12 de abril de 2017

É o Brasil!!! Cinegrafista que virou senador temporário quer usar as Forças Armadas como reformatório para menores infratores

Não, não é uma brincadeira. O suplente de Senador Thieres Pinto (PDT/RR), guindado ao exercício do mandato por quatro meses pelo titular Telmário Mota, que licenciou-se em janeiro para que o substituto sinta o gostinho do cargo,  apresentou na última segunda-feira um projeto de Lei (PLS 101/2017) que  altera a Lei do Serviço Militar, dando prioridade na seleção de voluntários para jovens pertencentes a famílias de renda mensal de até 2 salários mínimos e menores de 16 a 18 anos submetidos a medidas socioeducativas por delitos de menor potencial ofensivo.
A primeira alteração proposta consagra o que já ocorre efetivamente, pois a grande maioria dos recrutas incorporados às Forças Armadas, particularmente ao Exército, enquadram-se num perfil econômico de baixa renda.
Já a proposta de dar prioridade para menores infratores consagra definitivamente a ideia de que quarteis são reformatórios para jovens problemáticos. Uma proposta infeliz para um entendimento equivocado.
"Não podemos deixar a juventude desamparada", justifica o senador em sua petição. "A nossos
militares, que sempre cumpriram com primor as missões que lhes foram atribuídas, propomos a nobre tarefa de contribuir para formação de jovens brasileiros e tirá-los da miséria e da criminalidade."
Então, tá!

Sobre Thieres Pinto
O suplente de Telmário Mota é cinegrafista por profissão e trabalhou por muito tempo na cobertura do Congresso. Em troca de apoio de mídia de sua produtora familiar - Canal 21 - e algum recurso financeiro, ganhou o cargo de suplente, segundo O Globo. O titular é inimigo do maior cacique da política de Roraima, senador Romero Jucá, que dispensa apresentações. 
Thieres adquiriu certa notoriedade ao compartilhar com Michel Temer as delícias da cabine exclusiva do Boeing presidencial, em viagem ao nordeste no final de janeiro. 
— Foi uma viagem excelente, me senti num hotel cinco estrelas. Já tinha viajado muito no sucatão e nos boeings da Presidência atrás de presidentes, mas sempre lá atrás junto com os jornalistas — contou ao O Globo.



24 comentários:

Anônimo disse...

É coerente, as Forças Armadas transforma a vida de muitas pessoas, através da formação de caráter, formando muitos bons profissionais, cidadãos e pais de família!

Anônimo disse...

Grande fingidor.

Anônimo disse...

É um brincante !!!

Léo disse...

Os Generais não conseguem proporcionar uma vida decente e digna a quem se qualificou,estudou,se formou na EsSA e AMAN,e agora aparece um sujeito desqualificado de informações pra falar uma asneira dessas.A propósito,Montedo:o suplente citado não" entrou no lugar do Telmário Mota para sentir o gostinho"...Ele o substituiu porque o suplente de senador que assume o cargo por determinado período receberá por toda a vida os vencimentos integrais de senador.É o BRASIL!!!!!!!

Anônimo disse...

Porque não se propõe mudanças no estatuto da criança e do adolescente que criou uma geração de marginais, porque não param de falar em melhorar a qualidade de vidados professores e realmente façam e não somente falem. o nosso pais esta sem direção e sem identidade.

Anônimo disse...

Vamos (pelo menos) acessar o e-cidadania e votar contra essa idiotice!

Anônimo disse...

Recuperando marginais recém ingressos na maioridade, colocando armamento pesado nas mãos deles.O que será classificado como "pequeno delito"? E os demais cidadãos de bem, convivendo lado a lado com estes potencias marginais? Agora faremos o papel da FEBEM para maiores de 18 anos também? Você militar ficará confortável sabendo que, não um ou outro, mas muitos "pequenos" delinquentes estarão "de serviço" ao seu lado, com pistolas 9 milímetros e fuzis nas mãos? Pelo andar da carruagem, está faltando passar para os militares somente a mais importante tarefa pública que é o comando da nação!

Anônimo disse...

Reflexos da medida:
- aprimoramento da instrução militar da próxima geração de bandidos;
- facilidade para desvio de armamento e equipamento militar para o crime organizado;
- aumento exponencial da indisciplina nos quartéis, sobrecarregando os tribunais militares e tornando o cumprimento de algumas missões virtualmente impossível (como atuar na segurança pública quando a PM resolve fazer greve);
- queda de prestígio das FFAA junto à sociedade;
- corrupção de jovens (até então) ordeiros, que estiverem prestando o serviço militar, pelo convívio com os bandidos;
- exposição da identidade dos militares (até outros dados pessoais, como endereço, renda, posse ou não de armas particulares e identidade dos familiares) às organizações criminosas;
- uso, em serviço, de armamentos por usuários de drogas, colocando a vida de terceiros em risco;

O único ponto positivo que consigo ver é que vai ficar mais fácil para um militar que queira comprar um oitão frio... só encomendar com um recruta!

Anônimo disse...

Ué? O senador temporário apenas está levando ao extremo o argumento favorito utilizado de forma duradoura pelos generais do EB para defender o SMO:

A importância do desenvolvimento de "valores patrióticos cívico-sociais" na cidadania brasileira.

Então, se é para isto, não para desenvolver a capacidade de luta do EB para as guerras do século 21, que serve o SMO, qual o motivo de criticar o político? Ele apenas deseja colocar pivetes e maconheiros envergando uma farda camuflada para serem "ressocializados".

Quanto ao argumento de que o quartel forma bons cidadãos e pais de família, isto é verdade. Mas também forma ladrões corruptos como o Alte Othon, ou então, psicopatas sádicos, como o Cb Pqdt apelidado "Cachorro Louco", que arrancou, à mordidas, pedaços das nádegas de um camarada de tropa, como relatado, aqui mesmo no blog.

Anônimo disse...

Gente não podemos dar Armas a um individuo com medida sócio educativa tudo bem todos merecem uma segunda chance mas nao e assim achar que as forças armada é reformatório.

Anônimo disse...

Chupa essa, generais! Isso é resultado de quererem resolver tudo para os políticos. De obras infinitas pelo Brasil a problemas de atletismo, que deveriam ter patrocínio federal em escolas e centros de formação, e agora quer que as FFFA consertem os delinquentes, noiados, homicidas, estupradores? Querem colocar um fuzil nas mãos deles, oficialmente? Virou hospício? Que tal os parlamentares levarem esses "inocentes" para seus gabinetes e empresas? Já ganham fortunas com verbas extras para não fazerem nada a favor da população.

Anônimo disse...

Teria que colocar no orçamento das FFAA um valor destinado à compra de MAMADEIRAS, PAPEIROS, CHUPETAS e criariam uma nova profissão, a de cuidadores de menores em situação de risco. Seriam menores do tipo que matou o Sub em Manaus e os que cometem outros crimes e não sabem o que estão fazendo e continuam na impunidade, então eles vão ficar bem a vontade com armas de todos os calibres à disposição.Diz a musica antiga "pau que nasce torto, com certeza morre torto".

Anônimo disse...

Quando nos abstemos de elegermos nossos representantes, damos margens a esses fanfarrões da política legislar esses absurdos!! Imaginem só tirar serviço com um "dimenor" infrator com um 7,62mm na mão mais um exemplo do pq devemos eleger representantes.
Senhores ponham a mão em suas conciências, Em 2018 votem regularizem seus títulos de eleitor procurem candidatos comprometidos com os interesses da caserna.

Anônimo disse...

É mais fácil as Forças Armadas virarem menores infratores!

Anônimo disse...

Deveriam pensar em acabar com serviço militar obrigatório e profissionalizar as Forças Armadas. Não se constrói uma fortaleza utilizando material estragado.

Anônimo disse...

Então ele quer ensinar um menor infrator a manusear bem um armamento.

Anônimo disse...

Menor infrator??? Aham. A maioria dos menores infratores que eu conheço, quando chegam em idede de servir ja sao profissionais do crime. Hoje Ja é uma briga feia fazer uma seleção mais ou menos pra fechar as vagas tirando essas peças ruins do meio. Imagina o que não vira se aprova um projeto sem fundamento desses.

Anônimo disse...

Lembram do "Projeto Soldado Cidadão"? Incorporações problemáticas... Era só alteração. Exército nunca foi reformatório.

Anônimo disse...

Em minha turma tinha alguns menores que eram internos do famigerado SAM(Serviço de Assistência ao Menor) no Rio de Janeiro. Foram incorporados na Marinha mas tiveram vida curta na carreira militar. A experiência não deu certo pelo fator disciplinar.

Anônimo disse...

Positivo, mais um suplente espertalhão que quer se aposentar com 180 dias.

Anônimo disse...

Esse bateu forte com a cabeça pra falar tanta asneira.
O pior é que pagamos o salário desses $#@_-&_#$$ta.

Anônimo disse...

Eita, então não seria melhor como "menor aprendiz nas salas dos senadores e deputados". Acorda caro suplente, e a tal Reforma política não sai não? Já estenderam a lona do circo.
Deixo aqui também minha sugestão semelhante a sua cara "Excelência", não seria melhor acabar com todos os políticos no Brasil!?
Vai apresentar um projeto que melhore a saúde, a educação e dedicar mais recursos para essas áreas tão importantes.
Escapaste da lista da "Fachina", considere-se um sortudo por enquanto.

Anônimo disse...

Será que este sujeito prestou Serviço Militar ?
Se gosta tanto dos inocentinhos das unidades sócio-educativas é só candidatar para substituí-lo, já estão prontos.
Ou está confundindo o Serviço Militar com sócio-educativo ou está querendo aperfeiçoar os meninos em técnica de tiro, incursão, silenciamento de sentinelas, armeiros e outras técnicas para depois colocá-los na vida civil aptos a serem cooptados pelo crime organizado?
IV

Anônimo disse...

Absurdo e tomar posse por 4 meses, receber o resto dá vida os vencimentos de senador, isso sim é absurdo. Criar um projeto polêmico para atrair os holofotes, ou será que esse cidadão tem interesse no futuro desses delinquentes? Enquanto isso, os políticos continuam roubando e ninguém vai preso, a aposentadoria cada vez mais distante, segurança pública sem comentários, e cada vez mais o país se afundando na lama.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics