30 de junho de 2016

Temer revoga na sexta decreto que retirou atribuições de comandantes militares

Vera Magalhães
O presidente Michel Temer assina nesta sexta-feira a revogação do decreto 8415/2015, de setembro do ano passado, que causou desconforto nas Forças Armadas ao retirar atribuições dos comandantes militares.
O interino já havia anunciado a disposição de fazer o aceno aos militares, que agora vai concretizar.
A decisão é política: faz parte da estratégia do peemedebista de marcar as diferenças entre sua gestão e a de Dilma Rousseff e se aproximar dos setores que acumularam desgastes com a petista.
Aos poucos, a intenção é fechar todas as brechas para a possível volta de Dilma ao poder.
O texto, editado quando Jaques Wagner ainda era o ministro da Defesa, retirou dos comandantes militares e transferiu para o ministro da pasta a competência de assinar atos relativos a pessoal, como a transferência para a reserva, reforma de oficiais da ativa e da reserva e promoção de oficiais.
Depois da enorme controvérsia da medida, Wagner disse, em audiência no Congresso, que o decreto havia sido um “erro” da assessoria da pasta.
Radar On-Line (Veja)/montedo.com

13 comentários:

Anônimo disse...

Nada muda tirando ou não, esses senhores fardados são uns subservientes mor.

Anônimo disse...

Se demorar muito, a Dilma volta!

Anônimo disse...

Vai mudar em que?

Anônimo disse...

Olha ai, quem tinha o sonho de servir em São Paulo ( Capital ) he he he he ...

Exército Brasileiro inaugura dois edifícios de PNR em São Paulo (Site do EB)

São Paulo (SP) – No dia 22 de junho, foi realizada a inauguração do Edifício Residencial Santa Bárbara, situado no Conjunto Residencial do Ibirapuera, e do Edifício Residencial Tenente Amaro, localizado no Forte Cambuci. Durante as cerimônias de inauguração, diversas autoridades realizaram a entrega das chaves aos primeiros moradores.

Os Próprios Nacionais Residenciais (PNR) são instalações necessárias ao bem-estar da família militar. Os prédios inaugurados destinam-se a oficiais, subtenentes e sargentos que servem na Guarnição de São Paulo. No total, foram entregues 144 unidades habitacionais.

beto disse...

Sinto saudades dos verdadeiros Oficiais Generais que lideravam suas tropas, bradavam por respeito e aplicavam a disciplina a qualquer um que infringisse as leis. Esses atuais comandantes (com letras bem minúsculas) não passam de marionetes, políticos, e pior, escondem-se dos seus comandados. Estou perdendo o orgulho da farda que sempre honrei.

Anônimo disse...

Sinceramente não sei o que é pior, o poder na mão dos políticos, ou desses generais corporativistas e borra botas.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o companheiro. 30 de junho de 2016 15:37

ALMANAKUT BRASIL disse...

HOMENAGEM AO GENERAL MOURÃO

ARMAGEDDON 2032 FILME

https://www.youtube.com/watch?v=aHh8k0R-8pA

Anônimo disse...

O militar se abaixou tanto que hoje é apenas um ator coadjuvante, que atua nos bastidores e só é lembrado quando há iminência de haver o caos ou o estabelecimento da desordem total. A pouca influência que os Oficiais Generais ainda exercem estão restritas intra muros e alguma coisa referente aos recursos que a pasta ainda movimenta para manter os meios funcionando. Foi uma opção de subserviência aceita , logo não há muito do que reclamar. O militar não tem nem o direito de reclamar porque os regulamentos e leis impedem de censurar atos dos superiores. Então tchau queridos.

Anônimo disse...

E CM em projeto...

Anônimo disse...

Senhor Montedo;

Até que fim, uma boa notícia. É de encher de glória e júbilo os lares das famílias militares esta boa nova.

Agora sim, existirá uma esperança para todos nós. As atribuições dos Comandantes militares são muito importantes, pois dependemos deles ( COMANDANTES) para tudo, inclusive na questão salarial. Tenho plena convicção que agora teremos dias melhores na Caserna.

Parabéns aos nossos amados e competentes COMANDANTES por terem retomados as suas capacidades administrativas, faltam apenas as físicas e mentais.

Paranoense

Léo disse...

Se for concretizada a assunção do Presidente-interino como Presidente da República (com o afastamento definitivo da ex-gurrilheira da presidência) seria uma oportunidade- creio nisso- para que se criar ,no Congresso Nacional, um fundo constitucional para custear os vencimentos das Forças Armadas.Aí, sim, poderíamos ter esperança crível de termos vencimentos compatíveis e decentes.Sem esse lei, jamais, nunquinha,pois os generais levaram um calhamaço de lamentações para a Comissão de Defesa e Relações Exteriores o qual resultou em absolutamente nada.O orçamento destinado à pasta da defesa é tão reduzido, para não dizer ridículo, que mal consegue pagar os atuais indecentes vencimentos.E não há o menor interesse dos generais em se criar mudança na Lei de Remuneração dos militares com esse orçamento pífil atual.Parabéns ao Comandante da PM e ao Governador do estado de Sergipe(belo estado) por terem conseguido, há tempos , pagar vencimentos decentes para os policiais.

Anônimo disse...

O quê que muda caro blogueiro?
Praça já sabemos pra que serve.
Por aqui o Cmt e o SCmt decidiram que todos devem baixar/piorar às avaliações verticais e horizontais que já haviam sido fechadas. A alegação explicitamente falada é que não existe ninguém perfeito. Impuseram, de forma a constranger, que aqueles que avaliarem o outro militar acima da média, deverão ficar frente à frente com os mesmos afim de exporem suas alegações.
Aí pergunto: pra que sistemas informatizados pros quais somos obrigados a utilizar, se na prática e no final, sempre voltamos à velha forma?
Esta atitude faz com que enquanto militares de outros lugares façam as avaliações sem interferência do comando, aliás esta sistemática foi concebida pra isto, por aqui ficaremos pra trás, e isto caro Montedo, impacta diretamente nas promoções das Praças.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics