16 de março de 2017

Cabo do Exército será indenizado por perseguição e abuso de poder de comandante

A União terá que pagar R$ 44 mil de indenização por danos morais e materiais a um cabo do Exército da 13ª Companhia de Comunicações Motorizada de São Gabriel (RS) que teria sofrido perseguição e abuso de poder por parte do comandante. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou a sentença condenatória em sessão de julgamento realizada na última semana.
O militar ajuizou ação na Justiça Federal sob alegação de que teria passado a ser perseguido pelo comando após obter o reingresso no Exército por via judicial. Desincorporado em 2007, ele sofre até hoje de problema ósseo em um dos ombros que teria se desenvolvido durante o serviço militar.
Segundo o autor, o comandante tentava interferir no seu tratamento de saúde, negando saídas para consultas médicas ou aplicando prisões disciplinares quando ele voltava destas. O militar contou ainda que teve as férias canceladas sem motivação e o pagamento de uma cirurgia negado pela Fusex uma hora antes do início do procedimento a mando do posto médico de sua unidade.
Após a condenação em primeira instância, a Advocacia-Geral da União (AGU), recorreu ao tribunal sustentando que a natureza do serviço militar está baseada em princípios de disciplina e hierarquia, sendo as medidas disciplinares impostas ao autor legais e regulares, e requerendo a reforma da sentença proferida pela 1ª Vara Federal de Santana do Livramento.
Segundo a relatora do caso, desembargadora federal Vivian Josete Pantaleão Caminha, a peculiaridade do serviço militar, que estaria baseado em princípios de disciplina e hierarquia, não pode ser alegada para justificar os atos praticados contra o autor.
“No conjunto probatório, restou evidente o quadro de abuso de poder e de perseguição perpetrado pelo comandante em detrimento do autor, notadamente pelos depoimentos testemunhais de colegas do quartel, que demonstram que a atuação do comandante, no que tange à condução da situação do autor, deu-se em contrariedade ao Direito, pois eivada de pessoalidade e sem qualquer amparo normativo, remanescendo evidente o clima de animosidade para com o autor”, avaliou a desembargadora.
Ele receberá o valor de R$ 4 mil pela cirurgia referente a danos materiais e R$ 40 mil pelos danos morais, que deverão ser corrigidos monetariamente a partir da data da sentença, proferida em março de 2015. Ainda cabe recurso.
TRF4/montedo.com

68 comentários:

Anônimo disse...

Não adianta a União pagar, pois não coibirá futuros abusos em outras OM. O sujeito tem que sentir no bolso e que sirva de lição para outros Cmt que se sentem superiores a tudo e acima da Lei. Na verdade, sãos seres ruins e não desejariam que os perseguissem e nem alguém da sua familia. As perseguiçoes são cotidianas nas mais de 640 OMs. Simples assim.

Senhores, usem o seus poderes para fazer o bem e não para oprimir.

Anônimo disse...

Incrível como essa mentalidade continua viva nas forças armadas. Quando é que a racionalidade e o bom senso vão entrar na mente de nossos comandantes. O tempo passa, a sociedade evolui, e no entanto certos atos imperiais não abandonam as nossas forças militares. Continuam perenes, pétreos, arraigados.

Anônimo disse...

Estou surpreso. Nunca tinha ouvido ou visto algo parecido no EB. Eu pensava que todos os comandantes sempre respeitassem as leis e os regulamentos, como eles cobram de seus subordinados. Estão perseguindo o comandante. Devem ser os comunistas e o pessoal do Foro de São Paulo. kkkkkkk

Anônimo disse...

https://www.campograndenews.com.br/artigos/greve-de-servidores-publicos-e-militares-um-assunto-sempre-polemico

Anônimo disse...

https://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/operacao-rotores-treina-166-militares-do-exercito-na-fronteira

Anônimo disse...

Mais comum do que se imagina. O EB ainda está na idade das trevas.

Lopes disse...


Quem pagará os R$ 44.000,00? A União ou o Comandante?
Se for a União, aí é fácil punir subordinados!

Anônimo disse...

O valor deveria sair do bolso do coronel, e não do contribuinte.

Anônimo disse...

Discordo dos comentaristas que dizem que quem deveria pagar seria o comandante. A união tem que arcar com essas indenizações, pois permite um poder ilimitado dos comandantes sobre seus subordinados. Se a união dá a completa liberdade para os oficiais pensarem que são de uma casta superior, se permite que os quartéis vivam um regime medieval com senhores feidais e vassalos, então que arque com as despesas de todo esse absurdo. Impërio da arbitrariedade. Já passou da hora do iluminismo.

Anônimo disse...

Pensei que nas Forças Armadas eram todos sérios..Viva a ditadura..

Anônimo disse...

Isso ai esta me parecendo aquele velho golpe do problema de saúde para ser reincorporado e depois tentar ser reformado. Qual unidade do Brasil não tem esse problema. Ai o reincluído não quer cumprir expediente, pois normalmente trabalha fora; não vai as visitas médicas; recebe ordem para ir ao quartel e não vai, enfim filme que 99% das unidades vivem. Perseguição do Comandante, será???? com tanto vagabundo querendo se dar bem em cima do Exercito, sinceramente duvido..

Anônimo disse...

Lamentável seu pensamento meu caro.. Completei 30 anos de serviço militar e esse tipo de caso é mais comum do que se pensa... A autoridade legal é o médico, porém nas FAAs são coagidos por seus superiores a darem laudos tendenciosos prejudicando o militar com problema de saúde... presenciei um caso com um oficial eim, numa cidade pequena, depois de esgotarem os recursos para limitar e barrar dispensas medicas psiquiatricas nos atendimentos de saude no atendimento de saúde militar, tendo o oficial que recorrer a atendimento particular na UNIMED para ter seu tratamento continuado, fizeram gestão por amizades com o médico da UNIMED para não conceder dispensa ao militar... E ainda ha brasileiro pedindo volta do militarismo... Fui muito profissional, tirei meu tempo sem punição e com medalhas, mas sô Deus sabe como tive que me anular para conseguir sobreviver as baixarias que vi...

Anônimo disse...

É por esse tipo de coisa que os praças estão sumindo do EB. Principalmente os de carreiras.

Jiddu Siciliano disse...

Como o colega do comentário de 6 de março de 2017 12:43 falou, enquanto o agente administrativo não sofrer no bolso, continuará os desmandos e abusos, simples assim.

Anônimo disse...

Tem militar que comenta e nem lê a matéria. O militar não tava fingindo não ! Inclusive fez uma cirurgia. Será que vc tá medindo ele por sua régua ? Se liga maldoso.

Anônimo disse...

União pagando, é como se o povo estive pagando pelos abusos da autoridade. Tem que ser ele. É desejavél uma ampla divulgação, para os tais senhores do mal pensarem 2 vezes antes de perseguir, sacanear, agir com maldade. Esse que oprimiu, não desejaria que fizessem o mesmo com ele ou com um familhar seu. Tem que pagar.

Anônimo disse...

Inacreditável que tem "militar" que fica trinta anos no EB para só depois se revoltar!
Ninguém é obrigado a ficar!
Pode não ser o caso desse cabo, mas isso virou modus operandi de vagabundos que inventam doenças para se dar bem. Conheço alguns que eram "louquinhos", ouviam vozes, foram reformados e hoje estão por aí curtindo com o nosso dinheiro!

Anônimo disse...

Creio eu que o militar ingressou contra a a União. Conheci um 1º Sgt que ingressou contra a pessoa do Comandante e ganhou. Ele tinha problema de saúde e foi colocada uma cadeira no lado palanque para ele ficar sentado assistindo as formaturas.As vezes tinhas grandes solenidades com a presença de civis e ele sentado em posição de destaque. Nos dias atuais tem que ter muito cuidado. Estamos em 2017 todas pessoas tem acessoa as Leis. Antes tinha comandante que utilizava o pessoal do rancho para fazer churrasco em festas particulares, por exemplo festa de ano novo, toda equipe do rancho estava lá ralando para realizar a festa particular. Alguns mandavam o soldado cortara a grama do PNR.

TonMoura disse...

Se a União pagar, pode ter certeza de que o Comando Geral vai punir o comandante. É assim que funciona: você processa a empresa e ela processa administrativamente o funcionário. Não importa se público ou privado.

Anônimo disse...

Hoje as Praças tem estudo. Tem Subtenente que é Doutor em Direito. Isto mesmo Doutor! Poucos sabem mas só é Doutor quem faz Doutorado. Até os Médicos são Médicos, só é Doutor quem faz um Doutorado. Eu conheço Praça com Doutorado.

Anônimo disse...

Caro anonimo, anime-se, a União vai adiantar o lado do autor da ação, mas a indenização vai sair do bolso do agressor em enesimas prestações!

Anônimo disse...

Agora falta a União cobrar do comandante. Caso contrário, quem estará pagando sou eu e vocês, por meio de nossos impostos.

josé pedro da silva mazui disse...

boa tarde sou militar ref des de 97 recebo salario de soldado estou brigando na justiça para receber salario de 3 sgt sofri acidente no pelopes quebrei 2 costela o pulso que ate hoje tenho 4 cirurgia 12 pinos e ainda tive 3 meses em coma sai do coma comecei sofrer de convulsao ate hoje vamo ve se eles me ref com salario de 3 sgt .

Mileno Aragao disse...

A União paga a indenização e depois processa o Cmt que irá pagar à União. É assim que funciona.

Direito Estácio disse...

Quando se entra na justica ... a pessoa juridica e a uniao ... mas depois a mesma repassa o prejuizo atraves da GRU um boleto bancario contra o reu no processo

Anônimo disse...

Quem pagará é o Batalhão, ou melhor, a União, corrigindo, nós. O coronel deve ter sido transferido antecipadamente e aguardando promoção.Infelizmente, é assim mesmo que muitos se comportam. Não desistir nunca de seus direitos. Quando os "todo-poderosos" se acham deuses do Olimpo, basta aparecer um de capa preta pela frente.Afinal, os próprios militares não dizem que são obedientes à Constituição?

marcosarapico disse...

E o comandante? ??? Será punido? ??? Pagará por seus erros? ?? Evidente que errou . Se há condenação judicial houve erro...veremos se mais uma vez a força do corporativismo vai funcionar. Ahhh se fosse uma praça. ...Já estaria crucificado

Anônimo disse...

Lamentavelmente isto ocorre e continuará ocorrendo no Exército. Coronéis mal preparados para assumir o comando das OM e para piorar ainda podem indicar o SCmt que na maioria das vezes são conhecidos e seguem a mesma linha. Vi arbitrariedade nos meus 26 anos de carreira sendo oficial e continuo a ver, pelo simples fato de que aos que praticam os atos nada acontece.

Anônimo disse...

Os comandantes tem que ser imparciais .Sem essa de querer punir .Medicina é soberana ! Fui médico do Exército e vi o quanto os comandantes tentam mudar os pareceres . Médico mesmo sendo aspirante é regido por código de ética médica . General não é médico !

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Isso ai esta me parecendo aquele velho golpe do problema de saúde para ser reincorporado e depois tentar ser reformado. Qual unidade do Brasil não tem esse problema. Ai o reincluído não quer cumprir expediente, pois normalmente trabalha fora; não vai as visitas médicas; recebe ordem para ir ao quartel e não vai, enfim filme que 99% das unidades vivem. Perseguição do Comandante, será???? com tanto vagabundo querendo se dar bem em cima do Exercito, sinceramente duvido..

16 de março de 2017 15:57

Esse anônimo que disse isso é um RIDÍCULO e invejoso!!!!!!!
Provavelmente um desses vagabundos querendo se dar bem em cima do exército é você.
Sim, existe um monte de golpistas, mas com certeza quem escreve umas asneiras
dessas, não é uma pessoa normal. Todos sabem que é assim mesmo que esses comandantes
agem, quem vira um robozinho e obedece prontamente suas ordens e metem o pau no praça, esse fica se achando grandão e segue sendo capacho, mas quem argumenta suas
ordens que na maioria das vezes são autoritárias, são perseguidos e muito bem perseguidos, e tomara que isso sirva de lição para todos os comandantes de OMs que se acham Deuses e intocáveis.

Anônimo disse...

Lamentável seu comentário (16 de março 15:57), tomara que nunca passe por alguma situação dessas.

Anônimo disse...

Sou ex militar do 34 bis, em 2013 perfurei meu tímpano devido a pressão ao tocar corneta para a recepção do comandante e acabei perdendo a audição dos dois ouvidos, procurei tratamento na enfermaria da OM, muitas vezes fui tachado de esta mentindo pelo próprio médico, brigava comigo pq eu ia ate lá todos os dias.
O medico chegou ate falar em uma das vezes com ironia que eu deveria procurar um especialista pos ele n era especialista na área de otorrinolaringologista.
Chegando no estado que m encontro hj, dei baixa das forças armadas sem ter feito uma inspeção de saúde com a finalidade de licenciamento, e quem m deu apto foi uma sargenta temporária que mesmo com a presença de um medico na OM, falou q eu n precisava realizar outra inspeção pos a ultima q eu tinha feita a 6 meses atrás onde eu já me encontrava com a perda severa de audição estaria valendo como apto para meu licenciamento. hoje estou fora das forças armadas e com serio problema de audição.

Anônimo disse...

Os praças estão sumindo
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Não foi o que ocorreu no último concurso para a ESA

Anônimo disse...

Tenho minhas dúvidas se as opiniões aqui expressadas são mesmo de militares...Pelo nível dos comentários e até mesmo pelo modo como se expressam , tenho pra mim que gente que nunca vestiu uma farda está se valendo do site para semear a discórdia dentre nós. Infelizmente, dado o caráter democrático do blog, não há como controlar. Cabe a cada um exercer seu juízo de valor.Confio no senso de justiça dos verdadeiros militares.

Anônimo disse...

Não deixa de ser verdade as 2 respostas, assim como tem moitas que querem se dar bem, simulando todo tipo de doença pra escapar de expediente e ter seus bicos aí fora, e verdade também que muitos comandantes acham que são deuses, tenho do de quem pensa que esses oficiais seguem a lei, kkkkk aí só rindo mesmo, cansei de ouvir a frase :- manda quem pode e obedece quem tem juízo.

Anônimo disse...

E quando o seu comandante manda vc refazer sua resposta na FATD, pois não está de acordo pra ele!

Anônimo disse...

Não sabia que na "AMÃE" além de filosofia positivista, fazer extrema unção, pilotar espaçonaves, psicologia, psiquiatria, entre outros (kkkkkk) davam também ao aspirante no final da formação, CRM, para no decorrer da carreira, quando major, ou coronel, ele poder desrespeitar e contrariar ordens médicas, se baseando nos seus achismos. Graças a Deus, existe a justiça comum.

H disse...

Lamentável é achar que um comandante sai perseguindo só por prazer. Isso tá mais pra outro de tantos malandros que querem se dar bem como vários que já presenciei que simulavam doença, fora a onda de dizer que o problema começou durante o serviço militar. É triste ver que tantos tem o recalque pra julgar o comandante sem saber de toda história.

Anônimo disse...

Que bando de inúteis e recalcados comentando. Que vão estudar seus analfabetos ridículos.

Anônimo disse...

Meu Colega vivenciou de perto a situação estava lá falou quer foi um QAO que fazia toda maldade,arquitetava tudo e agora o Cmt sentou.

Anônimo disse...

"Que bando de inúteis e recalcados comentando.Que vão estudar seus analfabetos ridículos."
Quem será o autor deste comentário? Certamente um competente e trabalhador militar. Deve possuir um mestrado ou doutorado no mínimo, já que manda os comentaristas estudarem (Não vale cursos "equivalentes"), Ridículo e aquele que não se manifesta sobre o tema e ataca aqueles que democraticamente comentam no blog. Quem sabe algum comentário falando de "abusos" tenha inflamado sua memória e percutido sua prepotência e arrogância que são sua segunda pele.

As OM tem grandes problemas devido a falta de pessoal qualificado para exercerem a função de assessoramento ao Cmt. Também os Quadros não assessoram seu Cmt Pel e Cia sobre militares que tem a tendência a dar golpes.Abusos ainda acontecem e continuaram acontecendo pois fazem parte da personalidade das pessoas, agravada ainda mais sem assessoramento adequado.

Anônimo disse...

Levantaram só uma parte das ditas perseguições e quem falou que em Organizações Militares só o comandante que persegue? Me lembro como se fosse hoje um capitão de Infantaria que só porque gritava com os alunos do Centro de Instrução Paraquedista se achava no direito de querer gritar com todo mundo no CPOR/CMBH no final da década de noventa. O sujeito estava enchendo tanto o meu saco que eu estava usando todos os dias um revolver 38 por baixo da camisa encoberta pela gandola, caindo em tentação de cometer um ato impensado com aquela carniça.

Essa 93 disse...

Parabéns por ser firme diante desses ratos!

Essa 93 disse...

Guedes?

Anônimo disse...

Esse deve ser mais um praça que gosta de ficar lesando o poder público , e os maus grave ainda que nem concursado era , e ainda se dá bem no fim da história , pura injustiça , pois no final de tudo o praça é a vítima e nòs oficiais é quem somos os demônios .
Por isso não dou moleza para praça lesador , sempre encho minha unidade de missão para que todos tenham bastantes afazeres . Lembrome-me que certa vez flagrei um sgt estudando no alojamento enquanto todos trabalhavam pesado , não deu outra , 10 dias de cadeia . PEDI meu comandante dez dias e meu comandante aceito , não gosta de estudar no quartel , então vai fazer 10 dias de intensivão sem ir pra casa .
CAP Gustavo

Glauco Basilio disse...

Neguim num bota a cara, kkkkkkkk

Anônimo disse...

Nesse mundão de "Deuses" já vi alguns serem rebaixados a "anjos caídos":
- Já vi militares fardados serem impedidos de entrarem na própria unidade para trabalhar, porque o carro em que estavam não tinha um pedacinho de plástico no vidro e, logo atrás, civis desconhecidos entrarem nos seus veículos após identificação meia-boca normal;
- Já vi esposa de militar ser barrada na entrada de quartel, ao se dirigir ao hospital que ficava dentro da unidade, porque o chefe do marido dela estava em "guerra" contra o marido dela, que era graduado, e possuíam uma escola de inglês bem conceituada na cidade e tinham carros importados e moravam na vila. O chefe queria que o graduado fosse escalado para dar aulas de inglês para o efetivo operacional, o que ele não concordava. Quando o "capa preta" entrou no assunto, rapidinho se resolveu;
- Já vi, por implicância, graduado receber avaliação que provocou sua saída da fileiras e, depois de algum tempo, voltou com decisão da Justiça, receber os atrasados, promoções e só comprar o fardamento correto(que era cobrado a toda hora) depois de receber os auxílios fardamentos a que tinha direito.
Etc, etc....

Anônimo disse...

Exército já era ninguém que mas servi o exército olha só a quantidade de escritos na ESA.

Anônimo disse...

O mal está no meio de nós e no nosso péssimo ambiente predomina egoismo, preguiça, inveja, sacanagem, perseguição, má vontade, injustiça, meu pirão primeiro, subordinado é escravo, querem mais ?

DESEJE PARA OS OUTROS O MESMO QUE DESEJAS PRA SI E PARA OS SEUS FILHOS.

Simples assim. O capeta vós esperam senhores do mal, bem como os maus companheiros.

Anônimo disse...

"Hoje as Praças tem estudo. Tem Subtenente que é Doutor em Direito. Isto mesmo Doutor! Poucos sabem mas só é Doutor quem faz Doutorado. Até os Médicos são Médicos, só é Doutor quem faz um Doutorado." Engraçado, os flanelinhas aqui da minha cidade só me chamam de doutor. Até o Lula é doutor.

Anônimo disse...

Por quais motivos um praça com mestrado e doutorado continua na ativa ? Em algumas Universidades Federais, e o Lula criou várias, o primeiro edital começa exigindo doutorado, depois mestrado e por fim só é necessária uma especialização Lato Sensu. TC QCO Leonardo.

Anônimo disse...

CAP Gustavo

17 de março de 2017 09:44

Você pega junto com o pessoal ou apela pro regulamento que diz que oficial comanda , dirige e chefia ? Nesse mesmo regulamento , no mesmo artigo, eu acho, fica bem definido o papel dos subtenentes sargentos. Os elemento de execução no Exército são os cabos e soldados. Estude mais e deixe de ser embusteiro.

Anônimo disse...

"Anônimo Anônimo disse...
Não sabia que na "AMÃE" além de filosofia positivista, fazer extrema unção, pilotar espaçonaves, psicologia, psiquiatria, entre outros (kkkkkk) davam também ao aspirante no final da formação, CRM, para no decorrer da carreira, quando major, ou coronel, ele poder desrespeitar e contrariar ordens médicas, se baseando nos seus achismos. Graças a Deus, existe a justiça comum."
Mijando de rir até agora. Alguns aspirantes saem da fábrica
aptos a fazer circuncisão, parto de cachorra, construir pequenos artefatos atômicos e tirar mau-olhado.

Anônimo disse...

As duas situações ocorrem sim e cada caso deve ser analisado com bastante critério. Já conheci um sargento de saúde que dava dicas importantes àqueles que desejassem uma reforma, mediante pagamento após a efetivação da mesma, sendo que alguns de seus "clientes" eram golpistas de fato. Todavia, conheço pessoas que de fato tem problemas de saúde e são marginalizados inclusive por seus pares. Eu mesmo já fui vítima disso quando minhas hérnias de disco me fizeram ficar travado, quase sem andar, e um capitão resolveu dizer ao sargenteante que eu era novo para ter problemas na coluna. Simplesmente peguei meus exames, levei até seu PC e fui fazer uma consulta com o referido oficial. Basta dizer que ficou na M e nem sabia o que dizer. Já conheci também Cmt que tinha relação nominal daqueles que cursavam faculdade, para que, quando houvesse missão depois do expediente, aqueles fossem premiados. Perseguição e golpe existem sim, só cego não vê!

Anônimo disse...

Conheci um Cmt que cada ponta de cigarro ou papel que ele encontrava na alameda (patio) significava 5 minutos a mais no final do expediente.Tinha um subão no qa para qao que saia juntando as pontas e levava para ele. O Cmt era cabeça de AMAN e vibrador, foi para o exterior duas vezes, mas na hora do Generalato não saiu. Todo dia o toque de ordem atrasava, atrasava mesmo, e um 2º sgt saiu de moto correndo para pegar o filinho na Escola, derrapou a moto e faleceu. Acho que tudo isto pesou para o Cmt não ser General. O pessoal começou a chegar tarde para o expediente e começou as FATD, os argumentos nas respostas das fatd era que estavam descontando os atrasos no toque de ordem. Como diz toda ação tem uma reação. O caso parou na Justiça. Hoje em dia ser Comandante é complicado até de TG tem sgt processado.

Anônimo disse...

No fim das contas não vai dar nada p esse Cmt pq é oficial. Aqui tb tem abuso de autoridade: o debande atrasa TODO dia e até almoço atrasa tb prejudicando quem almoça em casa. Isso tb é abuso e estressa a tropa!

Anônimo disse...

Aí vc pegou pesado. isso é a mais pura sacanagem. Falta de discernimento, o militar estava lezando os seus pares , isso é fato, mas era por uma causa nobre. Estudar sempre foi e será uma causa nobre. Cabia punição mas não precisava ser tão severa

Anônimo disse...

no caso das pontas de cigarro nota 10 pro comandante, o erro aí estava em ficar todos . quando só os fumantes mal educados deveriam ficar

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
CAP Gustavo

17 de março de 2017 09:44

Você pega junto com o pessoal ou apela pro regulamento que diz que oficial comanda , dirige e chefia ? Nesse mesmo regulamento , no mesmo artigo, eu acho, fica bem definido o papel dos subtenentes sargentos. Os elementos de execução no Exército são os cabos e soldados. Estude mais e deixe de ser embusteiro. (

paulo rodrigues disse...

Prezados, os comandantes, sejam qual for a instituição militar a que pertençam, acreditam cegamente que a lei rege apenas do quartel pra fora. Deviam, quando já de sua formação aprenderem que a Constituição Federal rege a todos, quer dentro ou fora dos quartéis, quer seja militar ou civil. Os regulamentos disciplinares, de qualquer força armada ou polícia militar, estão totalmente em desacordo com o texto constitucional. Ademais, o militar é um funcionário público e só pode fazer o que a lei manda - princípio da legalidade. Então, finalizando, deve o militar respeitar as leis, como se rodeado estivesse numa trincheira, cumprindo-a de maneira impessoal.

Essa 93 disse...

Uai...foi promovido ontem???

Essa 93 disse...

Faça um intensivão de gramática,Capitão!

Anônimo disse...

Sim1 TC QCO Leonardo. Existem militares com Doutorado na força. Conheci um Sub Ten do Hospital Militar que era cirurgião dentista, fisoterapeuta e médico. Era de saúde. Não pediu baixa. Cada um pensa de uma maneira.

Duarte pm disse...

Na verdade a união paga a indenização é cobra do comandante o estado não perde nada

Duarte pm disse...

Nos tempos de hoje ainda existe muitos absurdos nas forças armadas e polícias militares , um regulamento arcaico

Anônimo disse...

Esses episódios fazem parte do cotidiano dos quarteis. Poucos são casos em que a justiça é feita pois ninguém aceita ser testemunha já que também será perseguido caso seja. Humilhações, injustiças, abuso de autoridade, perseguições e assédio moral são bastante comuns e são até incentivados principalmente nas escolas de formação de oficiais. Por isso que eu sempre digo: "Aposentar-se nas condições dos militares, quase todo mundo quer mas ficar no quartel o tempo necessário pra ter esse direito, aí, tá difícil encontrar que queira, especialmente quando se sabe exatamente o que é a vida do militar e não aquilo que a Globo diz que é!!"

Anônimo disse...

Já devia ter acionado!!

Normelio Roncada disse...

Faltou aí nos comentários a virtude que faz parte no conceito do militar, "coragem moral", pois poucos tiveram essa coragem para apor o seu nome, preferindo o anonimato.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics