20 de outubro de 2015

Arejando mentes: sargentos do Exército palestram em academia militar americana

Nota do editor
Se o Exército Brasileiro almeja ser - algum dia - uma força militar moderna, precisa primeiro modernizar seus conceitos. O caminho - mesmo que haja choro e ranger de dentes - passa por aqui. Mas para isso será preciso arejar muitas mentes, sejam elas ornadas por estrelas ou divisas.

Sargentos do Exército Brasileiro ministram palestra na United States Army Sergeants Major Academy

Texas (EUA) – No dia 15 de outubro, o 2° Sargento Clayton dos Santos e o 2° Sargento Mauricio da Silva Souza ministraram uma palestra sobre a República Federativa do Brasil na United States Army Sergeants Major Academy (USASMA), no Fort Bliss, Texas (Estados Unidos da América), para um auditório com mais de 500 pessoas, incluindo autoridades do Exército dos Estados Unidos, militares de 37 países e alunos do curso.
Os dois militares brasileiros são alunos do Curso Sergeant Major, que é reconhecido mundialmente pela excelência na formação de líderes. O curso teve início em março deste ano e prosseguirá até junho de 2016.
A palestra abordou informações sobre o Brasil, como geografia, política, Forças Armadas e turismo. Ao término, os dois sargentos foram parabenizados pela desenvoltura e pela diversidade do conteúdo apresentado, engrandecendo o nome do Exército Brasileiro.
Fotos: ADIDEFEx EUA e Canadá
Noticiário do Exército/montedo.com

46 comentários:

Anônimo disse...

A competência está relacionada ao homem e não ao cargo.

Anônimo disse...

Espero que não tenham falado do salário nem da expectativa de melhoria por conclusão do curso.

Anônimo disse...

Certa vez ouvi de um militar da reserva uma história sobre dois Oficiais superiores do EB que foram desligados de um curso do US Army por preconceito... deles.
Eles estavam na sala de instrução e quando o instrutor entrou a regra era a de que todos se levantassem. Eles ao perceberem que o instrutor era um Cabo do US Army, recusaram-se a levantar e saíram da sala de instrução. Na certa sentiram-se "humilhados" por serem Oficiais "SUPERIORES" e o instrutor ser "apenas" um Cabo. Resultado, foram desligados do curso (expulsos) por desrespeito ao instrutor.
Mal sabiam eles que nos EUA o militar tem o seu Posto ou Graduação baseado no mérito militar mesmo, capacidade militar no "stricto sensu", e não baseado em títulos acadêmicos ou pela aprovação num concurso. Até porque lá é possível até o militar ser rebaixado de Posto ou Graduação caso não realize suas atividades militares de maneira condizente com a sua posição na escala hierárquica.

maichel hahn disse...

Sargento Clayton está com o sutache do nome do lado errado !

Anônimo disse...

Parabéns aos sargentos. Mais ação e pouca reclamação, eis o caminho.
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

Ai vem um "recruta" do NPOR que porque estuda "Educação Física" na "UNISQUINA" e vai ser o "Lider Comandante de Companhia" do Sargento....

Tem alguma coisa errada...

Anônimo disse...

Todos os alunos do curso de sgt major tem de fazer essa apresentação sobre seu país.

Anônimo disse...

Imagino que esses serão treinados pelo pessoal do Serviço de Inteligência e , claro, pensarão ser seres diferenciados, escolhidos por terem muitos méritos,os quais os diferencia dos demais. Coitadas das Praças das nossas Forças Armadas !

Basta compararmos os vencimentos de um terceiro Sgt das PM do Sergipe- imaginem- PIBÃO-; Paraná; Minas Gerais; Goiás ;etc, etc e etc....Não ! não vou nem falar quanto recebe um 3º Sgt das PM e Corpo de Bombeiros de Brasília-DF. Sargentos, estudem e caiam fora. Chegará a hora que vocês receberão de vencimentos menos que a Guarda Municipal do município mais pobre da Federação.

Unknown disse...

Tem muito "comandante" precisando fazer esse curso!

Anônimo disse...

Parabéns aos sargentos! Certamente, essa missão será inesquecível em suas carreiras, bem como aos seus familiares que os acompanham nessa nobre missão.

Entretanto, quando retornarem ao Brasil voltarão a realidade do nosso Exército Brasileiro, qual seja: a desvalorização do Sargento de Carreira.

Talvez nesse período de euforia, possam acreditar que algo vai melhorar com esse curso, já que foram selecionados entre tantos outros.

Porém, com o passar do tempo verão que nada vai mudar, ou seja, sempre serão considerados praça, como os Oficiais gostam de se referir ao sargento.

Quando sairem subtenentes serão altamente valorizados, já que como recompensa irão assumir uma das mais nobres funções dentro da força, qual seja: uma subtenencia com aqueles materiais mofos, montar latrina para os EV's, se submeter aos caprichos de Oficiais temporários que mal sabem o que é ordem unida, sem contar aqueles que com um mês de quartel ja se sentem o máximo....e por aí vai!

Após esse período de reconhecimento, possivelmente serão indicados para exercerem o cargo de Adjunto de Comando, outro cargo criado para iludir o pobre do praça.

Quando eles se derem conta observarão no contra cheque aquele salário que não dará nem pra pagar as contas básicas de casa, aí se perguntarão: e agora? Bom, agora é agasalhar a missão e seguir em frente, pois já estou velho, com filhos, esposa e não tenho mais pique pra estudar e correr atrás de algo melhor, não porque não tenho capacidade, mas porque preciso dar atenção para minha família e cuidar dos meus filhos e isso requer dedicação e tempo.

Senhores terceiros e segundos sargentos papirem para buscar uma carreira em que vcs serão valorizados, terão salário inicial de um subtenente e final de um coronel. Não se iludam, o Exército foi feito para os Oficiais e para os Oficiais, seja ele de carreira ou temporário. Isso é a mais pura verdade. Nem aqueles que ainda acreditam em melhora pode negar isso.

Por fim, gostaria de parabenizar mais uma vez os sargentos que estão realizando o curso. Uma pena que a política de recursos humanos da Força não sabe e não reconhece os militares (praças) de alto gabarito que possuem em seus quadros.

Avante!

Anônimo disse...

Excelente matéria. Espero que, ao retornarem para o Brasil, esses profissionais assumam funções de assessoria direta a comandantes operacionais de nível batalhão, no mínimo. A remuneração não estará ainda à altura, mas funcionalmente devem ser valorizados como merecem. Apenas dois sargentos - um passo ainda modesto para o nosso Exército, mas ainda assim é um avanço.
Parabéns aos dois companheiros.

Anônimo disse...

Engrandece o nome do EB....
Mas o bolso dos coitados continua desmerecidas pelo Cmdo.... E como dizia um Maj X, meu ex Ch Sec.... Pode ter capacitações mil, mas continuará tirando serviço e se submetendo a ordem de superiores muito menos competentes.....

Não adianta... O sistema não mudará...
De qualquer forma, parabéns ao companheiros...

2° Sgt 2002

Anônimo disse...


Parabéns ao Anônimo de 20 de outubro de 2015 11:44 . Existem muitos Sgt que estão lúcidos em relação ao EB.

A desvalorização do Sgt de Carreira continua.

Ao retornar para o Brasil estes companheiros irão voltar a função de 2º Sgt. Realidade muito penosa. Inclusive neste momento de destaque estão muito bem.

Se caírem nas graças da corte, jamais serão transferidos a revelia, não irão receber medalha de ouro Corpo de Tropa. Poucos que receberam esta medalha estão bem. Militar operacional sem esta medalha tenho as minhas dúvidas.

Parabéns aos 2° Sargento Clayton dos Santos e 2° Sargento Mauricio da Silva Souza.








Anônimo disse...

Vão pra lá, fazem curso de sgt major. Qdo voltam, são sgt mesmo. Melhor ficarem por lá.

Anônimo disse...

Em 1997, durante a missão "Cruz del Sur", lá nos confins do RS, no meio do nada, com as anvs do EB e do EJ Arg, paramos para abastecer num posto avançado da FAB. Em conversa com o cb abastecedor, muito boa gente, ele me contou um cenário parecido. Ele disse que quando serviu na base aérea do Galeão, presenciou a chegada dos caças F-5 comprados da USAF. A base preparou "a recepção": banda de música, tapete vermelho, coquetel... eis que chegam os aviões, o oficial de operações vai à procura do cmt da esquadrilha. Quando descobre que era um cabo, dispensa banda de música, enrola o tapete, some com coquetel... kkkkk

Anônimo disse...

Bem observado. Vou colocá-lo no pernoite.

Anônimo disse...

Orgulho dos senhores.Parabens.
Uma vibrante continencia e um forte aperto de mao.

Anônimo disse...

Parabéns companheiros! Quando retornarem, passem esses conhecimentos para seus superiores e companheiros.Não fiquem e nem levem com vcs. Forte abraço

Anônimo disse...

Fiquei contente com os dois sargentos, queria eu estar no lugar de um deles-desertava!

Anônimo disse...

Sargentos que façam a sua parte nós temos, e muitos. O que falta ao exército são Generais que saibam o que fazer.

Anônimo disse...

Aos navegantes, aviso que eles já tomaram cada um o seu choque e exatamente após isso foi que começaram a se preparar para o futuro. Os sargentos que lá estão não são casados com ministras (ou vice-ministras), não tem peixada com ninguém. Estão lá porque tiveram paciência e determinação para querer aprender mais. Investiram dinheiro próprio no estudo de idiomas. Em outras palavras, não passaram horas e horas no clube dos sargentos, gastando dinheiro com cerveja. E hoje começam a colher os frutos que plantaram.
Alguém realmente acha que eles tem preocupação com “retorno a realidade”? Senhores, esse tipo de gente não fica esperando pelo momento, eles fazem a sua hora. É o que os dois estão fazendo, ou melhor, começaram a fazer tempos atrás. Alguém acha que, com o dólar a 4 x 1 os sargentos estão se importando se vão ser aproveitados quando do retorno? Só rindo mesmo!
Pois é, mas saibam que irão ser aproveitados sim! Garanto que não passa um mês do seu retorno e logo estarão sendo aproveitados pelo projeto Adjt Cmdo. Ah, esqueci, esse projeto é uma criação para beneficiar só os “baba ovo”. Na verdade acho que o EB, pra ser justo, deveria mandar todos os seus sargentos para fazer curso no exterior, porque todos tem que ter os mesmos direitos e oportunidades, afinal somos uma república socialista mesmo. Não é?
É a velha história do copo com água pela metade. Enquanto alguns veem a possibilidade de encher o copo ainda mais, outros só sabem reclamar que o copo não está cheio. Ou ainda, lembrei de uma historia que ouvi em uma palestra quando era aluno do CAS. Sobre o bola murcha e o bola cheia. O instrutor disse que o “bola murcha” na verdade não quer prosperar para se igualar ao “bola cheia”. Ele quer é que o próspero caia e sinta-se tão perdedor quanto ele.

Aos sargentos alunos da USASMA, meus parabéns. Vocês são vencedores e na suqa volta a única coisa ruim que terão que encararserá a cara de azedo e inveja de alguns outros sargentos...

Anônimo disse...

Anônimo de 20 de outubro de 2015 23:46... com todo respeito que vc e esse blog merecem... mas vc deve ser um desses baba-ovos e deve ser um dos que vão passar na frente desses dois sargentos na hora desse tal "cargo de Adjt Cmdo" pq vc leva cafezinho pro "chefe" e fica falando mal dos companheiros (sargentos)... Se o EB priorizasse a meritocracia e competência e classificasse esses dois sgt ninguém teria moral pra reclamar, mas enquanto o EB priorizar os Baba-ovos vamos continuar criticando... Na verdade esse curso INFELIZMENTE só serve ganhar dólares mesmo pq quando voltarem vão ser classificados em alguma escola de formação e vão atuar como sargenteante do corpo de alunos... como aconteceu com todos os outros...

Anônimo disse...

Parabéns aos companheiros da matéria.

Infelizmente, não consigo deixar de pensar na máxima que diz que por melhor que o sargento seja, ele ainda é sargento e que o oficial por pior que seja, ele ainda é oficial.

O EB quer o sargento com doutorado na NASA mas com a resignação de um escravo.

No EB, o conhecimento não liberta, entuba.

Anônimo disse...

Esta matéria me fez lembrar de dois Sgt Major. O primeiro era culto, educado, inteligente, todavia, foi execrado por não possuir um padrão físico que, aos olhos de alguns oficiais, o tornaria merecedor da função de Sgf Maior. O segundo não era tão culto, nem tão inteligente e pouco educado, todavia, possuia o padrão físico desejado pelos oficiais..tornou-se um ídolo...no mesmo ano foi indicado para o Pacificador e Ordem do Mérito. Resumindo: independente do quão um praça conquiste títulos, no final o que importa é o seu padrão físico.

Anônimo disse...

Pior que ser entubado pelo conhecimento é ser escravo da ignorância!

Anônimo disse...

21 de outubro de 2015 01:19 Não seja um frustrado!!!

Anônimo disse...

Sei não mas acho que o autor de 21 de outubro de 2015 01:19 teve algum problema não resolvido na EASA... Algum Sgt Maior magoou você?

Anônimo disse...

Aos altruístas, padecedores da Síndrome de Estocolmo, que defendem o sistema, acordem filhos. O EB é feito por oficiais, para oficiais. Esses dois nobres companheiros logo estarão esquecidos, em um estabelecimento de ensino, ou batalhão modelo de alguma coisa, entubados de missões fúteis, travando verdadeiras guerras pessoais para honrarem suas dívidas e sendo comandados por moleques sem experiência, formados em 01 ano de meio expediente que ganham mais que eles. Tudo como antes, no exército de Abrantes...
St realista.

Anônimo disse...

Eu só quero um pnr em Curitiba! Tem como?

keko marques disse...

Perfeita sua definição.

Anônimo disse...

O "St realista", de 21 de outubro de 2015 13:17 é tão realista que sequer sabe como se abrevia graduação de Subtenente. "ST". Vê se aprende filho!

1º Sgt Infa Brazil

Anônimo disse...

Foto histórica!!! Militares de exércitos dos séculos XX e XXI na mesma foto. Que gozado!!!

Anônimo disse...

1Sgt Inf, omitir uma letra não desqualifica meu comentário, filho.

Anônimo disse...

Realmente, uma letra não desqualifica seu comentário. Sua atitude derrotada é que o faz... É triste ver alguém em fim de carreira sentir-se um perdedor, mas duro mesmo é ver esse senhor tentar puxar os outros para baixo...

1º Sgt Infa Brazil

Anônimo disse...

Filho, vejo que os seus anos de caserna não te trouxeram a maturidade profissional necessária para discernir entre uma crítica à um sistema criado por oficiais para oficiais, (haja vista que, como é sabido, o melhor sargento nunca será tão valorizado quanto o pior ofial) e uma atitude derrotada, como VC qualificou. Atitude derrotada, creio eu, seria compactuar com, e ovacionar tudo o que vemos de contraditório e desmotivador no sistema, como o obscuro sistema de promoções que viola todos os direitos de livre acesso à informação, que causa dissenção e aumenta animosidades entre os pares, o que não acontece com oficiais, pois suas promoções, independente de suas condutas laborais, têm data e hora futuras, marcadas no dia em que passam pelos portões da Academia. O que falar da dictomia ente pracas e oficiais? Ja viste uma carreira pública em que quem toma decisões não se enquadra nas medidas adotadas? E a classe de nivel superior (oficiais), que permanece com sua progreção profissional incólume, imutável, enquanto a carreira da classe de nível médio muda a toda hora, para pior, pois é gerida por MP. E se leu com atenção o que escrevi, não puxei ninguém para baixo, pois o sistema baseado em vaidades que impera em nossa instituição se encarrega disso todos os dias filho. Vc ainda não viu. Um forte abraço. Fé na missão.
ST realista (agora acertei)

Anônimo disse...

Palavras impressionantes. Pediu para quem escrever? Espero que nao tenha pago por elas pois, alem de nao ensinar nada de bom, ainda da a entender que voce so perdeu seu tempo no EB. Ah, desculpe a falta de acentuacao, ainda nao consegui achar um teclado em portugues...
1 SGT Infa Brazil.

Anônimo disse...

Ao 1Sgt Inda Brasil
Filho, cada um segue o exemplo que lhe aprouver. Se algo em minhas palavras servir a VC, guarde. Continue com o entusiasmo e esperança que você deposita no sistema, e em nossos chefes. Creio que em algum momento, ou lugar, lhe será útil. Não posso descrever onde nem como, pois minha capacidade intelectual e altruísmo são limitados. Forte abraço companheiro. PS: Não esqueça de escrever Brasil, com "S", e não com "Z". Leitura, nos ajuda a decifrar o mundo ao nosso redor, e não apenas viver o que é ensinado. Além de ajudar-nos a escrever da maneira correta.

Hélio Oliveira disse...

Que tenham o equilíbrio, a sobriedade e, acima de tudo, a humildade. Que adquiram as verdadeiras virtudes dos grandes líderes, principalmente, as que tratam das relações humanas. Que se imponham por suas atitudes, não só por discursos, pois a palavra induz e o exemplo arrasta. Que nossos comandantes passem ver os seus Sargentos com outros olhos. Que todos percebamos que empáfia não rima com empatia, porque esta falta, aquela assola o nosso meio.

Amauri disse...

Parabéns 2° Sargento Clayton dos Santos e o 2° Sargento Mauricio da Silva Souza!!! Os Srs são excelentes exemplos a serem seguidos!!!

Anônimo disse...

Nao se preocupe St realista, quandor retornar ao Brasil eu mudo a grafia...
1 SGT Infa Brazil

Anônimo disse...

Excelente, será muito bem vindo à escala.
ST realista.

Anônimo disse...

Sem problema. Nunca tive medo de servico. Alias, sempre aproveitei as longas horas de permanencia pra estudar... Te garanto que foi muito util.
1 SGT INFA BRAZIL.

Anônimo disse...

Parabéns.
ST realista

Anônimo disse...

Estas palestras são proferidas por todos os alunos estrangeiros. Como todos sabemos, não existe o grau hierárquico, ou equivalente, de sgt major no EB, motivo pelo qual frequentam de 2 Sgt a S Ten brasileiros. Trata-se de política de relações públicas. Este é o último grau da carreira dos graduados do US Army, impensável no BR.

Anônimo disse...

Bom saber que o EB está valorizando militares de todos os postos, mas na essencia, algo está mudando? Praças são punidos na AMAN por se promiscuírem com cadetes (amizade) e oficiais colocam praças em situações constrangedoras em público. Soube da via crucis de um QAO por ser chefe de uma seção e "ter uma sala só para ele". Para mim, as FFAA brasileiras são caudilhescas e se portam como "cães de gurda" da burguesia.

Keila Tatiane disse...

Algum Leonardo Silva?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics