7 de abril de 2017

BBC acompanha missão em helicóptero e filma Estado Islâmico usando escudos humanos


Uma equipe da BBC teve acesso a uma missão contra o grupo extremista autodenominado Estado Islâmico (EI) em Mossul, no Iraque.
A partir de um helicóptero militar iraquiano, foi possível testemunhar o uso de escudos humanos pelos militantes islâmicos, uma prática considerada crime de guerra.
O helicóptero sobrevoa a cidade quando são identificados homens armados próximos de uma rotatória onde há uma bandeira do EI.
“Tem um caminhão lá. É para onde estão indo. Vão usá-lo para fugir. Precisamos que alguém cuide disso, por favor”, afirma um dos militares.
“Ok, entendido”, responde outro integrante da operação.
É neste momento que os pilotos do helicóptero percebem que não podem atacar.
“Estão armados. Tem uma mulher com eles? O que é aquilo? Uma criança? O homem está armado, mas está com uma criança.”
O piloto encontra então um alvo contra o qual pode disparar e pede permissão: “Posso atirar?”.
Ele atinge o alvo e ouve de volta: “Muito bem”.
BBC Brasil/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Pois é.....no Iraque os takfiri do estado islâmico, que sofrem ataques dos eua e alguns países europeus são os bandidos (e são mesmo) mas na Síria, o mesmo Estado islâmico que é combatido pelo exército Sírio e Russos (e estão em seus momentos finais) já passam a ser os "moderados"; "rebeldes que lutam para instituir uma democracia na Síria". Depois dos ataques estadunidenses dessa madrugada contra uma base aérea Síria, um repórter dos EUA, comentou ao vivo que "as imagens" dos misseis sendo lançados eram muito "bonitas". Por enquanto informações muito desencontradas, o que é normal. O governo Sírio alega que nesse ataque, crianças foram mortas. E agora? Também surgem informações na internet que durante os ataques, coincidentemente (ou coordenados?) terroristas do estado islâmico, Al-Nusra, FSA e vários outros grupos lançaram ataques contra várias posições do Exército Sírio. Conselho de Segurança d ONU reunido em caráter urgente. Ninguém sabe ainda as reações. Dessa base aérea partia a maior parte do esforço aéreo para cobertura e apoio as tropas do exército Sírio que lutam em terra.

Anônimo disse...

E a ONU? Como não tem petróleo envolvido, ficam só observando e falando, falando...

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics