14 de junho de 2017

Militar é confundido com assaltante e é espancado em Manaus

Notícia recuperada (8/6)
Trio armado invadiu mercadinho. Militar do Exército tentou fugir do assalto, mas foi atingido por disparo.
Por Ive Rylo, G1 AM
Um soldado do Exército de 23 anos foi atingido com um disparo no tórax e espancado pela população após ser confundido com assaltantes no bairro Novo Aleixo, Zona Leste de Manaus. Ele tentou fugir de assalto a um mercadinho quando foi alvejado pelos bandidos e, em seguida, espancado. Durante a ação, um açougueiro também foi agredido. Os suspeitos levaram a renda do mercadinho e porções de carnes.
O crime ocorreu na Rua Itaqueraima, em um mercadinho na noite de quinta-feira (8). De acordo com informações repassadas por testemunhas, três homens armados invadiram o estabelecimento comercial por volta das 21h30. Dois entraram pelo portão dos fundos e um pela porta da frente.
"Um ficou perto da porta e os outros dois foram lá atrás com o açougueiro. Eles desligaram as câmeras e perguntaram onde estava o dinheiro, porque sabiam que o açougueiro ficava com o dinheiro, mas ele não tinha dinheiro nenhum”, disse uma testemunha que não quis ser identificada.
Diante da negativa, os suspeitos agrediram o açougueiro, de 24 anos, com coronhadas na cabeça. Eles ainda o obrigaram a colocar em sacolas pedaços de carnes do local.
“Ele ficou muito ferido, com a cabeça sangrando e tonto. Bateram muito na cabeça dele. Meu marido tem 3 filhos que dependem dele. Estamos muito assustados e com medo”, disse a esposa dele, uma mulher de 23 anos.
Durante o assalto, o soldado e a mulher dele entraram no estabelecimento para fazer compras. O militar foi informado por um funcionário que o local estava sendo assaltado e correu.
O soldado foi atingido com um disparo no tórax. Em meio à fuga, ele foi confundido com um dos assaltantes e espancado pela população.
“O pessoal foi para cima dele e começou a agredi-lo com pau, pedra e murros. A mulher dele se meteu no meio e falou que ele era vítima, que era soldado do exército e era vítima do assalto. Foi ai que o pessoal parou, se não fosse ela não sei o que teria acontecido”, afirmou uma moradora.
Além de roubar a carne do mercadinho, o trio ainda levou a renda, aproximadamente R$ 150. Eles fugiram a pé e atirando. “Ouvimos uns 7 disparos. Fiquei com medo e corri para dentro do comércio”, disse uma testemunha.
Apesar de os suspeitos terem tentado desligar o circuito interno de filmagem, as câmeras de segurança registraram toda a ação.
Equipes do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) prestaram socorro ao militar e ao açougueiro. Eles foram encaminhados ao Pronto-Socorro João Lúcio, no bairro São José, Zona Leste de Manaus. O militar ia ser operado na manhã desta sexta-feira (10). Ainda não há informações sobre o seu estado de saúde.
Policiais da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrência. Até o momento, ninguém foi preso.
G1/montedo.com

5 comentários:

Anônimo disse...

Esperando o comentário das amebas que são a favor dos justiçamentos populares.

Silvio disse...

Praça ninguém quer né??

Anônimo disse...

Embora nosso judiciário esteja falido e corrompido, a INjustiça com as próprias mãos não é uma boa opção. Se até mesmo a justiça oficial erra, inclusive em países como Estados Unidos, imagina o que um bando de ignorantes pode vir a fazer. Por sorte a situação não evoluiu a ponto do pobre soldado ser assassinado tal como ocorreu no Guarujá, SP, quando aquela senhora foi linchada ao ser confundida com uma sequestradora de crianças. Nesta semana também tivemos o caso do tatuador que, pensando ser herói, tomou a "inteligentíssima" atitude de tatuar a testa de um menor infrator, mas esqueceu que temos leis no nosso país, principalmente para defender bandidos. Agora possivelmente será condenado por tortura, será preso, espancado e estuprado por outros presos e nem quero pensar o que tatuarão em sua testa na cadeia. Quem sabe se tivesse detido o aspirante à bandido e acionado a polícia estaria de consciência tranquila e o "menininho" não teria se tornado uma "pobre vítima". Outro fato interessante é que muitas vezes os "justiceiros" já puxaram cadeia pelo mesmo crime perante o qual estão fazendo justiça, pois na minha cidade teve um caso de um ladrão de farmácia com mandado de prisão em aberto ser preso enquanto fazia justiça com um arrobador de residências.

Anônimo disse...

A situação está feia. Salve-se quem puder. Não se pode reagir, não se pode correr e nem reclamar, pois não adianta. bandido não tem mais cara. Desconfia-se até da vovozinha no ônibus. Virou pânico geral e a população quando age por conta própria, erra.Vamos confiar na polícia... ou não?

Anônimo disse...

Se alguém tivesse armas no momento esse infeliz estava morto agora.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics