1 de junho de 2016

Jovem com farda do Exército é detido em RR; 'trabalho para os americanos'

Jovem de 26 anos foi detido pela PM no Hospital Geral de Roraima.
Ele foi levado à delegacia e liberado em seguida; farda foi apreendida.

Emily Costa
Do G1 RR
Policiais militares detiveram na tarde deste sábado (28) um jovem de 26 anos que usava um uniforme completo do Exército Brasileiro. À polícia, ele afirmou que estava vestindo a farda porque é tenente coronel das Forças Especiais Norte-Americanas e que é 'guardião' de um projeto de disco voador.
O jovem foi levado ao 5º Distrito Policial e liberado em seguida. Ele foi detido com base em Lei de 1941 que diz ser proibido “usar publicamente uniforme ou distintivo de função pública que não exerce”.
Conforme os policiais militares que fizeram a prisão, o jovem estava no Hospital Geral de Roraima, na zona Oeste da capital, quando foi visto usando o uniforme. Ele não resistiu à voz de prisão.
"Pessoas que estavam no hospital acharam o comportamento dele estranho e viram que ele tinha o cabelo grande demais para ser militar. Assim, chamaram a PM e pediram que nós o retirássemos do hospital", detalhou um dos policiais responsáveis pela prisão do jovem.
Em depoimento na delegacia, o jovem disse ser descendente de portugueses, norte-americanos e brasileiros e que está a serviço das Forças Especiais dos EUA. Ele afirmou ainda ser responsável pelo projeto de um disco voador, herdado de Napoleão Bonaparte.
"Quando eu estou sem a farda, as pessoas não me reconhecem como militar, por isso tive de usá-la hoje", justificou em depoimento à delegada plantonista Eliane Gonçalves.
Ao ser questionado sobre a origem do fardamento, o jovem não soube explicar onde o conseguiu. "Eles me deram lá em Rorainópolis [cidade no Sul do estado] após eu ter feito o treinamento militar", declarou, após negar ter problemas mentais.
Após prestar depoimento, o jovem foi liberado. A delegada determinou a apreensão do fardamento.

Exército vai apurar caso
Ao G1, o assessor do Exército em Roraima frisou que o uso de uniformes militares por civis é proibido e que o caso do jovem detido será apurado. "Vamos acompanhar esse caso porque recisamos saber onde ele conseguiu o fardamento", explicou o major Rodrigo Luiz.
G1/montedo.com

8 comentários:

Diego H disse...

QUE PIADA

Anônimo disse...

PelamordeDEUS!!! Esconde esse homem. Se a Dilma voltar, vai colocar ele na Defesa. Só existe um grupo com idéias mais fantasiosas do que esse rapaz: os petistas.

Anônimo disse...

TÁ MAL EXPLICADO ESSA HISTORIA

jose Alves Firmino. disse...

Futuro ministro da Dilma.

Anônimo disse...

Perguntar onde conseguiu a farda é a indagação do Major? E´mais facil perguntar onde comprou e onde bordou o nome dele como tenente coronel sem pedir algum documento, pois em qualquer lugar vende fardamento. A coisa mais comum é ver gente usando uniforme, insignas das forças armadas e policias e bombeiros militares...

Anônimo disse...

O disco voador, deixado por Napoleão Bonaparte, foi levado para o sítio do Lula, lá em Atibaia, pelo ex-deputado Severino Cavalcanti. Segundo informações da ABIN, Severino Cavalcanti recebeu a ajuda do Waldir Maranhão e do José Sarney, ambos conseguiram transportar o disco voador num carro de boi ofertado pelo Renan Calheiros. Mas, dizem as más línguas, o Ruy Falcão, presidente do PT, vai emitir uma nota informando que o disco voador foi uma doação legal e registrada pela NASA. Ainda segundo a ABIN o deputado Tiririca aproveitou o transporte e pediu para levar também a sua cadelinha "lulu".

P.S.:a presidente afastada Dilma Roussef informou à TV Brasil e ao blog do Paulo Henrique Amorim que a prisão desse rapaz é mais uma prova do "golpe" que está sofrendo, perpetrado por aqueles que "querem afastar uma presidenta eleita democraticamente por cinquenta e quatro milhões de brasileiros". Segundo a presidente, esse rapaz prova que a CIA, o FBI, a Ku Klux Kan, o Opus Dei, a NSA, Donald Trump e Homer Simpson estão interferindo em assuntos internos do país com o propósito de acabar com a democracia brasileira e se apoderar da riqueza de nossas commodities, especialmente nossas bananas.



Anônimo disse...

Porque as lojas que comercializam uniformes das Forças Armadas não exigem identificação do comprador e registram a compra das peças vendidas? Qualquer um entra em uma loja e compra a farda que quiser. Aqui no Rio Grande do Sul não é possível a um civil comprar uma farda da Brigada Militar, porém do exército qualquer um compra, sem dificuldade alguma. O erro está justamente aí.

Anônimo disse...

Pelo bordado que mandou fazer, ele é Tenente celular(TEN CELL).Aqui onde moro tem bordão dos noticiários: "Se faz de doido que o pau te acha!" Esse rasga dinheiro? Acho que não.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics