9 de junho de 2016

Exército decide desativar unidade na fronteira e prefeito contesta ação

Priscilla Peres
Corumbá (MS) - O Exército Brasileiro decidiu desativar a 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira Ricardo Franco, em Corumbá - distante 419 km de Campo Grande. Porém, o prefeito Paulo Duarte (PDT), contestou a ação dizendo que o órgão é importante para o município e a decisão foi tomada sem conversa prévia.
O Exército também decidiu reduzir o efetivo atual de 200 homens, da 3ª Companhia de Fronteira de Forte Coimbra, pela metade e para que ela seja transformada em pelotão. A 18ª Companhia de Comunicações de Fronteira, sediada em Corumbá e subordinada à 18ª Brigada, também será desativada.
A decisão é do comando do Exército e foi publicada no último dia 23. Para o prefeito Paulo o ato é “unilateral e uma atitude desrespeitosa para com a região, seu povo e sua história”. A unidade é histórica e foi na região na década de 1940.
“Acho um profundo desrespeito com a cidade de Corumbá, uma cidade muito importante para o Brasil, uma cidade que tem uma fronteira fundamental e estratégica para o País. Foi uma comunicação sem nenhuma conversa prévia, sem ouvir a cidade de Corumbá, sem ouvir o que isso significa para a cidade”, disse Duarte.
O prefeito adiantou que iniciou conversas para evitar a desativação da unidade militar, arregimentando apoio político e de autoridades militares e civis, como a bancada federal, os deputados estaduais, vereadores e também o Governo do Estado. Também iniciou tratativas com o Exército, ao qual recentemente doou uma área do município para construção do novo quartel da 18ª Brigada.
“Saímos de uma ampliação, da construção de uma nova sede, para desativação, na contramão de todas as tratativas anteriores que tivemos com o Exército, quando viabilizamos a doação de uma área para a construção da nova sede da unidade em Corumbá”, disse, se dizendo desapontando com a medida do Exército.
Apesar da decisão já ter sido publica, ela não tem data para acontecer.
Campo Grande News/montedo.com

14 comentários:

Anônimo disse...

Montedo:
As próximas desativações de organizações militares ocorrerão no RS, particularmente em ITAQUI e JAGUARÃO, a 1ª Linha da Ação seria "hibernar" dois Esqd de cada Rgt, entretanto a acabar com as duas OM ganhou força, indo ao encontro das dificuldades financeiras.

Anônimo disse...

Sou corumbaense. A referida unidade militar do Exército faz parte da história de Corumbá. Se existe Corumbá e Porto Esperança é por causa do Exército. É triste ver o Comandante do Exército magoar um povo patriota.

Anônimo disse...

O prefeito deve está preocupado com a retirada do "tapete". Objeto que só serve para pisar, deitar e rolar em cima.

Anônimo disse...

08/06/2016 23:07:01
Dois milhões têm até dia 30 para sacar PIS/Pasep

http://odia.ig.com.br/economia/2016-06-08/dois-milhoes-tem-ate-dia-30-para-sacar-pispasep.html

Anônimo disse...

Um Exército não é criado para contemplar a "história" e a cultura de um município ou região. Se não querem ficar "magoados" solicitem aos parlamentares federais que votem mais recursos para as Forças Armadas.

Simples asssim.

Anônimo disse...

o comentarista de 9 de junho de 2016 17:24 disse tudo!

Anônimo disse...

Como dizem popularmente: tem boi na linha. Enquanto se fala em fortalecer a proteção das fronteiras, querem desativar unidades que já existem? Para que isso se justifique, existe algum plano em execução para melhorar a fiscalização fronteiriça? A preocupação do prefeito tem sua verdade. Certamente os militares contribuem bastante para a arrecadação de impostos da cidade e do comércio.

Anônimo disse...

Interessante como são as coisas o Exército desativa várias OM , agora os políticos sabem o valor de uma Organização Militar até então grande parte desse núcleo não suporta os militares, porque agora vem com esse chororô, esse mimimi, porque sabem que nessas cidades o militar com sua família faz a economia circular, não tem nada a ver com patriotismo ou valor histórico, não venham com essa cara pálida.

Anônimo disse...

E aqueles quarteis que só servem para as estrelas praticarem o esporte equestre por puro lazer, quando irão fechar para conter despesas ?

Amauri disse...

Apoiado comentarista de 9 de junho de 2016 17:24!!!!

Anônimo disse...

Tinha que ter o botão curtir, igual ao facebook, para eu curtir seu comentário. O cmdo tem sua discricionariedade para extinguir a OM que bem entender, mas dar fim a um bda de fronteira, alegando dificuldades financeiras, e manter 3 RCGda é dose. Por mim como falou o companheiro só ficava o RCG de BSB e olhe lá.

Anônimo disse...

Todos os anos, muitas OM são criadas e extintas. Para se manter informado, basta acessar o site da SGEx todas as sextas-feiras e baixar os BEs. Em 2016 são muitas desde janeiro.

Exemplo: Acesse e baixe o BE 21, por exemplo, muitas OM extintas.

Simples assim.

Anônimo disse...

Não devia sair de Corumbá de jeito nenhum. Ponto estratégico, uma das principais rotas de tráfico de drogas e armas da Bolívia para o Brasil, fronteira de pantanal com 2 países. Mas convenhamos, essa brigada possui 2 Batalhões e 2 Companhias de Fronteira, mais o Comando e a Companhia de Comando da Brigada, e só. Não tem Art, nem Eng, Nem PE, nem BLog, nada. É ridículo um General comandar uma Brigada assim, com o efetivo que um simples Coronel comanda em outros exércitos e que na época da 2ª GM, comandava no Brasil também. Mas deviam aumentar as OM, e não extinguir as já poucas que existem naquela área.

Anônimo disse...

Bom dia, Montedo e leitores!
Em um primeiro momento soa como inadequado extinguir a 17 Bda Fron.
Porém, distante 10 km, existe o 6°Distrito Naval, voltado para operações ribeirinhas.
Sobrepor uma Bda EB e uma DE da Marinha (Distrito Naval), com a mesma missão, que é desnecessário.
Desta maneira, o DN assume a responsabilidade da proteção integrada da região e o efetivo do EB será realocado.
Buscar dados e os analisar é interessante antes da conclusão precipitada.
Brasil, acima de tudo!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics