8 de janeiro de 2016

Profissão, Militar. Porque vale a pena.

Daniel Santos sentindo-se agradecido.
Ontem às 15:00 · Bento Gonçalves (Rio Grande do Sul) ·
Eu hoje me despeço do Serviço Militar Brasileiro ,e do 6º Batalhão de Comunicações , apesar de ser um dia de despedidas , hoje não é de forma alguma , um dia de tristezas, nem uma dia para se lamentar. Hoje é o dia que eu sabia que chegaria, e que vai deixar saudades , desde o primeiro momento em que eu aqui pus os meus pés, e a sensação que toma conta de mim, é a de DEVER CUMPRIDO. O Exército foi de longe, a experiência mais fantástica que eu tive na minha vida, quer seja no lado profissional quer seja no lado pessoal. Aqui aprendi que a palavra tem um valor que não é apenas simbólico, aprendi que o exemplo ensina muito mais do que a instrução, aprendi que a farda não é uma mera vestimenta e sim, um estilo que vida que está cada vez mais escasso, por falta dos valores que “graças a Deus” são cultivados aqui dentro.Em 1 ano de 6ºBCOM , aprendi sobre retidão, seriedade, hombridade, honestidade, aprendi que o dever vem antes do querer, aprendi que a recompensa é a satisfação de ver cumprida a nossa obrigação, e aprendi a não dizer Adeus mas sim, um até logo. No dia 01 de Janeiro de 2015, entrei pelo corpo da guarda de um quartel de comunicações para me apresentar como conscrito . Ao sair pela portaria do Quartel de Comunicações do Exército no próximo dia 08 de Janeiro , exatos 1 anos após ter entrado na primeira organização militar da minha vida, não deixo nada pra traz, pois trarei comigo em minha memória, e no meu coração carregado de sentimentos e emoções boas, TODOS OS MOMENTOS em que aqui eu passei. Peço desculpas se em algum momento não consegui suprir as expectativas que me foram depositadas, pois foi com certeza pelas minhas deficiências humanas e técnicas, mas jamais foram por minha falta de empenho e vontade, isso jamais me faltou, porque não houve um único dia da minha vida militar, no qual eu não tenha me orgulhado de servir ao Exército Brasileiro, a maior transformação que eu presenciei, ocorreu em mim, pois todos os valores que aqui foram ditos antes, ficaram enraizados no meu espírito e na minha mente de tal forma que não há mais como voltar a traz, permanecerei sendo militar pro resto da minha vida, porque ser militar não é vestir uma farda e ir para um quartel todos os dias, ser militar é ser muito mais do que isso. 6° Batalhão de Comunicações , fica aqui mais uma vez meu muito obrigado e saiba que terás lá fora um admirador e um defensor ferrenho do Exército Brasileiro, das Comunicações e dos valores que eu aqui aprendi a honrar cultivar e respeitar. Se por algum momento o Exército e o Brasil precisar novamente dos meus préstimos, seja operando um teclado ou empunhando um fuzil, aqui eu estarei imediatamente após ser chamado com a mesma disposição e vontade de servir ao meu país como assim foi desde o primeiro dia da minha carreira.
Muito obrigado.
Do Facebook

16 comentários:

Anônimo disse...

Bonito depoimento. Vale a pena sim, ser militar por um curto período como foi o caso deste rapaz, e aprender valores que a sociedade de hoje não mais cultua, porém é mais do que óbvio que não vale a pena dedicar uma vida a uma instituição tão abandonada quanto esses valores. Que este jovem trace suas metas, construa seu futuro e leve consigo essas boas lembranças. Que possa traçar uma carreira que lhe traga reconhecimento, valorização e possibilidade de crescer. Que encontre líderes que valorizem a carreira de seus subordinados, que suas necessidades sejam muito bem representadas e defendidas por esses líderes, para que ele possa dedicar toda sua energia e capacidade ao desempenho de suas funções, sem precisar ter que abraçar outras atividades paralelas para garantir o sustento.

Anônimo disse...

Sabias palavras de um verdadeiro patriota que serviu o EB no serviço obrigatorio e saiu com a cabeça erguida e com a satisfação de dever cumprido.
Parabens guerreiro.

Anônimo disse...

Força e Honra Guerreiro! Brasil acima de tudo!!!

Anônimo disse...

Depoimento em momento de emoção. E o salário neste período?

Anônimo disse...

Depoimento em momento de emoção. As vezes agimos pela emoção...E o salário neste período como foi? Este papo de vocação não existe mais, o que vale é os reais e muitos reais.....

Anônimo disse...

Prezado Montedo, num dos últimos boletins do Exército, foi publicado que o CFS será de 2 anos, com o título de tecnólogo. O Sr poderia publicar uma matéria a respeito?

Marcos Pinto Franca disse...

Caro Capitão Montedo , esse post vai render uns cinco comentários , não fala sobre aumento .... Abraços !

Christian Bernhardt disse...

O que me deixa triste é tanto temporário excepcional que adoraria continuar no EB que é mandado embora por força da lei e tanto de carreira acochambrador, omisso, sem pendor para a atividade que continua...

Ahh se o concurso para a EsSA fosse aberto apenas ao público interno...

Anônimo disse...

Tudo passa na vida(?). As mentiras ditas cairão pelo caminho e as verdades permanecerão.O dever cumprido na retidão fica no coração e na ação feita, enquanto os desmandos vão se despedaçando diante da justiça e do tempo. A justiça e as boas ações ficarão para sempre como exemplos edificantes. Ao garoto, agora homem formado, siga a luta, estude e não desista nunca de procurar um futuro melhor. Use o que aprendeu para o bem e divulgue aos jovens, principalmente. Você tem o seu futuro nas mãos. Tudo o que está acontecendo hoje no pais sirva de lição para o seu futuro. Boa sorte!

Anônimo disse...

Ao comentarista que se diz triste porque existem temporários excelentes e militares de carreira sem pendor, digo-lhe que os concursos militares são abertos a todos, inclusive aos temporários. Concurso interno? Se são excelentes como o senhor comenta, certamente tem até mais capacidade de passar no concurso. Eu fui temporário e também senti quer gostaria muito de permanecer, então fui a luta, fiz o concurso público, ingressei e fiz carreira. Cada um caminha por suas próprias pernas, esse mimimi de querer vitimizar-se é papo de militante de esquerda.

Anônimo disse...

Lindo depoimento, de um cidadão brasileiro que cumpriu com o seu dever para com a Pátria. Jovem guerreiro, leve para o resto da sua vida as boas lições recebidas durante a sua passagem pelo Exército Brasileiro, instituição essa que está sempre nas primeiras posições de confiabilidade, nas pesquisas de opinião junto à população.

Anônimo disse...

O Título desse post não está de acordo com o texto. Prestar serviço militar obrigatório não representa Profissão Militar. Vale a pena prestar o serviço militar inicial, vale a pena permanecer temporariamente nas forças armadas. Dedicar-se a uma profissão militar é completamente diferente, é abandonar qualquer outro plano futuro e dedicar-se integralmente por 30 anos a vida militar.

Anônimo disse...

Classe desunida

Mauro sgt QE disse...

Parabéns jovem pelas suas palavras de agradecimento ao que viveu na caserna neste período, você é exemplo de cidadão, um patriota, va em frente estude passe na ESA e volte para o EB e seja feliz.
Não se deixe contaminar por essa sociedade sem pátria que vemos aumentar a cada dia seja militar sim or trinta anos feliz e fazendo o que gosta parabéns.
A os comentaristas que sempre reclamam dos salários se são militares por favor passem no sargenteante e assinem o 150, e procurem outra profissão ao invéz de ficar ai reclamando dos salários e baixando a moral dos outros, saiba que dinheiro não é tudo, a satisfação profissional, a satisfação do deve cumprido e a missão cumprida completa a realização do militar.
Espero que não venham com lero-lero que sou ordenância, ou telefonista ou mot de comandante, pois sou sgt de manutenção de VTR BLD e não de almofadinha como me responderão alguns critico em outra oportunidade, um abraço

Anônimo disse...

Pesquisei nos Boletins do Exército Dez 2015 e o de Jan. Está no BE52-15.
Tecnólogo em Ciências Militares.

Anônimo disse...

As palavras desse exemplar cidadão são realmente bonitas, mas não condizem com a realidade atual do EB. Fico com pena, isso pena de ver esses jovens entrando para servir por um período de 10 meses, com a unica finalidade, atualmente, de manter a vida vegetativa da Força. As instruções atuais por falta de recurso e tbm por falta de motivação tanto de oficiais qto de sargentos, por vários motivos, vejam bem não é uma critica é a realidade, pois eu me enquadro nesse grupo de desmotivados, fazem com que o serviço militar inicial forme verdadeiros faxineiros, pois as únicas atividades na grande maioria dos quarteis é tirar serviço em escalas apertadas e fazer faxinas nos demais horários livres, pois instruções militares de alto gabarito não existem. Temos nos quarteis oficiais e sargentos estressados tentando cumprir uma infinidade de atividades paralelas, muitas vezes inventadas pelos comandantes que vomitam em reuniões que o militar atual tem que ter várias atribuições e deve cumprir todas a contento sob pena de serem sacrificados em seus conceitos. O soldado recruta fica sempre em segundo plano, jogado a própria sorte durante esses 10 meses, pois os que entram em busca de aventura, operacionalidade etc, só conseguem vê-la nas telas dos filmes que assistem no período de instrução utilizados para matar o tempo. O pouco recurso que as OM de tropa recebem são gastos sem planejamento prévio e de maneira incorreta por gestores despreparados, preocupados com seu conforto próprio, sobrando as migalhas para esses jovens que na minha opinião, atualmente perdem um ano ao entrarem para as FA. Essa é a triste realidade atual das Forças Armadas em nosso país.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics