11 de junho de 2016

Adjunto de Comando do Comandante do Exército fala para graduados no interior do RS

Palestra do Adjunto de Comando do Comandante do Exército em Santa Maria
2016.06.08 AdjCmdo Roso
Santa Maria (RS) - No dia 8 de junho, no Auditório da 6ª Brigada de Infantaria Blindada, o Adjunto de Comando do Comandante do Exército, Subtenente Osmar Crivelatti, proferiu palestra dirigida subtenentes e sargentos integrantes das Organizações Militares do Exército, sediadas na Guarnição Federal de Santa Maria. A exposição abordou os desafios e as responsabilidades dos graduados para com seus superiores e, principalmente, para com os soldados, desde a incorporação até o licenciamento.
O Adjunto de Comando é um cargo criado no Exército, em maio de 2015, com o objetivo de distinguir o subtenente ou o primeiro-sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal, valorizando a carreira do graduado. No decorrer da palestra, o ST Crivelatti falou sobre a motivação da carreira de sargento e o espírito de equipe.
2016.06.08 AdjCmdo Roso
O Adjunto de Comando terá como atribuições, dentre outras, divulgar os princípios de Ética e Valores Militares; fortalecer os padrões do Comportamento Militar; facilitar a comunicação entre o Comando e as praças; divulgar a missão e da visão da Unidade e os conceitos do Comando; assessorar o Comando em assuntos disciplinares, instrução, bem-estar, inclusive, da Família Militar.
O Adjunto de Comando utilizará a experiência, o conhecimento, a motivação e a liderança adquiridos, ao longo da vida militar, e os transmitirá a seus pares e subordinados, a fim de concorrer para o bom cumprimento da importante missão de assessorar o Comando em situações relacionadas às praças e em outras concernentes à rotina da Unidade,
Para tanto, deverá se comunicar com clareza e, principalmente, com a sabedoria de bem ouvir. Será integrante do Estado-Maior Especial e fundamental no estabelecimento de um clima organizacional positivo, promovendo o desenvolvimento da camaradagem, do espírito de corpo e da coesão, encorajando a iniciativa e a participação, tendo sempre como foco o aprimoramento do subordinado como pessoa e como militar.
O embrião dessa nova função surgiu há mais de vinte anos, no antigo Centro de Instrução de e Aperfeiçoamento de Sargentos (CIAS-Sul), hoje Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas (EASA), em Cruz Alta (RS), pelo seu primeiro comandante, o então Tenente-Coronel Sergio Westphalen Etchegoyen, atual General-de-Exército e Ministro Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, que esteve à frente do Departamento-Geral do Pessoal (DGP) e foi responsável pela criação do cargo de Adjunto de Comando, com base na bem-sucedida experiência anterior.
3ª DE/montedo.com

75 comentários:

1 sgt inf disse...

Mas uma vez vou postar minha singela opinião.
O q o exército quer, é na verdade, um testa de ferro para se dirigir aos praças e retirar esta atribuiçao, considerada infadonha, dos comandantes de OM.
Não preciso de curso pra saber quais são as necessidades dos praças e os nossos comandantes já estão cansados de saber.
O q falta não é INFORMAÇAO, mas sim AÇAO.
Isso tudo não passa de mais uma ideologia furada, sem aceitaçao, sem necessidade e com fins totalmente distintos do que realmente os praças desejam.

Anônimo disse...

Isso nada mais é do que formalizar a função do Sub babão (futuro Sargento de estrela) que já existe desde que o EB é EB... Pra mim, o que ele disser não me interessa, pois já não acredito mais no sistema, acredito apenas na consequência do trabalho árduo e no cumprimento da missão, e não o que o sistema atual representa na prática:a bajulação e subserviência que diversos praças demonstram a seus superiores para angariar alguma melhoria na "carreira".

1º Sgt Hugo
EsIE/1998

Anônimo disse...

Para o militar ter ética, valores militares como disciplina, camaradagem entre outros, aprimorar o graduado valorizando-o e incentivando-o a estudar, fazer cursos, sentir-se parte de um exército que o vê como profissional, não é necessário a criação de um cargo, a valorização começa pelo respeito, salário e profissionalismo. Não é, copiando, digo, criando um Sgt Mor tupiniquim, que alguém vai adquirir valores inexistentes em sua formação, ou ele tem ou não. Valorizar o graduado é respeitá-lo, não enfeitá-lo com uma cordinha.

Anônimo disse...

http://oglobo.globo.com/economia/previdencia-governo-vai-manter-vinculacao-de-beneficios-ao-minimo-19485582

Anônimo disse...

Deve ter sido empolgante.Pelo menos, muitos dos presentes tem muito tempo ocioso e estão disponíveis.

Anônimo disse...

Enquanto isso, somos desvalorizados nos nossos vencimentos ...

Computado Maio )))) A tropa tá perdendo ==> De 01/03/2012 a 31/05/2016 são 35,9804% ( Chore muito militar !!!! )

Nossas perdas desde o último reajuste em 1º Jan 12, por enquanto. E até 1º Ago 16 ??? Parabens generais. A tropa sem diárias pra completar a remuneração ... top top n.. vezes. Tudo falido.

Cálculo da variação de um período ...
A variação do índice IPCA (IBGE) para o período de 01/03/2012 a 31/05/2016 é 35,9804% - (incluso as conversões de moeda)

==> Fonte da consulta:
http://www.debit.com.br/consulta10.php

http://www.debit.com.br/indice_acumul.php?indexador=17&imes=03&iano=2012&fmes=05&fano=2016

......................
Militar ==> Carta aos Congressistas
http://montedo.blogspot.com.br/2016/01/carta-aos-congressistas.html

..............................
* PROCURE O E-MAIL DO PARLAMENTAR AQUI ...
http://www2.camara.leg.br/

..................
“Se quisermos alcançar resultados nunca antes alcançados, devemos empregar métodos nunca antes testados.” Francis Bacon (Político, ensaísta e filósofo inglês. Considerado o fundador da ciência moderna.)

.............
CONSULTE A SITUAÇÃO DA SUA DECLARAÇÃO DO IR ...
http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp

Marcos disse...

Parabéns pela iniciativa pena que pelos comentários acima vejo que vai levar uma geração para sairmos dessa mentalidade Macunaima / botequim .
STen Eng Marcos Pinto , RJ , 25 B log

Anônimo disse...

"(...) o subtenente ou o primeiro-sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal (...)".

Balela! Todos sabem quais serão as "qualidades" exigidas para ocupar o cargo.

Se o EB fizesse uma pesquisa entre as praças, antes da implantação desse cargo, tenho certeza que a grande maioria seria contrária a esse "cosmético", pois maquia, mas resolve.

Como disse um colega antes, tudo que o Adjunto disser não me influenciará e nem me sensibilizará a nada. Continuarei com o mesmo comportamento.

"Adjunto de Comando" é mais uma operação psicológica para tentar afastar as praças (vide os guerreiros do QE) de lideranças políticas e procurar lá fora a solução para problemas que aqui dentro os comandantes não querem nem pensar em resolver.

E o pior é que tem "inocentes úteis" que estão caindo nessa operação e acreditando no inacreditável!

Simples assim.

Anônimo disse...

Adjunto de comando?

Exército quer resolver os problemas das praças?

Faça o seguinte: comece a alterar a injustiça no Auxílio Fardamento, pois sou sargento e ganho um valor muito, mas muito menor que um capitão, por exemplo, e ele - capitão - compra uniforme na mesma loja que eu, pelo mesmo preço que pago. Isso quando ele compra, pois sempre tem um encarregado de material a fazer um agrado.

Fica a sugestão.

Bento Franca disse...

É isso mesmo. O que o Sub Babão falar não será ouvido nem pelos graduados euito menos pelos oficiais. É um cargo parecido com um cinzeiro em moto. Quando houver respeito mútuo entre autoridades civis e autoridades militares, quando o país atingir o grau de nação, assim que o bem comum for a meta primordial de todos os admistradores públicos e o cidadão comum agir consciente que não há direito sem correlato dever, neste momento não serão necessários cargos para falar o óbvio, tais como...

Eduardo ST Art disse...

Li os comentários e o que achei mais enquadrado nesta nova função, foi o que citou acima. "É UM CARGO PARECIDO COM A MESMA UTILIDADE DE UM CINZEIRO EM MOTO". Não vai mudar em NADAAAAAAAAAAAAAAA X Nadaaaaaaaaaaaaaa.

roberto da silva barros - cfs 88 disse...

Quero ver esse adjunto de comando resolver o problema que os S Tem vem enfrentando, como é o meu caso, vou pro sexto quadro de acesso em dezembro e não consigo ser promovido, só porque não sou babão, nunca tive punição, meu TAF sempre foi B, e quero que essa maldita comissão de promoção me diga porque não consigo ser promovido, mas dezembro vou tentar pela ultima vez, se não der vou pedir reserva e entrar na justiça.

rogério do carmo - ESA 90 disse...

Enquanto isso um subtenente com 28 anos de sv ganha 1/3 do rapaz que serve cafezinho em brasilia ...kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Adjunto de Comando = Cinzeiro de Moto

1Sgt/99

Anônimo disse...

ai entra um aspira de 19 anos cpor e põe todo mundo em forma!

Amauri disse...

A criação do cargo de Adjunto de Comando é um passo decisivo na valorização dos Graduados. Espero apenas que os ocupantes desta Nobre função, lute para melhorar as condições de trabalho de todos, mas, principalmente, dos Cb e Sd. Estes são os Praças mais injustiçados do EB, pois NÃO fazem jus a Auxílio-Fardamento (Fardamento só pela cadeia de suprimento, quando chega. E são "torrados" pelos Of e Sgt nas Paradas diárias), Movimentações (E os poucos q conseguem movimentação é sempre sem ônus para a Fazenda Nacional), Não "podem" ocupar PNR (A legislação prevê PNR para Cb/Sd, porém qdo existem, estes são ocupados por S Ten/Sgt), etc

Anônimo disse...

Êta instituição atrasada. Esse adjunto do Comando está inserido dentro daquele contexto da "Síndrome do Jardim de Infância", um vírus incrustado na maioria daqueles formados na academia militar, pois ainda acham que os graduados não conseguem realizar atividades senão debaixo de vigilância constante, como crianças no jardim de infância com suas professorinhas o tempo todo em cima, para não fazerem "caquinha". O adj cmdo, além de ser um X-9 que não é para ser visto como um X-9 (mas ainda tem inocente que acha que não, não é possível, nossos chefes estão preocupados) deveria dizer na cara dos chefes o seguinte: meu camarada, você tem alguma faculdade de gestão de recursos humanos, administração ou psicologia? Vai administrar o quê, se só sabe falar de munição, idiomas, transferências. Precisamos profissionalizar a força, mas com chefes que inventam "uma professorinha" pra tomar conta dos alunos e depois contar que vai mal, esperar o quê?

Anônimo disse...

só o papiro liberta

Anônimo disse...

Adjunto de Cmdo é igual a cinzeiro de moto, não tem finalidade nenhuma...KKKKKKKKK, essa foi muito boa !!!!!

Anônimo disse...

Ao S Ten Roberto da Silva Barros - cfs 88. A minha situação é semelhante a do companheiro; estou indo p/ o 4º QAM. Só que no meu caso é a FIProm preenchida on line pelo meu Comandante que não está me ajudando. Dentre as opções: "se o subtenente reúne condições p/ o QAO" ( ) Excelentes ( ) Muito boas ( X ) boas ( ) Não possui condições. Daí por ter apenas "boas" condições, segundo o meu estimado Comandante, não consigo a pontuação da CP-QAO para ser abrangido pelo nº de vagas. talvez seja isso que esteja atrapalhando a sua promoção S Ten Roberto, ou então seja o perfil do companheiro que não está do agrado da Comissão.

Anônimo disse...

O que seria a "conduta ilibada?" Já sei, quem sabe ver as coisas erradas e ficar quieto; baixar a cabeça pra todos, sem distinção, desde que tenha uma estrela, mesmo que estejam errados, cometam injustiças, ou, gastos desnecessários; tirar dinheiro do seu bolso para comprar tinta, cadeado, etc, tudo para o bem do Cmdo; ouvir mais do que falar, principalmente "ouvir"; nunca estar envolvido em nada, absolutamente nada, ou se estiver, ter aquela desculpa milagrosa que até o Papa aceitaria, sempre fazendo cara de coitado; ser o primeiro a dizer: "lá em casa troquei o presunto pela mortadela e as crianças adoraram...", esse é o cara.

Anônimo disse...

Em qualquer sociedade a transformação que conflita a cultura, dispende tempo para ser consolidada. Acredito que é o que estamos vivendo hoje. Muitos reclamam mesmo sabendo desde o início da carreira das adversidades e diferenças quando comparado com o civil. Não sou cabeça de turma, já passei por diversas situações e tenho motivo para me sentir como os companheiros indignados acima, todavia sei que não será assim que melhoraremos a nossa classe. Quando passarmos a ter consciência que nossa postura, comportamento e escolhas têm influência direta na consequência deles, seremos pais e profissionais melhores. Façamos nossa parte pelo exemplo. Caso contrário, que busquemos outra profissão.

paulo - ESA 92 disse...

Concordo com o senhor que falou da "comissão do QAO", eles promovem quem eles querem, aqui na minha OM tem um sub que vai pro quinto QA e só não foi promovido pq não é puxasaco, tem conceito MB, não foi punido, e ainda é obrigado a ouvir chacotas das turmas de 2 ou 3 anos mais modernas que já foram promovidos.

Anônimo disse...

Destacada competência e méritos para ser o cachorro do rei...para ser rei basta passar num concurso com 16 anos e sair de lá com o ego nas estrelas. Alegoria que não serve para nada em um exército atrasado e cheio de pessoas vaidosas, assim se define o adjunto de Cmdo. Continua não existindo porta onde não havia. Só inocentes acreditam no que os adjuntos de Cmdo falam e apregoam. Ainda bem que o pgto ainda não tem atrasado.

Anônimo disse...

Esse cargo materializa o que percebia quando no exercício, dentre outros, dos cargos de Sargenteante e Encarregado de Material como praça mais antiga na tropa. Qual seja, a falta de capacidade de comunicação dos comandantes com a tropa. Reagi, paguei caro por isso na intenção de exercer meu tal papel. Hoje vejo uma tentativa de oficializa-lo para melhor estabelecer esse contato perdido na década 90. Porém, que percebo claramente que a interface criada está equivocada. Primeiramente, por não designar o mais antigo que tem a responsabilidade de estabelecer o importante elo entre o comando e a tropa. Segundo, por não haver responsabilizado, oportunamente, os alheios à formação do sargento e sua missão doutrinária para qualquer exército. Sargento não se corrompa nessa falsa meritocracia. Trabalhe firme em proveito de seus subordinados. Entre nos alojamentos e banheiros de seus soldados. Limpe e os arrume. Reviste seus recrutas. Veja suas necessidades. Conheça e valorize a cultura de seus homens. Promova melhorias. Exija meios para isso junto ao comando. Assim, será criado um importante vetor de força que o comando precisa. Cavalaria!

Anônimo disse...

Se eu já não acredito na conversa de nenhum general, vou acreditar em um marionete de general? A lenga lenga é a mesma. Não, muito obrigado.

Anônimo disse...

Assisti a Palestra e achei extremamente relevantes as informações trazidas pelo companheiro Crivelatti, pois além de apresentar a função propriamente dita, informou sobre estudos sobre as futuras promoções de graduados, mudança nos procedimentos para a concessão de medalhas, missão no exterior, etc. A sistemática de escolha do Adjunto de Comando, entendo que é a mais adequada, haja vista que a análise do perfil reflete nas competências necessárias para a escolha do militar mais capacitado para a função. Portanto, a ideia e o objetivo do cargo merece o nosso crédito e, sim, pode ser uma solução a médio prazo para solucionar muito das inquietações das praças. Fé na missão aos Adjuntos escolhidos, pois são merecedores da distinção. (S Ten 94)

Anônimo disse...

Como faço para comentar!!

Anônimo disse...

Concordo com Anônimo11 de junho de 2016 17:03.

Anônimo disse...

Nós somos inuteis......

Boi boi boi da cara preta pega estes .... que não tem medo de careta.

Nota-se o grande entusiasmo.

Mais um produtio das organizações tabajara

Anônimo disse...

Cinzeiro de moto! Boa!!!

Unknown disse...

Se querem mudar a mentalidade de valorização da carreira, as primeiras palestras não deveriam ser para St e Sgt, e sim para os futuros Oficiais do Exército nas diversas encubadoras do EB, AMAN, ESPCEX, ESAO, CPOR, NPOR etc.

Anônimo disse...

Ao S Ten Com ROBERTO DA SILVA BARROS, da turma de 1988, Posso estar equivocado mas talvez o atraso de algumas promoções ao QAO seja devido ao requisito vivência regional para os ST/Sgt, que para o QAO são até 05 (cinco) e até aonde sei o pessoal com poucas movimentações estão tendo dificuldades para serem promovidos. Pois têm colegas S Ten que estão na mesma guarnição desde que saíram da ESA.

S Ten Art

Anônimo disse...

Acho que Adjunto de comando deveria ser um 2º QE sou peixe de um desses kkkkkk

Gen Anibal disse...

Deixem a criação do Adjunto de Comando para as turmas mais modernas, pois a minha turma, a de 1990, muitos já estão indo para a Reserva.
Depois de 2 capotes, não vou mais esperar mais essa palhaçada que a Comissão de Promoções faz com os graduados do Exército. Não me venham com essa história de quem não é promovido são graduados que não fizeram por merecer, pois conheço muito lixo sair nessas 2 últimas promoções.
Tenho somente 49 anos e poderia esperar até os 54 anos, mas não quero para mim o que fizeram para o pessoal das turmas de 1985 e 1986, inclusive tem graduado que esperou até o último momento e a sacanagem maquiavélica também foi até o último suspiro tipo o Exército Romano quando defendia sua posição.
Vou para a Reserva Remunerada no mês que vem, mas o meu direito defenderei custe o que custar pois não sou frouxo.
Entrarei com um mandado de segurança, pois o que tenho em mãos qualquer advogado de porta de cadeia ganha a minha causa.

Anônimo disse...

Porque não fizeste prova pra servir cafezinho então, frustrado!? O concurso é público. Ainda dá tempo.

Anônimo disse...

Cinzeiro de moto.
Não aprenderam nada. E criticam os QE, pessoas com mais visão politica. Enquanto existir uma luz no fim do túnel, ou função de cinzeiro de moto, nós continuaremos divididos, senhores ninguém esta sendo beneficiado, todos estamos mal. Uma misera promoção a frente por critérios desconhecidos, ou função pomposa e alguns bitolados defendem o sistema como sendo infalível.
qual foi a participação dos Sgt para criar esta função, qual foi o estudo de viabilidade do função.
Se um Cap QAO, na falta do Cmt da OM, deve ficar subordinado a um cidadão que ainda nem EAS fez, Asp dentista durante o EAS de fachada. Tive a infelicidade de ver na prática.

O QAO não pode responder pela OM se existir outro oficial na OM. Um militar com 35 anos de serviço subordina funcionalmente a outro com 10 dias de serviço.

O QAO não pode ocupar função de MAJ, o Asp EAS pode.

Comecem valorizando o QAO, conheço alguns excepcionais, enquanto pessoa e militar.

Se nem o QAO não pode alguma coisa imagine o cinzeiro de moto. Se tivessem mudado o RISG eu até que poderia acreditar no Adj de Cmdo.

Para quem duvida mas não gosta de ler os nossos regulamentos e só olhar abaixo.

Regulamento Interno e dos Serviços Gerais (R-1).
Seção IV Das Substituições Temporárias Entre Oficiais
Art. 391. Nas OM, o Cmt é substituído pelo SCmt ou, na falta deste, pelo oficial de maior hierarquia, efetivo e pronto, habilitado para o exercício do cargo.
Parágrafo único. Os oficiais do QAO concorrem apenas às substituições temporárias de Cmt OM quando todos oficiais subordinados forem desse mesmo Quadro.

Art. 400. Os oficiais do QAO não concorrem às substituições que acarretem o exercício de funções privativas de postos inexistentes no seu quadro.

Gostei do nome cinzeiro de moto, excepcional.


Diego H disse...

Coitado não tem culpa, mas com certeza empolgante não foi, cada 1 de 100 tava ouvindo o que ele estava falando, todo mundo torando ou pensando na morte da bezerra, por fim a maioria foi escalado para ouvir isso, penicos, quer dizer ouvidos pagos para isso.

Anônimo disse...

É neu caro companheiro Roberto estou em situação análoga a sua. Tenho curso superior, nota acima de 9 no CAS, TAF e TAT Excelentes, CHQAO, comportamentos Excepcional e estou indo para o 3 QA. Procuro sinceramente entender isso, se é por méritos a promoção, como pode essa comissão facista promover gente que tem menos mérito que vc. Isso é que o exército faz com vc te humilha e ainda vem querer que vc tenha motivação, pra escutar essa lorota de Adj Cmdo, faça -me um favor vão pentear macacos.

Anônimo disse...

Bom senhores, quanto ao Adjunto de Comando acho sim uma boa ideia, se irá funcionar como idealizado? Só o tempo dirá. Eu estou há muito tempo no Exército (mais de 30 anos de efetivo serviço) e jamais remei contra apesar das idiossincrasias próprias da carreira militar e dessa vez também não será diferente.

Agora, falando sobre as “caronas” na promoção ao QAO: eu sou Subtenente (TURMA-89) e sei muito bem minhas qualidades e os meus defeitos, identifico também as minhas potencialidades e limitações. Tenho a mais absoluta convicção, não sou melhor e nem pior do que muitos outros companheiros de minha Turma e de outras Turmas, muito mais modernos do que eu à época e que já foram promovidos. Evidentemente, não acho justo e ninguém me convencerá do contrário, eu sei, corro sério risco de ser rotulado aqui como outros já o foram de adjetivos nada saudáveis, por vezes, pejorativos e até depreciativos, todavia, eu não acredito em homens, eu creio nas Instituições, assim como, não confio neles, mas em Deus. Eles (nós) são falhos, elas permanentes, e o Senhor é eterno. Sim, eu sei, é muito difícil conviver com a injustiça, pois ela é o alimento do ódio, entretanto, digo, é extremamente fácil prosseguir com fé, esta o sustentáculo do amor. Se nossa fé é débil ou se não a temos, devemos pedi-la a Deus. (Mc. 9: 24).
Para finalizar: “... o justo viverá da fé.” (Gl. 3: 11). Tenham um bom dia.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

S Ten Cavalaria disse...

Aqui na OM que eu sirvo na fronteira com o Uruguai, (não falo a cidade porque os S/2 tão de olho), eu vi um cidadão ser promovido ao QAO mesmo sendo plotado vendendo maconha há alguns anos atrás, e foi provado que ele era consumidor... há me esqueci... a comissão do QAO não tem um binóculo que alcance de Brasilia até aqui.....

roberto da silva barros - CFS 88 disse...

Meu caro colega de graduação crivelatti, queria ver vc se manter motivado indo para o sexto quadro de acesso em dezembro, como é o meu caso...abraços

Anônimo disse...

Alguns generais tbm deveriam seguir o conselho que dão aos supostos não vocacionados; ir embora, pois de militares políticos que só se preocupam com um carguinho depois que vão pra reserva, já estamos cheios.

Anônimo disse...

Palestra do Adj de Cmdo do EME no auditório da EASA: "não somos sindicalistas das praças, pois se assim agirmos estaremos estragando uma boa ideia....(sic)" que boa ideia seria essa pergunto? Comandante precisa de secretária para inteirar-se de problemas da tropa? E que problemas um comandante de OM teria autonomia para resolver? Melhorar a escala de serviço? Os principais problemas da carreira das praças não querem ser vistos, pois são moeda de troca, são o cabresto invisível e não serão solucionados (sistema de promoções árbitrario, comissões de promoção, interstícios imensos, incertezas..). Não é interesse do EME melhorar a combalida carreira das praças, motivar, incentivar. Embustes e dar status para um ou outro praça se baseando na ficha de valorização do mérito não soluciona nada. Continuamos na estaca zero.

Anônimo disse...

Enquanto isso existe comandante convocando militares para baixar conceito lateral feito por eles de seus pares graduados, porque na opinião dele, estão muito altos. Por aí podemos ter uma ideia da visão distorcida que alguns oficiais comandantes têm de suas atribuições e dos novos sistemas que estão sendo implantados no EB.

Anônimo disse...

Não é necessário nenhum cargo de Adj Cmdo para que os doutos Cmt's saibam o que está errado, basta eles lerem todos os dias os comentários deste blog, coisa que os S2 já foram orientados a fazer diariamente. Vejamos quais são os problemas:

1 - Salário defasado em relação às carreiras públicas da União - ESTÁ FORA DA ALÇADO DOS GENERAIS;
2 - Grande interstício na promoção das Praças do EB, assim como a falta de isonomia nos interstícios (p.ex. tempo menor entre as promoções de 3º e 2º Sgt QE em relação ao Sgt de ESA; o maior número de promoções em menor tempo dos Oficiais em relação ao número de promoções das Praças:) - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA GENERAIS;
3 - Ausência de auxílio-moradia - ESTÁ FORA DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS DEPENDE DE LEI;
4 - Sobre a quantidade e critérios de distribuição de PNR. Explico: se existisse auxílio-moradia o militar servindo na cidade de sua origem NÃO faria jus ao citado auxílio, correto ? Então porque é permitido que militares fiquem ocupando PNR indefinidamente nas suas cidades de origem enquanto militares de outros Estados são transferidos a contragosto e tem que pagar aluguel enquanto os que ocupam PNR alugam (auferem rendimento) os seus imóveis próprios ou financiados enquanto ocupam PNR ? ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, BASTAM MEDIDAS ADMINISTRATIVAS PARA TORNAR A DISTRIBUIÇÃO MAIS JUSTA E LÓGICA;
5 - Má qualidade e higiene da comida servida às Praças - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS BASTA UMA ORDEM E FISCALIZAÇÃO;
6 - Fraudes em licitações, motivo pelo qual a comida e eqp são de baixa qualidade e menor quantidade - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS BASTA TER CULHÕES PARA CORTAR NA PRÓPRIA CARNE, AFINAL, AS FORÇAS ARMADAS SÃO AS INSTITUIÇÕES COM MAIS CREDIBILIDADE NA SOCIEDADE BRASILEIRA, NÉ?;
7 - Falta de transparência (publicidade) dos critérios para movimentação de pessoal e ausência de cruzamento dos interesses dos militares versus a necessidade da instituição, inclusive na movimentação a pedido - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS BASTA ADOTAR CRITÉRIOS ADMINISTRATIVOS TAL QUAL OS ÓRGÃOS PÚBLICOS FEDERAIS FAZEM NA MOVIMENTAÇÃO DOS SEUS SERVIDORES;
8 - Falta de transparência e pessoalidade na pontuação atribuída pela Comissão de Promoção - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS BASTAM MEDIDAS ADMINISTRATIVAS;
9 - Má gestão dos recursos do FUSEX (fraudes em licitações) - ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS, POIS BASTA FAZER AUDITORIAS EXTERNAS NOS GASTOS;
10 - Carga horária de expediente menor. Explico: só nós milicos começamos a trabalhar às 7h ou 7:30 (já em forma), o que nos impede de levarmos nossos filhos à escola antes do início do expediente, o que muitas vezes acarreta mais uma despesa, dentre tantas, com transporte escolar para o(s) filho(s) em cerca de R$200,00/mês. Se o expediente, por exemplo, iniciasse às 8:30 a despesa de transporte poderia ser excluída do orçamento do militar. ESTÁ DENTRO DA ALÇADA DOS GENERAIS;

Então vejamos, de dez itens elencados apenas dois NÃO ESTÃO dentro da alçada dos nossos Generais, pois dependem de LEI cuja iniciativa tem é da Presidência da República. Os outros podem ser providenciados com gestões internas, dentro da força, sem nenhum MIMIMI de político. Precisa de Adj Cmdo para dizer isso aos nossos Generais?

Anônimo disse...

Vergonha alheia nível hard.

Anônimo disse...

Para contribuir: uma Instituição não existe sozinha, ela é formada pela organização (estrutura) e homens. Se os homens são falhos (injustos, corruptos, etc) a Instituição também será falha.

Lembrei de um antigo comandante que dizia ser o EB a Instituição mais perfeita do Brasil. No entanto queria ele se referir à estrutura organizacional. Dizia que a Instituição é perfeita, os homens nela é que são falhos.

Portanto, podemos concordar que a "estrutura organizacional" do EB foi bem criada e pensada, porém a "Instituição Exército Brasileiro" é imperfeita e injusta, criando assim a desmotivação, frustração e, às vezes, revolta.

Anônimo disse...

Regulamento Interno e dos Serviços Gerais (R-1).
Seção IV Das Substituições Temporárias Entre Oficiais
Art. 391. Nas OM, o Cmt é substituído pelo SCmt ou, na falta deste, pelo oficial de maior hierarquia, efetivo e pronto, habilitado para o exercício do cargo.
Parágrafo único. Os oficiais do QAO concorrem apenas às substituições temporárias de Cmt OM quando todos oficiais subordinados forem desse mesmo Quadro.

Art. 400. Os oficiais do QAO não concorrem às substituições que acarretem o exercício de funções privativas de postos inexistentes no seu quadro.

Anônimo disse...

Anonimo 12 JUN 11:42, tipico texto de contra inteligencia, tratando com condenscendencia os assuntos aqui tratados. Perfil robotizado e que nao transmite "emoção". Precisam melhorar, senão como utilizar o termo "inteligencia"?

Anônimo disse...

"...texto de contra inteligencia, tratando com condescendência..."??? Francamente...

Anônimo disse...

ESTÁ OFICIALIZADA A BABAÇÃO DE OVO.

Anônimo disse...

Anônimo de 12 de junho de 2016 18:13

Excelente. Ainda existe militar que pensa.

A maioria foi doutrinada a jogar a culpa no governo.

Anônimo disse...

alguém pode me indicar para esse cargo?

acho que tenho as qualificações necessárias

2º Sgt Jedeão/CFS 2000

Anônimo disse...

Peço que o nobre Adjunto de Comando do comandante do EB passe para o excelentíssimo senhor comandante o seguinte:

- Até o momento em que postei este comentário, existiam aqui na área deste post 52 (cinquenta e dois) comentários sobre o cargo de "Adjunto de Comando";

- Fiz uma pequena tabulação de comentários "a favor", "contra" e "indiferente" ao cargo. Na categoria "indiferente" inclui todos os comentários sobre assuntos diferentes do post, como função de QAO, críticas a outros comentários, etc;

- O resultado foi o seguinte:

1. A favor do cargo de Adjunto de Comando = 06;
2. Contra o cargo de Adjunto de Comando = 35; e
3. Indiferente ao cargo de Ajunto de Comando = 11.

Em resumo, a criação desse cargo vai agradar apenas dois tipos de militares: o próprio comandante de OM e a praça mais "fiel" a ele. Sem contar que não resolverá nenhum dos problemas atualmente enfrentados pelas praças em sua carreira. Ressalto que um colega elencou algumas medidas que poderiam ser adotadas desde já, pois que de 10 (dez) sugestões apontadas por ele, somente duas não dependem de generais. Aí eu pergunto: se muitas medidas para melhorar a carreira e a vida das praças dependem apenas de uma "canetada" do excelentíssimo senhor comandante da Força, por que ainda não foi implementada nenhuma delas?

Anônimo disse...

Pegando um gancho do cinzeiro em moto, então o cargo de Adjunto de Comando tá igual a "teta de mula", ou seja, não serve pra nada.

Hélio disse...

Conheci muitos Sargentos que tinham todos esses atributos exigidos para o nobre cargo.
Ocorre que todos eles já alçaram voos maiores. Estão por aí fazendo suas auditorias em órgãos que pagam e reconhecem melhor seu material humano.

Anônimo disse...

Há alguns anos atrás um Cmt do Parque/1 criou uma função achando que seria uma honraria ao Sgt. O tal Cmt deu a função de Sgt Brigada a um Sgt escolhido pelo comando e tal Sgt ficou na verdade servindo de ordenança no gabinete do Cmt. Vejam bem, um 1ºSgt foi designado para ser ordenança, isso mesmo ! Aquela função que sempre foi exercida por soldados. Resumo, ficaram no gabinete os soldados ordenanças e o Sgt Brigada ordenança-mor atendendo telefones, enviando e recebendo fax, exatamente como uma recepcionista de consultório médico. Hoje não sei se lá no parque ainda existe tal função, mas quando fiquei sabendo percebi que era mais uma invenção tipo o 5S, PEG-EB,PQ-RIO, etc, etc.

Anônimo disse...

Galera! O "bizú" estudar e sair fora. Formei em Odontologia com muito esforço. Hoje tenho um consultório que atendo somente a noite na especialidade de ortodontia. Estou realizado muito mais do que subtenente. Não vou "chutar" o balde visto que em 2018 vou para reserva. Sou grato a Instituição e a telegrafia, mas, "babar" oficiais para ser QAO jamais, por este motivo estudei. O meu garoto chegou para mim com o papinho: Pai o que acha eu fazer a ESA-ESPCEX, dei um esporro nele e logo, logo, mudou o foco. Graças a Deus esta cursando medicina na Federal. Loucura colocar o filho em uma furada. No nosso tempo tudo era difícil, ser militar era orgulho e hoje é desgosto. O que vale é a conta bancária, este blá-blá, de vocação deste Adjunto é piada. Vou para reserva como subão, mas não um babão.

Anônimo disse...

QAO não é considerado Oficial e sim AUXILIAR. Jovens sargentos estudem, estudem, estudem e pulem fora, o TITANIC está indo ao fundo. Esta foi boa, cinzeiro de moto igual QAO....kkkkkkkkkkkkkkkk. Ainda tem uns que saem qao e pintam o cabelo para ficar parecido com Aspira..kkkkkkkkkkkkk,.....

Anônimo disse...

os baba ovo pira...

Anônimo disse...

Contra inteligência?
Não sabe nem o que significa....

Anônimo disse...

Não concordo que a função seja um cinzeiro de moto... é buzina de avião kkkkk...

Anônimo disse...

Cinzeiro de moto! kkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Sera que esse STen olha o BLog? Ou até mesmo o Cmt da Força?

Pq se o Cmt da Força ler o Blog não precisaria desta ferramenta (Adj Cmdo), ele saberia dos problemas enfrentados pela tropa, e a ferramenta não serviria apenas para ver os praças se degladiando atrás da tão consagrada função.

Anônimo disse...

kkkkkk..buzina de avião também não serve para nada kkkkkk !!!!

Anônimo disse...

Sou S Ten e tenho um filho de 15 anos que quer prestar concurso para a EsPCEx... já disse a ele que o melhor é cursar uma boa faculdade e tentar a vida civil porque a carreira militar não é futuro, antigamente até que valia a pena. Quando lembro o que já passei como praça no EB, dos desaforos que tive de engolir e ainda engulo no Exército, tendo que aturar oficiais prá lá de vaidosos e arrogantes e despreparados, não quero isso para o meu filho.

ST Mat Bel 91

Anônimo disse...

Mais uma missão para o Adj Cmdo. Como explicar tal diálogo para seus pares e subordinados. http://www.msn.com/pt-br/noticias/crise-politica/teori-devolve-a-moro-investiga%C3%A7%C3%A3o-contra-lula-mas-anula-grampos-de-dilma/ar-AAh0lPR?li=AAggXC1&ocid=mailsignout

"São tão simples os homens e obedecem tanto às necessidades presentes que quem engana encontrará sempre alguém que se deixa enganar”

Nicolau Maquiavel

E haja contrainteligência!!!

Anônimo disse...

Lendo os comentários percebo que, aqueles que reclamam, não se deram conta que eles os únicos responsáveis por sua situação e ficam esperando que terceiros a melhorem. Ninguém foi ou está obrigado a ser militar e, se existem aspectos na profissão em desacordo com suas necessidades e convicções, não se acovardem e procurem outro caminho, eu fiz isso e não me arrependi saí como 2 Sgt em 2005. PS: Somos os únicos responsáveis por nossa situação, não deleguemos isso aos outros!!!

Marco A. S. Reis - ESA INF 1990

Anônimo disse...

Cinzeiro de moto ou buzina de avião?

luciano medeiros disse...

Hugo, acho vc está errado ao generalizar, afirmando que todo subtenente que é promovido ao oficialato é puxa-saco

Anônimo disse...

Cinzeiro de moto, Buzina de avião, Teta de mula, QAO, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

luciano medeiros disse...

Sou QAO e nem por isso precisei ser puxa-saco, fiz os cursos que queria e estou satisfeito com a carreira, mas prefiro não julgar quem está frustrado ou insatisfeito com a profissão.

Anônimo disse...

"Pergunta de seleção":

1. Quem é desonesto, afirma que "eu sou desonesto"?;
2. Quem é incompetente, afirma que "eu sou incompetente"?
3. Quem é irresponsável, afirma que "eu sou irresponsável"?
4. Quem é "puxa-saco", afirma que "eu sou 'puxa-saco'"?

Essas características (ou defeitos) da personalidade humana somente são identificadas por terceiros, pessoas que observam o comportamento do observado. O observado nunca vai assumir que as possui, até porque em muitos casos ele realmente não reconhece que as pratica. Ou alguém aqui acredita que o ladrão vai até a delegacia e diz "sim, seu delegado, eu é que roubei, eu sou mesmo ladrão"?

Fica a reflexão.

Lucas disse...

Sr Adj Cmdo Cmt Ex, solicito que V Sa leve ao Cmt a sugestão da valorização do militar que se habilita em idiomas, a possibilidade da criação de uma insígnia no respectivo idioma habilitado e o aumento da pontuação no sistema de valorização do mérito. Hoje em dia o militar paga caríssimo em cursos de idiomas, por anos, realiza provas de nível muito alto, e, ao se habilitar no idioma, nem 10% são selecionados para Missões no exterior. Valorizar o profissional que buscou essa habilitação seria questão de justica, uma vez que hoje em dia muitas outras funções e situações rolhas são pontuadas melhor que a habilitação em idiomas, que é hoje, de interesse da Força. Por exemplo o militar q por opção própria faz uma graduação em nível superior é pontuado em 3 pontos, e essa graduação em nada é de interesse do Exercito, ainda, existem companheiros dando o sangue em locais que não são tão propícios a permitir que o mesmo realize uma graduação em nível superior, e, na minha humilde opinião deve-se sim valorizar quem fez faculdade, porem, com menos pontos, e valorizar mais o que vai de encontro ao interesse da instituicao, no caso a habilitação de militares aptos em idiomas para operar em um pais estrangeiro.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics