30 de janeiro de 2016

Dilma considera Forças Armadas essenciais no combate ao Aedes aegypti

Alexandre Gonzaga
Brasília – A presidenta Dilma Rousseff declarou, nesta sexta-feira (29), que as Forças Armadas são essenciais para o sucesso da campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chinkungunya e Zika vírus. Ela e o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, acompanharam parte dos trabalhos dos militares no Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília. As atividades de hoje marcaram o primeiro dia do mutirão contra o Aedes nos quarteis e organizações militares.
“A participação das Forças Armadas é o centro dessa campanha”, disse a presidenta. Ela destacou que as forças têm capacidade de mobilização, disciplina e poder de conscientização, fatores que permitirão sucesso na mobilização contra o mosquito. “Tudo isso combinado com um fator: a grande credibilidade e respeito que a população brasileira tem pelas Forças Armadas. A gente vê, aqui, que ao treinar um grupo de soldados, você tem uma possibilidade imensa de expandir esse treinamento, essa capacidade de explicar para a população.”
O mutirão no grupamento contou com o trabalho de 250 fuzileiros, que inspecionaram as instalações em busca de possíveis focos do mosquito na unidade naval e nos clubes da Marinha. “A Marinha do Brasil, como a mais antiga das forças, com a sua experiência, com o seu espírito público e noção de interesse nacional, tem dado exemplo de compromisso e de contribuição nessa ação”, afirmou o ministro.
Aldo Rebelo ressaltou a grande responsabilidade das Forças Armadas no enfrentamento dessa crise da saúde pública no Brasil. O comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, também acompanharam os trabalhos nesta sexta.
O comandante do Grupamento, capitão-de-mar-e-guerra Marco Aurelio Bruno Cresto, explicou à presidenta os procedimentos adotados, como a aplicação de larvicida em bueiros, o recolhimento de material plástico nas margens do lago Paranoá e a inspeção de telhados e calhas. A presidenta Dilma elogiou o esforço dos fuzileiros na eliminação de possíveis focos dos criadores do Aedes aegypti, conversou com as equipes e recebeu informações da execução do mutirão.
O comandante do 7º Distrito Naval (DN), almirante Marcos Silva Rodrigues, informou à presidenta Dilma que 600 homens e mulheres da Marinha estão mobilizados em todo o Distrito Federal para o combate ao mosquito. O almirante afirmou que 615 casas e 28 blocos de apartamentos pertencentes à Marinha no Distrito Federal estão sendo visitados pelas equipes de fuzileiros, além do Clube Naval de Brasília e o Clube de Praças Almirante Alexandrino.
Na sede do 7º Distrito Naval, foi feito um trabalho de conscientização com catadores de materiais recicláveis e adequação das caçambas de lixo, para evitar o acúmulo de água. “Nosso efetivo tem um papel multiplicador junto à população”, acrescentou o almirante Silva Rodrigues. O comandante também disse que em Santa Maria, cidade do DF, a Marinha realiza um trabalho de esclarecimento para estudantes de uma escola pública, levando informações sobre a gravidade do problema e a responsabilidade de todos os cidadãos no combate ao mosquito Aedes.
O mutirão de limpeza nas 1.200 organizações militares espalhadas por todo o Brasil segue até o dia 4 de fevereiro. O objetivo da ação é chamar a atenção para os cuidados necessários contra o mosquito, além de eliminar possíveis focos de proliferação do Aedes nestes locais.

Próximas etapas
A segunda etapa de mobilização das Forças Armadas, prevista para ocorrer no dia 13 de fevereiro, prevê a mobilização de 220 mil homens e mulheres (160 mil do Exército, 30 mil da Marinha e 30 mil da Força Aérea). Esse contingente atuará em 356 municípios, incluindo todas as capitais e as cidades consideradas endêmicas pelo Ministério da Saúde.
Os militares farão a distribuição de material impresso com orientações para que a população se informe e se engaje no combate ao Aedes. No panfleto, que deverá ser entregue em aproximadamente três milhões de residências, também vai constar um número de telefone local para envio de denúncias onde haja proliferação do mosquito.
Entre os dias 15 e 18 de fevereiro ocorre a terceira etapa, quando 50 mil militares estarão diretamente envolvidos no combate ao mosquito. Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais e terá visitas domiciliares dos efetivos das Forças Armadas, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A capacitação dos militares que vão atuar no combate ao mosquito está prevista para a próxima semana.
A última etapa, ainda em fase de discussão com o Ministério da Educação (MEC), prevê a utilização de efetivos militares em visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor. (Ascom MD)
Portal Brasil/montedo.com

21 comentários:

Anônimo disse...

Os Comandos militares devem exigir caçarola, urgentemente, para os seus comandados. Isso é previsão.

Anônimo disse...

Engraçado que para esta senhora as FFAA é importante para o combate do mosquito, porem para a defesa da soberania nacional ela não se preocupa com os militares.
Até para combater mosquito precisa de verbas financeiras ou ela se esqueceu que cortou tudo...

Anônimo disse...

kkkkkkkk, piada pronta, kkkkkk
ou uma piada antiga: malandro coca-cola, dá um tapa no fundo para não perder o gás.
ou outra piadinha: malandro agulha, coloca no buraco para não perder a linha.
e a vida segue.

Anônimo disse...

Somos muito importantes para combater o mosquito...e só ! FFAA desvalorizada,mal paga,sucateada,enganada e esta senhora ainda vem de chacota ! Parem o mundo que eu quero descer !

Anônimo disse...

As Forças Armadas está para Dilma assim como o louro José está para Ana Maria Braga. O que seria delas, sem eles? O louro José ganha melhor. Levar a presidente e seus comandantes para ficar olhando esgoto??? O marinheiro que está na frente dela deveria ganhar um bônus, achou "a zica" da ZICA.

Anônimo disse...

Uma ex petista, que foi uma das fundadoras, política de carreira e que foi "convidada" a deixar o partido por discordar dos rumos tomados, disse uma vez que o Lula costuma elogiar pela frente e esfaquear por trás, mais ou menos isso.E, parece que a presidente Dilma aprendeu a lição. Na frente dos comandantes,nas cerimonias militares e quando precisa das Forças Armadas, como nesse caso dos mosquitos, é só elogios, valorização. Mas depois, no gabinete, na hora de dar o merecimento, vem a "facada", o revanchismo. E os comandantes, só sorrisos! Não são eles que pegam nas pás e enxadas.

Anônimo disse...

Acaba de ser criado o esquadrão FK1(Fly killers One).Para suprir o recente esquadrão de combate,o governo liberou um verba para aquisição imediata de 500 mil frascos de inseticida e mais 500 mil raquetes mata-mosca (com choque elétrico ).

Eduardo disse...

Lembram daquelas fotos do Ditador da Coréia do Norte, Kim Jong-un falando com seus Generais medrosos, todos de caneta na mão? Observem o jeitão desses Almirantes e demais cordeirinhos da foto, com as mãos para trás, em sinal da total obediência máxima a comunista e feminista Dilmona, que destruiu este país, numa recessão sem precedentes e anda tirando o suado dinheiro dos que realmente trabalham, para distribuir aos preguiçosos e ao Pt, para perpetuação no poder. É O FIM DAS FFAA. Assina Eduardo ST Art

Anônimo disse...

E os severinos salvam a pátria mais uma vez. É muita esperteza dessa senhora: se der certo mérito para ela e seu séquito de sanguessugas, se der errado foi pela incompetência desses "milicos de b...a". Simples assim.

Anônimo disse...

Na foto, quem diria em Fuzileiro? com todo este preparo, o cão chupando manga, agora combate mosquito.
Sou a favor do combate, mas em quatro vezes, começando a partir de agosto, para efetivamente combater em setembro, como forma de valorizar um pouco o mosquito.

Anônimo disse...

Descobriram a fórmula mágica para uma boa administração: chamar os militares para fazer tudo. Não precisa fazer concursos, não precisa concorrência, não precisa pagar propina(acho), não entram em greve e não reclamam, aceitam qualquer serviço, não sai do caixa da prefeitura e o dinheiro economizado vai par o caixa dois.

Anônimo disse...

Os militares já estão no 'rastejo baixo' no quesito humilhação ao serem relegados a toda sorte atividades que os políticos achem convenientes !!!!!
Militar no Brasil tem várias utilidades mas não é muito bom em nenhuma, tal qual um canivete suíço multifunção: não tem uma lâmina muito boa, mas corta um pouco; não tem uma chave de fenda muito resistente, mas dá pra apertar um parafusinho, não tem um bom alicate, mas dá para puxar um pino de relógio; não tem uma boa tesoura, mas dá pra cortar um papelzinho... Enfim... não temos uma identidade funcional, somos "pau pra toda obra".
Não entendo por quê os Governos estaduais e municipais não utilizam seus bombeiros, policiais e guardas municipais nos dias de folga da escala para, subsidiariamente, tal qual as Forças Armadas, executarem essas missões atípicas.

Anônimo disse...

Engraçado, será que ela também não acha essencial nos dar condições de pagar a conta de luz e o aluguel ???
Essa raça tá encaminhando o país pra uma possível guerra civil...

Anônimo disse...

Os comandantes das forças utilizam a tal da "dedicaçao integral" para disponibilizar a tropa pra servir de empregada pra todo mundo...mao de obra de graça, sem despesas nenhuma!!!

Legislaçao arcaica, a qual foi criada em epocas que havia o emprego da tropa em combates reais, mas o q se vê é uma utilização um tanto quanto abusiva, leviana, imoral e humilhante.

Anônimo disse...

Parece piada de purtuguês! Kkk. Militares brasileiros são convocados para o combate. Nossa! Admirado pergunta o purtuguês. Contra quem? O brasileiro responde: contra o mosquito da dengue. Kkkkk, kkkkk, o purtuguês se escangalha de rir. Quer dizer que aí no brasiiiiil, os milicos vão pra guerra, mas é contra mosquito? Kkkk, kkk. Como deve ser a medalha, por bravura, que vão receber? Sim, por que se vai ao combate, tem que receber alguma coisa, ou não. Kkkk, kkk, o purtuguês se escangalha de rir, kkk.

Anônimo disse...

E um reajuste com parcela de 5,5% e inflação acima de 10% ao ano!

Anônimo disse...

A Dilma tá fora dessa. Isso é erro crasso de emprego doutrinário. Se o mosquito opera no ar, por vezes na água. Que empregue-se a FAB, quiçá a Marinha. Nunca o velho EB. Ou será que esse cumpre e não pondera como nos impõe (tropa) no dia a dia. Na maxima do: Sim senhor, nao senhor, quero ir embora!.

Anônimo disse...

Dizem que os militares envolvidos nessa "guerra" não podem usar cantil de alumínio para que não possam fazer barulho igual ao panelaço. Mas, as mulheres e familiares podem fazer.

Anônimo disse...

Na Marinha os navios estão sucateados e não tem condições de combater o mosquito na agua; na FAB, os aviões estão velhos e sem combustível para combater o mosquito no ar; só sobrou o EB como último recurso disponível. As unidades receberam o antigo repelente "boa noite" e marcharam para frente de combate, de fundo a canção, Comandante Narciso.

Anônimo disse...

Piada petista do mês: Divulgaram que no mês de fevereiro a conta de luz baixaria, não teria bandeira vermelha. Mentira, vão manter a bandeira VERMELHA, apesar das boas condições de geração de energia. É BAIXARIA!

Anônimo disse...

Não é possível que o exército não ganhe essa batalha.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics