6 de janeiro de 2016

A ponte caiu? Chama o Exército!

Autoridades pedem a Exército uma passarela onde ponte caiu em MS
Pedido será encaminhado pela unidade da região ao CMO.
Sem a ponte, moradores tem que fazer desvio de cinco quilômetros.
Anderson Viegas
Do G1 MS
Guia Lopes (MS) - A prefeitura e a Câmara de Vereadores de Guia Lopes da Laguna solicitaram formalmente ao Exército a instalação de uma passarela ou de uma ponte móvel sobre o rio Santo Antônio, na rodovia MS-382, onde a ponte de concreto que existia no local desabou no sábado passado (2), como se fosse um dominó.
A solicitação ocorreu em reunião realizada na tarde desta terça-feira (5) na Câmara Municipal. Participaram o prefeito da cidade, Jácomo Dagostin (PMDB), três integrantes da mesa diretora do legislativo municipal: vereadores Rodrigo Arruda, presidente (PMDB); Sérgio Soares Fragoso, vice-presidente (PP) e Cleonete Martins Moreno, segunda secretária (DEM), o vereador Ademir Souza Almeida (DEM) e o comandante da 4ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada “Companhia Tenente-Coronel Juvêncio”, major Carlos Alberto Galvão Magalhães.
Sem a ponte de concreto, os moradores da região estão utilizando uma ponte de madeira para fazer a travessia sobre o rio Santo Antônio, em desvio de aproximadamente cinco quilômetros. Entretanto, para os veículos de carga, com peso acima de 15 toneladas, a única alternativa é fazer um desvio que aumenta o percurso em até 140 quilômetros.
Segundo o vereador Ademir Souza Almeida, a instalação da passarela ou mesmo da ponte móvel, que atenderia pequenos veículos, amenizaria a situação da população do local. Ele disse que o comandante da unidade militar disse que existe sim a possibilidade da colocação das estruturas provisoriamente, mas que depende de uma autorização do Comando Militar do Oeste (CMO) para a execução do trabalho. “O comandante disse que encaminharia já nesta quarta-feira a solicitação ao CMO”, comentou.
Almeida disse ainda que após a reunião o grupo foi fazer uma vistoria ao local onde ocorreu o desabamento da ponte do concreto, até para que o comandante da unidade militar tivesse um panorama da situação na área.

Causas do acidente
Segundo o governo do estado já começou a auditoria que vai apontar as causas do desabamento da ponte de concreto sobre o rio Santo Antônio. Nesta quarta-feira está prevista a vistoria ao local da queda da estrutura.
O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse em entrevista ao Bom Dia MS desta terça-feira (5) que o governo trabalha com três hipóteses para explicar a queda da ponte: falha no projeto, na execução da obra ou causas naturais, provocadas pelo grande volume de chuvas na região. No entanto, somente a auditoria vai poder dizer o que aconteceu.
Esse trabalho deve ficar pronto em dez dias. A ponte foi inaugurada em abril de 2012 e demandou um investimento de R$ 1,3 milhão. Como ainda está na garantia, o governador afirmou que se a auditoria apontar que a estrutura despencou por falha no projeto ou na execução, que a construtora responsável terá de ressarcir o estado do investimento ou reconstruí-la sem custos para o governo de Mato Grosso do Sul.
“O estado precisa ter segurança jurídica para saber o que aconteceu. Obras como essa têm cinco anos de garantia. Se foi falha de engenharia, seja no projeto ou na execução, a empresa responsável será acionada para refazê-la sem custos para o governo do estado ou terá de fazer o ressarcimento. Se por outro lado, o desabamento ocorreu por causas naturais o governo do estado terá que arcar com o ônus dessa nova ponte”, explica.
Azambuja disse ainda que essa ponte será reconstruída em caráter emergencial, com a dispensa de licitação, mas que a obra dessa estrutura e também de outra na mesma MS-382, mas sobre o rio Vermelho, que desabou no fim do ano passado, já serão executadas para atender a nova demanda de tráfego de veículos da rodovia, que deverá ser pavimentada por meio de um programa que o governo do estado vai implementar com recursos do Banco Mundial, que preveem o asfaltamento de cerca de mil quilômetros de estradas estaduais. A previsão é que a reconstrução deverá demorar pelo menos seis meses.
G1/montedo.com

11 comentários:

Anônimo disse...

Aqui em MS virou moda. Tudo quanto é abacaxi chamam o Exército. Tapa buraco, controle da dengue, confecção de ponte,.... Ano passado o prefeito da capital(Campo Grande) queria que o Exército fizesse o serviço nas ruas da capital tapando buracos no asfalto. O camarada se elege mas não tem competência para governar e chama as forças Armadas, assim é fácil!

Anônimo disse...

O pedido não teria que ser para o DNIT? Quem fez essa ponte de "LEGO"? Coincidência, ou não, é por isso que generais são postos no órgão? Isso não vai acabar mais, e muito menos, as parcelas minguadas das "expansões" salariais.Todo governo que entrar vai querer economizar mandando as Forças Armadas fazerem serviços gerais e enrolar quando o assunto é salário.Dizem que não tem dinheiro para nada, enquanto isso,o ministro dos portos, filho do senador Jáder Barbalho,que será candidato a alguma coisa nas próximas eleições, está distribuindo "investimentos" para todos os lados. De repente, é um bilhão pra lá, outro pra cá, etc. Ele deveria ficar na pasta da Fazenda.Tá fazendo mágica(?).

Anônimo disse...

a ponte caiu igual a popularidade da dilma kkkkkkkkkkkkkk

Amauri disse...

Virou moda no BRASIL inteiro!!!! Todas as cidades, inclusive as grandes capitais, pedem socorro para as Forças Armadas!!!!! Só nós, os Severinos, fazermos as missões dos outros órgãos governamentais.

Anônimo disse...

manda a Dilma ir para a ponte que caiu.

Anônimo disse...

Chama a Odebrecht !

Anônimo disse...

Quanto custou essa ponte?

Anônimo disse...

Normal so o exercito nessa hora,quando nao tem competencia manda quem ganha menos e realmente faz o serviço. Chama o exercito.

Anônimo disse...

Vamos seguir a logica

Ponte caiu? Chama o EB
Cidade alago? Chama o EB
Falta medico no Hospital? Chama os Medicos do EB
Falta Policiamento? Chama o EB
Estrada Ruim ? Chama o EB
Construtora deu no pé? Chama o EB

O EB Ja faz tudo, por que não administrar o Governo tbm.

Anônimo disse...

O DNIT existe só para fazer sumir dinheiro e barganhar cargo publico; a FUNAI existe só no papel e para gastar dinheiro e barganhar cargos, pois as FA é que dão apoio aos indígenas; não tem dinheiro nem para papel higiênico e de repente o EB é escalado para fazer todo tipo de obra? Dinheiro tem e o EB tem mão de obra tão barata quanto a chinesa.As rodovias estão só buracos e abandonadas mas basta passar para as mãos dos particulares que as coisas funcionam, mediante mais taxas. O que se arrecada, certamente, dá para fazer um bom trabalho se não desviassem a grana e houvesse uma boa administração.

Anônimo disse...

Atenção SEVERINOS!! Preparem as pás e enxadas pois caiu mais uma ponte: "... Os moradores da região da rodovia Transamazônica enfrentam sérios problemas desde o desabamento da ponte que passa sob o rio Aratauba. O caso ocorreu na madrugada da última terça-feira (5)."
Alô, DNIT onde está você? Cadê o dinheiro?? Antes era muita poeira e agora muita lama, assim como em Brasília.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics