26 de junho de 2017

Gasto com militar inativo é 17 vezes maior que com aposentado comum, aponta TCU

Nota do editor
Nitidamente, o G1  forçou a mão, misturando alhos com bugalhos. O sistema de proteção social dos militares é muito diferente do Regime Geral de Previdência.

Relatório usa números de 2016. Ausência de contribuição patronal, no caso de militares, explica diferença, diz Ministério da Defesa. Pasta prepara proposta de aposentadoria para militares.

Laís Lis, G1, Brasília
 (Foto: Arte/G1)
Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que, em 2016, o Tesouro Nacional gastou com pagamento de aposentadoria a cada militar inativo ou pensionista 17 vezes mais do que gastou com cada beneficiário do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), que atende aos trabalhadores do setor privado (INSS).
Militares estão fora do projeto do governo de reforma da Previdência, que muda regras para aposentadoria de trabalhadores do setor privado e funcionários públicos e está em tramitação no Congresso. O Ministério da Defesa e Forças Armadas preparam uma proposta específica de previdência para militares.
De acordo com o documento do TCU, enquanto a despesa com cada beneficiário do RGPS custou no ano passado ao governo R$ 5.130,66, na média, com cada militar inativo ou pensionista de militar foi de R$ 89.925,30, também na média.
Uma das razões da diferença é que, no RGPS, a Previdência recebe contribuições tanto de empregados quando de empregadores. O gasto médio do governo de R$ 5.130,66 por ano é motivado pelo fato de que o total dessas contribuições não é suficiente para pagar aposentadorias dos inativos, pensões e demais despesas.
No caso dos militares, o Tesouro Nacional é responsável por todas as despesas porque não há o equivalente à contribuição patronal do setor privado.
Segundo nota do Ministério da Defesa ao G1, nos demais regimes previdenciários, a contribuição patronal pode chegar a 22%. Dos militares ativos e inativos é cobrada uma contribuição de 7% a 9%, destinada somente ao pagamento de pensões. A aposentadoria de militares da reserva é integralmente paga pelo governo (veja íntegra da nota do ministério ao final desta reportagem).
O levantamento do TCU mostra ainda que o Tesouro gastou, na média, R$ 56.893,32 em 2016 com cada beneficiário do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), que atende aos servidores públicos federais. O valor equivale a 11 vezes o que foi gasto com quem recebe pelo RPPS.
No RGPS estão incluídos desde aposentados pelo INSS até aqueles que recebem benefícios como auxílio-doença. No total, segundo o TCU, eram 29,1 milhões de beneficiários do RGPS em 2016, dos quais 26,9 milhões de aposentados e pensionistas.
Entre os servidores públicos da União, eram 683.560 beneficiários. Entre os militares, 378.870.

Contribuição x despesa
O relatório do TCU aponta ainda que as contribuições previdenciárias dos trabalhadores da ativa, tanto do setor privado quanto do serviço público federal, têm peso muito maior que a dos militares na cobertura dos gastos com as aposentadorias.
Em 2016, o valor total pago em contribuição previdenciária por trabalhador no setor privado e do setor público foi equivalente a 38% do que foi recebido por um beneficiário do RGPS ou do RPPS.
Já a contribuição de cada militar ao longo do ano passado cobriu apenas 8% do valor de uma aposentadoria paga a militar da reserva.
Regime geral: contribuição média de R$ 6.623,00 por trabalhador e gasto médio de R$ 17.402,71 por beneficiário do RGPS em 2016.
Servidores públicos: contribuição média de R$ 38.684,89 por trabalhador e gasto médio de R$ 101.709,63 por beneficiário do RPPS em 2016.
Militares: contribuição média de R$ 7.925,56, por militar ativo ou inativo e gasto médio de R$ 97.658,83 por militar da reserva ou pensionista em 2016.
Entretanto, enquanto tanto no setor privado quanto no setor público há contribuição patronal (das empresas empregadoras ou do próprio governo), no caso dos militares isso não existe.
Idade
O documento também aponta diferença na idade média de concessão da aposentadoria aos trabalhadores comuns e na da transferência para a inatividade, no caso dos militares.
Em 2016, 55% dos militares que passaram para a reserva tinham entre 45 e 49 anos. Já no regime geral, apenas 6% estavam nessa faixa de idade.
No regime geral, a maior parte (34%) dos aposentados em 2016 tinha entre 60 e 64 anos. Já entre os servidores da União, a maior parte dos aposentados (32%) tinha entre 55 e 59 anos.

Crise
Segundo o TCU, até 2060 o gasto do governo com aposentadorias pode chegar a 20% do Produto Interno Bruto (PIB).
A auditoria do tribunal alerta para o efeito da crise sobre o aumento nos gastos dentro do regime geral (INSS).
Segundo o TCU, de 2007 a 2016 as despesas do RGPS aumentaram em 1,29% do PIB, passando de 6,81% para 8,10%.
"Esse crescimento ocorreu após 2011, quando a despesa do RGPS chegou a representar 6,43% do PIB, e foi mais expressivo nos exercícios de 2015 e 2016, nos quais aumentou em 0,45% e 0,84% do PIB, respectivamente”, informa a autoria.
Nos quatro primeiros meses de 2017, o rombo da Previdência Social avançou 38,7%, para R$ 52 bilhões, quando comparado com o mesmo período de 2016.
Para todo o ano de 2017, a expectativa do governo é de que o INSS registre novo resultado negativo, de R$ 185,8 bilhões.
Segundo o TCU, "o substancial crescimento das despesas do RGPS em relação ao PIB pode ser explicado, em parte, pelo forte período recessivo observado no Brasil nos exercícios de 2015 e 2016, nos quais a economia do país recuou 7,2% e o desemprego avançou."
A crise e o desemprego fazem com que menos pessoas contribuam para o sistema.
"Diferente dos outros regimes, o RGPS é mais sensível às flutuações da economia, que afetam diretamente suas receitas e podem provocar aumento na demanda de alguns benefícios previdenciários."
A auditoria do TCU alerta para o fato de que o regime geral, além de aposentadorias e pensões, também concede outros benefícios, como auxílio-doença, salário maternidade e auxílio-reclusão, que não encontram correspondência no RPPS, destinado a servidores públicos, ou no sistema de proteção social dos militares.

Nota do Ministério da Defesa
Leia abaixo a íntegra de nota enviada ao G1 pelo Ministério da Defesa.
Inicialmente, é preciso esclarecer que, conforme previsto nos dispositivos constitucionais, os membros das Forças Armadas não estão enquadrados em nenhum regime de previdência. Isso porque o militar não se aposenta, ele ingressa na reserva, mantendo o vínculo com a profissão militar, podendo ser mobilizado a qualquer momento e permanecendo sujeito aos códigos e regulamentos da profissão.
Também é importante esclarecer que a contribuição do militar das Forças Armadas não é feita apenas pelos ativos. O militar continua contribuindo mesmo na inatividade, até o seu falecimento, com um percentual mínimo de 7,5% sobre a remuneração bruta (podendo atingir 9% em alguns casos) e que não está sujeita à limitação do teto do RGPS.
Além dos 7,5% (ou 9%, em alguns casos) destinados à pensão militar, ainda há o desconto obrigatório de 3,5% para o custeio do sistema de saúde e assistência social, totalizando, no mínimo, 11% de desconto referente à proteção social. Considerando que a contribuição é feita sobre a remuneração bruta, em termos absolutos, o valor descontado dos militares é maior do que nos demais regimes, se adotada a mesma faixa salarial.
No que se refere à relação contribuição/benefício per capita ser de 8% contra 38% dos demais regimes, isso se deve ao fato de que, no caso das Forças Armadas, não existe contribuição patronal, que pode chegar a 22% nos demais regimes. Ou seja, o percentual apresentado refere-se apenas às contribuições do militar e não leva em consideração a contribuição total de, no mínimo, 11% (abate-se o valor referente à saúde e assistência social). Portanto, cabe enfatizar que o custo do militar inativo é mais alto justamente porque não conta com contribuição patronal. Caso essa contribuição existisse, com os mesmos critérios aplicados aos demais regimes, a necessidade de financiamento por beneficiário/ano seria drasticamente reduzida, principalmente pelo fato de haver contribuição vitalícia por parte do militar (mesmo na inatividade). É importante destacar ainda que a contribuição patronal está relacionada à existência de regimes previdenciários, o que não se aplica no caso dos militares das Forças Armadas, conforme prevê a Constituição Federal.
O Ministério da Defesa e as Forças Armadas têm trabalhado intensamente no sentido de apresentar uma proposta de reestruturação da carreira, que, não só atenda ao esforço do País na redução dos gastos públicos, mas que, também, seja aplicável à estrutura das Forças Armadas, fazendo com que a profissão continue tendo a capacidade de atrair, reter e motivar o profissional militar.
Os estudos envolvem, também, a racionalização das Forças Armadas, com redução de efetivos, substituição de militares de carreira por militares temporários – reduzindo os impactos futuros com inativos e pensionistas – e a adequação de estruturas.
Não é um trabalho simples, mas os esforços têm sido concentrados para que haja total celeridade e para assegurar que Marinha, Exército e Aeronáutica possam continuar a ter em seus quadros homens e mulheres comprometidos com a proteção do Brasil e de seu povo, como tem sido possível se comprovar por meio da atuação de tropas militares nas mais variadas situações recentes em que o País precisou, e contou com a presença deles, assegurando a ordem e a tranquilidade.
G1/montedo.com

60 comentários:

Anônimo disse...

Mentira.

Anônimo disse...

Esses paisanos são engraçados, na hora dar serviço natal, carnaval, ano novo ninguém quer... Subir morro e enfrentar bandido, nem pensar. Aí na hora de se aposentar eles querem igualdade.

Anônimo disse...

Espero somente boas notícias vindas do Ministério da Defesa no segundo semestre, em relação a essa famigerada reestruturação da carreira.

Anônimo disse...

Rapaz.... A resposta do MD foi top!!!
Já falou tudo é um pouco mais...

Chupa essa imprensa vermelha!!!!

Unknown disse...

O pensamento esquerdista é nivelar todos por baixo.

Unknown disse...

E o gasto com os políticos e os suplentes que se aposentam com 180 dias ?????

Mesquita disse...

Primeiro vem o Ministro e fala em aumento real, equiparação com as demais carreiras seguido de muito BLá blá blá e uma dezena de matérias falando de valorização nos últimos meses, pois quem acompanha o blog, sabe do que falo, chegando o final do mês, vejo uma matéria do dia 24 do corrente, que o exército terá só 1/3 do orçamento em 2017, hoje outra matéria do TCU, diz que se gasta 17 vezes mais com inativos militar do que com aposentado comum, já já começa sair matérias falando das dificuldades do país, da impossibilidade de melhorias no momento e tudo fica dito pelo não dito como tem sido de á muito tempo, mas que continua os estudos para futuras melhorias o que já ouço por mais de 3 décadas. Alguns companheiros provavelmente vão achar muito pessimismo, mas como falei anteriormente, ouço o mesmo blá blá blá a mais de 3 década. O que penso de tudo isso, permanece tudo como está, nada, nada, nada deve mudar.

Unknown disse...

Essa desinformação por parte da esquerda PODRE, tem o objetivo de colocar a sociedade contra nós.

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/pernambuco/videos/v/exercito-desobstrui-tres-quilometros-de-extensao-do-canal-do-fragoso-em-olinda/5965666/

Anônimo disse...

Enquanto isso, os DIGNOS MILITARES BRASILEIROS, na maioria do seu efetivo, foram levados a viverem na M com a pior remuneração do funcionalismo público, devido à SUBMISSÃO por parte de uma classe política corrupta, revanchista e com a OMISSÃO dos Comandantes Militares. Ainda chamam de CRISE os ROMBOS dos cofres público da nação, cometidos pelos políticos ladravazes, cínicos e mentirosos; e o que é pior, tudo isso, com os sacrifícios financeiros impostos a classe militar. Veja a famigerada MP 2215 (LRM), que usurpou direitos dos militares e seus pensionistas, que está enterrada nos porões do Congresso há mais de 16 anos, levando a perda do poder aquisitivo da classe em torno de 60%. Veja também, as correções MESQUINHAS de salários, como se fosse um cala-boca, sem contemplar os guardiões da nação com uma correção JUSTA, IGNORANDO O ART. 37, INC. X DA CONSTITUIÇÃO, que prevê a revisão anual dos soldos e pensões. Então vejamos: o vencimento de um CORONEL da ativa (Militar com 25 anos de serviços e com todos os cursos que a carreira impõe) é INFERIOR ao do MOTORISTA do Senado; onde o vencimento LÍQUIDO de um SUBOFICIAL, da ativa, com 30 anos serviço corresponde aos HUMILHANTES R$ 5.500,00; Bem menos que um soldado da PM-DF ou Policial Rodoviário Federal em INÍCIO de carreira, SENDO QUE O DINHEIRO VEM DA MESMA FONTE PAGADORA: A UNIÃO! Onde o vencimento de um GENERAL, com mais de 45 anos de serviço, é IGUAL ao salário de um AGENTE DE SEGURANÇA, de Portaria do Congresso. Sabidamente, os militares pertencem a uma categoria que não foi feita para viver na riqueza, na ostentação, mas em contrapartida, também NÃO JURARAM a viver na MENDICÂNCIA. O MILITAR JURA DEDICAR-SE INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA E DEFENDÊ-LA COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA, MAS NÃO JURA A PASSAR PRIVAÇÕES, MUITO MENOS A SUA FAMÍLIA!

Anônimo disse...

http://www.midianews.com.br/cotidiano/aviao-da-fab-faz-pouso-forcado-na-base-aerea-do-galeao/299732

Unknown disse...

A Globo criou "birra" dos militares. Impressionante!

Anônimo disse...

É preciso dar um fuzil para Lais Lis e mandar ela se virar!

Anônimo disse...

A FARSA: O DÉFICIT NO REGIME DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS.
1. Esse déficit não existe porque não existe regime de previdência social dos militares das Forças Armadas.
2. Como disse o Ministro da Defesa, na Câmara dos Deputados, em 2003, na Comissão Especial da Reforma da Previdência:
“Portanto, não há regime previdenciário dos militares e, logicamente, não há o que referir a equilíbrio atuarial do regime previdenciário dos militares federais, porque ele não existe e por essa razão, quase ontológica, porque não existe, não pode ser predicado e, conseqüentemente, não pode ser contributivo, nem de repartição.
A REMUNERAÇÃO DOS MILITARES NA INATIVIDADE, OS REFORMADOS E OS DA RESERVA, É TOTAL E INTEGRALMENTE CUSTEADA PELO TESOURO NACIONAL”.
10. Os militares federais são amparados por um sistema de proteção social, no qual AS DESPESAS COM INATIVOS SÃO INTEIRAMENTE CUSTEADAS PELO TESOURO NACIONAL E AS PENSÕES OBEDECEM ÀS PRESCRIÇÕES DA LEI DE PENSÕES.
11. COMO AGORA FALAR-SE EM DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA DOS MILITARES?
Quais as motivações desse debate?
A insipiência? A tentativa de ludibrio?
Os militares, recentemente, já tiveram pesadas perdas na sua estrutura remuneratória. Foram usurpados em muitos direitos compensatórios às limitações sociais e pessoais impostas pelas características da vida militar.
NADA MAIS PODEM CEDER.
12. Mas algumas perguntas se põem à absurdidade dos rumores propagados.
Quais os reais interesses, secretos ou públicos, em alterar o sistema de proteção social dos militares?
Iniciar, com a colaboração de todos os brasileiros, um amplo processo de reformas-política, econômica, administrativa, educacional - que alcance os diferentes setores da sociedade brasileira?
A contenção da despesa em cima de uma categoria que já experimenta um brutal achatamento salarial, segundo o próprio entendimento da Câmara dos Deputados?
Reequilibrar as contas públicas à custa do exaurido soldado brasileiro, de modo a sustentar um novo ciclo do lamaçal em que estamos envolvidos?
Saiba mais... Fonte:
http://www.ternuma.com.br/index.php/art/3052-o-deficit-no-regime-de-previdencia-social-dos-militares-das-forcas-armadas-synesio-scofano-fernandes-07-07-2016

Anônimo disse...

A palhaçada tá tão grande que escuto a mesma ladainha desde início do ano. Queremos ver coisas práticas como reestruturação da força pq em relação às demais carreiras federais estamos muito atrás. Primeiro poderíamos começar com uma reestruturação interna como diminuição dos intersticio de promoção, alguns adicionais dentre tantas outras coisas que traria melhorias para os militares principalmente os pracinhas como auxílio moradia, adicional tempo de sv etc.... Mas continuamos a ouvir do governo o mesmo blablablablablablablablablablablabla.....

Anônimo disse...

Deviam dizer logo o que querem: fazer o militar de escravo para trabalhar de graça; realizar todas as obras do DNIT sem ganhar nada por isso; levar pedradas e culpa nas manifestações; levar a culpa de todos os rombos que os políticos provocam; receber como recompensa apenas elogios que não servem para nada; e, no final da carreira, nem dinheiro suficiente para morar modestamente e ser obrigado a receber um salário mínimo e ter que trabalhar informalmente para sobreviver. Enquanto isso... os parlamentares e outras categorias que tem sindicatos vão se dando muito bem. Assim já é sacanagem demais.

Anônimo disse...

Só enrolaçāo, guerra psicológica.

Anônimo disse...

Os motivos da falta de dinheiro? (Para leitura completa, acessem: www.alertatotal.net)

"...
Rubricas secretas? Previstas na Constituição? Será um mecanismo emergencial para momentos de crise e desemprego? Não, não é isso! Esse dinheiro existe, é nosso, é de grande monta e apenas precisa de determinadas providências administrativas e legais para ser utilizado plenamente. Vamos ver primeiro como é sua contabilidade para entendermos melhor o mecanismo.

Orçamento Paralelo da União nas Últimas Décadas
(Valores ilustrativos)
Conta da Corrupção em Geral
6.1 Corrupção área da construção civil e empreiteiras – R$ 300 bilhões
6.2 Corrupção área do sistema financeiro S/A – R$ 350 bilhões
6.3 Corrupção área frigoríficos – R$ 150 bilhões
6.4 Corrupção área estatal
(Petrobras, Furnas, BB, CEF, Correios, etc) - R$ 350 bilhões
6.5 Corrupção empresas de todos os tipos – R$ 300 bilhões
6.6.1 Caixa 2 PSDB – R$ 7 bilhões
6.6.2 Caixa 2 PT – R$ 7 bilhões
6.6.3 Caixa 2 PMDB – R$ 7 bilhões
6.6.4 Caixa 2 vários partidos – R$ 7 bilhões
6.7.1 Propina para presidentes - R$ 2 bilhões
6.7.2 Propina para Senadores – R$ 3 bilhões
6.7.3 Propina para deputados – R$ 5 bilhões
6.7.4 Propina para membros do Judiciário – R$ 4 bilhões
6.8.1 Propina para prefeitos – R$ 10 bilhões
6.8.2 Propina para vereadores – R$ 15 bilhões
6.8.3 Propina para governadores – R$ 10 bilhões
6.8.4 Propina para deputados estaduais – R$ 18 bilhões

6.100.1000 "Pequenas" corrupções - 150 bilhões
TOTAL - ( estimativa nas últimas 3 décadas) - (4 TRILHÕES)

Viram? Nós temos o dinheiro que o Brasil precisa! Apenas está em mãos e contas erradas. "...

Anônimo disse...

Guardem bem isso... Essa conversa toda é pra nos empurrar para o INSS, e isso não é difícil.

Anônimo disse...

Vão analisar a aposentadoria do Legislativo e Judiciário.......como sempre os nossos chefes continuam dormindo. Estão livelando os militares com assalariado, não vejo fazendo isto com juízes ou políticos......vamos comparar eles com assalariados ?

O patriota disse...

http://radiojornal.ne10.uol.com.br/noticia/2017/06/26/exercito-trabalha-na-remocao-de-lixo-do-canal-do-fragoso-em-olinda-54594

Anônimo disse...

Por que não está aqui o quanto gastam com o próprio TCU, com os políticos ativos (mais de R$ 100 mil/mês o custo de cada um)e suas aposentadorias, até curtíssimas para alguns?

Anônimo disse...

Essas filhas recebendo pensão é um tapa na cara da sociedade,um absurdo e tem maluco que fala que paga 1,5% e isso banca essas pensões, tem filhas com 50 anos encostadas no Fusex só sabem sugar e depois reclamam dos políticos.

Roger Ribeiro disse...

TCU é do gov. Federal. Claro que é mentira!

Anônimo disse...

Divulgação ...

https://www.facebook.com/PartidoMilitarBrasileiroPMBR/

Anônimo disse...


Me desculpem os pessimistas e incrédulos:

"O Ministério da Defesa e as Forças Armadas têm trabalhado intensamente no sentido de apresentar uma proposta de reestruturação da carreira"...

Anônimo disse...

Forças Armadas não tem muitos direitos, inclusive o direito à greve. Quando determinadas carreiras, como por exemplo a polícia entra em greve, todo mundo reclama e diz que a polícia, é uma categoria diferente e por sua natureza peculiar não pode ter direito a greve. O mesmo pensamento em relação aos médicos, profissionais de saúde. Forças Armadas então, nem se cogita, é de natureza muito peculiar. Quando se trata de aposentadoria essas mesmas vozes que alegam essa natureza peculiar, que são categorias imprescindíveis e diferentes das demais, querem atribuir igualdade. Decidam de uma vez é DIFERENTE ou é IGUAL. Se for para comparar, igualar, igualem TUDO de uma vez, DIREITOS E DEVERES.

Anônimo disse...

Começo a perceber que a cajadada será maior na Reserva.

E que se preparem todos que irão um dia para a Reserva Remunerada...

Papirem, Trabalhem, busquem o melhorado da família dos senhores.

Vindo do governo, só choro.

Não aguardem coisa boa nesta conjuntura político-econômica.

2º Sgt Art (Aguardando Nomeação no Estado).

Anônimo disse...

Estão arrumando todo tipo de coisa para esfolarem novamente os militares! Agora só se fala na reforma da proteção social dos militares. Não se fala mais nada dos civís! Está claro quem é que vai pagar esse pato!

Anônimo disse...

Bota tudo na vala comum e nos paguem horas extras fgts e outros adicionais...quando virem os custos vã recuar rapidinho.

Barzotto disse...

Que a matéria tenta "conscientizar" o povo brasileiro que os militares são protegidinhos desde o "golpe", não tenho a menor dúvida. Afinal, que é o lider das pesquisas de confiabilidade?
Agora, a nota do Ministério ao G1 fica dando voltas para explicar coisas simples. Militar passa para a reserva, está sujeito aos regulamentos como se estivesse na ativa, continua contribuindo do 7,5% (ou 9%), não tem contribuição patronal... Parece que fica correndo atrás do rabo para explicar isso!
Você acha que as ovelhas da Nação conseguem ler um texto longo assim, sobre um assunto que desconhecem e não tem interesse em se aprofundar? Só o título da matéria já lhes é suficiente.

Marcelo Carvalho disse...

Esses jornalistas de meia pataca querem Forças Armadas de primeiro mundo a preço de milícia bolivariana...

Anônimo disse...

Nós temos que admitir: é muito gasto para muito pouco retorno para o país...

Anônimo disse...

E os militares se desgastam 20 vezes mais. Basta fazerem a contas das horas semanais trabalhadas por cada categoria, não esqueçam da escala 24 x 24.

Subão 911 disse...

Mimimi

Anônimo disse...

Vão fazer greve de quê?Fome???

Anônimo disse...

Ai chamam os severinos ...

http://g1.globo.com/pernambuco/videos/v/exercito-e-convocado-para-fazer-desobstrucao-do-canal-do-fragoso-em-olinda/5967530/

Anônimo disse...

Estruturar para pior, só pode.

Anônimo disse...

"2º Sgt Art (Aguardando Nomeação no Estado)." Mais um que entrou para o EB enganado.

Anônimo disse...

http://www.planobrazil.com/minustah-treinamento-da-quick-reaction-force-qrf-em-hinche-26o-contingente-do-batalhao-brasileiro-de-forca-de-paz-brabat-26/

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Essas filhas recebendo pensão é um tapa na cara da sociedade,um absurdo e tem maluco que fala que paga 1,5% e isso banca essas pensões, tem filhas com 50 anos encostadas no Fusex só sabem sugar e depois reclamam dos políticos.

26 de junho de 2017 22:59


ISSO É FATOOOOOOOOOOOOOO!

Anônimo disse...

Tudo o que estão armando contra os militares agora serve de "teatro" para encobrir o momento grave da situação política do país do presidente e do Congresso. Sabem que os militares não vão se rebelar, se aquartelar e chutar o traseiro dos mafiosos. Atualmente, são os únicos a seguirem fielmente a Constituição. Para o governo,se ficar como está, não tem maiores problemas, se mudar para arrecadar mais dinheiro para o bando, ótimo e os militares que continuem a dizer "SIM, SENHOR!". Serão medidas para os próximos vinte ou trinta anos. O povo logo esquece e reelege novamente os meliantes. A hora é, ontem, para fincar o pé, chutar o balde, meter o pé nas bolas do bode. O futuro dos militares e de suas famílias está em risco.

Anônimo disse...

.....quem vai pagar os meus EMPRÉSTIMOS.....FHE/POUPEX, GBOEX, CEF, BB, BRADESCO, BV, BANRISUL, PAN, etc, aiiiiiiiiiiiiiiiiiii..... .uuuiiiiiiiiiiiii.... estou LASCADO...... não vai sobrar nem para o FEIJÃO.
Só resta uma saída, me APRESENTAR numa OM, com a família, pedir para arranchar a turma. Mas, já vi que será MUITO difícil, para os ATIVOS só terá (rancho) até o mês de AGOSTO.
Pessoal, antes do AUMENTO vem os descontos.

Anônimo disse...

Mais analistas que não entendem p..... nenhuma de assunto das Forças Armadas, só para não ficar calado, que seria melhor.
Tudo fora do compasso.

Anônimo disse...

Quem acredita que isto tem a ver com vermelho ou azul, está certamente enganado. Na história geral toda vez que um governo oscila, balança, quem vcs acham que sobressaem ??? Sim, meu jovem, as forças armadas ! A imprensa se apressa em começar a sua guerra contra uma possível assenção militar ... Vislumbrai, jovens gafanhotos !!!


Sgt Resenha (de volta)

Anônimo disse...

Vcs que entraram após a MP do mal, que criticam que as filhas recebam pensão vitalícia, façam-me o favor, mirem em políticos, juizes, na corrupção, no lula, dilma, temer, aécio e esqueçam nossas meninas. Não posso fazer nada se vcs nasceram depois. Façam um levantamento sobre quantas filhas de militares recebem pensão. Tenho certeza que esse número é ínfimo diante dos valores ralo a baixo dentro de cuecas, meias, malas e etc. VÃO CATAR COQUINHOS!

Marcelo Carvalho disse...

Santa ignorância...

Unknown disse...

Por que o zé ruela do TCU não mostra os salários dos desembargadores aposentados???
Só no TRF4 há aposentadorias de 205 mil reais. a média dá mais de 150 mil reais. Engraçado que pagam um imposto de renda bem baixo. VERGONHA!!! Então, nós militares, que ralamos a vida toda com salários abaixo da média do executivo, não podemos ter uma aposentadoria diferenciada?
Ora, caros desembargadores zé ruelas, que nem seu trabalho sabem fazer, VÃO CATAR COQUINHO!!!

Anônimo disse...

Muito bem ,falou certo precisamos de apoio contra os invejosos.

Anônimo disse...

SE A CAGADA É GRANDE, CHAMEM OS MILITARES...
MAS NÃO CHAMEM SE É PARA TRAZER UM PAGAMENTO JUSTO A TODOS...
FATOS IRREFUTÁVEIS:
- Protestos e terrorismo de vândalos? Chamem os Militares!
- Previdência falida, por culpa dos políticos ladravazes? Tirem mais dos militares!
- Estado incompetente e uma Polícia mal paga e despreparada? Chamem os Militares!
- Selvageria nos presídios? Chamem os Militares!
- Recuperação e construção de estradas? Chamem os Militares?
- A PF não quer ir pra fronteira porque a diária é pouca, chamem os Militares, que vão ao preço de uma tabela que está defasada desde 1992;
- A PM faz greve porque o salário é baixo, chamem os Militares!
- A ANVISA não quer inspecionar gado no campo, chamem os Militares!
- Os corruptos ganham milhões e não constroem as estradas, chamem os Militares!
- As chuvas destroem cidades, chamem os Militares!
- Desabrigados? Chamem os Militares!
- A Dengue ataca? Chamem os Militares!
- O COB precisa treinar e pagar atletas? Chamem os militares!
- Ações humanitárias no Brasil e no exterior, transportes de donativos em tragédias? Chamem os Militares!
- Investigação e remoção de corpos em acidentes aéreos de grande porte? Chamem os Militares!
- Transportes de órgãos, presos, corpos de autoridades, ministros, etc.? Chamem os Militares!
- O Carnaval, Ano-Novo, ou qualquer festa com pouca segurança? Chamem os Militares!
- Copa do Mundo, Olimpíada (Consultem as providências da Olimpíada Rio 2016), Reunião de Presidentes, Jogos Mundiais? Chamem os Militares!
- Certeza de eleições livres? Chamem os Militares (Os Governos de 16 Estados da Federação requisitaram a permanência das Forças Armadas para as eleições 2016 – Ah! Distribuir urnas eletrônicas nos mais remotos locais do País? Chamem os Militares!
- Presidentes, Primeiros-Ministros e visitantes importantes de outros países vão chegar? Chamem os Militares!
- Força de Pacificação do Complexo do Alemão, do Complexo da Maré já que a Polícia não tem capacidade pra resolver, chamem os Militares!
ALÉM DISSO: (NÃO TEM DIREITO A NENHUM DOS ITENS ABAIXO):
- Uma Lei de Remuneração? Está enterrada nos porões do Congresso como MP 2215-01, há mais de 16 anos, com mais de 600 emendas.
- Adicional noturno? Não tem!
- Periculosidade? Não tem! (Onde está a isonomia de tarefas que querem imputar em uma Reforma Previdenciária?
- Escalas de 24 por 72 horas? Não tem!
- Hora extra? Não tem!
- FGTS? Não tem!
- Os 28,86%? Jamais!
- Reconhecimento? Não tem, exceto da Opinião Pública.
- Residência fixa? Não tem!
- Certeza de descanso no fim de semana? Não tem! Inclusive mal alimentados, pois fazem jus à somente R$ 9,00 / dia / Militar como Etapa de Alimentação. Vejam o valor de outras categorias visando o mesmo fim!
- Licença-Especial? Perderam!
- Reajustes com base na inflação? Nunca tiveram!
- Salário adequado? Não tem! Vejam os salários e reajustes de outras categorias do funcionalismo e comparem com a dos Militares!
- O salário de um Primeiro-Sargento da ativa é muito inferior ao do Soldado (PM-DF) e do Policial Rodoviário Federal, ambos em INÍCIO DE CARREIRA; SENDO QUE O DINHEIRO VEM DA MESMA FONTE PAGADORA: A UNIÃO!
- O salário bruto de um Coronel Aviador (Militar com 25 anos de serviços com todos os cursos que a carreira impõe, É INFERIOR AO DO PILOTO DE ELEVADOR DO CONGRESSO.
- O salário de um Oficial-General, com mais de 45 anos de serviço, É IGUAL AO SALÁRIO DE UM AGENTE DE SEGURANÇA, DA PORTARIA DO CONGRESSO.
O MILITAR JURA DEDICAR-SE INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA E DEFENDÊ-LA COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA, MAS NÃO JURA A PASSAR PRIVAÇÕES, MUITO MENOS A SUA FAMÍLIA!

Anônimo disse...

Sargento Zorro vai entrar em ação. Zorroooooooooooo!! a Voltaaaaaaaaaaaaaa!
Zorro

Anônimo disse...

Parece que apoiar os criminosos não está dando certo, os Chefes terão de mudar de estratégia.

Anônimo disse...

Concordo.

Anônimo disse...

Anônimo de 27///12:14 //// Gostei do seu comentário! São poucos os militares que tinham filhas e optaram por não contribuir com 1,5% para a pensão. Eu já ouvi militares falarem que se arrependeram de não terem assinado o termo na época. Vi militares assinarem o termo e logo em seguida pegaram de volta e mudaram a opção. Pergunta: se fosse hoje, qual a opção dos senhores que tem filhas?

Anônimo disse...

Correção: anônimo de 27//12:42.

Anônimo disse...

Como um tribunal diz uma coisa que não existe? Que intenções ele tem com os militares? E, o que os militares dizem para eles??? Se o Lula for inocentado, os milicos sif...

Anônimo disse...

Está ocorrendo uma interpretação errada. Quando houve a mudança na LRM, em 29 Dez 2000 (primeira edição), muitos direitos foram subtraídos e foi oferecido a opção aos militares que desejassem, contribuir com 1,5% para deixar a pensão para sua filha, quando de seu falecimento e de sua companheira. Veja bem, não há nada de imoral ou ilegal nisso, mesmo porque, você vai contribuir a vida toda e pode ser que sua filha nem venha a receber o benefício. Eu não pedi nada pra ninguém, me foi oferecido legalmente e eu aceitei. Hoje, não existe mais essa possibilidade, Quem tem, tem e quem não tem, não pode mais aderir. Agora, se a situação do país está ruim, se a previdência vai quebrar, isso é outra coisa.

Anônimo disse...

O TCU só pode estar de brincadeira. Vejam quanto ganham os membros do TCU que se aposentam cheios de vantagens. Salário inicial. Você pode ver no próprio site do TCU e da transparência.

Auditor: R$ 21.857,00
Auditor de controle externo: R$ 23.000,00
Técnico de controle externo:R$ 13.950,00
Técnico: R$ 11.000,00

Vai querer falar mais o quê?

Anônimo disse...

Não vamos mais aguentar arrocho salarial, nem esmola parcelada em 4 anos. Queremos salários dignos, para criarmos nossos filhos e termos uma vida normal, sem apelos constantes aos empréstimos consignados.

Militares, DIGNIDADE JÁ !!!!

Anônimo disse...

Esse papo de 15% Jan/ set. Set até 2021 e real?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics