30 de outubro de 2015

Irmão de mulher mantida em cárcere diz que sargento suspeito é 'psicopata'



Ele diz que a irmã foi agredida por 7 horas no início da semana.
‘Ele nos ameaçou, disse que deveríamos pagar’, afirma André Ribeiro.

Henrique Coelho
Do G1 Rio
O irmão da mulher agredida por um sargento do exército afirmou ao G1 que a família está assustada. André Ribeiro, irmão da vítima, de 30 anos, disse que ela foi agredida por pelo menos sete horas entre a segunda-feira (26) e a terça-feira (27).
O sargento do Exército Tony Fabio Lima de Oliveira, de 42 anos, foi preso na noite da quinta-feira (29) por suspeita de cárcere privado e agressões à mulher. A mulher foi trancada na casa do sargento.
“Ele é um psicopata. Ela foi agredida na segunda-feira agora, entre 18h e 3h. Eu a vi em casa assim, comecei a indagar, e vi que ele tinha deixado marcas no rosto dela. Antes, ele só batia na cabeça, mas aí começou a deixar marcas”, relata.
A partir de fotos conseguidas no celular da vítima, André foi até a delegacia. As imagens ajudaram nas investigações que fizeram o sargento ser preso.
De acordo com André, Tony tratava a vítimacomo se fosse “sua posse”. Ele afirma ainda que também foi agredido pelo sargento em um dos rompantes de violência dele.
“Teve um dia que ele invadiu a casa da minha mãe, porque minha irmã não queria ir mais embora de lá, já que estava cansada de apanhar. Quando eu cheguei, não vi o Tony, mas ele chegou por trás de mim e me deu um soco no rosto e saiu correndo”, relembra. André diz que a família sofreu ameaças do sargento durante todo o relacionamento e após sua prisão.
“Ele disse que nós temos que pagar, nos ameaçou, dizia para ela que nós tínhamos que pagar por tudo. Ele proibia ela de ver a mim e minha mãe, trancava ela dentro de casa. Um absurdo”, desabafa.

Ameaças e agressões
Na cozinha e no banheiro da casa de Tony, havia mensagens nas paredes escritas pela vítima que demonstravam a condição de submissão à qual ela era mantida pelo militar.
"Me perdoa, você tá certo!", escreveu ela em uma das mensagens. Além disso, no aparelho de telefone celular de Tony, foram encontradas várias mensagens com ameaças à vítima.
"Vai deitar e apanhar, está merecendo", dizia uma das mensagens.
Prisão
De acordo com o delegado titular da 27ª DP (Vicente de Carvalho), Felipe Curi, Tony foi preso por ameaça e lesão corporal à mulher, com quem estava havia um ano e meio.
"Ele era extremamente violento e a agredia constantemente. Quando fazia isso, a proibia de sair de casa para não ter contato com a família e vir à delegacia. A relação de 1 ano e meio era complicada", disse o delegado Felipe Curi, acrescentando que o sargento foi enquadrado também na Lei Maria da Penha.
Ao ser preso, Tony Fábio afirmou que não prestaria declarações, e que só falará em juízo.
G1/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics