6 de junho de 2017

Legítima defesa: sargento do Exército mata homem a tiros na saída de baile funk em Florianópolis

Homem é morto a tiros em saída de casa noturna de Jurerê Internacional neste sábado
Homem é morto a tiros em saída de casa noturna de Jurerê Internacional neste sábado Felipe Carneiro/Agência RBS
Um homem foi morto a tiros na área que dá acesso ao Stage Music Park, em Jurerê Internacional, no Norte da Ilha de Santa Catarina, neste sábado. A ocorrência foi registrada por volta das 7h. A vítima, segundo a Polícia Militar, é Anderson Aguirre Bia, 22 anos, natural de Xanxerê.
Segundo informações do tenente-coronel Sinval Santos da Silveira Junior, comandante do 21º Batalhão da Polícia Militar, um sargento do Exército é o autor dos disparos e alega ter agido em legítima defesa. O sargento teria relatado que estava havendo uma briga e que interveio na situação. Houve contato físico e a arma do militar caiu no chão. A vítima teria pegado a arma e atirou contra o militar, que foi atingido na mão esquerda. Ainda segundo o relato do sargento, ele teria conseguido recuperar a arma de fogo e, do chão, disparou contra a vítima, que morreu no local.
Segundo a PM, o militar foi conduzido a Central de Plantão Policial e depois será encaminhado ao Exército. Conforme informações do Comando da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, na Capital, o militar era lotado em Tubarão e estava em horário de folga em Florianópolis. A ocorrência não teria qualquer vínculo com a atividade funcional e a arma era particular.
O Comando explica ainda que qualquer militar pode ter porte de armas, desde que atenda a alguns critérios, como boa conduta e passar por testes psicológicos e de armamento.
O fato ocorreu na área que dá acesso ao estacionamento da casa noturna. A assessoria de imprensa do Stage Music Park, diz em nota que o complexo confirma o incidente "ocorrido às margens da rodovia que dá acesso ao seu estacionamento, que resultou em um falecimento na manhã de sábado".
Na sexta-feira, o espaço para shows recebeu o Baile do Poderoso. Marcado para começar às 21h, a programação contava com apresentações de oito funkeiros, como MC Brisola e MC Brinquedo.

Confira a nota do Stage Music Park na íntegra:
O complexo confirma o incidente ocorrido às margens da rodovia que dá acesso ao seu estacionamento, que resultou em um falecimento na manhã de sábado, dia 03.06. Segundo informações preliminares, a ocorrência envolveu um sargento do exército, com porte de arma, que supostamente agiu em legítima defesa. O evento promovido no complexo havia se encerrado por volta de 5h30 da manhã e o fato ocorreu por volta de 6h45, não havendo fluxo significativo de pessoas no momento. A equipe da casa colaborou para as investigações do caso, que estão sendo conduzidas pela Polícia Civil em Florianópolis, a quem competirá relatar as informações na integralidade.
DIÁRIO CATARINENSE/montedo.com

28 comentários:

Anônimo disse...

Militar de folga e armado, final de baile funk(certamente todo mundo sóbrio), vai separar briga sem ter nada com a ocorrência? Estória está mal contada. Quem porta arma tem que ter o dobro de controle emocional para não se tornar vítima ou assassino. Em Floripa já teve o caso dos dois delegados da PF,que dizem, chegaram já embriagados ao bordel, começaram uma confusão e disseram que iam matar todo mundo, de acordo com testemunha. Morreram os dois e balearam um vendedor de cachorro quente que era expert em tiro e estava armado(?).

Anônimo disse...

Acho engraçado é que a Polícia Militar e a Polícia Civil parecem ser muito burras, pois criam problema com militares das FAs, quando estão armados, como se esses não tenham direito a ter arma. Onde prestei serviço militar, um certo dia, a equipe de serviço foi acionada porque a PM tinha levado um capitão nosso para a 33ª DP porque ele estava com sua arma regular, e o delegado ignorava que o militar podia ter arma. Depois o despreparado é o militar! Cambada de incompetentes!

Anônimo disse...

Matéria/foto vergonhosos.

Anônimo disse...

http://blogs.oglobo.globo.com/ancelmo/post/voo-rio-x-campinas-atrasa-por-causa-de-manobra-de-avioes-da-marinha.html

Anônimo disse...

Tanto lugar pra ir vai em porcaria de baile funk... arrego

Anônimo disse...

Depois vêm cheios de marra querendo porte de arma,dizendo-se injustiçados, renegados, entre outras besteiras. O cara foi procurar problema, metendo-se em confusão q nada tinha a ver com ele. Agora pergunto: se ele não estivesse armado teria ido se meter? Respondo, de forma alguma. Por essas e outras q concordo em gênero, número e espécie qdo os Cmts das OMs em q servi negaram o porte a praças. Só vejo nego queimando o nosso filme.
ST MB

Anônimo disse...

"ele era funkeiro mas era pai de família..."

Anônimo disse...

Se agiu dentro dos preceitos legais dos excludentes de ilicitudes está amparado. Agora, se o EB irá ampara lo é outra história. A tal da lealdade que todos os cmts gostam de falar em formaturas é uma via de duas mãos. Mas tenham certeza, se fosse com um PM não ia dar nada.

O patriota disse...

http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,com-artilharia-antiaerea-e-dinamite-bando-rouba-carro-forte-em-ms,70001828937

Anônimo disse...

Ô ST MB 6 de junho de 2017 22:04, complemento dizendo:

Por causa de "alguns" praças imaturos (principalmente aqueles que mal chegaram aos 20 anos, mal recebem as divisas da ESA [como as "estrelas" do NPOR, traçando-se um paralelo, claro] e se acham "otoridade" acima da lei, sem qualquer instrução de Art. 5º da CF), os praças mais antigos, maduros e que realmente necessitam do porte de arma acabam tendo seus requerimentos de porte indeferidos! Infelizmente, os Of Sup acabam colocando bons e maus no mesmo caldeirão... por medo!

Mas, o que que um menino de 22 anos estava fazendo com um porte de arma (O CMP, por exemplo, permite somente praça estabilizado)? No CMS é permitido?

Vamos ver o andamento dessa novela que vai culminar com a suspensão do porte a todos que ainda não são estabilizados!


Anônimo disse...

São tantos inimigos VO que chegou a me surpreender. É mto triste quando vejo praças se esfaqueando ou se diminuindo.
A grande síndrome de inferioridade.

3 Sgt Mat Bel

Anônimo disse...

Todo mundo sabe, inclusive quem frequenta,que baile funk é um convite à confusão,com muitas brigas e até tiros.Obviamente o sargento sabia dos riscos e por pouco não é morto pela própria arma que portava. Pediu pra se fu...e quase conseguiu!

Anônimo disse...

É verdade, Vc falou muito bem companheiro. Tenho 26 anos de EB e ainda fico estarrecido com a falta de união dos Praças e principalmente a síndrome de superioridade. Velho ditado "A arma que mata sargento tem divisa no cano"

Anônimo disse...

O reajuste de 4 % , em janeiro, tá garantido ?

Anônimo disse...

ST MB o Cmt da OM não pode tratar um Sgt ou ST como criança, se o militar em questão possui os requisitos conforme a Portaria nr 01/2006 do antigo DLog que regulamenta perfeitamente os requisitos p/o Porte de arma das praças e oficiais, se um oficial, subtenente,sargento ou cb estabilizado (se ainda houver)não tiver condições de portar uma arma particular, então é melhor procurar outra profissão, tenho arma de fogo desde que os tempos de 3 sargento, já reagi a 2 tentativas de assalto com sucesso, sem vítimas colaterais, o militar tem que se preparar técnica e psicologicamente, e não comprar "barulhos alheios", uma coisa é defender mulheres, idosos e crianças, outra coisa é se meter em briga de marmanjo, não se deve envolver em lutas corporais estando armado, pelo óbvio risco de ser desarmado, ou da arma cair ao solo, e falo isso por ter treinamento especializado e ser praticante de tiro.
Ten QAO R/1 INFANTE POLICIAL E PERITO INVESTIGADOR.

Anônimo disse...

Se a investigação confirmar que foi legítima defesa, o delegado de polícia finaliza o Inquérito Policial, o MP não oferece denúncia , o Judiciário arquiva, e o EB nada poderá fazer contra o militar em questão meu amigo, eu próprio a 18 anos passei por isso, e hj sou Ten QAO R/1.

Anônimo disse...

https://www.stm.jus.br/informacao/agencia-de-noticias/item/7386-entre-os-processos-julgados-tribunal-mantem-condenacao-a-militar-que-causou-lesoes-em-colegas-enquanto-conduzia-veiculo

Anônimo disse...

É impressionante como não somos corporativistas. Esse ST DE MAT BEL que falou ai em cima está julgando o colega sem ao menos saber de nada, e tem que liberar arma para todo mundo sim, afinal o que aconteceu foi exceção e não a regra. Tendo em vista o nosso País como está, com a criminalidade aumento a passos largos e para ter um porte de arma pedir autorização ao Cmt de Om, que por muitas vezes e pelo orgulho acaba negando. ST com todo respeito...faça igual ao ST raíz mesmo...defenda os subordinados, claro se estiver errado, os oriente. Esse pensamento aí é de quem ta puxando o saco para sair Ten QAO igual faz a maioria. Esse é a diferença de nós praças para os oficiais. Defendamos a nossa classe, já basta o sistema ser contra a ela.Abraços

3° Sgt Int

Anônimo disse...

Sobre polícia, guarda de trânsito, funcionário de empresa de energia ou gás ou água, todos, inclusive militares, ponham uma certa "autoridade" nas mãos deles e se transformam em o "todo poderoso".

Anônimo disse...

Que ele comece a procurar testemunhas que viram o fato e que confirmem o que ele tá alegando, que foi legítima de defesa. Pois o Ministério Público vai vir com tudo prá cima dele, principalmente por ser militar.
E que contrate um excelente criminalista para a sua defesa, vai ser um processo longo podem ter certeza disso.
Espero que ao fim o companheiro confirme essa tese e seja absolvido ou impronunciado.
Deus acima de tudo e de todos.

Anônimo disse...

Anônimo 6 de junho de 2017 22:04, você fala como se merda só fizesse quem é praça, deixe de ser inocente! O problema é que não fizeram a devida filtragem que consta no regulamento. Outra coisa, seu pensamento é o do egoísmo: " venha a nós e a vosso reino nada!" Por causa de pensamento assim que é comum ver gente sendo assaltada por "pivetes" e várias pessoas olhando sem ajudar, parecendo um bando de veados quando caçados por outro animal. É este comportamento que não se acha no povo americano. Lá, quem vê alguém sendo atacado o ajuda, mesmo que não o conheça. Ainda tenho que citar que a maioria dos armados da PM e do BM é de praças, esqueceu-se disso?

Anônimo disse...

Eu tenho duas armas graças ao próprio comando, que praticamente obrigava a todos os "de carreira" a comprar uma arma, talvez porque obtinha alguma vantagem nisso, não sei. Agora, quando na reserva e devido a "burrocracia", nunca mais renovei meu porte e também não quero saber, pois não ando armado. Mas, se tentarem invadir minha casa ou algo contra minha família, eu garanto, NÃO VAI SER PORTE DE ARMA QUEM VAI ATIRAR, NÃO; será eu mesmo.

Anônimo disse...

Se fosse um tenente de infantaria, os leões de alojamento estariam espumando e pedindo a cabeça dele. Mas, como é um companheiro, defendem ele. Baile funk, o outro estava desarmado, interviu numa briga. Sei.

Anônimo disse...

"Oficial R1, Policial e Perito Investigador", será que alguém não está acumulando, ilegalmente, dois cargos públicos?

Perguntar não ofende.

Anônimo disse...

Era só o " Dr Delegado de Polícia" verificar o CRAF/PAF do Capitão onde estão os dados da arma e do mesmo e no ref doc está escrito as duas Leis Federais que amparam o porte de arma dos militares das Forças Armadas : Lei nr 10826/03 e Lei nr 6880/80, o próprio PM poderia ter verificado na hora, não havia necessidade de conduzir o militar pra Delegacia, a não ser que o Cap tivesse se envolvido em uma Ocorrência Policial.

Anônimo disse...

Tem que parar com essa discriminação com as praças. Se o cara é concursado e está no comportamento BOM, qual é o problema em conceder o porte de arma? O porte visa apenas para se defender. Em SP um coronel tomou tiro de vagabundo quando chegava no destino. Foi abordado por vagabundos armados. Nosso país está uma bagunça e o militar não pode sequer se defender. Por isso que o Brasil é uma república das bananas!

Anônimo disse...

Arrego! Tanto lugar para ir e o "safo" vai pra baile funk ouvir MC Brinquedo... rsrsrs fala sério! Tá muito mal contado isso aí

Anônimo disse...

Anônimo 7 de junho de 2017 16:36 , está vendo como a coisa é de desconhecimento. O oficial, pelo menos o da FAB, pelo que conheço, a própria identidade, por lei, já garante o seu porte de arma, está no Regulamento Militar isso, mas o delegado não sabe.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics