27 de junho de 2016

Unimed-Rio deixa de atender militares da FAB a partir de julho

Do site da Unimed Rio

Informamos que, em reunião realizada em 7 de março de 2016, ficou acordado entre o Comando da Aeronáutica – Subdiretoria de Encargos Especiais e a Unimed-Rio que o atendimento aos beneficiários deste contrato será encerrado às 24 horas de 30 de junho de 2016.
O Edital No 001/SDEE-DIRINT/2015 do Comando da Aeronáutica – Subdiretoria de Encargos Especiais, que tinha como objetivo selecionar Operadoras e Administradoras de Planos de Saúde que prestariam seus serviços aos que atualmente são atendidos pela Unimed-Rio, foi revogado por determinação do Exmo. Sr. Comandante Geral do Pessoal, “alicerçada no motivo de conveniência e oportunidade da administração”, conforme publicado no DOU em 11/05/16.
A Unimed-Rio permanece atendendo regularmente aos beneficiários do COMAER até o encerramento do contrato.
Confira aqui a última carta protocolada pela Unimed-Rio no COMAER em 07/06/16.

Pergunta
Como fica o atendimento médico aos militares da FAB e seus dependentes no Rio de Janeiro?

5 comentários:

Anônimo disse...

Não fica Montedo. Com certeza o atendimento vai piorar mais do que já está. Os chefes não devem estar nada preocupados com isso, pois, os mesmos ganham diversos complementos em seus salários provenientes de diárias ganhas em várias inspeções mensais país afora, o que dá condições para que possam atá contratar um Plano de Saúde extra. Para a plebe resta o atendimento nos Hospitais e Policlínicas que estão com carência de profissionais a muito tempo. Adivinhem quem são nossos verdadeiros inimigos.

Anônimo disse...

Pois bem, ei o Bizu:

(...)

A fatura do general
OCTÁVIO COSTA

16.04.10 - 21h00
Aos 87 anos, o general da reserva Leônidas Pires Gonçalves consulta o médico com regularidade para cuidar da saúde. Mas não se submete ao atendimento dos hospitais das Forças Armadas no Rio de Janeiro. O ex-ministro do Exército prefere o serviço vip da rede privada da zona sul, especialmente os hospitais Copa D’Or e Samaritano. E suas despesas são encaminhadas ao Fundo de Saúde do Exército (Fusex), que as paga sem pestanejar. O problema é que o Fusex deveria cobrir faturas em hospitais particulares apenas nos casos de emergência. O Ministério Público Militar está investigando o tratamento privilegiado.

(...)

Fonte: http://istoe.com.br/65963_A+FATURA+DO+GENERAL/

PARANOENSE

Anônimo disse...

Onde moro, já ha muito tempo que a UNIMED não atende mais o pessoal militar da FAB. Era uma burocracia e muita espera para autorizações. Por enquanto, ha clínicas conveniadas que atendem a demanda.

Anônimo disse...

Essa estória de fazer atendimento ou tratamento, mesmo emergencial,e depois ser ressarcido, é só papo furado, para quem não é "estrela". Na FAB, caí na conversa da odontologista.Minha esposa precisou refazer com urgência uma peça dentária. Foi encaminhada a um laboratório particular e dei entrada no protocolo para receber o dinheiro pago.Está fazendo uns dois anos aguardando. Na época que dei entrada nos documentos, o chefe do setor disse que ele estava aguardando ha um ano e meio por uma devolução.Se fosse um "estrelado", será que demoraria tanto? Duvido!Pro que as clínicas e laboratórios cancelam os convênios? Por falta de pagamento em dia.

Anônimo disse...

Este plano de saúde tb é p civis do Comando da Aeronáutica. Além de não avisarem sobre o término do contrato c a Unimed disseram q iam contratar uma nova operadora.No dia 29 de junho estive na loja da Unimed e informaram q contrataram a Sulamérica. Conversei c o responsável pela administradora do plano e ele disse q a partir do dia01/0716 todos estariam cobertos pelo plano, mas até agora nenhuma notícia

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics