11 de junho de 2016

Rússia prepara forte ataque contra Estado Islâmico na Síria

Operação será coordenada com o exército sírio, as milícias curdas e os militares iranianos
A Rússia prepara seu ataque final contra as fortificações jihadistas na Síria, em Raqqa e Aleppo, para o que coordenará suas ações militares com o exército sírio, as milícias curdas e os militares iranianos.
"Já dissemos tanto a nossos parceiros americanos como aos líderes da coalizão. Esperar será contraproducente do ponto de vista de nossas ações conjuntas antiterroristas", disse o ministro das 
Moscou tem liberdade para retomar seus bombardeios contra Aleppo, a segunda maior cidade síria, desde que terminou há poucos dias o prazo para que os grupos opositores abandonassem as posições da Frente al-Nusra, o braço sírio da Al Qaeda. Lavrov destacou que "já passou mais tempo que o necessário para que qualquer grupo armado optasse por cessar as ações militares ou não".
A Rússia, que se reservou o direito de atacar "unilateralmente" os grupos armados que não acatem a trégua, ainda espera que os EUA aceitem sua oferta, apresentada em 20 de maio, de bombardear conjuntamente as posições dos jihadistas. "Espero que nossos colegas americanos acompanhem nossas ações para não permitir que os terroristas aproveitem a situação (de trégua) para fortalecer suas posições no terreno", ressaltou o chefe da diplomacia russa.
Cooperação - No entanto, Lavrov já começou as consultas para acabar com a resistência dos jihadistas com ajuda de seus principais parceiros regionais, Síria e Irã - nesta quinta-feira, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, viajou a Teerã para se reunir com seus colegas sírio, Fahd Jassim al-Freij, e iraniano, Hossein Dehgan.
Segundo a imprensa iraniana, os três titulares de Defesa abordaram a coordenação de suas ações em apoio das forças governamentais sírias que lançaram uma bem-sucedida ofensiva contra Raqqa, considerada a 'capital' do Estado Islâmico.
Dehgan garantiu que os três países estão dispostos a reunir esforços para derrotar "todos os grupos terroristas", decidiram coordenar seus planos operacionais e previram que os resultados serão percebidos "nos próximos dias".
"Em breve o exército sírio começará uma ofensiva rumo a Aleppo e, graças ao apoio da aviação russa, a cidade será libertada dos guerrilheiros", assegurou por sua parte Riad Haddad, embaixador sírio em Moscou. O embaixador destacou que "em Aleppo se trava uma batalha crucial e uma vitória significará a derrota de todos os grupos terroristas" e acrescentou que "os soldados sírios avançam com sucesso para Raqqa (...) com o apoio da Rússia".
Apoio curdo - Os curdos sírios se mostraram dispostos hoje a cooperar com a Síria na luta contra os terroristas com uma condição: o reconhecimento de sua autonomia no norte do país.
"Damasco deve reconhecer a autonomia no norte do país, o direito dos curdos. Então haverá coordenação. Quando nos reconhecerem, então poderemos fazer todo juntos. Içaremos a bandeira síria em seu território junto à curda", ressaltou.
O representante curdo destacou que "só a Rússia pode pressionar Damasco a reconhecer nossos direitos".
A aliança curdo-árabe, que também conta com o apoio da coalizão liderada pelos EUA, apesar das reservas turcas, iniciou uma ofensiva no último dia 31 de maio e, desde então, seu avanço foi imparável.
Os jihadistas enfrentam os curdos no norte da província nordeste de Raqqa e em Manbech, enquanto lutam contra os soldados governamentais sírios nas regiões centrais de Homs e Hama, assim como em Aleppo.(Com EFE)
Veja/montedo.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Atenção dona ONU, já está mais do que na hora dos Curdos terem sua independência, seu próprio país e preservarem sua cultura. Ou será que não ficando na Europa não tem esse direito?

Anônimo disse...

Rússia da ditadura disfarçada de democracia de Puttin.

Diego H disse...

A humanidade definitivamente não deu certo, enquanto deveríamos suprir a fome das pessoas, educar as pessoas para viver em sociedade, se gasta com bombas para matar. Deveríamos ser exterminados para começar do zero...o ser humano ainda não aprendeu nada em sei lá, mais de 30 mil anos na terra..só tende a piorar....

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics