3 de abril de 2017

Paraquedistas do Exército caem em cima de casas na Zona Oeste do RJ

De acordo com o órgão, queda foi provocada pelo forte vento que atingiu a região. 
Os alunos, que estavam em treinamento, não ficaram feridos

Rio - Quatro paraquedistas caíram em cima de casas durante treinamento, em Campo dos Afonsos, na Zona Oeste do Rio, neste sábado. De acordo com o Exército Brasileiro, a queda foi provocada pelo forte vento que atingiu o local. Nenhum deles ficou ferido.
O órgão explicou que os alunos estavam em um avião de grande porte, que comporta 30 pessoas. Em uma foto enviada ao WhatsApp O DIA (98762-8248), é possível ver um telhado quebrado após o acidente.
Uma equipe da Brigada Paraquedista esteve na região, neste domingo, para apurar as causas da queda e fazer o reparo das residências danificadas. Segundo relatos, o instrutor teria ordenado que os alunos pulassem antes do local específico.
No entanto, até o momento, o Exército não confirmou esta informação e não disse se abrirá alguma investigação sobre o caso.

Reportagem do estagiário Rafael Nascimento
O DIA/montedo.com

Confira outras imagens do ocorrido, recebidas pelo blog via WhatsApp:



12 comentários:

Anônimo disse...

Djalmão diz:
Quem pula é sapo...PQD salta...

Anônimo disse...

Pelo que fiquei sabendo, foi erro técnico mesmo, da luz verde acesa, no momento errado, não entendo muito, mas foi mais ou menos isso.

Anônimo disse...

Serve como treinamento. Faz parte dos riscos.Em Porto Velho, ha muitos anos, uns paraquedistas civis saltaram sobre o aeroclube que ficava em torno de uns 5 a 6 Km do aeroporto principal.O vento foi tão forte que dois deles caíram no pátio do aeroporto principal.Sorte que não tinha nenhum avião em aproximação.

Anônimo disse...

Não interessa se faz parte dos riscos, se foi acidental ou não. Quero que o exército conserte o meu telhado.

Anônimo disse...

Não tem que consertar nada não....mora perto de área militar pq quer......deu sorte de não ter sido um obuse.

Anônimo disse...

Selva.

Anônimo disse...

Para consertar os danos, vão ter que esperar ressarcimento de verbas da União, se tiver verbas, ou fica para o orçamento do ano que vem. Fiz um tratamento odontológico para receber ressarcimento. Parecia rápido e fácil, conforme os dentistas. Final da estória: esta fazendo uns quatro anos que nem previsão tem.

Anônimo disse...

PQD salta. Hum. Djalmao.

Anônimo disse...

Kkkkkk kkkkkk PQD liso.

Anônimo disse...

Há trinta anos o mestre de saltos era formado com cerca de vinte lançamentos durante o curso. As restrições de meios aéreos (leia-se "penúria" reduziram progressivamente esse número. Alguns cursos formaram militares com quatro ou cinco lançamentos. Em alguns cursos recentes, as restrições de aeronave eram tantas que chegaram a cogitar que os alunos fossem habilitados realizando lançamentos de simulador. Resultado...

Anônimo disse...

PQDT estava treinando pra entrar pela chaminé, pro natal da "família militar", trazendo de presente a reestruturação da carreira das armas!

Anônimo disse...

(3 de abril de 2017 18:45) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics