10 de fevereiro de 2017

Governo do Espírito Santo indicia 700 policiais militares por revolta

Em matéria do jornalista Márcio Dolzan, o site do Estadão informou hoje que, fracassadas as negociações com policiais militares do Espírito Santo, o governo do estado decidiu endurecer com os PMs e com as mulheres líderes do motim. O número de policiais militares já indiciados chega a 703. Eles responderão pelo crime de revolta - motim armado - cuja pena pode chegar a 20 anos de prisão. As mulheres líderes do movimento também serão responsabilizadas pelos custos com a mobilização das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança.
"Está iniciado o processo de responsabilização, tanto no aspecto militar quanto criminal", declarou o secretário estadual de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia, que concedeu entrevista ao lado dos comandantes da Polícia Militar e Polícia Civil.
Mesmo afirmando que o número de PMs indiciados "irá aumentar muito", o Secretário ressaltou que a maioria dos envolvidos são policiais de início de carreira e que a patente mais alta já identificada é de subtenente.
Com informações do Estado de São Paulo e UOL

17 comentários:

Anônimo disse...

E vai fazer o qe agora? prender todo mundo e deixar o EB direto nas ruas kkk

Anônimo disse...

Isso mesmo...demite os 700 e causa uma revolta maior...
Esse governador do ES é uma piada de muito mal gosto...

Léo disse...

As Praças da PM do Espírito Santo serão responsabilizadas pelos crimes ocorridos lá.Se maior graduação ou patente constatada,entre todos os amontinados, é de Subtenente,e todos estavam amotinados dentro dos quartéis, seus comandantes oficiais estavam aonde ?

Anônimo disse...

Se preparem que vai ter manifestação por parte dos familiares dos militares, sendo que as esposas ficarão na entrada dos quartéis, não deixando o pessoal ENTRAR pra cumprir o expediente.

Anônimo disse...

Não é novidade que mais uma vez serão os graduados que irão "pagar o pato" pela greve da polícia militar do Espírito Santo. Concordo que foi abusiva e gerou um tremendo caos no Estado capixaba, mas os oficiais ficarem de fora e sobrar para os graduados é o cúmulo da covardia. É uma demonstração clara de desunião e uma omissão tão óbvia e latente do comando que chega a provocar vergonha alheia.

Anônimo disse...

Pau na moleira!
Acaba de vez com essa baixaria de greve de PM.
Onde já se viu, milico fazer greve?
Vai rachar uma lenha!!!

Anônimo disse...

Gente morrendo por uma greve ilegal, o caos instalado no estado e tem especialista/futurólogo idiota comentando preocupado com a "luta de classes", oficial x praça... Tenha santa paciência, haja recalque!

Anônimo disse...

Se o mais antigo era subtenente, cadê os oficiais que não forma pra rua? Cadê o comandante dessa tropa? Isso está mais para milícia!

Anônimo disse...

Falar eu sou PM, é que mais se houve, mas, cumprir deveres, obrigações e os regulamentos, nem PENSAR.
Está na CF/88, militar não pode fazer GREVE.
Arrocha Comandante, NÃO esqueça também dos OFICIAIS, no mínimo foram omissos com os seus subordinados, ou acabou a hierarquia na PM.

Anônimo disse...

Depois vem aquela anistia geral,viram candidatos nas eleições ....

Anônimo disse...

O Governo do Paulo Hartung, do Espírito Santo, fez um intensa propaganda de sua "espetacular" política fiscal. Saiu de déficit, em 2014, para um superávit em 2015, com a sua gestão. Mostrou ser um exemplo de administração.
Lembro que ele foi à Míriam Leitão, em meados do ano passado, como um guru a ser seguido. Como tenho dificuldades em acreditar em papai-noel, fiquei desconfiado, mas marquei a cara dele e o fiquei acompanhando.
Logo depois, em setembro, os funcionários públicos tentaram tirá-lo do governo através de um impeachment, o que foi pouco divulgado. Ele estava querendo dar isenção fiscal às empresas, enquanto os funcionários públicos amargavam um arrocho salarial desde que ele entrou. Você nem ouviu falar.
Agora, os funcionários públicos perderam a paciência com ele e partiram para o ataque, mais notoriamente os PMs
Enfim, tirar onda em cima da desgraça dos outros tem seus limites.
Para piorar, temos o mesmo problema na esfera federal, só que em proporções gigantescas.
Espero que o bom senso predomine e suspenda essas reformas, para que elas sejam feitas em um governo com apoio popular. Se isto não ocorrer, o prognóstico é péssimo.

Anônimo disse...

Só os soldados rasos vão cair e vão pegar um "subão" pra bode expiatório. Pra cima, dos que ficaram só vendo a "banda" passar e colher os bons resultados, nada? Não seria omissão? Na pior das hipóteses, vão abrir mais de 700 vagas para novo concurso. E o julgamento dessa multidão vai se arrastar até ficar no esquecimento, se não forem anistiados. Estou dizendo todas essas coisas "boas" porque é assim que me sinto como cidadão que não confia mais na autoridade das autoridades e nem do que prometem, mesmo em juramento e documento em cartório.

Anônimo disse...

Burros foram os praças que acreditou nos oficiais. E aquela velha historia, ELE ACREDITOUUUUU!!!!!!

Anônimo disse...

Srs pms não e assim q se faz.vcs tão dando tiro no pé...existe outras formas de reivindicar...cuidado lembrem do estatuto.antes do direito vem o dever

Anônimo disse...

o mais antigo era subtenente. kkkk

Anônimo disse...

Anônimo das 22:18, ninguém aqui está citando "luta de classes oficias X Praças", mas expondo a vergonhosa notícia de que somente praças e certamente as esposas dos praças serão responsabilizadas pela greve. Não estamos discutindo também a ilegalidade da greve, mas estamos tentando "adivinhar" quem realmente "manda" na polícia capixaba; são os oficiais ou os praças???? Foram os praças e somente eles que coordenaram a tal greve??? O Comando não sabia de nada??? Os oficiais foram pegos de surpresa???Cito os oficiais pois o COMANDO DA TROPA é realizado por eles, de fato e de direito. O planejamento macro é realizado pelos oficiais e os praças são EXECUTORES. Cadê a responsabilidade dos oficiais???

Anônimo disse...

eles são Unidos, nós não.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics