8 de fevereiro de 2017

General Mourão: Por que os militares não devem estar na Reforma da Previdência?

Publicação original: 7/2 (22:38)
Por que os militares não devem estar na Reforma da Previdência? 

Antônio Hamilton Martins Mourão*
Gen Mourao
Os militares das Forças Armadas (FA) nunca tiveram e não têm um regime previdenciário estatuído, seja no âmbito constitucional, seja na esfera da legislação ordinária. Assim, define a Constituição Federal, em seu art. 142, § 3º, inciso X, que a lei disporá sobre ingresso, limite de idade, estabilidade, transferência para inatividade, remuneração do pessoal etc., respeitadas as peculiaridades das suas atividades.

Historicamente, por mais de uma vez, o Congresso Nacional refutou essa existência. Em 1996, por exemplo, a Comissão Especial constituída para a discussão da PEC 338-A/96 rejeitou as sugestões de referências explícitas a regimes previdenciários próprios dos militares. As Emendas Constitucionais 18 e 20, ambas de 1998, consolidaram a separação dos militares das Forças Armadas em relação aos servidores públicos, inclusive em matéria previdenciária.
Em 2003, o Relatório do então Deputado José Pimentel sobre a PEC 40-A foi objetivo ao afirmar que “Os militares federais não se vinculam a um regime previdenciário em que os benefícios devam ter por fundamento as contribuições vertidas ao regime. Ao contrário, as próprias peculiaridades da carreira militar inviabilizam a sujeição de seus integrantes a um regime de caráter estritamente contributivo”.
As peculiaridades da carreira sempre levaram os militares a terem um tratamento diferenciado, o que não significa privilegiado. Os militares não usufruem de uma série de direitos de um trabalhador em geral ou de um servidor público. Aos militares não é permitido receber horas extras, adicional noturno, adicional de periculosidade, FGTS; ocupar cargos de direção e assessoramento superior (DAS) ou funções comissionadas ou gratificadas.
O “contrato social” com o Estado garante a sua disponibilidade permanente e dedicação exclusiva, impedindo-o de exercer outras atividades de caráter remuneratório. A União teria uma despesa anual adicional da ordem de, pelo menos, R$ 25 bilhões se tivesse que pagar os direitos que os demais trabalhadores e servidores públicos têm. Somente com horas extras e adicionais noturnos, essa despesa alcançaria cerca de R$ 18,8 bilhões anuais, considerando apenas os serviços de escala de 24 horas, as manobras e os exercícios militares contínuos, os dias no mar, entre outros. Não estão computadas as horas que o militar fica após o expediente até que a missão recebida seja cumprida.
Para compreender a dimensão desses números, basta uma simples correlação com os valores referentes às despesas com inativos militares, apontadas como um dos principais problemas do déficit da previdência e alvo de diversas críticas. De acordo com dados extraídos da Lei Orçamentária Anual – 2017, o total das despesas com inativos militares é da ordem de R$ 21,4 bilhões, ou seja, valor inferior ao da economia proporcionada à União por não estar previsto o pagamento de horas extras e adicionais noturnos aos militares das Forças Armadas.
Ao não fazer jus aos mesmos direitos remuneratórios dos demais trabalhadores e servidores públicos, os militares das Forças Armadas geram uma economia significativa à União. Se forem computadas outras economias proporcionadas com o emprego das Forças Armadas em atividades como a Copa do Mundo, os Jogos Olímpicos, o apoio em desastres naturais e situações de calamidade, o combate à dengue, o fornecimento de água à população da Região Nordeste, entre outras, chega-se à conclusão que as despesas assumidas pelo Tesouro Nacional com pessoal militar das Forças Armadas estão dentro de um contexto totalmente sustentável, devido às especificidades verificadas somente nessa categoria profissional.
Os militares contam com um Sistema de Proteção Social, a partir de instrumentos legais e ações permanentes e interativas que envolvem remuneração, saúde e assistência social. O objetivo é assegurar o amparo e a dignidade aos militares das Forças Armadas e a seus dependentes, haja vista as peculiaridades da carreira militar.
A contribuição para o Sistema de Proteção Social pode chegar a 12,5% da remuneração bruta – 7,5 % para a pensão militar, 3,5% para a assistência médico-hospitalar e social, e mais 1,5% daqueles que ingressaram antes de 2001 e optaram por deixar a pensão para as filhas. Além dessas contribuições, o militar desconta uma parcela de 20% do total da despesa de qualquer tratamento médico a que ele ou seus dependentes são submetidos.
Dentre as peculiaridades da carreira, a disponibilidade permanente e a dedicação exclusiva merecem destaque. É a disponibilidade permanente que permite o pronto emprego de tropas a qualquer hora, para qualquer missão, em todo o território nacional. Foi assim que as Forças Armadas empregaram mais de 24 mil militares na segurança dos Jogos Olímpicos e, ao mesmo tempo, deslocaram, em 24 horas, outros 1.200 militares para o Rio Grande do Norte para conter a onda de violência.
O trabalho recente da Fundação Getúlio Vargas (FGV), denominado “As Forças Armadas e a PEC da Previdência”, divulgado no mês de dezembro, exprime muito bem essa ideia: “A profissão militar das Forças Armadas engloba funções exclusivas de Estado, e não de qualquer governo, de provimento da Defesa Nacional, e ações de Garantia da Lei e da Ordem. São necessários anos para formar um militar. Existem especificidades sem similar no meio civil, com regras de dedicação e de comprometimento compatíveis com essa missão, genérica de lugar e de tempo, que implicam a disponibilidade permanente sem remuneração extra, as mudanças constantes para toda a família, o risco da própria vida, além da restrição de direitos sociais e políticos.
Nos últimos meses, especialistas em previdência pública têm feito afirmações com um total desconhecimento da carreira militar. Nem o antigo Ministério da Previdência, nem o INSS conhecem o regramento que envolve os militares. Desconhecem que a “Reforma da Previdência” dos militares ocorreu com a edição da MP 2.131, de 28 de dezembro de 2000 – atual MP 2.215-10, de 31 Ago 2001 –, quando foram suprimidos direitos, acarretando um achatamento salarial entre pensionistas, inativos e pessoal da ativa. Estima-se que esse achatamento, somente no tocante aos inativos e pensionistas, alcance algo em torno de R$ 96,3 bilhões para o período 2001-2015.
Há um desconhecimento de que os militares contribuem, em média, durante 62 anos para a pensão militar. Esse conceito de contribuição, mesmo na reserva, vem desde a criação do Montepio Militar, em 1795, e não apenas de um passado recente. A contribuição para a assistência médico-hospitalar e social é feita até o falecimento do beneficiário da pensão.
A regra, conforme listagem do trabalho da FGV, é a de os militares não terem regime de previdência. Os militares estão sujeitos a um regime previdenciário somente em oito países do mundo: Laos, Síria, Kuwait, Vietnã, Bulgária, Lituânia, Luxemburgo e Romênia.
A FGV retrata bem a razão da impossibilidade do militar ficar sujeito a um regime previdenciário: “As propostas recentemente veiculadas, favoráveis à inclusão dos militares das Forças Armadas na PEC da Previdência, criariam distorções de grande impacto, se implementadas. Parece haver um desconhecimento das especificidades acerca da profissão e da carreira militar. Ao se realizar tais mudanças, gerar-se-ia grave aumento do desequilíbrio já vigente, podendo implicar a redução acentuada da capacidade operacional das Forças Armadas a curto prazo. Se as características da vida militar não forem levadas em conta, serão criadas, certamente, condições desagregadoras, possivelmente irreversíveis, a médio prazo.”
O Brasil precisa de Forças Armadas capacitadas, remuneradas como uma carreira de Estado, motivadas e em condições de garantir a soberania do País e a manutenção para as futuras gerações de seu imenso território e de suas riquezas.
* General de Exército da ativa, Secretário de Economia e Finanças do Exército
EBLOG/montedo.com

51 comentários:

Anônimo disse...

Vocês ainda acreditam que a nossa classe política vai melhorar nossa situação. Veja:

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/deputado-se-aposenta-depois-de-apenas-dois-anos-de-mandato/

Depois são os militares os culpados.

Anônimo disse...

http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2017/02/mesmo-sem-acesso-avioes-da-fab-renan-vai-evitar-voos-de-carreira.html

Anônimo disse...

Finalmente um General da ativa se pronuncia. Parabéns General, V. Exa. representa a classe militar. A sociedade deseja de seus cidadãos fardados, PATRIOTISMO e que SEJAM BEM REMUNERADOS; QUE OS DIGNOS MILITARES BRASILEIROS, pelo menos tenham uma remuneração de IGUALDADE com as demais carreiras do funcionalismo para que sejam motivados e tenham dedicação exclusiva à Nação.

Anônimo disse...

Baixaram tanto minha autoestima que não me reconheço mais...finais de semana de faxina, vejo meus filhos sem perspectiva de futuro ...vejo um triste fim....dei tudo de mim pela Força e agora que pensei que fosse ser promovido em Dezembro para levar minha familia ao Beto Carreiro ...não fui promovido ! Tanta dor...tantos diplomas guardados na gaveta...nao posso trabalhar...em outro cargo para complementar a renda...o que me restou ...nessa vida entrei para o IME e hoje sou mandado por pessoas que nao conhecem da minha area e nao sabem nem pedir o que querem...ganhou menos que um Engenheiro da Ford...pois ja recebi convite para ganhar 8 vezes a mais do que eu ganho....nao consigo mais e devo sair em poucos dias !!! IME sempre uha uha !!!

Anônimo disse...

Tenho acompanhado as noticias sobre os militares, nenhuma boa, e me questiono senão estão criando um climão para gritarem: É GOLPE.
É tanta provocação, vindas de diferentes direções, que mais parece coisa orquestrada por dentro e por fora.
O medo está se instalando.

Anônimo disse...

Frase pintada nas paredes de alguns quartéis: "À Pátria tudo se deve dar, sem nada exigir em troca, nem mesmo compreensão." Siqueira Campos

01 vibrador

Léo disse...

Sugestão ao Gen Ex Mourão.Solicite ao comandante do Exército ,Gen Ex Villas Bôas,uma reunião, para ontem ,e o convença a reunir os outros dezesseis Generais de exército da ativa.Ao final da sugerida reunião, escrevam um texto, cujo conteúdo todas as gerações de militares ,antepassadas e a atual ,das Forças Armadas sempre souberam. Escrevam os dizeres: " O Brasil precisa de Forças Armadas capacitadas, remuneradas como uma Carreira de Estado,motivadas e em condições de garantir a soberania do país, e a manutenção para as futuras gerações de seu imenso território e de suas riquezas" (Gen Ex Mourão). Assinem todos embaixo ,encabeçados pelo comandante, e mandem , imediatamente,ao Palácio do Planalto, para Sua Excelência, o presidente Michel Temer.O mesmo presidente desta República de ladrões,de políticos pilantras, saqueadores dos cofres públicos ,os mesmos que formaram a maior Organização Criminosa da história humana,os quais terão um encontro marcado com curitiba- ou não!-.Aquela República citada pelo Lula.Arrombaram o Brasil e, mais uma vez, quem irá pagar a conta somos nós,militares das Forças Armadas,especialmente as praças que ,na sua maioria esmagadora ,não consegue movimentações na quantidade proporcionada aos seus oficiais.São as Forças Armadas brasileiras e ,em especial o seu exército, que realizam os trabalhos omitidos pelos estados, os quais vão desde a matança de mosquitos da dengue até a contagem ,humilhante e vergonhosa,de geladeiras ,em presídios fétidos e deploráveis.E,como reconhecimento da sociedade política supracitada, com relação ao elevadíssimo índice de credibilidade que temos receberemos ,em contrapartida, 35,36,37,38,39,40 anos de serviços pela frente!!!Detalhe: recebendo a pior,a mais baixa e vergonhosa -de longe-remuneração daquelas Carreiras de Estado referidas pelo senhor!-Não diga o que disse ,no texto acima, para nós, público interno- cansados,exaustos com leituras de textos nos quais de objetivo nada nos acrescenta-,diga-o a quem tem a caneta e o poder de decisão de resolver, definitivamente, os vencimentos VEXATÓRIOS, VERGONHOSOS, HUMILHANTES e RIDÍCULOS que os senhores nos pagam.A que ponto nós chegamos!O que os senhores ainda vão permitir que aquela corja safada e ordinária retire das nossas famílias? Esse poço ainda tem fundo?

Léo disse...

Os três Comandantes das Forças Armadas, o Gen Div Garrido e ,agora ,o Gen Ex Mourão já se manifestaram, publicamente, com relação às necessidade urgentes de correção dos nossos vencimentos pelo governo atual.Quantos ainda falarão? O que queremos ver são resultados objetivos.Vencimentos efetivamente corrigidos.E deixarmos de lado essa vergonha humilhante de termos, há décadas, o pior vencimento das Carreiras de Estado.Ou não somos Carreira de Estado? Como Pode o mesmo país tratar cidadãos como se uns fosse de primeira e os outros de terceira classes? Somos de terceira classe? Palavras? O vento leva e a reserva tranquila os espera.Cansados! Exaustos! Palavras,palavras, palavras! Ventos as levam!

Anônimo disse...

Este é galo. Brasil .

Anônimo disse...

Na Reserva tio!....aí não neh!

Anônimo disse...

Militar não pode ser responsabilizado por mero compartilhamento de notícia

http://www.anacontcomvoce.com.br/artigo/ver/10001344/militar-nao-pode-ser-responsabilizado-por-mero-compartilhamento-de-noticia

MESSIAS DIAS disse...

REFORMA DA PREVIDÊNCIA.


O que nossas esposas e filhos esperam de nós: é a educação, saúde, segurança, moradia, lazer e alimentação. Pouco os interessa qualquer promessa nossa sem obras. Como dizia o Apóstolo João, para mostrarmos a nossa fé com obras, pois pouco interessa ao necessitado e desesperado (militares das Forças Armadas), palavras e mais palavras, promessas e mais promessas.

No momento, é justamente isso o que esperamos de quem nos Comanda, quer seja, Marinha, Exército e Aeronáutica.
Pouco nos importa, como buscarão convencer e conseguir, não deixar que ocorra: "a derrocada final dos militares".

MISSÃO! A que nos é dada (militares) é cumprida e, lembre-se, quando isso ocorre, o maior sacrifício são da "ponta da linha", ou seja, os Soldados, Cabos, Subtenentes e Sargentos, pois irão executar, fisicamente, os que os doutos pensadores militares aceitaram, quer seja: segurança pública, presídios, dengue, obras públicas, calamidade pública, apoio a saúde... Acho até que, se os Garis entrarem em greve, vão mandar os nossos especialistas soldados e cabos e, se não for suficiente, sargentos e subtenentes.

Então, não nos venha com aquelas frases prontas, de que todo o esforço foi feito e de que tudo o que se pode fazer foi realizado.

NÃO. VERDADEIRAMENTE NÃO ACREDITAREMOS.

Principalmente, quando após uma derrocada, como ocorreu na MP do Mal, vimos a manutenção de cargos e salários dos nossos maiores chefes.

Esperamos que agora sejam de fato COMANDANTES".

"PROMESSAS NEM SEMPRE SÃO SINCERAS, QUASE NUNCA SÃO"

Anônimo disse...

Se os auditores fiscais ,analistas judiciários ,técnicos judiciários,juízes , promotores, etc que recebem salários altos fizerem greve ninguém morre !!!! Agora ..Vai a PM parar ( vide ES) ,já pensou se as Forças Armadas fizessem "movimento paredista"??? Quantos já morreram no ES? Quantos morreriam mais ? Quantos morrerão?? Quantos são impedidos de saírem de casa com medo do caos dá morte ?? O Estado tem que valorizar a segurança ,valorizar as PMs ( alguns estados assim já fazem) e o Governo Federal dar o devido valor aos militares das Forças Armadas com salários dignos e não esses salários vexatorios !!! Militar e seus familiares não podem passar necessidades e privações por conta de salários que dão os piores do Estado !!!Será que é difícil entender ?!?!

Unknown disse...

Palavras muito bonitas,tudo dentro do que queríamos que acontecesse realmente:sermos considerados,reconhecidos e termos o que nos é devido tanto para os da ativa como os da reserva.32 anos de serviço ativo cade descanso?toco um bar para poder cumprir com meus compromissos. 1s r/r com muito orgulho Odilon.Sempre Brasil acima de tudo.

Anônimo disse...

Não é por falta de aviso ....Os Comandantes já enviaram o recado às autoridades, a bomba relógio está armada desde 2001 e no limite para estourar ...A insatisfação salarial não e somente com praças, oficias não só tenentes mas capitão e major não estão nada satisfeitos com seus salários ..

Anônimo disse...

Um capitão das FA não recebe nem 9 mil líquidos ,um caiptão dá PM de Brasília ,Minas etc 14 mil líquidos ;um General das FA recebe 14 mil líquidos um Cel de PM Brasília , Tocantins recebe 30 mil !!!Pode isso Arnaldo ?? Alguns estados dá federação dão o valorizam seus PMs de forma justa !! É o Estado Brasileiro castiga seus integrantes das FA...

Anônimo disse...

Bom dia
Montedo os policiais militares de Minas Gerais vão parar sabes informar.

Anônimo disse...

Não lembro o ano certo, 90,91,o salário de dezembro só saiu dia 12 de janeiro, foi a única vez que atrasou, o orçamento não tinha Cido aprovado no congresso. Um amigo meu que era motorista de brigadeiro, dirigindo comentou com o brigadeiro: brigadeiro até agora o pagamento não entrou, o brigadeiro sem querer falou: o meu entrou no dia certo, dito isso ele completou você entende, nós ( oficiais generais) somos poucos. Eu nunca mais me esqueci desse fato. Isso mostra como eles pensam na tropa.

Anônimo disse...

“Nosso valor não está no que temos, mas sim no que somos". Frase estampada na parede de algum quartel do Brasil.

01 vibrador

Anônimo disse...

Quando vejo um general da ativa se pronunciar em favor dos militares, diminui a minha vergonha de ser um deles.

Anônimo disse...

O que eu mais gostei da crítica do General sobre a reforma da nossa seguridade foi de ele não vincular às modificações salariais.
Este tem sido o maior erro na condução das negociações.
Os militares não devem se prostituir. Discutir o aumento do tempo de serviço com aumento salarial é se prostituir. Foi o que ocorreu com a MP do mal. Muitos ficaram satisfeitos porque tiveram os seus salários aumentados e não pagaram nada dos seus direitos, porque já tinham acima de 30 anos ou estavam na reserva.
Agora, outra vez, a história se repete, os "garantidos" fazendo pressão por maiores salários e querendo barganhar os direitos dos outros com reforma. É um absurdo e total falta de ética com os da ativa, não podemos tolerar.
Em contrapartida, alguns iludidos da ativa, com salários paupérrimos, e sem pensar, apóiam o "aumento" salarial como uma oportunidade que não pode ser perdida.
Meus amigos, repito não podemos nos prostituir. A reforma seguridade social é uma discussão; a injustiça e o desprestígio dos nossos salários é outra.
Parabéns, General.

Anônimo disse...

Tem mil iço que ganha 5 mil e nem tem nível superior. Para de chorar

Lauro Costa disse...

finalmente depois de tantos anos vejo se levantar uma voz similar ao do grande general Tinoco. achei que nunca mais veria novamente.

Enquanto isso os baderneiros fardados abandonam a população a própria sorte! Mais uma vez lá vai o glorioso e mal pago Exercito de Caxias resolver a lambança de governador e força auxiliar.

Anônimo disse...

Tem que ter a reforma sim para os militares mesmo, pois se para os civis vai existir porque para nos militares não. Se trabalharmos mais tempo vai acabar a mamata dos PTTC que ficam nos quarteis só amolando e vampirando.
Que tenha reforma para todos do país seja civis, militares, judiciarios, parlamentares entre outros demais...

Anônimo disse...

Podemos preparar o lombo para 35 anos de serviço, aumento do desconto para a pensão militar e aumento do soldo só em 2020, o resto é choro e ranger de dentes.

Anônimo disse...

da reserva ativa né...

Anônimo disse...

Quando vejo o comentários de alguns "companheiros", noto aquela velha máxima de que o inimigo é interno...

Anônimo disse...

ST Messias Dias, pelo menos troca o texto...

Anônimo disse...

Com o fim dos PTTC que só ficam nos quarteis amolando e tomando cafezinho, a economia de salários será muito grande, os PTTC (VAMPIROS) já deram sua contribuição vão descansar e cuidar dos netos em casa.

Anônimo disse...

Companheiro, essa reforma já ocorreu em 2001. Se esclareça sobre o assunto antes de vir comentar algo que não conhece.

3 Sgt Pica Fumaço 2013 disse...

Não existe terceiro antigo!
Senhores.... senhores... vamos papirar e ir par ao judiciário pô! Sem essa historinha "tu tinha que estar na gda agora"

Anônimo disse...

Aaaaata
Mais um subvéi reclamão que não tem coragem de sair e fica só esperando o governo fazer algo

Anônimo disse...

Senhores comentaristas o Exmo Sr General Mourão. Sempre foi um líder. Mesmo na ativa ele se pronunciava a favor da tropa. Militar vibrador, alto preparo físico, Guerra e PQDT. Palavras firmes. Lembro que toda OM que ele visitava tinha um corridão e ele na frente. Parece que ele é gauchão, natural de Bagé-RS. Quem fez o CFS na Cavalaria de Bagé sabe do que falo, cidade hospitaleira e de pessoas leais. Cidade de HOMEM MACHO E MULHER BONITA. Cidade gelada e de gaúchos linha de frente. Parabéns General. Cavalaria! Furacão!

Anônimo disse...

Quero ver o dia que a imprensa descobrir que militar volta trabalhar, mas recebe a mais para isso , não teremos mais o argumento que militar na reserva pode ser chamado e por isso o salário é integral.

Anônimo disse...

E o carnaval chegando! Oportunidade para outros começarem a exigir a mesma coisa. No final, o governo federal vai dar mais dinheiro, nosso, e mais "Severinos" quase de graça. Imaginem a situação quando for no Rio?

Anônimo disse...

Kkkkkk

Anônimo disse...

Vi por diversas vezes citarem o Gen. Mourão aqui neste blog, mas não sabia que ele era tão claro nos seus conhecimentos. Aqui ele esclarece bem o que é a vida de um militar, mas acho que mesmo assim aparecerão pessoas que sem entender da própria vida e se dizendo entendedor de militarismo, vão querer contradizer o general. Sei, porém, porque isso irá ocorrer, é porque políticos focaram em ter que estragar uma coisa que ainda funciona neste país: a Instituição Militar. No Brasil, tudo que funciona direito não serve! Eu mesmo, sendo professor, quando fui para a reserva, fiz concurso para o magistério público e tive que abandonar a sala de aula após 8 anos lecionando, só porque sou militar da reserva, coisa que não acontece com civis. O que me adiantou fazer curso superior? Então, quem não entende da vida militar devia se recolher à sua insignificância.

Leão de Alojamento disse...

Parabéns pelas palavras Meu Comandante. Que esse câncer conhecido como classe política tomem as devidas providências.

Anônimo disse...

Uuuiiiiii, me arrepio to do quando vejo um gauchao...

Anônimo disse...

E tem gente que tem nível superior e não tem culhoēs para ser milico.

Anônimo disse...

Falar é fácil, quero ver é pagar as diárias, que estão previstas em legislação, para os militares de outras guarnições que atuaram nas olimpíadas no Rio, Isso ele não fala nada, se umudece!!! Cumpra a legislação vigente!!!
é mais um de blá blá blá

Anônimo disse...

Os militares gaúchos são excelentes. Sem desvalorizar os outros, todos tem seus méritos, mas igual o gaúcho não tem. São organizados, trabalhadores, comprometidos, claro que existe a exceção, mas a maioria são excelentes. Alguém já conheceu uma reserva de material de um militar gaúcho? Tchê que organização. Alguém já observou o PNR de um gaúcho, até as arvores os caras pintam. Sou MANAUCHO, filho DE MANAUARA COM GAUCHO, mas me orgulho muito. Conheci um gaúcho que ele tinha anotado até a medida das cordas das barracas. O cara fazia a cautela e na hora da devolução ele media para ver se a corda não tinha sido cortada. Parabéns aos militares gaúchos.

Anônimo disse...

Anônimo 8 de fevereiro de 2017 10:14, o que adianta curso superior "feito nas coxas" e não saber fazer coisa alguma? É isso que se encontra por aí, não é mesmo? Ou estou mentindo? O que vale é concurso, meu caro! Conheço gente com curso superior que fica "correndo atrás" de políticos porque não se garante em fazer um concurso público. Tenho certeza que você sabe de pelo menos um também.

"Tem mil iço que ganha 5 mil e nem tem nível superior. Para de chorar"- SIC

Aproveite e estude um pouco de Língua Portuguesa também!

Anônimo disse...

Muito claro e preciso o texto do General Mourão, a sociedade brasileira tem um pacto com as Forças Armadas, que não está escrito em lugar nenhum, mas a disponibilidade desses brasileiros de estarem disponíveis 24 horas por dia em qualquer lugar. Nos ultimos 30 anos a situação do militar se deteriorou, como 3 Sgt cheguei a receber 18 salários mínimos, anos de 83 a 87, ou seja, os salários dos militares vem sendo corroído há muito tempo, mas sempre penalizando os subtenentes e sargentos, de certa forma os oficiais eram poupados, pois eram transferidos a cada 2, 3 anos, e conseguem PNR com maior facilidade, o que de certa forma os protegiam, com isso a reclamação dos salários sempre era um problema dos praças. E nenhum oficial general vinga de maneira tão veementemente, reinvindicar aumente salarial, o faziam de man coletiva para toda a classe, as esposas dos sargentos em Brasília sabem bem disso (Dona Ivone Louzardo). Como dessa vez atinge todos, e prejudica principalmente os oficiais, convenhamos os praças já estão na M há muito tempo e não vai mudar muita coisa, mas para os "escolhidos", os "sócios", esses sim é que não querem ir para a fila do INSS, teto de 5.300,00, etc. Por isso o esperneio. Temos que tomar cuidado, uma vez que vai haver um projeto e nele pode ser negociado que esse teto vale apenas para os praças, e livre os oficiais deste teto do INSS. Tudo é possível. Farinha pouca, meu pirão primeiro.

A propósito a expressão "o sócio", eu ouvi de um oficial superior, onde todo oficial com ECEME, ele não serve, passa a ser sócio das FA, ou seja, aproveita todas as benesses, os demais é vala comum.

Anônimo disse...

Primeiramente, o erro de grafia foi oriundo do corretor de celular; segundo, sou concursado tenho curso superior e ganho três vezes mais que voce meu caro, trabalho muito menos e, terceiro, MILITAR deve estar na reforma sim. Conheci um monte de antiga o quando estava na atividade que nem sabia escrever o nome e tinha oitava série e, quando muito um supletivo. Concordo contigo tem muita gente com superior que acha que tá no topo mas é um Zé porcaria.

Anônimo disse...

Ser militar já era meu caro. Ganha pouco e só toma na cabeça sem respeito de ninguém

Anônimo disse...

Ao companheiro de 9 de fevereiro de 2017 13:22,
Meu amigo, o seu problema é o recalque. Não me leve a mal.
Sem dúvida você ganha mais, mas deve ser concursado pós-2003, portanto não tem a paridade que o militar tem. Isto é, vai para casa trabalhando mais tempo que o militar e ganhará menos ao se aposentar.
Para compensar (o seu recalque), torce para que os seus antigos colegas de farda se ferrem.
Eu chamo isso de pobreza de espírito.
Torço, sinceramente, que nem você (funcionário público), nem nós paguemos por uma reforma desonesta de um governo impopular e golpista.

Anônimo disse...

Anônimo 9 de fevereiro de 2017 13:22, "a desculpa do aleijado é a muleta!" Vou fingir que estou acreditando!

Anônimo disse...

O anônimo 9 de fevereiro de 2017 13:22, fui eu quem o criticou primeiro. Se você pegar uma prova de concurso de qualquer instituição dos anos 70 e comparar com as de agora, é claro, vai notar que está muito diferente. É a evolução, meu caro! Agora, eu mesmo conheci duas pessoas sem faculdade, porque não tinham interesse em fazer, e estudavam por conta própria. Uma delas inclusive dava aula em um cursinho preparatório. Essa, mais tarde, resolveu se graduar e, atualmente, faz pós-doutorado. A outra, eu perdi contato. Então, tudo é relativo. Há muito "M" metido à besta.

Anônimo disse...

Aos recalcados, prefiRO ganhar 16 k a vida toda a estar aposentado e ganhando integralidade e paridade de 6,5 k. Me poupem

Anônimo disse...

Você é um Zé porcaria.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics