31 de março de 2017

Pra não dizer que não falei do 31 de março...

Não fale pela boca dos outros


Ruben Barcellos
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Prédio do antigo Colégio Estadual - Bagé, RS
No dia 31 de março de 1964 eu ainda era um estudante do segundo científico do Colégio Estadual.
Entrei por aqueles majestosos portões, saído de um primário de 6 anos (repeti o quarto ano) e depois de ter passado por um exame de admissão ao ginásio. Sou do tempo em que se saía do exame escrito e tinha, na porta da sala, um exame oral sobre a mesma matéria. Eu e mais uma tropa de guri...
Era saber ou saber; a Pátria Educadora da época, educava.
Meus professores são hoje nomes de escola: Prof Frederico Petrucci, Prof Leopoldo Mairon, Profa. Reni Collares, Prof Peri Coronel, Prof Frei Plácido,Prof Valdemar Machado...nesse nível eram meus professores.
Por ter prestado serviço militar no ano seguinte, interrompi os estudos por 17 anos, vindo a completar o segundo grau, já com os grisalhos me pegando pelas têmporas.
Vivi, e minha família também, e a família de meus amigos e de meus vizinhos também, sob o "famigerado regime militar". Vivemos todo esse período sem um arranhão ou ameaça. Nunca vi, em lugar nenhum desta cidade, alguém sendo espancado, torturado ou morto. Mas tenho visto muito isso, nos dias atuais, sob a omissão nojenta dos que culpam os governos militares até hoje - de TODOS os males brasileiros. Não se enfrentam armas de fogo com flores de plástico - uma guerra exige sacrifícios de vida entre vencedores e vencidos! Sabe o que mais dói? Saber que o inimigo mora na casa ao lado!
E estando em plena democracia...
Liberdade pra ir e vir - onde estás que não te vejo?
Segurança pra deixar seus filhos na escola e seu carro na rua? Me mostre o lugar que vou me mudar pra lá.
Previsão de despesas com a economia caindo pelas tabelas e a roubalheira escancarada debochando da lei? Onde está a beleza desta democracia cantada pelos comunistas de plantão?
No amiguinhos vermelhos no governo de Cuba, Venezuela, Irã e no Foro de São Paulo? Nas condecoração de reconhecidos bandidos com medalhas e honrarias? Na exaltação do socialismo como a terra prometida e apartamento em Paris? Tá, essa história fede!
O perigo é quando se fala pela boca de outros, porque não estarão dizendo o que acreditam, viram ou viveram, mas dirão o que outros querem que acreditem, querem que digam, lhes convém que repitam.
Vi, recentemente, um blog de um jornalista, nascido em 1964 (sim, exato no ano em questão), que no seu comentário cita coisas como:
- "...um eminente historiador (sem dizer o nome do historiador)...";
e mais adiante:
- "...um jornal sustenta (mas não disse que jornal, o que poderia ser comprovado pela pesquisa de quem se interessasse);
e logo mais:
- "...um líder estudantil daquela época..." (também sem lenço, CPF ou documento), e coisas do tipo. E fez mais, no seu blog - reproduziu ipse litera uma frase de um tenente, dentro de um quartel, que teria dito:
- "...quem quer passar fogo nos comunistas, levante o fuzil..."!
Mas ele estava lá, então, já em forma, com menos de 1 ano de idade!?!?
Ao final do artigo, prevê, como um Nostradamus moderno:
- " ...aconteceu o que, para o bem do Brasil, seria melhor não ter acontecido..."
Seu Mario Magalhães, o senhor, um jornalista que já trabalhou em vários jornais do Brasil (informação do blog), afirmar que isso ou aquilo ter acontecido ou não ter acontecido seria bom ou ruim - não é muito pretensioso? O senhor não está fantasiando demais os fatos e euforicamente embriagado pela falta de assuntos com fontes confiáveis?
A história de um País e a história de um homem se faz com luzes e trevas (eu salvaria um homem - Chico Xavier; e uma mulher - Irmã Dulce). Os mais ricos, os mais miseráveis, os mais sadios, os mais doentes, os mais desenvolvidos e os mais atrasados, os mais cultos e os mais ignorantes - todos temos nosso lado divino e nosso lado diabólico. Não se engane!
Somos os brasileiros que buscamos a paz. Não procuramos a guerra a troco de 30 dinheiros, nem recebemos lanchinhos pra participar de manifestações que nem sabemos contra o que se protesta...
Pedimos e concedemos clemência, pela nossa natureza humana. A vida é bem que temos por empréstimo e por tempo determinado; a vida alheia merece respeito - a sua, a minha, a nossa, a deles. Os tempos de chumbo passaram.
Sobre o passado de 50 anos, não dá pra enterrar mais do que já está. Mas tem que ter um mínimo de credibilidade e um pouco menos de fanatismo, pra equilibrar a balança.
Chega de botar a culpa nos dias que não voltam mais!
A vida exige coragem pra continuar, apesar de todos os pesares. E é pra lá - para o amanhã - que, querendo ou não, todos marchamos.
Culpar os outros pela nossa acomodação, é uma maneira covarde de esconder a nossa incompetência.
Os covardes e incompetentes se alimentam da culpa alheia.

6 comentários:

Anônimo disse...

Montado falou tudo!

Anônimo disse...

Montedo,leu esta noticia?

http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/politica/171209,manifestantes-incendeiam-congresso-paraguaio-apos-reeleicao-ser-aprovada.html

Anônimo disse...

Excelente texto, parabéns por relembrar e comparar certas verdades, que acho que todos deviam saber e seguir a vida e olhar pra frente.
E naqueles tempos, me fez lembrar uma certa música que endeusaram e que dizia: " fomos todos iguais, braços dados ou não...." e agora, somos todos iguais em que?? Viver pela pátria e ficar na mão.
Talvez nas cotas, nos deveres e nas obrigações, pois direitos só tem quem está a margem da lei, parabéns e "me esqueçam" tão logo, assim foi dito quando foi estabelecida a abertura política nesta terrinha de bananas e usuários de drogas incentivada.
Para os críticos de plantão e traidores da nação, deixo dito que não sou museu para viver de lembranças e saudades que se foram.
Não servirei para salvar a nação do pior, novamente, que se lasque!!!!!!!!!
SALVE 31 de março de 1964 e por toda a vida, gostando ou não, felicidades BRASILLLLLL, vocês merecem o povo que tem. Para colocar o país nos eixos não precisamos de reforma da previdência, mas sim uma reforma de políticos, trocar todos o quanto antes e esquecer este “lobos velhos” e delapidadores dos cofres públicos, já vão tarde, devolvam o que for comprovado e internem em um asilo todos, quem sabe mudarão ou acabarão por lá, com foro privilegiado.
Deve ser a pura realidade de todos atualmente, pessoas de bem e cumpridores de suas obrigações, e, principalmente, pagadores de impostos que não vê um retorno justo, só roubo e corrupção e "levadores de vantagem em tudo"...
Me poupem, mas acho que o fim do poço está próximo, e é só acompanhar o que está acontecendo nos países vizinhos do continente.

Anônimo disse...

A ditadura que faliu o Brasil... Inflação de 200% ao ano...Temer é fichinha perto dos incompetentes generais que comandaram esse país...
Não foi uma experiência boa para a nossa nobre forças armadas..

Léo disse...

Com certeza que você não sabe o que aconteceu no dia 13 de dezembro de 1973.Estude.O estudo liberta! Até dá ignorância...

Euvaldo Marinho disse...

Caro amigo você se mostra um cidadão de bem e fez um comentário verdadeiro pois o que certos elementos falam do 1964 não condiz com a verdade, eu vivi naquele tempo que eles dizem ser negro e para mim era um tempo BRILHANTE com um sol bastante claro onde não se via a safadeza e imoralidade que hoje existem, onde existia respeito, honestidade, segurança e preocupação dos nossos governantes conosco.
Hoje vemos os destroços dos planos como a PETROS e muitos outros, vemos ex-autoridades que se fartaram do dinheiro retirado de nosso bolso através de taxas e impostos exorbitantes, para aquisição de moradias luxuosas no Brasil e no exterior, são os choupins da república, caras de pau, egoistas.
Fico feliz por saber que nossos presidentes nos 20 anos depois de 1964 foram honestos e incapazes de participar de negociatas como os que os precederam.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics