8 de abril de 2017

Executivo revela propinas milionárias para o PT na construção de submarinos

SUBMARINOS DA CORRUPÇÃO
PETISTAS LEVARAM R$17 MILHÕES DE SUBORNO EM ANO NÃO ELEITORAL
O executivo Benedicto Barbosa da Silva Júnior, ex-presidente da Construtora Norberto Odebrecht e principal braço do setor de infraestrutura do grupo, confessou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que repassou R$ 17 milhões em propinas, entre 2012 e 2013, ao PT no contrato de construção de 5 submarinos – um deles movido à energia nuclear – para a Marinha. O negócio de R$ 31 bilhões foi fechado em parceria com a francesa DNSC, que tem como principal acionista o governo da França, em 2008.
O delator foi ouvido no dia 2 de março como testemunha da ação movida pelo PSDB, que pede a cassação da chapa presidencial Dilma Rousseff (PT), presidente, Michel Temer (PMDB), vice, de 2014.
“Ele (Marcelo Odebrecht) me alocou R$ 17 milhões ao longo da vida do submarino”, afirmou Benedicto, que é um dos 78 nomes da mega delação da Odebrecht, fechada com a Operação Lava Jato. “Ficou uma deliberação para o Partidos dos Trabalhadores ao longo das suas necessidades. Foi feito como caixa 2, mas não era campanha.”
A grana era para que as liberações de dinheiro do governo federal no contrato de construção dos submarinos do Programa de Desenvolvimento de Submarino (Prosub) não parassem. O programa foi lançado no governo do ex-presidente Lula, que assinou a “parceria estratégica” com o então mandatário da França, Nicolas Sarkozy. A DCNS ficou responsável pela transferência de tecnologia ao País e escolheu a Odebrecht como parceira nacional no projeto, sem realização de licitação.
Alvo de investigação da Operação Lava Jato, o Prosub foi inicialmente orçado em 6,7 bilhões de euros. O pacote previa a construção de um estaleiro, localizado em Itaguaí, no Rio, a operação e manutenção dos submarinos e a construção de quatro submarinos convencionais e o projeto e a construção do submarino com propulsão nuclear.” Segundo a Marinha, o valor estimado até o final do programa é de cerca de R$ 31,85 bilhões.
Um dia antes de Benedicto depor ao ministro Herman Benajmin, relator da ação contra a chapa Dilma/Temer, foi Marcelo Odebrecht quem foi ouvido. O empresário afirmou que controlava uma “conta corrente” de valores a serem pagos para as campanhas presidenciais do PT (Dilma Rousseff) de 2010 e 2014. A conta era gerida no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht – o chamado departamento da propina, por investigadores -, em nome de “Italiano” e “Pós-Italiano”, que eram os codinomes usados para os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, seus interlocutores com o PT e o governo federal nessas tratativas.
Segundo Odebrecht, o grupo tinha acertado em 2014 um total de R$ 150 milhões a serem repassados oficialmente e via caixa 2 para a campanha presidencial do PT. Desse valor, ele afirmou que R$ 50 milhões ele pediu que fossem bancados pela área de infraestrutura do grupo, em especial, pelo interesse de que as liberações de recursos do Prosub não parassem.

Orçamento fictício
Benedicto era um dos principais homens do setor de infraestrutura da Odebrecht no Brasil. Ele afirmou ao TSE que sua área se afastou de contratos do governo federal, a partir de 2013, por problemas nas liberações dos recursos, tendo executado principalmente negócios de parcerias, no formato de Parcerias Público Privada (PPPs).
“A gente tinha, no meu caso, uma aversão ao governo federal por uma questão óbvia. O governo federal nos obrigava a trabalhar com o OGU (Orçamento Geral da União). O OGU era uma peça de ficção científica, apesar de terem criado o PAC para tentar sistematizar os pagamentos, organizar os pagamentos e fazer uma coisa mais clara…”, explicou Benedicto, sobre os grandes projetos que a construtora tinha com o governo federal, a partir de 2013.
DIÁRIO do PODER/montedo.com

13 comentários:

Anônimo disse...

Caros militares, aproveitando o post mais recente, queria saber se alguém poderia me informar sobre quais cursos que o exército oferece que ajudam no aumento do soldo. Obrigado!

Anônimo disse...

Nenhum curso do Exército aumenta o seu soldo. Ele será sempre o mesmo para o posto ou graduação que ocupa, independente da pessoa.

Cursos dão apenas alguns acréscimos na remuneração final, mas jamais aumentam o soldo.

Anônimo disse...

Vou fazer um estudo de caso de um 3º sargento (para um oficial, seria um pouco diferente):
O soldo é R$ 3325,00, e isso não muda. Os cursos de especialização (Paraquedista, Operações na Selva, Polícia do Exército, Comandos, Forças Especiais, Administração de Depósitos, Meios Auxiliares de Instrução, Identificação Datiloscópica, Perícia Criminal...) aumentam o adicional militar de 12% do soldo (que é o normal de quem não tem curso nenhum) para 16% do soldo. Isso vai dar uma diferença de uns R$ 130,00 no vencimento de um 3º sargento. Essa diferença em relação aos que não têm curso não é cumulativa (só vale para um curso) e só dura até que o sargento passe pelo curso de aperfeiçoamento (todos fazem, cerca de dez anos após a formação como sargento), quando todos, com ou sem curso de especialização, passam a receber adicional militar de 20% do soldo.
Os estágios (montanha, caatinga, pantanal, adaptação à vida na selva, segurança de autoridades, caçador, batedor, adestrador de cães de guerra...) não são considerados cursos e não mudam o adicional militar.
Os militares que fizeram curso de paraquedista e que servem em unidades que realizam saltos com frequência recebem 20% do soldo como "compensação orgânica" enquanto estiverem servindo nessas unidades. A cada ano que o militar serve em uma unidade dessas, ele incorpora ao seu vencimento 4% de compensação orgânica: se um militar serviu três anos na brigada paraquedista, ele recebia 20% do soldo a mais durante esses três anos e depois que saiu de lá, passou a receber 12% (3 cotas de 4%). Essa compensação orgânica é um tipo de indenização pelo desgaste adicional do corpo do militar em atividades como paraquedismo e mergulho... na prática, uma forma de você vender seu ombro e seu joelho.

Anônimo disse...

Tudo que foi feito dentro do que chamam periodo democratico tem propina. Mas a culpa é sempre dos outros. O mantra continua: tudo dentro da lei e devidamente declarado.
Amo amo amo estes puros.

Anônimo disse...

Além do que foi dito pelo anônimo das 02:15,não basta somente fazer o curso. Os cursos oferecidos são inerentes ao seu posto/graduação, especialidade e lógico,devem possuir aplicação prática na atual função que o militar está exercendo.Um exemplo para um graduado é um curso de aeronavegante em uma aeronave específica.Este curso exige aulas teóricas e práticas na aeronave "x" e já, durante o cumprimento das "OIs"(ordens de instrução)na aeronave,o militar, já voando como aluno, passa a ter direito a 20% do soldo como "compensação orgânica". Mas para levar esta porcentagem em definitivo para a RR, terá que voar(cumprir provas aéreas) por no mínimo 10 anos. Se voar só um ano, leva 2% do soldo que recebia na época do voo. Cada ano voado,acrescenta 2% até completar os 10 anos.Observação: Os "20%" são do soldo que recebia quando realizou o último voo!

Anônimo disse...

Amigo, soldo é salário-base dos militares pago por graduação/ posto, do qual é utilizado para cálculo sobre gratificações, adicionais e etc. Em que soldo +gratificações, adicionais e etc resultam em remuneração do militar. Ou seja, se vc for 3° sargento recebe um soldo tabelado para esta graduação, enquanto o 2°sgt recebe um soldo superior ao de 3° e assim sucessivamente. Vc poderá aumentar sua remuneração realizando cursos militares de formação, especialização, aperfeiçoamento e altos estudos que têm porcentagens diferentes e progressivas sobre o soldo.

Anônimo disse...

Amigo, muito obrigado pela resposta!

Anônimo disse...

Paraquedista... "Scroto" e
Mergulhador de combate.

20% de adicional.

Agora é só começar a treinar.

Fé na missão!!!

Anônimo disse...

Vc está errado.
Atualmente o curso de especialização aumenta o Adc Hab de 12 para 20%.

Se não tem curso, os 20% só no CAS ou CAO

Anônimo disse...

Ao Anônimo das 10:07: muito agradecido pelas informações tão gentilmente compartilhadas. Agradecimentos extensivos aos demais cavalheiros. Eu só gostaria de perguntar se tais valores não são baixos demais? Apenas R$ 130,00 a mais para alguém com curso de Comandos não parece certo. Além disso, também parece injusto que um 3o Sgt com curso de Comandos não possa acumular tal valor caso conclua o curso de FE.

Também acho estranho que um sargento que conclua um curso tão sensível como o de Caçador não receba nenhuma satisfação financeira por isso.

Anônimo disse...

Só isso!

Anônimo disse...

A pergunta mais difícil de ser respondida: qual contrato os petistas não levaram nenhum tostão de propina? Nunca na história desse país, um presidente e uma presidANTA, foram tão mentirosos e corruptos. E a que se diz ex-guerrilheira ainda tem a cara de pau de dizer que pegou em armas pela democracia. Conversa de cheFA de facção criminosa.

Anônimo disse...

A censura desse blog é lamentável. Só publica se for para falar mal do PT, se tiver um contraditório, não sai.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics