11 de fevereiro de 2017

Adolescente morre em confronto com o Exército no Espírito Santo

A manchete aí em cima é do blog. Leia a matéria e note como o G1 trata o ocorrido como um crime. Aguardemos a repercussão dos fatos.

Adolescente é morto pelo Exército em bairro da Grande Vitória
Família diz que ele levou tiro de fuzil na cabeça quando voltava para casa.
Força-tarefa federal afirma que morte ocorreu em confronto.
7º Dia: munição no local onde adolescente de 17 foi morto por soldado do exército em São João Batista, Cariacica (Foto: Bernardo Coutinho/ A Gazeta)
Do G1 ES
Um adolescente de 17 anos foi morto pelo Exército em um bairro da Grande Vitória na madrugada desta sexta-feira (10). A morte ocorreu por volta da 1h, na Rua Amélio Barcelos, em São João Batista, Cariacica.
As Forças Armadas compõem a força-tarefa federal que está fazendo o pratrulhamento das cidades do Espírito Santo há oito dias, desde que a PM deixou de sair às ruas. Os policiais alegam que são impedidos de sair por familiares que fazem bloqueios na porta dos quartéis.
Segundo a família, o rapaz foi baleado a poucos metros de casa.
 A Polícia Civil disse que não dá informação sobre o caso para não atrapalhar as investigações. O Exército afirma que a morte ocorreu durante um confronto, mas a família contesta essa versão.

A prima do adolescente, Tatiana Rodrigues, de 22 anos, disse que o rapaz estava na casa de uma tia perto de onde ele morava. Ela afirmou que os irmãos haviam pedido ao jovem para voltar para casa, porque estava tarde, e que o rapaz não sabia que o Exército estava no bairro. 
"Ele subiu o morro e, quando virou a rua, atiraram na cabeça dele", afirma Tatiana.
Ela disse que o primo era estudante, estava no 6º ano da escola estadual Eulalia Moreira e trabalhava vendendo mel na feira com os irmão de 21 e 24 anos. Segundo ela, o rapaz morava no bairro com os irmãos e o pai, que tem uma doença degenerativa. "Eles estão muito abalados, tristes". 

Tatiana afirmou que foram encontradas seis balas de fuzil no local do crime. "Duas a polícia levou e quatro ficaram com a gente".
 Ela diz que, mesmo com a situação no estado, o clima no bairro era tranquilo até a morte do rapaz. Segundo Tatiana, agora as pessoas do bairro estão com medo. "Não tem ninguém na rua, tá todo mundo em choque ainda".


Em nota, a força-tarefa conjunta que atua no estado afirmou que os militares foram acionados para fazer uma patrulha nas imediações da Unidade de Internação Socioeducativa (Unis). A unidade está localizada na Avenida Governador José Sette, a cerca de 1,5 km de onde ocorreu a morte.

O supervisor da Unis, segundo a nota, solicitou apoio "depois de três criminosos tentarem, do lado de fora, abrir uma brecha no muro da unidade, a fim de permitir a fuga de internos". Os homens também teriam disparado contra os segurança da Unis. (veja a íntegra da nota no fim da reportagem)

Ainda segundo a força-tarefa, "houve troca de tiros entre os criminosos armados e a patrulha", que "reagiu em defesa própria". "Durante a troca de tiros, foi constatado que um dos transgressores foi atingido e veio a óbito", termina a nota.
 A família da vítima contesta a versão.
"A polícia viu que meu primo morreu com a roupa do corpo a um minuto de chegar em casa. Quando o Exército viu que a família dele correu pra rua gritando, que era um menino de família, eles subiram no carro e foram embora", afirma Tatiana.
Quatro balas de fuzil que a família do adolescente morto diz ter encontrado no local do crime (Foto: Bernardo Coutinho/A Gazeta)
PM nos quartéis
Há oito dias a PM não sai dos quarteis no Espírito Santo. Eles dizem que são impedidos de sair por parentes que bloqueiam a saída dos batalhões. As mulheres dos policiais pedem reajuste salarial para a categoria, que é proibida de fazer greve. As autoridades consideram que os protestos são um recurso usado pelos PMs para fazer a paralisação sem serem punidos.

Na noite desta sexta-feira (10), o governo chegou a anunciar o fim do movimento e que os PMs voltariam para as ruas às 7 horas deste sábado (11). O acordo saiu de uma reunião entre representantes das associações dos policiais e o governo, mas as famílias dos policiais não aceitaram e o movimento continuou.

Íntegra da nota do Exército
A Força-Tarefa Conjunta Capixaba informa que no dia 10 de fevereiro de 2017, por volta de 1h da manhã, militares foram enviados para realizar uma patrulha nas imediações da UNIS - Unidade de Internação Socioeducativa, em Cariacica, com a finalidade de atender a uma solicitação feita pelo Supervisor de Segurança daquela Unidade de Internação, realizado através do CIODES (Órgão de atendimento - 190). O Supervisor solicitou o apoio, depois de três criminosos tentarem, do lado de fora, abrir uma brecha no muro da Unidade, a fim de permitir a fuga de internos. Os criminosos também realizaram disparos em direção à UNIS, com o intuito de intimidar a segurança local. A patrulha enviada ao local entrou em confronto, resultando numa troca de tiros entre os criminosos armados e a patrulha da Força-Tarefa, que reagiu em defesa própria. Durante a troca de tiros, foi constatado que um dos transgressores foi atingido e veio a óbito.
G1/montedo.com

22 comentários:

Anônimo disse...

Lá vem as besteiras de ricardo boichato, leitão e chico pinheiro...

Anônimo disse...

Se começarem com palhaçada, tira as tropas de lá. Pois para a mídia e para boa parte da papulação as Forças Armadas não prestam para nada e a Polícia só serve para matar. Um candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro disse que não precisa de polícia, o que era necessário era uma melhor iluminação das ruas.De repente poderiam tentar isso, não é mesmo?

Anônimo disse...

E agora o que vai acontecer com o comedor de catanho?
Não li uma linha dos preocupados e atentos.
O direito dos manos já esta deitando e rolando,agora uns m.. alguma coisa iram processar o militar "criminoso" que atirou no jovem etc etc
Repeteco e repeteco dos esquerdistas militantos ( mil e tantos).
Podemos ser mortos, somos monstros, tudo que não presta, os manos são santos, trabalhadores, inocentes, serão canonizados e a familia receberá indenização.
Já o militar que foi para lá por ordem de um mandante, pois não tem direito a escolha de ir ou não, será tratado de que maneira????
Eis a pergunta que fica no ar.

Anônimo disse...

Depois que morre todo mundo é santo.

Anônimo disse...

Como parte de todas as operações de GLO que são filmadas. Logo o EB deve mostrar ao mundo o fato. Será que o GC não levou as goPro. E nem recolheu os estojos. Caso a imprensa não seja alimentada de informações pelo EB entra o OrCrim e passa sua versão. Dando motivos para DirHum se crescer. Sucesso a todos. Aço!

Anônimo disse...

Depois que morre vira trabalhador.

Agora o Cmt dessa patrulha vai ter muito com que se preocupar.

Anônimo disse...

Primeiro que não são "quatro balas", conforme nota em rodapé da imagem, são quatro estojos deflagrados e até agora, ninguém sabe se são ou não das munições originais que abateram o referido. Segundo, que como sempre, só se achou o que foi supostamente disparado contra o agressor(será que ninguém encontrou as capsulas que foram usadas nos disparos contra a patrulha do EB)- e mesmo se encontrassem não sei se o G1 publicaria.Por fim, espero que se algum dia, entrar um governo de direita, realmente preocupado com o progresso dessa nação, que corte e/ou proíba todo e qualquer tipo de financiamento à veículos de comunicação eivados de viés ideológico, que é só o que tem nesse país - adoram defender um malandro e por xeque as atitudes das forças armadas, mas são os primeiros a espernear quando um vagabo tira o iphone 20 deles no sinal.

Anônimo disse...

Não balearam o motociclista que atropelou o soldado, mas balearam este sujeito, alguém dúvida de que era marginal?

morador capixaba disse...

Quero deixar apenas uma ressalva: o garoto tinha 17 aninhos e estava no 6º ano, ele foi alvejado há 01:00 da manhã, um dia anterior teve sua tinha e prima mortas por envolvimento no tráfico, e o local onde estava era boca de fumo próximo ao local onde o exército foi recebido a tiros.

Sgt Inf\98 disse...

Humm!Existem regras de engajamento clarasquando a tropa é empregada nessas situações. Foi assim no Alemão, na Maré... é assim em missão de paz. Nosso Soldado não é muito cobrado e muito orientado sobre as concequencias para ele e sobre o efeito colateral para a força, caso venha agir em desacordo com tais regras.

Anônimo disse...

O "adolescente" trocou tiro com militares?? Esperava o que ?? Um bombom garoto??

Anônimo disse...

O pessoal da Globo é bom mesmo.... já fizeram até balística!
São uns comediantes.

Anônimo disse...

17 anos e estuda no 6º ano. "Tá serto!!"

Anônimo disse...

Que estudante engajado, 17 anos na sexta série, devia ser orgulho da família, 1h da manhã na rua na situação en que o estado se encontra com certeza devia estar indo à farmácia comprar um remédio urgente para um familiar, rede globo fazendo um de serviço à população

Anônimo disse...

Cada um colhe o que planta! O "inocente" tinha 17 anos e estava na 6ª série do fundamental... quando eu tinha 17 já estava na faculdade, claro o pobrezinho é vítima da sociedade... faça-me o favor g1 como nos diz o filósofo Bolsonaro "nos dê o exemplo adote-o"

Anônimo disse...

A coisa pegando fogo na cidade, sem polícia, com a marginalidade espalhada e o inocente resolve voltar pra casa de madrugada? Tinha que impor hora para a população se recolher para a própria segurança. A culpa sempre vai cair nas forças de segurança.Querem as Forças armadas ou os marginais tomando conta?

Anônimo disse...

O problema é que os PM's não conseguem sair pelo portão? Então usem um blindado e abram outro portão, já que a PM não está em "greve", e sim, impedidos de sair. Resolvido.

Anônimo disse...

Bom

Priscila Barreira disse...

Apoiado!

Priscila Barreira disse...

Muito provavelmente as cápsulas que o agressor deixou cair ao realizar os disparos foram recolhidas pela família para reforçar a tese de que o rapaz era um "trabalhador"!!! Para os civis tudo é permitido...até adulterar cenas de crime! Que Deus abençoe a todos os companheiros que estão nessa missão boca podre lá no ES!!!

Anônimo disse...

Pela qualidade dos cartuchos, era dos bandidos. Eles tem "importação" garantida e diversos tipos de fuzis.

Ernesto Rodrigues Teixeira disse...

Alguém já viu um quartel das Forças Armadas, bloqueado? Isso é uma baita palhaçada. Os coitadinhos inocentes, não podem sair do quartel porque as mulheres não deixam. Então vão para um berçario cuidadar de bebês e não para rua, porque para combater bandidos precisamos de homens e não fantoches.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics