11 de janeiro de 2016

Pagode militar!

“Desbafa militar/ Pode me contar sem medo/ O que tem que aturar/ Para não perder o emprego”


4 comentários:

Claudia Duarte disse...

Parabéns aos compositores. E parabéns por deixar-nos divulgar a triste, mas real realidade dos quartéis. A hierarquia tem que existir, pois o tempo de experiência e maturidade valem muito. Mas é lamentável e vergonhoso, onde os militares deixaram chegar. Saudades do falecido João Batista Figueiredo. Saudades de quando os "átoas" eram enquadrados em vadiagem! Militar das forças hoje é tratado como vagabundo, ninguém respeita, vestir uma farda é somente o primeiro emprego de muitos. Sou esposa de militar e ele é aposentado e hoje tem muita tristeza e desespero ao receber o contracheque. Obrigada pelo desabafo!

Anônimo disse...

Esta é a realidade do serviço militar obrigatorio onde o Sd, Cb, Sgt e oficial temporarios tem que aturar se quiserem continuar nas FFAA e prorrogar o serviço por mais um ano. Trabalhar o dobro que os carreristas. Mesmo sendo profissional, sabendo o que é certo, tem que engolir seco certas coisas para não ser dispensado. Diferente do carrerista que não faz nada e se encosta e não dá nada.
Muito boa a musica, mostra a realidade dos temporarios...

Anônimo disse...

Mostra a vida dos praças e oficiais temporarios que se não mostrarem serviço melhor que os carreristas são mandados embora. Uma realidade infelismente onde o tempoario trabalha e o carrerista encosta nos temporarios.

Juliete Lima disse...

Essa que os temporários trabalham e os carreiristas não fazem PN, não é assim na Marinha. Pelo contrário são os carreiristas antigos que trabalham e os temporários e os carreiristas novos que não querem PN.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics