22 de junho de 2017

Mestrado e doutorado em Estudos Estratégicos Internacionais selecionam oficiais e sargentos da ativa

O prazo encerra dia 24. Ainda há tempo.
Porto Alegre (RS)  - O Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos Internacionais divulgou os editais de seleção para vagas de mestrado e doutorado destinados a militares, em parceria com o Comando Militar do Sul. A turma especial 2017 terá até quatro vagas para cada um dos níveis na Linha de Segurança e Defesa Internacional, com ingresso no segundo semestre deste ano.
As inscrições, a partir das instruções constantes nos editais, ocorrem de 19 a 24 deste mês.
Os cursos têm como objetivo estimular, através de pesquisas de alta qualidade e impacto, a produção de conhecimento de vanguarda no âmbito dos Estudos Estratégicos Internacionais e das Ciências Militares; desenvolver o estudo e a pesquisa em Estudos Estratégicos Internacionais que possam contribuir para a formulação das políticas de Estado nos diversos aspectos que envolvem as questões de Segurança e Defesa Nacional; e desenvolver habilidades associadas à transmissão de conhecimentos, em especial a publicação de artigos científicos e a prática de atividades docentes.
Para participar da seleção, o candidato deve ser oficial, subtenente ou sargento, da ativa, ou Prestador de Serviço por Tempo Certo (PTTC), pertencente às Organizações Militares do Comando Militar do Sul, em ambos os casos, preferencialmente, da Linha de Ensino Militar Bélico, além de ter as formações exigidas pelo edital. Serão considerados, como critérios de seleção, o resultado em Prova de interpretação de textos em inglês a partir da bibliografia indicada, Análise do Projeto de Pesquisa, Análise do Currículo Vitae e Entrevista com a Comissão de Seleção.
Outras informações e os editais completos estão disponíveis na página do PPGEEI.
UFRGS/montedo.com

20 comentários:

Sylvio Moya disse...

Adivinha o principal item levado em consideração na entrevista? Ter o QI. No mínimo general de 3 estrelas.

LUIZEDZ disse...

Fico imaginando quais são os verdadeiros critérios adotados na seleção de praças. Certamente o critério meritocracia será o último a ser avaliado.

Anônimo disse...

Por gentileza alguém sabe quando o CPEx mostrará a nossa prévia?

Anônimo disse...

Somente o Comando do Sul....e a homogeneidade da Força ? Eles são diferentes de nós ? E na hora da comissão promover ...verá o pessoal melhor que nós ?
Inglês ?

Anônimo disse...

Querem reestruturação da carreira? Rezem para o Temer não cair.

Anônimo disse...

A novidade que eu tenho sobre o reajuste (reestruturação) é que será em 4 anos, de 2018 a 2021. Sempre em janeiro e setembro. Sendo que em 2018 totalizará um ganho total de 30%.

Anônimo disse...

Puro engodo para as praças. Certamente nenhum praça será selecionado. Desde quando o Exército quer praça mestre ou Doutor ?????? Só se for para mestre de obras !!!

Anônimo disse...

Montedo tá com dificuldade de administrar o blog? Quer ajuda?

Anônimo disse...

Não entendi. Pós graduação não deve ser oferecida somente para oficiais de carreira, egressos da AMAN, EsFCEx, e IME? Pq que uma instituição paisana oferece vagas para ST/ Sgt, ao contrário das FFAA? Que isso seja uma mudança de paradigmas, corroborada com o incremento educacional das praças de carreira, as quais alcançam degraus no conhecimento através de recursos próprios, sem qualquer estímulo da profissão.

Márcio Amaro disse...

Poxa, o pessoal não se cansa dessa luta de classes chata e repetitiva?

Anônimo disse...

Yeah baby...

Anônimo disse...

Tambem querem o praça na funçao de comandante: Comandante da guarda!
Salve-se quem puder! Que essa canoa ta furada!

Garivaldino Ferraz disse...


Está ficando difícil acompanhar os "militares" que comentam no blog. Nos meus 37 anos de serviço nunca encontrei gente tão mal informada e de tasnta má vontade. Decididamente, não acredito que sejam militares. Devem ser remanescentes da turma dos MAV que ainda insistem em querer desmoralizar os militares.
Criticam pelo simples prazer de criticar, sem nem mesmo se dar ao trabalho de saber o que estão criticando.
Se tivessem a mínima noção do que é um curso de mestrado ou doutorado - e os que não tem essa noção deveriam, pelo menos ir ler o edital cujo "atalho" foi disponibilizado - saberiam que a seleção é feita pela Universidade, com critérios próprios, onde não vale nada a "indicação".
Sugiro que leiam o conteúdo deste "atalho" para saberem os possíveis frequentadores dos cursos em questão - os que não se limitam a criticar por criticar e vão em busca de melhorias: www.ufrgs.br/ppgeei/wp-content/uploads/2017/06/Homologa%C3%A7%C3%A3o-pedidos-de-isen%C3%A7%C3%A3o-3.pdf
Boa sorte aos profissionais que lutam para melhorarem suas condições de vida apesar das sementes de desesperança plantadas pelos que não tem condições de o fazer e se limitam a chorar as mágoas e esperar melhorias salariais e benesses que "caiam do céu".

Anônimo disse...

"Sugiro que leiam o conteúdo deste "atalho" para saberem os possíveis frequentadores dos cursos em questão - os que não se limitam a criticar por criticar e vão em busca de melhorias: www.ufrgs.br/ppgeei/wp-content/uploads/2017/06/Homologa%C3%A7%C3%A3o-pedidos-de-isen%C3%A7%C3%A3o-3.pdf"

Não há um só praça na sua lista. Todos são oficiais de escola.

Que piada...

Anônimo disse...

Feliz para os que ficarem mais 7 anos de caserna, que venha os 55 anos como limite para reserva. Trabalhar é bom, ainda mais com salário baixo.

Anônimo disse...


Certamente isso vai acarretar ações judiciais contra esse "privilégio" para militares.
Os programas de pós-graduações são concursos públicos e não podem ser direcionados para uma categoria profissional específica.
Querem Mestrado ou Doutorado? Concorram igualmente com os civis, como eu fiz nos meus dois mestrados e estou tentando no doutorado.

Sapere Aude - Ouse saber. Kant

Jefferson Nogueira - ST SAU Reserva Remunerada
Autor do Artigo "A precarização salarial das Forças Armadas".


Anônimo disse...

Está ficando difícil acompanhar os comentários dos militares que só pensam em si próprio e não no coletivo...

Anônimo disse...

Concordo com o comentarista Garivaldino Ferraz.

A primeira coisa que fiz foi abrir o edital e ler. Não concordo com essa "reserva de vagas" para uma categoria profissional específica, mas pelo edital e por minha experiência em processos seletivos tanto de mestrado quanto de doutorado, será uma peneira fina onde somente "os mais aptos sobreviverão".
Diante de uma banca de admissão "choram menos os que podem mais".
Uma dica aos que forem se inscrever:
-Verifiquem os currículos dos professores para identificar um possível orientador;
-Verifiquem as linhas de pesquisa e sobre quais temas são pesquisados;
-Procure desenvolver um projeto de pesquisa dentro dessas linhas, senão serão desclassificados. Nenhum professor quer sair de sua zona de conforto e orientar um assunto que desconhece.
-Se possível, entre na plataforma lattes e procure o currículo do professor e comunique-se com ele sobre uma possível orientação sobre o projeto que pretende apresentar. Eles são bem receptivos na maioria das vezes.
-Façam um curso de inglês instrumental, procurem um na net chamado MARTA GARCIA, pelo que vi é muito bom.
-Se precisarem de alguma orientação, estou à disposição:
prof_jefferson@yahoo.com.br


St R1 Jefferson Nogueira

Garivaldino Ferraz disse...


Ao colega comentarista de 23 Jun - 17:24h:
Como o assunto é relativo a seleção feita pela UFRGS, não me interessei em saber Posto-Graduação dos candidatos, pois entendo que isso é secundário. É uma seleção "por competência" e o documento que citei não esgota a relação de candidatos (trata-se dos que pediram isenção de taxas e deve haver outros candidatos que não acharam necessário esse pedido).
Alertado pelo seu comentário, fui dar uma pesquisada e encontrei que um dos citados (por casualidade o que teve o pedido inicialmente negado por falta de documentação) é Sargento da Arma de Comunicações.
Reitero meus votos de boa sorte a todos os que conseguirem matricular-se nos cursos em questão, independentemente de hierarquia militar. E que mais convênios como esse sejam efetuados.

Anônimo disse...

Quando me perseguiram dentro do 29ºBIB e me reformaram com laudo completamente questionável,resolvi concorrer em pé de igualdade com Juizes,Auditores, Delegados da Policia Civil e Oficiais superiores da Brigada Militar(Policia Gaucha) a uma das 30 vagas do Curso de Pós Graduação em Segurança Cidadã, Violência, Criminalidade e Policia ofertado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Adentrei aquela instituição renomada de ensino superior sem ajuda da famosa meritocracia ou QI dos militares do Exército Brasileiro. Lembro na época que para o ingresso fui submetido as duas provas de proficiência: Espanhol e Francês, assim como uma prova rigorosissima do conteúdo programático e a defesa do Pré Projeto. Após dois anos de profícuo estudo defendia a minha dissertação com o titulo: EXÉRCITO BRASILEIRO E O PARADOXO DA CIDADANIA NO AMBIENTE MILITAR, cujo Orientador foi o famoso jurista gaúcho HUMBERTO GUASPARY SUDBRACK, obtive nota máxima 10. Detalhes MÉRITO MEU!!!

Atenciosamente, "A LENDA DO 29º BIB".

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics