23 de janeiro de 2016

Pindaíba: porta-aviões ‘São Paulo’ terá tripulação reduzida para cortar gastos

O Comando de Operações Navais determinou ao Comando em Chefe da Esquadra a apresentação de um plano de redução da tripulação do Navio-Aeródromo São Paulo (A12) em até 30 dias, para manter apenas um grupo de manutenção e vigilância a bordo.
A medida visa adequar os gastos do navio à atual situação orçamentária, pois não se vislumbra a disponibilidade de recursos para a modernização do porta-aviões até 2018.
Poder Naval, via Veterano Fuzileiro Naval/montedo.com

5 comentários:

Anônimo disse...

Aos poucos vão conseguindo o objetivo: enfraquecer as Forças Armadas para transformar o plano diabólico em uma realidade.

Anônimo disse...

A MB esta uma vergonha, sem dinheiro, sem moral, sem material, sem efetivo e sem nada...
Cade os oficiais sangue azul para fazer algo, pois nem se misturar com a tropa eles fazem. Sera que vao aceitar esta derrota de nao ter nada.
Sou afavor de dividir a marinha de guerra da marinha mercante e da criação de uma guarda costeira aos moldes internacionais.
Tem que ter faculdades publicas e privadas formandos oficiais pilotos de marinha mercante (civil). chega de monopolizar a marinha mercante. Pois se ela que cuida da marinha mercante sera um estudo precario da mesma forma que a militar.

Anônimo disse...

Permita-me fazer uma pergunta: qual a finalidade de criar uma Guarda Costeira? Por acaso a Marinha nao cumpre essa finalidade?
Criar mais um órgão? Vai virar um cabide de emprego. Cheio de cargos DAS. Veja a aviação civil, no que deu.

Anônimo disse...

Anonimo 24 de janeiro de 2016 10:08, a aviação civil é um orgão problematico, porem é necessario a divisão, pois militar é militar e civil é civil. A mesma coisa tem que acontecer com a marinha de guerra e a marinha mercante que é civil. Tem que ter faculdades que formem pilotos nauticos e tirar o monopolio da marinha de guerra. Pois afinal serão civis e se estão fazendo marinha mercante é porqe querem ser civis e não militares. Onde alunos são obrigados a se portarem por militares por 3 anos.

Quanto a guarda costeira é um bem necessario, vemos diversos orgao fazendo as funções nas costas brasileiras como Policia federal, Policia civil, corpo de bombeiros, receita federal, guarda portuaria, guarda municipal maritimo e todos batendo a cabeça fazendo a mesma função. Que na verdade em um pais de 1° mundo quem faz a função de patrulhamento costeiro e resgates costeiros é a guarda costeira. Porem lembremos que as guardas costeiras são uma força militar, diferente da ANAC da aviação civil que é composta por civis.

Precisamos de transformações inovação e mudanças.

Anônimo disse...

Transformar esse "sucatão" em museu com visitação paga não daria mais lucro? Ou vende no peso.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics