor de seus homens e mulheres.

Anônimo disse...

Saudades da Dilma e do Lula. Éramos felizes e nem sabiamos.

Anônimo disse...

Desde 2003 todos os trabalhadores, servidores ou não, passaram a contribuir com 11% MESMO DEPOIS DE SE APOSENTAREM(vcs contribuem só com 7,5%). Além disso, sua aposentadoria é uma média de todos os salários que ganharam na vida, ao contrário dos militares que recebem integral o do último posto. Além disso, todos os funcionários que recebem mais de 5 mil e poucos reais (teto INSS) tem que pagar previdência particular por fora. Nenhum funcionário público recebe FGTS Pq esse benefício é só para quem não tem estabilidade. O que querem da vida??????Ahh, claro, ralam muito cumprindo meio expediente e brincando de escoteiro uma vez por semestre. Publique isso Monte do, não se covarde!

Anônimo disse...

Em tempo, sou totalmente a favor de se manter a reserva do as FA em 30 anos ( só pra lembrar, as FAs são as únicas que ainda têm tempo fictício) e uma urgente reestruturação salarial a começar pela carreira dos sargentos. Essa é a hora de pedir ao TEMER uma contrapartida significante para entrarem na reforma da previsão. Não percam essa chance. Lutem com os argumentos certos. Parem de passar vergonha com argumentos errados. Vcs estão com a faca e o queijo na mão para negociarem pesado com o Governo. Aumento salarial é muito mais fácil de conceder e mais barato para o Gov. Lutem com as armas certas.

Anônimo disse...

Nossa a tropa esta totalmente desalinhada kkkkkkkkkkkkkkkk.

Anônimo disse...

Prezados, os militares não param de contribuir.Mesmo na inatividade, continuam contribuindo!

Anônimo disse...

Paisano para de chorar! Para vc falar assim de nós é pq com certeza vc nunca ficou no quartel um dia inteiro,dormindo mal, pra ficar no outro dia cumprindo expediente indisposto fisicamente por conta do serviço e ainda chegar em casa só pensar em descansar pra cumprir o expediente no outro dia, sem poder dar aquela merecida atenção que a família merece. Tb nunca ficou vários dias ou meses longe da esposa e dos filhos por conta do dever de cumprimento da missão. Tá achando que somos "privilegiados" porque temos meio expediente ou ralamos "pouco" durante o ano de instrução, pq não entrou na caserna e sentir na pele esses "benefícios" que a gente tem? Brasileiro é a pior raça que tem. Só enxerga o lado bom dos outros.

Anônimo disse...

Olha a minha cara de preocupação por sua causa -> :). Continuarei aqui na minha aprazível cidade so NE, chegando 8h da manhã para inciar meu TFM (leia-se pelada, tênis ou natação), 9h40 na seção e 12h45 estou saindo. À tarde, vou fazer outros trabalhos.
Quem te mandou estudar erradamente.
Abraços ae!
Of Sup servindo em Natal.

Anônimo disse...

Tem milico que se puder fica na ativa até morrer kkkkkk, 35 anos não é nada kkkkkkk agora o QE vai até sub então kkkkkk pronto ta tudo certo.

Anônimo disse...

Um paisano querendo tirar onda aqui no Blog, conheci centenas de funcionários civis nos mais de 30 anos que passei na ativa, a maioria gente boa, bom papo, educada, mas a maioria também não queria nada com a hora do Brasil, reis e rainhas do jeitinho, das dispensas de todos os tipos, da bajulação, cumprindo suas tarefas burocraticamente, quietinhos em suas seções, com certeza os paisanos são os maiores moitas nas OM e com a conivência dos seus chefes imediatos,ninguém queria se indispor com civis, principalmente os militares com alta rotatividade.

Anônimo disse...

Sou a favor da medida assim muitos que vão a reserva param de ficar querendo voltar como PTTC e ficar sugando e não fazendo nada. Desta forma acabaria com os PTTC. Em uma reunião já ouvi dizer que a medida de ficar mais tempo é devido os militares aguentarem e permanecerem alem do limite nos casos dos coroneis e generais que ficam com idade de 65 anos...
E não deixa de ser verdade, porem quem quer ir para a reserva no seu tempo é prejudicado por estes oficiais e PTTC sangue sugas.

Anônimo disse...

Petralha detectado.

Anônimo disse...

Conheço tantos miñitaresvque usam antidepressivos e agora ? Mais vidas seram mutiladas....militares sao mortos vivos que recebem o pior vencimento do funcionalismo !!

Anônimo disse...

É melhor ficar na ativa eternamente e isso só é possível pra quem tem a vida eterna.

Anônimo disse...

Pelas declarações os "secretários" estão passando informação aos poucos, quando alguém passa o bizu. A cada entrevista o ministro muda a "musica". De que adianta o militar trabalhar até 35 anos? Eles não vão investir em temporários e continuam descontando? Tem alguma arapuca nessa estória. Quero ver a reação quando os policiais e bombeiros disserem não.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 16:23. Tenho 17 anos de corpo de tropa. Tinha. Hoje sou paisano ganhando o triplo que quando era como vc, que prefere chorar a dar o mínimo de atenção a qualquer argumento. Quem está chorando aqui é vc. Aliás, vai chorar mais Pq já perdeu essa guerra. 35 anos e 11% virão. Aguarde. E outra, todos esses seus argumentos chorosos de expediente e serviço pós expediente só existem Pq vcs mesmos jogam pra própria bunda. Me diga, o que mudaria pro Brasil se você faltasse com alguma dessa obrigação?Bom serviço de domingo!

Anônimo disse...

Muito bem Of Sup servindo no NE. Sou do TRT de Natal. 17 anos de tropa. Vc viu como a Míriam leitoa tem razão? Vc mesmo admite que não trabalha méca nenhuma. Ganham muito mesmo.

Anônimo disse...

Bom dia ..Ja começo meu dia com depressão pois minha espos pwwrgunta quais as novidades ...e nada como a mais de 20 anos na Força...Um Analista do Tj tem um salario esetacular logo dde entrada e eu depois de 20 anos nada !!! Tristeza e mais tristeza avumjlo..vivo em um regime semi aberto de prisao oois sem um salario digno e com aumento para 35 anos estou fadado a morrer nessa situacao a qual me encontro....praticamente separado da minja esposa...so estamos juntos para criar nosdo filho ...sou pagador de contas devido essa olitova remjneratorio ds Forcas Armadas...!!!

Wellington Vieira disse...

Hoje a regra é que os militantes vão para reserva com no mínimo 30 anos de contribuição. Entendeu?

Anônimo disse...

Policial não é militar para ser colocado na mesma lei. Então, em vez de incluí-lo só nesta lei, inclua-o em todo o regulamento. Aí não vai querer!!! Isonomia só no que for melhor para policiais, aí é bom!!!

Anônimo disse...

Acho que o paisano de 11 dez das 7:06 vai trabalhar até 65 anos. Kkkk

Anônimo disse...

Lendo todos os comentários só me faz lembrar uma coisa: por que fui escolher esta maldita carreira? Se bem que não posso dizer que foi uma escolha, para mim especificamente foi a única alternativa, família pobre, sem presença de pai, sem orientação alguma. Pois bem, acho até que entrar foi fácil, mas como é complicado sair, sou bacharel, tenho especialização, entretanto, não posso ser irresponsável de largar tudo sem ter alguém para dar o suporte necessário e com uma família para sustentar. Outro dia, um nobre amigo me disse que suas esperanças dentro das Forças Armadas já haviam acabado, que a única coisa que ele espera é ser feliz num plano superior ao lado de Deus, enfim, estou começando a concordar com ele.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics