22 de abril de 2017

Ataque talibã contra base militar deixa mais de 100 mortos no Afeganistão

Soldados foram atingidos na mesquita durante a oração e no refeitório
O ataque de um comando talibã contra uma base militar na região norte do Afeganistão durante o momento de oração deixou mais de 100 mortos e feridos, de acordo com um balanço provisório, a maioria deles jovens recrutas. Em um comunicado, o ministério da Defesa afegão cita "ao menos 100 soldados mortos e feridos", no primeiro balanço divulgado pelas autoridades desde o fim do ataque cometido na sexta-feira à noite, durante cinco horas, por uma dezena de homens armados.
Mas um oficial que estava na base atacada, do 209º corpo do exército, na região de Mazar-e-Sharif, falou à AFP que o ataque deixou "150 mortos e dezenas de feridos". Se este balanço for confirmado, seria o ataque mais violento no Afeganistão contra civis ou militares.
"Os insurgentes talibãs executaram um ataque coordenado contra a base militar, onde os soldados estavam reunidos para a oração, provocando mais de 100 mortos e feridos nas fileiras das Forças Armadas", afirma o comunicado ministerial. "Há uma investigação em curso e o balanço pode mudar", completa a nota. Nos últimos atentados - incluindo um ataque contra o principal hospital militar do país, em Cabul - as autoridades foram acusadas de falta de transparência e de tentar minimizar os balanços. Um membro do conselho provincial, Zabihullah Kakar, anunciou que o ataque deixou "54 mortos e 58 feridos".

A hora da oração
"Estou dentro da base e acredito que 150 soldados morreram e dezenas ficaram feridos. Jovens recrutados para treinamento, procedentes das províncias de Badakhshan e de Takhar", nordeste do país, afirmou um oficial que pediu anonimato. Na sexta-feira à noite, um porta-voz militar americano anunciou "mais de 50 soldados" afegãos mortos. Dos 10 talibãs que atacaram a base, sete foram mortos, dois detonaram os explosivos presos aos corpos e um foi detido, informou o ministério da Defesa, sem revelar detalhes sobre o ataque.
A ação começou à tarde, na hora da oração de sexta-feira. "Eram 10", confirmou à AFP o oficial contactado na base. "Chegaram a bordo de Humvees e de caminhões do exército afegão. Estavam vestidos com uniformes militares", completou. "Era a hora da oração na mesquita da base, o que significa que as vítimas estavam desarmadas", explicou.
Os soldados foram atacados na mesquita durante a oração e no refeitório da base, indicou o general americano John Nicholson, que comanda a operação "Resolute Support" (Apoio Resoluto) da Otan no Afeganistão. A intervenção das forças especiais afegãs conseguiu acabar com o ataque durante a noite, de acordo com Nicholson.
Os talibãs, que exigem a saída de todas as tropas estrangeiras do Afeganistão, reivindicara, rapidamente o ataque em um comunicado no qual mencionaram "dezenas de mortos". No dia 8 de março, um ataque de mais de seis horas contra o hospital militar de Cabul, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, deixou 54 mortos, de acordo com o balanço oficial, e mais do que o dobro do número divulgado, segundo fontes das forças de segurança.
Correio do Povo/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Quer dizer que, o equivalente de um GC descontou o equivalente de uma Cia Fuz inteira, num ataque de surpresa.

Esses Talibans são bambas...

Anônimo disse...

Alguém sabe um curso bom para o CHQAO ? Pergunto isso pois deve ser a FGV que vai elaborar a prova.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics