16 de março de 2017

Os fuzis do Exército ao longo da História

6 comentários:

Anônimo disse...

alguem que usa esse IA2 confia na arma que porta ?

Anônimo disse...

http://www.midianews.com.br/policia/homens-sao-presos-com-fardas-do-corpo-de-bombeiros-e-exercito-e-coletes-a-prova-de-bala/291121

Anônimo disse...

O que é IA2??? Olha que sirvo na Selva..."prioridade do EB"...pelo jeito algumas coisas no nosso falido EB existem só nos cartazes da comunicação social e nas canções de TFM (que por sua ridicularidade, divertem os paisanos rua a fora...)

Anônimo disse...

Uma curiosidade a respeito do armamento antigo:

Qual apoio de fogo vc acreditaria ser mais eficaz para efetuar a supressão do inimigo permitindo o assalto de uma posição?

a) Uma pç MAG (sem reparo) com três hm (Ch Pç, At e Aux At) com 800 cartuchos ou

b) Quatro atiradores, cada um dotado de FAP com 200 cartuchos?

Anônimo disse...

A mag (se estiver bem manutenida, claro) cumpre missão. Mas mesmo assim um pelotão de fuz é composto por mais três homens com Fap, porém eles vão mais avançados do que a mag, que tem alcance de utilização de 1800m se não me engano. Mas claro, cada situação é relativa. Mas o poder de fogo da Mag é incrível, ninguém em sã consciência ficaria na frente da ceifa.

Anônimo disse...

Arma sem safa pane??? Impossível confiar guerreiro!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics