14 de fevereiro de 2017

Exército monta ponte provisória e libera rodovia no RS

Novo Cabrais
Ponte móvel começa a ser instalada em trecho bloqueado da RS-287
Trânsito será liberado parcialmente e com restrição no km 153 ainda nesta semana

Marina Pagno
Equipes do Exército iniciaram, na tarde desta segunda-feira, a instalação de uma ponte móvel no trecho bloqueado da RS-287, em Novo Cabrais, no Vale do Rio Pardo. O trânsito no km 153 está totalmente interrompido desde o dia 29 de janeiro, após o rompimento de uma galeria devido à chuva. As informações são da Rádio Gaúcha.
A montagem da estrutura pelo Exército foi autorizada após pedido da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). O 3º Batalhão de Engenharia de Combate de Cachoeira do Sul vai fazer a montagem da ponte móvel, com 34 metros de extensão, com duas rampas de 7 metros em cada extremidade. A ponte, no entanto, permite a passagem somente de carros de passeio e de carga que tenham até quatro eixos e 30 toneladas. Os demais devem continuar utilizando rotas alternativas, como as BRs 392, 471, 153 e 290.
A expectativa é de que o trânsito seja liberado ainda nesta semana na RS-287. Mesmo assim, o tráfego será restrito no trecho: a ponte permitirá apenas a passagem de carros de passeio e de carga que tenham até quatro eixos e com limite máximo de 30 toneladas.
Como a estrutura é provisória, um semáforo será instalado no trecho para intercalar o fluxo, e veículos de carga só poderão passar um de cada vez, em uma velocidade máxima de 20 km/h, o que poderá causar lentidão no trânsito.
Para os veículos que seguem proibidos de passar no km 153, a principal alternativa para quem segue da Região Central para Porto Alegre é entrar no trevo de Cachoeira do Sul, na RS-287, desviar pela cidade e pegar a BR-290 até a Capital. O desvio aumenta a viagem em cerca de 60 km.
Uma obra permanente será realizada no trecho danificado da rodovia. Uma empresa será contratada pela EGR em caráter emergencial nos próximos dias para fazer a execução dos trabalhos, que devem se estender por 90 dias.
ZH/CP/montedo.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Será que daria para os engenheiros do EB ensinarem aos engenheiros do DNIT que fazer galeria sem capacidade suficiente para a passagem da água, principalmente em caso de muita chuva, é certeza de rompimento? Economizam colocando uns canos estreitos ou passagens pequenas em vez de fazer uma ponte segura. Mas como estamos vendo na Lava Jato, tudo parece que só sai do papel se tiver propina.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics