12 de junho de 2017

Abin é acusada de investigar Fachin a mando de Temer. General nega

Gilmar Mendes critica "tentativa de intimidação" após notícia de espionagem
Agência Brasileira de Inteligência teria investigado o ministro do Supremo Edson Fachin
Para o general Etchegoyen, a Abin "não iria bisbilhotar ninguém".
Após a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, o ministro Gilmar Mendes, do STF e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), criticou neste domingo a possibilidade de a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) ter investigado o ministro Edson Fachin, do Supremo.
"A tentativa de intimidação de qualquer membro do Judiciário, seja por parte de órgãos do governo, seja por parte do Ministério Público ou da Polícia Federal, é lamentável e deve ser veementemente combatida", disse o ministro Gilmar Mendes, por meio de nota.
O suposto uso da Abin por Temer é tema de reportagem da revista Veja publicada neste fim de semana. Segundo a publicação, o ministro do Supremo Edson Fachin - relator do inquérito contra o presidente Michel Temer - estaria sendo monitorado pela Abin a pedido do Palácio do Planalto. A ação teria como objetivo buscar fragilidades que poderiam colocar em xeque a atuação do ministro.
Começando pela presidente do STF, no sábado, as reações foram fortes à mera possibilidade de isso ter acontecido. Cármen Lúcia condenou a suposta "devassa ilegal" da vida do ministro e disse que isso, se confirmado, seria "prática própria de ditaduras". Menos de 3 horas depois, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, criticou "práticas de um Estado de exceção".
"É inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal, contra a Democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes", disse Cármen Lúcia. Segundo ela, se comprovada a prática, em qualquer tempo, "as consequências jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido, como determinado pelo direito".
Até o momento, ainda não foi confirmado se já foi aberto algum procedimento de investigação sobre a suposta "devassa ilegal", nas palavras da ministra do Supremo.

Negativa
O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sergio Etchegoyen, negou que a Abin tenha monitorado o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin. "Tenho certeza de que isso não aconteceu. Confio na Abin, nos profissionais da Abin e eles têm dado reiteradas mostras de seu profissionalismo", afirmou Etchegoyen ao jornal "O Estado de S. Paulo".
A agência é subordinada ao gabinete do general. O Palácio do Planalto emitiu na noite de sexta-feira nota à imprensa negando a versão da publicação. Etchegoyen telefonou para a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, para negar o teor da reportagem. "Eu não me prestaria a isso." Para Etchegoyen, a Abin "não iria bisbilhotar ninguém".

Ataque
Relator da Operação Lava Jato no Supremo, o ministro Edson Fachin tem recebido ataques que partem do Planalto e do Congresso. A "tropa de choque" do governo na Câmara quer cobrar explicações de Fachin sobre a relação dele com o Ricardo Saud, executivo da JBS e um dos delatores do Grupo J&F. Os deputados apontam que Fachin teria sido ajudado pelo delator no período em que estava se preparando para a sabatina no Senado para referendar a indicação ao Supremo.
Por outro lado, o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ), opositor ao governo, informou na noite do sábado que já começa a articular com parlamentares a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suposto uso da Abin pelo presidente Michel Temer.
CORREIO do POVO/montedo.com

8 comentários:

Anônimo disse...

Os comandante de OM também negam que perseguem Sargentos. Sei!

Anônimo disse...

É difícil acreditar nisso, mas, como a credibilidade do governo é a pior possível, qualquer coisa que espalhem pelas redes sociais ou outro meio se torna "verdade" e provoca um alvoroço. O governo diminuiu a equipe de delegados, exclusivos da lava-Jato, de nove para quatro; tem vários magistrados indicados pelos envolvidos e isso se mostrou na votação da cassação da Chapa Dilma/Temer; notícias com informações de atividades anteriores ao cargo de relator da Lava-Jato, tentando desqualificá-lo; e, outras, mostram formas de atitudes que fortalecem as suspeitas. A baixaria de noticias falsas para desacreditar a verdade e fazer a mentira prosperar foi muito usada na campanha petista das últimas eleições, chapa Dilma/Temer.

Anônimo disse...

Todo militar sabe perfeitamente que a ABIN não tem condições de investigar ninguém. Os agentes secretos da ABIN ficam dentro dos escritórios monitorando papel e as redes sociais, e para isso, ela utiliza quem, o serviço de informações e militares lotados no CIEX das três forças, inclusive onde tenho alguns colegas trabalhando dentro da ABIN, somete os jornalistas que desconhecem o fato. Então se perguntarem se a ABIN, esta espionando o ministro é claro que não.

Isso me lembra, quando o ministro da defesa era o Viegas, e ele entro em rota de atrito com o comandante do exercito, general Albuquerque, se não for é o general que parou o avião da TAM em Campinas e deu uma carteirada para poder viajar, se fosse um praça que desse uma carteirada no ônibus que passa na vila militar teria sido excluido a bem da disciplina. Mas vamos ao fato, ele botou os nossos coleguinhas do CIEx para dar uma espiada no nosso ministro, e rapidamente foi vazado para a imprensa de uso de carros do ministerio da defesa para uso da familia do embaixador. E o Viegas foi demitido logicamente, além de ver a sua imagem arranhada pelo uso de bens da união em proveito próprio.





Diego H disse...

Judiciário....tá tudo corrompido...o vírus da corrupção infectou parelho....

Anônimo disse...

Tá tudo aparelhado. Judiciário não é mais confiável, é conveniente com a política. Só isso, e apenas isso!!Como disse o grande estadista Roberto Campos: "O Brasil não corre o menor risco de dar certo." Pobres pagadores de impostos...

Anônimo disse...

Deve ser a piada da semana: Depois daquelas gravações do "falastrão", o presidente "jura" que não mandou investigar ninguém e a presidente do STF, acreditou, ou fez de conta, só para acalmar os ânimos dentro e fora do tribunal. Uma coisa é certa, os petistas querem ver o "circo" do Temer pegar fogo bem rápido, para que o palhaço pinguço volte ao "picadeiro". De qualquer forma, os petistas se ferraram mais uma vez, o que é costumeiro. Como a situação da Dilma não tem jeito, torciam pela cassação da chapa para tirar o Temer e depois pagar o quanto desse para "convencer" parlamentares a votarem por diretas já e tentar se apoderar da presidência novamente. Não deu. Gastaram dinheiro com "sandubas", aluguéis de ônibus e outras despesas, e voltaram para o mesma situação de antes. Agora vão à caça de Temer pelas delações do "falastrão" da JBS. O Temer vai empurrando com a barriga até o final de 2018, sem nenhum pingo de moral, mais vai.

Anônimo disse...

Vamos deixar de ser criancinhas... temos vários órgãos de inteligencia dentro da Marinha/Exercito/Aeronáutica e alguem acha que iriam utilizar a ABIN onde estão os esquerdopatas??? santa ingenuidade. esse "vazamento" foi apenas para desestabilizar e foi feito por um PTista com certeza.

Anônimo disse...

A verdade é uma só, nossas Instituições fedem, a começar pelo Exército Brasileiro.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics