15 de fevereiro de 2017

Marinha desativa porta-aviões São Paulo

MARINHA DESATIVA PORTA-AVIÕES SÃO PAULO
Corporação desistiu do programa de modernização da embarcação, que não navega desde 2014
THIAGO VINHOLES — 14 DE FEVEREIRO DE 2017
A Marinha do Brasil (MB) anunciou nesta terça-feira (14) a “desmobilização” do porta-aviões NAe São Paulo. Em outras palavras, a embarcação, que não navega desde 2014, será definitivamente desativada. O processo, que inclui a desmontagem de componentes do navio que podem ser reaproveitados, ocorrerá nos próximos três anos.
Segundo comunicado do Centro de Comunicação Social da Marinha, o Almirantado, após diversas tentativas de recuperar a capacidade operacional do navio aeródromo, concluiu que o programa de modernização do São Paulo exigiria “alto investimento financeiro, conteria incertezas técnicas e necessitaria de um longo período de conclusão.”
Em nota, a Marinha ainda afirma que a obtenção de um novo porta-aviões ocupará a terceira prioridade de aquisições, atrás do PROSUB (submarino de propulsão nuclear) e o programa de construção das corvetas Classe Tamandaré.
A corporação ainda reiterou que as atividades com aeronaves de asa fixa serão mantidas a partir da Base Aérea Naval, em São Pedro da Aldeira (RJ). É neste local que os caças AF-1 estão concentrados desde que o NAe São Paulo foi estacionado na base da Marinha na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, em 2014. A MB também afirmou que pretende manter os treinamentos dos pilotos com ajuda de “marinhas amigas.”

Cronologia do NAe São Paulo

15/11/1957 – Começa a construção do porta-aviões Foch para a Marinha da França.

23/07/1960 – O navio é lançado ao mar.
15/07/1963 – O Foch é comissionado pela Marinha.

7/05/1977 – O navio participa de missões no Djibuti.

1983-84 – O Foch é enviado para combate na guerra civil no Líbano.

1993-1994 – O porta-aviões francês atua na Guerra na ex-Iugoslávia e também a serviço das Nações Unidas.

5/9/1998 – Chegam ao Brasil 23 unidades do caça leve A-4 Skyhawk, comprados do Kuwait. Eles formaram o primeiro esquadrão de asa fixa da Marinha e foram o primeiro passo para equipar um porta-aviões com aviões de combate.

15/11/2000 – O Foch é descomissionado da Marinha Francesa e vendido ao Brasil.

17/02/2001 – Já como São Paulo, o porta-aviões é recebido pela Marinha brasileira para substituir o Minas Gerais.

17/05/2004 – Uma explosão ocorre na sala de máquinas do navio, matando três marinheiros e ferindo outros oito. Um defeito numa tubulação de vapor é a causa do acidente. A Marinha decide promover uma reforma no São Paulo.
2005-2010 – Uma grande modernização é realizada no navio-aeródromo. Desde as turbinas a vapor até os geradores elétricos são reformados, entre outras melhorias. A embarcação recebe novos sistemas eletrônicos e tem suas catapultas revisadas.

Agosto de 2010 – O São Paulo volta ao mar para testes.

Agosto de 2011 – Em testes, o porta-aviões volta a ter problemas com incêndios em várias partes do navio, causando pânico em tripulantes na época.

Dezembro de 2014 – Sem conseguir resolver os problemas do navio, a Marinha do Brasil anuncia uma nova reforma que deveria ocorrer entre 2015 e 2019 e que faria o porta-aviões operar até 2039.

Setembro de 2016 – Apesar de reconhecer os problemas com o sistema de propulsão e de catapultas, a Marinha nega que irá desativar o São Paulo.
Fonte: Poder Naval
AIRWAY(UOL)/montedo.com

16 comentários:

Anônimo disse...

É o Brasil e seu "novo governo" agora abdicando de forma definitiva de possuir FFAA. Na "ordem" mundial, países periféricos e principalmente países latino-americanos devem possuir somente uma gendarmeria, ou guarda nacional, uma pequena força policial marítima, com no máximo algumas corvetinhas e uma guarda aérea, com pequenas aeronaves com motor a pistão, para patrulha aérea. Ah.....e todo esse "arsenal" deve ser importado e controlado pelo fornecedor. Triste destino da nossa naçao! Lamento!

Anônimo disse...

Fato este já sabido e desde a compra desse "tranbolho" temos noticias de acidentes, duvidas na sua aplicação etc etc. Nada mais surpreende neste emaranhado de "negociação para entrada no Primeiro Mundo"...

Anônimo disse...

Finalmente foi desativado essa banheira velha e enferrujada. A Marinha tem condições de possuir uma ótima frota naval, mas o crime político organizado não permite. Com Remuneração e frota medíocre, o naufrágio da nossa gloriosa Marinha será eminente. Pobre Marinha do Brasil! ACORDA FFAA!

Anônimo disse...

Quem quer ter porta-aviões que funcione, tem que ter muito dinheiro. Como o Brasil está sempre em crise, então, é melhor esquecer isso.

Anônimo disse...

Se fizer uma investigação nos gastos com esse navio prende meio mundo de gente

Anônimo disse...

E fácil gastar dinheiro que a eles não pertence, compraram na época a preço de ouro sem os radares sem os sistemas de comunicação sem nada , compraram uma Kombi sem motor, lembro da epoca que o imposto pago pelo Brasil foi enorme, agora vai virar comida de peixe, Vegonha

Bento Franca disse...

A quem interessou a aquisição deste museu? Quanto foi gasto na modernização ? Quem modernizou esta jóia? Trouxe benefícios para o povo brasileiro? Quanto foi gasto com a aquisição e modernização? Quem deu o aval técnico e político para estas operações?

Léo disse...

Um povo e sua cultura geram Nação.Nação e um território transformam-se em país.Agora,um país com Instituições permanentes,regulares aí surge o Estado.E para que aquela nação transforme-se , verdadeiramente, em um Estado capaz de proteger a cultura,as riquezas e seu povo faz-se necessário possuir Forças Armadas à estatura da ganância internacional e dos perigos e descontroles internos.O exemplo mais notável do citado acima é o Estado de Israel.Desde os primórdios da humanidade,quando o profeta Moisés recebeu a gloriosa missão de conduzir o povo de DEUS ,em direção à Terra Prometida,saindo da escravidão egípcia-400 anos- se fez necessário organizar ,entre eles ,um grupo de espías para verificar os perigos que os aguardava à frente.Moisés designou doze homens para aquele destacamento precursor.Ao retornarem, dez ,apavorados, disseram ser impossível vencerem o inimigo.Somente dois,Josué e Calebe, entenderam, perfeitamente ,sua missão.Disseram à Moisés que,realmente,o inimigo era gigante e incontável.Mas aceitaram seguir em frente e cumprir a ordem emitida de seu Comandante terreno: Moisés. Hoje ,temos o Estado de Israel.Poderosíssimo! Com um povo,sua cultura milenar, um território por diversas vezes tomados pelos mais variados povos( Egípcios; Babilônicos; , Os Cruzados- representantes do Vaticano- e, por último ,os Turcos, vencidos pelo exército britânico,na década de sessenta). O Estado Brasileiro pagará o preço logo,logo por ter permitido ou desejado ter Forças Armadas capengas e sucateadas.Tái a prova! E muito inferiores ,do ponto de vista bélico, a muitos Estados Nacionais modernos.Uma vergonha deplorável ter-se um único Porta-Aviões,com cinquenta anos de honrados serviços prestados,sim ,senhor, mundo afora, mais incapaz de manter-se à altura dos desafios atuais.Fico imaginando a diferença de sentimentos entre um Calebe,um Josué e um soldado de Caxias.Aqueles tinha a mais absoluta das certezas de que estavam lutando e morrendo por uma causa justa e que receberiam seu galardão à altura de sua obediência e bravuras.Calebe e Josué tinham a aliança inquebrável e indelével entre eles ,seu comandante terreno e o seu DEUS! Os Soldados de Caxias, sabemos que iremos ao Rio de Janeiro,pela enésima vez,para cumprir o que o crime político organizado não cumpriu: dar segurança ao povo.O soldo de Calebe e Josué era a certeza da vitória e da salvação divinas de suas almas. Nós não podemos esquecer que a missão atribuída aos dois soldados de Moisés era infinitamente mais grandiosa do que as missões atuais atribuídas as Soldados de Caxias.Estamos indo tampar rombos bilionários da Maior Organização política Criminosa já existente em toda história humana-A do Brasil de Caxias.Vivas ao povo Judeu! Vivas ao povo de Israel! Vivas aos dois soldados de Moisés que mostraram a todos os outros Generais futuros,de todas as nações, como devem ser tratados seus subordinados.Vivas ao grande Profeta Moisés por tratar seus Soldados com toda a honra merecida.Somente Calebe e Josué entraram na Terra Prometida!!! Aprendam ,Generais, como se deve honrar seus Soldados! Vencimentos VERGONHOSOS,vexatórios,HUMILHANTES e ridículos é a paga que os Generais do Brasil nos dão por nossa lealdade e obediência.Aprendam com Moisés ,Antes que o exército de Caxias perca a fé na honrada missão de passarmos o bastão,não para gente repugnante e deplorável e espúria como um Stédile,mas para as futuras gerações dos verdadeiros Soldados de Caxias.Se preciso for,morrerei feliz para honrar o sangue daqueles que morreram lutando contra a Intentona Comunista de 35; Morreria feliz para honrar os heróis que morreram nas praias da Normandia; Morrerei feliz para honrar meus heróis que morreram nos altiplanos da linda e gelada Itália-Nossos Heróis Pracinhas e os Heróis do Senta a Pua. Para honrar os nomes de todos os meus antepassados que morreram para defender uma Nação e um Estado verdadeiramente livre ,justo e democrático!!!

Anônimo disse...

Servi no A12 por 1 ano... dá uma tristeza no coração...
Mas agora que a MB não tem PA, deixa de ser uma Marinha e passa a ser uma Armada, pois sem um PA não possue uma Esquadra... logo não deveria possuir Almirantes de Esquadra... e agora o "Almirantado" vai fazer o que? Pedir reserva coletiva? Ou vão continuar nos seus gabinetes apenas comferindo a passagem do kaol nos dourados???

Anônimo disse...

Triste decadencia das FFAA!
Marinha sucateada e sem navios e submarinos decentes.
Exercito com FAL da decada de 60, sem munição, sem blindados
Aeronautica sem avioes e sem combustivel
e por fim
Militares com salarios defasados, desmotivados e subempregados como severinos da madrasta nação.

Anônimo disse...

E quem são os responsáveis?

Léo disse...

Os responsáveis foram citados no meu texto acima.O profeta Moisés é que não é.

Anônimo disse...

Sucatão.

A grana foi pro ralo, pois ficou mais tempo parado no Porto do que navegando.

Anônimo disse...

O Brasil "nasceu" para ser colônia de exploração. È duro, mas é a realidade. As "elites" (política, judiciário, forças armadas) são meros intrumentos nessa farofada. Senhores, é só ver o que pagamos de impostos para que seja transferidos para as bancas internacionais no tal "pagamento da dívida pública interna e externa". Não perceberam que ao surgir um embriao de projeto de nação, sempre ocorre uma troca de peças. Por que acham que não existe projeto de nação (começando pela educação)? 99% vivem na "matrix tupiniquim", e assim são felizes. Triste sina deste país.

Anônimo disse...

Gostaria de saber se a Marinha do Brasil em conjunto com nossa indústria naval, tem condições tecnológicas e estruturais de construir um porta-aviões?

Anônimo disse...

Poderia ser usado como pátio de formaturas para entrega das Medalhas da Ordem do Mérito Naval e Mérito Tamandaré.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics